Brigada Ligeira Estelar – Agentes da BRISCA

Elas são lindas, andam em dupla, e são mortais! Conheça as agentes da BRISCA, para suas campanhas de Brigada Ligeira Estelar!

Dupla— Você está louca, não é? Essa é uma base da Brigada Ligeira Estelar!
— Não. Vamos nos vestir com esses trajes hussardos. Eles não vão nem notar, quando muito vão nos convidar para um chope.
— E se algum quiser nos amolar?
— O truque do casal de lésbicas. Já fizemos isso antes.
— Ah, não, detesto esse disfarce…
— Eu também, mas ele funciona e isso é trabalho. Além disso seu hálito é péssimo.
— Meu hálito não é péssimo.
— Amiga, se você soprar um isqueiro aceso é capaz de mandar essa base toda pelos ares.
— Você não precisa de cachaça para mandar a base toda pelos ares, queridinha. Seu talento como agente já faz o suficiente.
— QUE HISTÓRIA É ESSA DE “MEU TALENTO COMO AGENTE?”
— Tivemos sorte de escapar daquela estação espacial. Se ela não tivesse se espatifado na reentrada geraria um…
Um barulho de palmas espocou pelo ar. “Meninas, por favor?”
— “Meninas?”
— “Por favor?”
— Vocês duas são surdas, é? Considerem-se presas por invadir uma base planetária da Brigada Ligeira Estelar!
Uma jovem capitã da Brigada estava de pé, de braços cruzados. Atrás dela, vários soldados de infantaria da base apontavam armas para ambas. Ambas as agentes voltaram os olhos uma para a outra, sem mudar de posição. Baixaram o tom da voz.
— Mudança de planos. Vamos partir para a porrada, sair daqui correndo e roubar dois daqueles robozões antes que nos identifiquem. Sem enrolação, sem demora.
— Você sabe pilotar um daqueles monstrengos?
— Ora, qualquer garoto civil de quinze anos que encontra um protótipo de robô gigante militar dando sopa, entra no cockpit sem saber pilotar e acaba detonando ases mascarados do lado inimigo logo no primeiro ou segundo combate. Acha mesmo que é tão difícil assim?
— É, tem razão — disse com enfado. “Vamos partir pra porrada…”
— Isso, isso.
— OLHA AQUI, SUAS FUGITIVAS DE FILME PORNÔ! QUE CALMA IRRITANTE É ESSA? VOCÊS ESTÃO PRESAS, CACET…
A capitã não completou a frase. Um pé atingiu em cheio a cara dela, jogando-a no chão. Agora só faltavam os demais homens no recinto, os oficiais na sala, driblar as câmeras — e conhecendo o currículo delas, o que começou como um simples ato de infiltração e destruição de provas da Inteligência Imperial se tornaria em uma base explodida, robôs destruídos, a mídia em cima de tudo e a equipe de apoio se desdobrando para limpar todos os rastros que levem a culpa dessa ação à BRISCA. E com certeza elas diriam no dia seguinte, com um sorriso amarelo: “Mas a gente destruiu as provas junto com a base, não foi?”

A BRISCA, ao contrário do que muita gente pensa, não é um acrônimo; seu nome é tirado de um jogo de baralho que tem vários nomes entre os povos que formaram a Constelação do Sabre, e batiza uma empresa especializada em serviços privados de inteligência que, não oficialmente, incluem serviços sujos. Até faz sentido — O que chama a atenção para seu efetivo de agentes é que todos são formados por mulheres lindíssimas que trabalham em dupla — e que por seus trajes justos e sensuais, acabam chamando a atenção de todos ao redor, o que não faz sentido em se tratando de serviços que deveriam em tese ser discretos.

Mas há explicação. Cirurgias de recuperação e modificação genética costumam ser astronomicamente caras e com resultados um pouco demorados — geralmente o processo de desenvolvimento corporal dessas mudanças leva cerca de um ano, e em geral são usadas para recuperação de partes do corpo perdidas, cura de deficiências congênitas e eventualmente, mudança de gênero. Mas se é para mexer em tudo, porque não aproveitar para um serviço completo — ou seja, deixar essas pessoas recuperadas com corpos bonitos, atléticos, de grande capacidade física, prontos para feitos de ação?

Geralmente quem passa por esse tipo de cirurgia tem motivos de sobra para valorizar ao máximo sua integridade física e não quer correr o risco de perder o que tem. Mas ter acesso a ela é algo financeiramente tão caro que ela poderia fazer qualquer coisa para esse fim.

Inclusive se tornar uma agente da BRISCA.

Serviço Sujo

Tendo uma má reputação por serem na verdade especialistas em trabalhos sujos por trás de uma empresa que aparentemente só oferece serviços de investigação particular e segurança, não há dúvidas: eles investigam o perfil de suas candidatas para saber quem seria capaz de cumprir qualquer missão perigosa ou eticamente questionável. A BRISCA não é uma organização benevolente — eles oferecem seus serviços a grandes empresas, membros da nobreza — enfim, a qualquer um que tenha cacife para pagar extremamente bem por seus serviços.

Após o ano de reconstrução corporal que se segue à cirurgia, começa mais um ano de treinamento — e a partir daí, elas tem doze anos de contrato, com renovação anual a partir daí. Consta que elas levam cinco anos para pagar o investimento feito nelas, o que faz dos sete anos restantes lucro garantido. É por isso que em geral elas são escolhidas na adolescência, quando seu genoma é mapeado. A BRISCA pretende explorar seus serviços enquanto elas estiverem no auge da forma física, e elas até tem apoio nesse sentido: nenhuma cicatriz obtida em trabalho deixará de ser reparada por cirurgiões plásticos. Caso haja a perda de alguma parte do corpo eles não vão submetê-la de novo a cirurgia genética — seria um ano de trabalho perdido e os custos não retornariam — mas lhe garantiriam próteses não-visíveis pelo resto da vida, garantindo a ela até maior operatividade como agente e a certeza de manter uma vida socialmente normal.

Há quem diga, entretanto, que elas não são muito normais. Convenhamos que pegar meninas inseguras e sem certos tipos de trancas morais, com traumas causados por problemas físicos que exigem a interferência de cirurgias genéticas que elas nem tinham mais esperança de conseguir, e por fim transformá-las à medida que crescem em deusas da fertilidade com grandes habilidades de combate, que pilotam robôs, usam armas, se infiltram, são mestras do disfarce e tem uma imensa cara de pau, definitivamente não faz delas muito normais. Certamente elas cumprirão suas missões — elas dependem de seu desempenho para que no futuro não sejam descartadas pela empresa — mas frequentemente elas revelam algum tipo de problema psicológico que, embora não as tornam inoperantes, geram uma série de problemas colaterais. Elas não são apenas agentes de inteligência, mas também de campo — e para limpar os rastros, driblar oponentes ou mesmo por priorizar elementos de uma missão em detrimento de outros, acabam gerando um caos potencial que só não foi detido por jamais ter comprometido seus clientes — e, claro, os lucros imensos da BRISCA…

Agentes da BRISCA sempre trabalham em dupla.

AGENTE DA BRISCA

Pré-Requisitos: Patrono (BRISCA), Aliado, Aparência Deslumbrante, Insanidade, Má Fama; Crime (perícia completa, 2 pts.)

ESPECIAL 1: A insanidade é à escolha do jogador, mas deve ser aprovada pelo mestre. A BRISCA não traria para seu seio uma agente capaz de se tornar um problema para a própria empresa ou comprometer sua capacidade ação em meio a uma missão. As insanidades vedadas aos personagens são Demente, Compulsivo, Depressivo, Histérico e Homicida (ser capaz de matar é uma coisa, deixar um rastro de corpos que podem ser usados pelas autoridades para destruir a empresa é algo bem diferente).

ESPECIAL 2: Caso sua parceira seja um personagem de outro jogador, não será preciso incluir Aliado entre os pré-requisitos do kit).

Ás na Manga: para se infiltrar em qualquer lugar e não ter seus disfarces improvisados desmascarados, você precisa saber um pouco de tudo. Uma vez por dia, você pode comprar uma Vantagem que não possua temporariamente — algo necessário para não ser pego por um lapso em sua pesquisa. O custo é de 5 PHs por ponto da vantagem comprada. A vantagem dura um dia.

Eficiência Total: você é treinada para enfrentar qualquer tipo de ameaça. Você pode gastar 2 PHs para obter um sucesso automático em qualquer perícia. Você pode usar este poder um número de vezes por dia igual à sua H.

Caos Conveniente: você consegue o que quer, mas deixa um rastro de caos para isso. Gastando de 1 a 5 PHs, você adiciona de -1 a -5 de dificuldade para que seus oponentes a persigam, mas suas ações sempre tem efeitos colaterais destrutivos. Isso não a afetará a menos que, enquanto estiver nesse ambiente, você tenha uma falha crítica; nesse caso, você sofrerá os redutores do caos que criou por um número de turnos correspondente à sua resistência. Importante: quanto mais alto o número de pontos gastos, maior será o nível do efeito colateral de suas ações. Com 1 PH, você passou um isqueiro no extintor de incêndio e com isso deixou a todos sob uma ducha em um chão escorregadio. Com 5 PHs… bem, não era um extintor: você tocou fogo em todo o prédio e trafega entre escombros!

Retirada Estratégica: quando as autoridades chegam, é hora de sair correndo — pegar vocês pode comprometer a empresa! Para você, fugir não é considerado uma derrota (veja Fuga, no Manual 3D&T Alpha, página 72).

Arte de Altair Messias

Alexandre Lancaster • 06/07/2016

Comentários