Inferno Movido a Vapor — Goblins

Não importa o quanto eles chorem ou implorem, nunca jogue com eles depois da meia-noite!

Considerados pela maioria como loucos, inconsequentes e desprezíveis, os goblins levaram a fama de encrenqueiros inúteis por séculos até finalmente provarem seu real valor, logo após a queda dos deuses e o fim do mundo. Não que isso os tenha tornado menos loucos, inconsequentes e desprezíveis…

armageddon-inferno-logo

Goblins – Sem Medo de Tentar

“Está tudo sob controle. Ele… Ele não deveria mesmo estar fazendo isso!”
- Mecanus, desenvolvedor de mecanoides.

Goblins são humanoides pequenos e esguios, medindo não mais que 1 metro de altura e pesando cerca de 20 quilos. São subdivididos em três etnias principais de acordo com o tom de pele: azuis, amarelos e vermelhos. Contudo, a miscigenação racial ao longo dos séculos gerou sub-raças, com cores que variam do laranja até o violeta.

Têm presas inferiores salientes e orelhas pontudas e grandes. Os braços e as mãos são desproporcionais em relação ao tamanho do corpo, longos e finos o suficiente para alcançar entre engrenagens. Apesar de caminharem eretos, não é incomum que goblins usem os braços como forma de apoio, principalmente ao correr.

A pele é escamosa e muitas vezes com espinhos, assim como a dos répteis. A maioria não apresenta cabelo, mas os que possuem, são normalmente desgrenhados e em cores únicas. Os olhos são castanhos ou, mais raramente, vermelhos, laranjas ou dourados. Vestem-se com qualquer trapo de couro e tecido resistente que encontrem, preferencialmente com muitos bolsos para guardar ferramentas, parafusos e outras peças que levam consigo.

armageddon-goblins-inferno

Vantagem Única: Goblin (1 ponto)

Resistência +1. Goblins resistem bem aos rigores de seu arriscado estilo de vida.

Genialidade. A mente dos goblins funciona de um jeito muito particular. Todos recebem Genialidade e são capazes de criar e fabricar máquinas e equipamentos acima do nível tecnológico de Gandara.

Aptidão para Máquinas. Para goblins é simples compreender o funcionamento das coisas. Para eles, a perícia Máquinas custa apenas 1 ponto.

Magia. Goblins não acreditam na força do arcano. Para eles, escolas mágicas custam 3 pontos cada.

Sabotagem. Goblins gostam de montar e desmontar coisas e fazem isso sempre que tem a chance. Eles devem fazer um teste de H antes do combate. Se forem bem sucedidos, todos os Equipamentos dos aliados consideram o dobro de usos para fins de Munição Limitada. Se falharem, esse número cai pela metade.

Num mundo em que goblins existem…

Goblins sempre estiveram à margem da sociedade, especialmente por serem sabotadores natos. Foram projetados pelo Construtor para viver em sua Torre de Aço, efetuando reparos na máquina que, supostamente, move o mundo e o faz girar. Muitos deles escaparam antes da chegada de Mephisto, espalhando-se por todo o reino de Bretor e dali pelo mundo.

Depois da morte do Construtor, os goblins abandonaram definitivamente a Torre, mudando-se para as cidades humanas que cresceram no entorno. Mas o instinto de consertar (e montar e desmontar as coisas) era mais forte. A curiosidade dos goblins os transformou em uma solução à espera de um problema.

Suas criações geralmente não passam de parafernálias mecânicas, criadas para facilitar as próprias vidas e se possível garantir algum dinheiro. Foi assim que desenvolveram a tecnologia que possibilitou a criação das primeiras máquinas movidas a vapor ainda durante a Era dos Reinos Antigos, o que foi considerado paganismo na época, mas acabou se mostrando a melhor solução para os novos tempos.

Assim como os gnomos, goblins habitam principalmente Bretor, onde a maioria das grandes empresas de novas tecnologias está sediada. Da mesma maneira que seus companheiros alquimistas, acidentes em laboratórios são comuns, e não é raro que todo um quarteirão desapareça em alguns teste mal-sucedido.

Goblins normalmente são respeitados por humanos e gnomos (embora haja uma leve rivalidade com estes últimos), que são grandes utilizadores de sua tecnologia mecânica. Não existem diferenças entre as diversas etnias goblinoides; todos se consideram irmãos. Goblinoides que se encontram ocasionalmente sempre agem como se fossem amigos de longa data.

O principal motivo para membros dessa raça se aventurarem é conquistar riquezas para financiar novas invenções. O segundo é realizar a prova de fogo da parafernália que criam para algum fim específico: armas, armaduras de combate, bombas, automóveis… Nada escapa da insana necessidade de inovar que os goblins possuem e testá-las costuma ser tão divertido para eles quanto montar. Ainda assim, muitos se aventuram apenas pela emoção de conhecer novas terras e para se divertir desmontando o que encontrarem pelo caminho.

Os demais textos de Gandara estão marcados através desta tag. Você também pode curtir nossa página no facebook para saber primeiro o que estamos preparando para o Inferno Movido a Vapor.

Armageddon • 07/07/2017

Comentários