Brigada Ligeira Estelar – Hussardos Nobres

Quando chega o ritual da Primeira Maioridade, os nobres passam a ter direito de ir e vir — e uma juventude de aventuras pode estar apenas começando!

HusNobr
o
A princesa Maria Victoria Ezquerra de Trastâmara, filha mais jovem do Conde de Rio Negro e com laços de parentesco com o clã regencial dos Merino, é um dos exemplos mais claros de como a invasão dos Proscritos nos planetas da Ponta do Sabre é uma catástrofe que não escolhe classe social, etnia ou coisa que o valha — todos estão sujeitos à ela. Mimada, arrogante e voluntariosa, seu destino não parecia ser muito diferente de outras nobres com o mesmo perfil ao longo do império. Até que o Condado de Rio Negro foi devastado pela invasão proscrita, fazendo dela a herdeira mais próxima de uma região imensa… que não passa de um monte de escombros. Boa parte da população foi escravizada ou morta, e os grandes teleportos que parecem marcar a presença provisória dos invasores quando eles se instalam em um local parecem dominar a região.

Seus laços privilegiados permitiram que ela pudesse se abrigar na própria corte regencial, na Capital planetária de Madredeus. No entanto, seu orgulho ferido jamais a permitiria ser uma mera dama condenada virtualmente à uma fidalguia enquanto seus domínios não fossem retomados. E por isso, ela requisitou uma audiência com o próprio Príncipe-Regente Mathias Merino. Não lhe pareceu que seria fácil.

À sua frente, ela se curvou como uma dama.

— Se aproxime, Princesa. Eu não sou homem de perder tempo com salamaleques — e nem você, até onde apurei.

— Sim, Vossa Alteza Regencial.

— Eu li seus dois pedidos. Não posso negar a você o robô que lhe é de direito. Até onde sei, provavelmente você é a mais alta autoridade do seu clã. Mas isso tem que vir dos recursos de sua própria casa de nobreza, não do erário regencial.

— Por isso eu estou pedindo um empréstimo do banco regencial.

— Que eu não pretendo lhe conceder. O que nos leva ao segundo pedido — o de uma guarda pessoal. Algo que você só poderia conceder a um nobre que já passou pela segunda maioridade.

— Mas que pode ser concedido a um nobre na primeira maioridade caso tenha anuência do nobre que o antecede hierarquicamente.

— Em seus próprios domínios. Aqui, os domínios são meus e não vou permitir a uma herdeira de condado convocar uma guarda de cavaleiros em minhas terras.

— Eu não falei em suas terras, Vossa Alteza.

Isso chamou a atenção de Mathias.

— Vamos pôr as cartas na mesa. O que você realmente quer com seu robô de nobreza e sua guarda pessoal?

Ela respirou fundo.

— Vamos ser honestos. Ninguém nega a coragem dos voluntários da Frente de Peleja. Mas eles estão envolvidos em um aspecto de grande escala contra os invasores. E o micro acaba perdendo importância. Dentro desse ponto de vista, minha família, meu povo, minha região, são apenas parte da estatística. E eu não quero ficar parada esperando um marido para, caso sobrevivamos, herdar apenas um monte de escombros. Não me confunda com aquelas menininhas românticas que pegam em uma espada e acreditam que vão transformar o mundo. Quero salvar o que é meu.

— E como você pretende fazer isso? — perguntou um interessado Mathias.

— Usando meu direito de ter uma guarda pessoal de cavaleiros mecanizados para construir uma unidade de elite regional, reduzida mas coordenada. Sabotar suas bases. Libertar as pessoas escravizadas. Destruir seus teleportos. Criar núcleos de guerrilha contra os invasores entre os sobreviventes. Não quero estar isolada. Acredito que outras regiões deveriam fazer o mesmo, mas eu estou disposta a começar.

Mathias sorriu. Apanhou as duas requisições e as assinou.

— O seu robô fica por minha conta.

Isso foi há oito meses. Hoje, é difícil olhar para a Princesa e pensar imediatamente nela como uma nobre. Mais e mais próxima do modo de vida dos combatentes, menos coberta por trajes de nobreza, mas ainda assim voluntariosa e desafiadora. Alguns de seus Cavaleiros morreram e foram substituídos por novos. Algumas pessoas libertas formam suas unidades de robôs Ulanos. Seu robô, o Tigre del Festival — uma menção ao fato de que os robôs da família foram por muito tempo meramente cerimoniais — é sinônimo de alerta vermelho para os inimigos Proscritos.

Maria Victoria, senhora do Clã de Trastâmara. A Dama que comanda o Tigre.

Ela nunca se sentiu tão digna de seus titulos em toda a sua vida.

———————————————————

Recentemente, fizemos uma série de artigos sobre clãs de nobreza, seus exércitos e sua organização. No entanto, acabamos deixando passar um item fundamental na sua compreensão: os robôs particulares que um nobre recebe quando é empossado. Normalmente eles acabam se tornando um mero item decorativo e símbolo de poder para um nobre; no entanto, muitos deles acabam encontrando na posse desse construto um passaporte para uma juventude de aventuras, até que a segunda maioridade lhes chame às suas responsabilidades.

Tecnicamente, o robô gigante de um nobre é apenas um Irregular de alto orçamento. Na prática, ele é mais do que isso. Há empresas especializadas e muito bem pagas para produzir tais robôs para a Primeira Maioridade de um nobre, devidamente licenciadas pelo estado e sempre vistoriadas (para que não haja o risco de que inimigos políticos do Império tenham em mãos armas poderosas demais – não que isso impeça-os de customizá-los paulatinamente em suas oficinas pessoais depois de sua construção). Enquanto muitos irregulares, refugos e outros robôs de menor monta saem de oficinas ilegais (ou à beira da ilegalidade já que muitas se ocultam sob a inofensiva máscara de oficinas de reparos para robôs e demais veículos), as empresas especializadas em trabalhar para a Nobreza produzem do zero um caro robô personalizado e pronto para ser entregue a seus donos quando eles completarem quatorze anos.

Um robô da nobreza normalmente é classificável como um Hussardo Irregular. Ou seja, ele costuma ter os elementos que caracterizam o Hussardo – como o vôo e o sabre de energia – mas ao invés de começar partindo de um molde comum, ele é construído do zero – ou seja, um item especial e único. Ele pode até ser mais poderoso do que um robô hussardo da Brigada Ligeira Estelar, mas é claro, há um preço por isso.

Como esses robôs são construídos a partir de moldes artesanais, o melhor local para sua manutenção em tese deveria ser a oficina pessoal da família, mas se essa fosse uma regra escrita em pedra, jovens nobres não partiriam em jornadas aonde seus construtos correm o risco de sair seriamente avariados, precisando de manutenção urgente. Apesar da engenharia ter sido própria, a arquitetura interna costuma partir de bases comuns; não é à toa que os hussardos da baixa nobreza tendam a ser parecidos, apesar de mostrarem visuais personalizados – um baronato ou um viscondado normalmente não tem necessidade nem recursos para arcar com as despesas de uma estrutura completamente original. Caso o robô tenha algum tipo de peça muito especial (que usualmente dá ao piloto seu diferencial em combate), não adianta: ele precisa voltar para casa para fazer os reparos – ou recorrer, a um preço salgado, ao artesão que o construiu.

Em Termos de Jogo

É possível construir um Hussardo pertencente à nobreza do Zero. A princípio, assuma que esse robô terá a mesma pontuação de um robô hussardo regencial (13S). A versão de nobreza da vantagem Aliado Gigante (página 49 do livro Brigada Ligeira Estelar) é obrigatória para os personagens que quiserem um robô como este. Em seguida, ao se estabelecer o atributo Força, personalize o dano como corte por conta do sabre de energia. Escolha seus sentidos especiais e inclua a vantagem vôo. Quanto ao resto, se sinta livre.

É possível converter nobiliarquia em pontos para a construção de seu robô. Caso o mestre não esteja interessado em nivelar os robôs com pontos de experiência ou esteja disposto a mestrar uma campanha épica, com robôs muito poderosos e personagens de doze pontos (podendo assim se valer das citadas regras de equipamento), é possível aplicar bônus e somá-los aos treze pontos originais do seu robô de direito.

 

Barão

Visconde

Conde

Duque

Grão-Príncipe

Príncipe-Regente

Filho Não-Herdeiro

0

1

2

4

8

12

Herdeiro

1

2

4

8

12

16

Ativo

2

4

8

12

16

32

Personagens com a vantagem riqueza podem se beneficiar dessa tabela mesmo não sendo nobres – seria mais uma medida de alcance de seu poder e dinheiro. Nenhum personagem jogador deveria estar acima de filho herdeiro de um grão-príncipe (acima disso, apenas NPCs).

Por outro lado, isso explica porque nobres podem ser oponentes tão poderosos. Quando um nobre se cerca de nobres relativamente menores mas com grande poder de fogo em mãos, é possível que ele reúna inimigos formidáveis para nossos heróis.

Por outro lado, um personagem da nobreza também pode ser um guerreiro impressionante…

Arte por Eudetenis.

Alexandre Lancaster • 27/05/2015

Comentários