Touhou RPG

Avatar do usuário
Inoue91
Mensagens: 616
Registrado em: 08 Jan 2014, 02:38

Re: Touhou RPG

Mensagem por Inoue91 » 10 Jun 2014, 23:29

Inoue, ficava um pouco mais aliviado ao ouvir as palavras de seus companheiros, eles estavam dispostos a ajudar, ele mal havia conhecidos eles, não sabia suas historias de onde vinham e quais eram seus objetivos, afinal está foi sua primeira missão junto com o grupo, ele respirou mais aliviado.

Reno havia comentado um nome, Yukari, por algum motivo aquele nome lhe era familiar, Inoue se concentrava para tentar lembrar, pensou um pouco e finalmente conseguiu se lembrar, após o companheiro terminar de falar, se pronunciava.

--Yukari-san ? é uma bela mulher de cabelos loiros e olhos roxos, eu conheci ela, mas isso foi há um 600 anos atrás, eu era apenas uma criança ainda, ela procurou minha família para capturar Yakumo Ran a shikigami dela, uma jovem que na época era rebelde, ela achava que não ia ser capturada, em uma semana a encontramos capturamos e entregamos a ela, depois desse dia nunca mais a vi de novo.

Um contato mágico foi estabelecido, varias pessoas estavam do outro lado, Inoue não estava entendo muito bem o que estava acontecendo, por isso preferiu ficar em silencio, e apenas observava a conversa toda.Tudo o que pensava agora é que tinha um ano para se fortalecer, talvez treinar junto com os novos companheiros seria a melhor ideia, treinando juntos poderiam melhorar a sincronia em campo, e até mesmo combinar golpes, e aproveitaria para entender melhor o que de fato estava acontecendo, agora eram muitos nomes e caras novas queria ter um melhor conhecimento da situação e conhecer direito todo esse pessoal novo.

Avatar do usuário
Reimu Hakurei
Mensagens: 61
Registrado em: 27 Jan 2014, 08:27

Re: Touhou RPG

Mensagem por Reimu Hakurei » 10 Jun 2014, 23:35

Megumi

Extra

Eu tinha falado brincando, principalmente pelo medo do desconhecido e por realmente não saber como alguém virava um vampiro, se é que isso era realmente possível. Havia muitos tipos de vampiros na fantasia e era difícil saber se o tipo ao qual Lucian pertencia era equivalente a algum dos que já ouvira falar. Ele parecia realmente precisar de sangue (porque havia nos livros e lendas vampiros que sugavam a alma! Que perigo.), mas quanto? Só que foi tarde demais, ele me atacou, e eu gelei.

Caí no chão sentindo o pescoço doer, uma dor ruim, mas a madrugada estava um pouco fria e o contato com Lucian aos poucos esquentava e a dor, que era ruim, foi ficando boa, depois muito boa, e depois muito muito boa. E a noite que até então também tinha sido ruim pra mim por estar sendo bisbilhoteira foi ficando boa, e muito boa, e aí muito muito boa. A dor já não era dor, era prazer, a minha roupa estava sendo rasgada e eu não tinha certeza sobre a posição do sutiã preto que usava, apenas que meu busto também estava sendo mordido ou… alguma coisa com a boca. Preferi não pensar mas queria pensar, o que ele estava fazendo? Ainda sugava sangue? Mas ali só tinha minha clavícula, e ele não morderia os meus… morderia?

Mas o calor, que não tinha sido ruim desde o começo, tinha estado bom, agora estava muito muito bom, e a indecisão de saber o que ele estava fazendo me fez apertá-lo contra mim mais ainda. Mas o que eu estava fazendo? Eu deveria ter dado um conselho apenas ao menino e talvez caminhar um pouco junto dele, vendo o céu estrelado enquanto sabia mais sobre sua vida, talvez comer alguma coisa em alguma lanchonete aberta à noite. Nunca imaginaria aquilo.

Nossa, hormônios são algo realmente perigoso! Eles dominam nossa vontade quando menos se espera. E bem… é bem verdade que nestes quinze dias eu iria estar mais inspirada mesmo, é a fase ovular do mês. É só que… não, nunca imaginaria ter projetado coisas assim pra fora da minha mente!

"L-Lucian… pare…! Não, não pare! Q-q-quero dizer, não podemos!!"

Então eu fiquei tonta de calor e de falta de sangue, falta de pudor, de controle, não sei, mas desmaiei. Acordei com os gritos de duas garotas, quem eram? Tudo foi muito rápido e quando vi o vampiro tinha sido levado por elas como se fosse culpado de algo. Elas nos confundiram com namorados, que bobeira! Um seio meu estava à mostra.

— KYAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!!!

Gritei escondendo o seio e recolocando o sutiã, e então a curiosidade voltou abrandando meu susto: onde estaria a mordida…? Chequei com cuidado enquanto levantava ajeitando o resto da roupa… Precisava checar mais algo, mas não podia fazer aquilo na rua. Pelo menos eu ainda parecia estar com minhas saias, então tudo bem…

Segui as meninas após me vestir para explicar o que estava acontecendo. Ajudar pessoas às vezes era inusitado.

Fim do Extra

Na reunião, eu fiquei calada. Não podia realmente opinar para nada ali, voltava a ser uma simples colegial que lutava bem e cada vez mais parecia saber de mais. Será que me caçariam por repentinamente ter conhecido coisas proibidas ao mundo normal? Esperava que não!

E, mais uma vez, algo que caía como uma bigorna nas minhas costas, embora fosse um peso para todos: em um ano minha inexperiência teria que se tornar uma força inimaginável.

Avatar do usuário
Keitarô
Mensagens: 1321
Registrado em: 09 Dez 2013, 19:58
Localização: Mahoyiga

Re: Touhou RPG

Mensagem por Keitarô » 11 Jun 2014, 22:04

Reno

Reno ouvia a tudo aquilo com muita atenção. Todos estavam tendo uma lição de como as coisas iriam acontecer dali pra frente e, ao mesmo tempo, de como acontecia há muito tempo. A Terra ser um mundo de mortos era algo que esperava. Em um mundo como aquele, havia muito mais mortos do que vivos, invisíveis aos olhos de matéria. Precisava pesquisar um pouco sobre cada um dos nomes mencionados por Koenma, depois, com um pouco mais de calma. A Fé então era a responsável por mover as coisas, como imaginara desde sempre. Mas que era realmente responsável por até mesmo criar as obras das posteridade, e todas elas, eram algo espetacular. Para aproximar as pessoas, seria muito interessante que elas vibrassem, então, na mesma frequência e tivessem ideias e ideais parecidos. Uma só posteridade de amor final, d'O Poder, poderia trazer a todos a esperança.

Isso era a evolução. Anotou mentalmente para algum dia propício. Este dia chegaria?

As duas Okuus se encontraram e a mente de Reno adquiriu um pouco de compreensão. Futuro e presente se encontrarem não pareciam causar problemas à realidade, mas um dia o presente teria de seguir o mesmo ciclo que acabou naquele futuro ou então o futuro seria reescrito e mais de uma versão "futura" daquele ser estaria jogada na Criação; ou ainda a versão futura antiga deixaria de existir. Cedo ou tarde isso se confirmaria, e então, quando o assunto foi para Yukari, Reno lembrou das duas contrapartes, o ocidente e o oriente. Como conseguiria unir as duas? Talvez a Yukari do futuro já estivesse do seu lado, e seus corações, juntos. Mas a Yukari do presente...

Um momento de reflexão. Fechou os olhos e relaxou na poltrona, ausente momentaneamente aos comentários da reunião. Faria um desdobramento (descobrira o nome recentemente) da mesma forma que fizera no avião. Enviaria seu espírito, com um pensamento e uma vibração, à presença daquela que queria encontrar. Um exercício mental efetivo porque mente era apenas outro nome para o espírito.

— ... Yukari, você está aí? Eu preciso encontrá-la. — sentia-se flutuando por um espaço indefinido, que podia ficar em qualquer plano, em qualquer espaço e em qualquer lugar. — Acredito que esteja na hora... de lutarmos juntos, se assim você quiser. Juntos eu também conseguirei chegar ao seu eu do presente, e nos fortaleceremos ainda mais. Em vários sentidos.

Fechou os olhos e olhou com o coração, ao redor. Um arrepio percorria seu corpo com a possibilidade de, mais uma vez, ela se revelar a ele. Desta vez queria um beijo que não doesse. Queria um beijo de aceitação e esperança.

OFF: 1 ponto de destino para Patrono e o outro ponto, se for necessário, vou esperar para determinar uma vantagem que, se ela não souber me dizer onde está, possa me levar até ela.

Avatar do usuário
Tsunayoshi
Mensagens: 336
Registrado em: 16 Dez 2013, 16:28

Re: Touhou RPG

Mensagem por Tsunayoshi » 12 Jun 2014, 00:16

Enquanto seguia para a saída da cidade, pôde notar mais cabos expostos, formando uma trilha mata adentro. Aqueles cabos estavam deixando o rapaz curioso. Pra que serviam? Pareciam claramente cabos de energia, mas estavam trazendo força para dentro do complexo LHC, ou conduzindo para algum outro ponto? Se estivessem resgatando energia para o prédio, deveria haver algum tipo de usina próxima, talvez mata adentro. Mas também podiam estar enviando carga para fora... Por via das dúvidas, resolveu investigar.

Era estranho. Os cabos estavam roídos, o que era normal. Algumas pragas deixavam esse tipo de rastro, mas... Em outros pontos estavam derretidos? O que isso significava, algum tipo de sobrecarga? E não era apenas isso, no caminho também havia sinais claros de que algo esteve ali. Rastros de queimaduras, galhos partidos, e alguma destruição. Alguma coisa passou por ali e, ou era grande demais e teve de forçar passagem, ou era alguma coisa que estava fora de controle.

Os rastros iam ficando cada vez mais tênues e escassos, mas Michio esforçou-se ao máximo. Desistir ou dar meia-volta não era opção ali. Mais queimaduras, e... seda? Restos e fiapos de algum tipo de tecido fino. O que isso significava? Começou a desconfiar que o que estava seguindo provavelmente não sabia onde ia e perdeu-se na mata. Essa teoria ganhou força em sua mente ao rastrear o caminho sinuoso e sem sentido ao que era conduzido, até sair em campo aberto. Uma cidade.

Suspirou observando a paisagem ao redor. Sério, uma cidade pequena? O que quer que estivesse seguindo, poderia estar em qualquer lugar ali, ou... já ter ido embora há muito tempo. Faziam dois anos, e até seguir o rastro deixado na mata foi trabalhoso. Mas era tudo o que tinha... E se chegou até ali, podia estar mais próximo de algo concreto do que imaginava! Reforçando seu ânimo com esse pensamento, seguiu em frente. Começaria reparando se não havia algo de estranho por ali. Talvez pequenas marcas de queimaduras pelas ruas? Mais cabos? As pessoas também podiam se lembrar de algo curioso que aconteceu exatamente dois anos atrás. Um forasteiro peculiar? Alguém ferido apareceu pedindo ajuda? Qualquer coisa serve. Também tem sempre os arquivos de notícias nas bibliotecas dessas cidades. Algo assim teria ganho pelo menos alguns parágrafos nos jornais locais.

[EDIT: esqueci de colocar quando postei, não sei se dá tempo mais... Mas quem sabe! Shino, se por acaso outro teste Difícil aparecer, vou queimar mais 1 PE pra outro sucesso automático. Já gastei em um antes, e terá sido em vão se essa procura der em nada agora xD']

Avatar do usuário
Lucian Y.
Mensagens: 129
Registrado em: 30 Jan 2014, 23:50

Re: Touhou RPG

Mensagem por Lucian Y. » 12 Jun 2014, 19:55

Prestava atenção em cada palavra da Ashiina, mesmo que pouco a conhecesse, ela veio até ele, ouvi-lo, aconselha-lo. Ele próprio desejava poder falar mais com ela naquele momento, mas uma ‘peça’ do destino, ele próprio havia esquecido que seu organismo necessitava de sangue humano. Então, quando ela lhe ofereceu seu próprio sangue, não teve nem tempo de pensar uma única palavra, sua voz se perdera, sua respiração se tornava ofegante, seu rosto levemente corado.

Sentia as glândulas salivares estimuladas... ‘Água’ Vinha a sua boca só de o convite ouvir, sentia a ‘coceira’ nas presas, a atacou, mordendo seu pescoço, cheiroso, tão cheiroso, tão lindo, seu ritmo cardíaco também se alterava, seu corpo junto ao dela, o calor do contato fazia o jovem vampiro, que não mais conseguiria raciocinar naquele momento, se sentir confortável, se aconchegar adjunto ao corpo da mesma. Inconscientemente rasgou as roupas dela, o quão envergonhado ficaria se pudesse raciocinar normalmente em este momento?

Assim que os dentes se desprenderam do pescoço de Ashiina, ainda com a mente em ‘branco’ e sem a consciência, lambeu e deu um beijo sobre o local onde havia mordido.

Tão logo havia terminado de morder lhe o pescoço, lhe morderá novamente, dessa vez abaixo da clavícula. Sinceramente, não lembraria onde a morderá mais tarde, e talvez, muito provavelmente ‘morresse’ se lhe falassem tal. De repente ela o apertava, o ritmo do coração se alterava mais uma vez, ficando ‘pesado’, a respiração ficava bem mais pesada também, sentia a sensação de ‘desejo’ lhe sobrepujando. As mãos dele subiam vagarosamente, tremulas um pouco, pelas costelas dela, se encontrando em suas cotas, um abraço. Um carinho.

Quando acordou, seu rosto sem demora ficou completamente preenchido com o rubor, e a voz se perdera, nem mesmo teve tempo de recompor-se, ou explicar a situação, e fora surpreendido por um cruzado... Um Cruzado?! Ele não esperava...
O quanto elas teriam... Mudado?

===== Extra fim. ======

==== Dia seguinte ====


Ao ouvir a Resposta de sua pergunta... Pode se dizer que certo desespero o preencheu por um tempo. Mas logo passou, como um pássaro que é devorado pelo predador local, a determinação do garoto. O olhar se ‘dispersou’, e ele encostou a cabeça sobre a mesa, com um sorriso irônico

-- haha... Antes. Um lugar onde ninguém sabia onde ficava, agora... São mais de um lugar... Achei que finalmente chegaria ao meu ponto. Mas apenas na partida estou... –

*Logo após ditas tais palavras levantou a cabeça e sorriu, um sorriso infante. Estranho... diferente do seu habitual, o que ele estaria a pensar? Ele foi andando lenta e calmamente até Kenji e suas servas, para então olhar-las...*

-- Do futuro é? Então... Uma linha de tempo alternativa... Tenho uma pergunta se puder me responder... –
-- Quem sou? -- *sorriu, se ele fosse ‘natural’ ela saberia a resposta, mesmo com um cérebro de passarinho. Pois ao fim conhecia Flandre e Remilia.*

*Após ouvir a resposta delas se voltou a Remilia e Flandre, com um sorriso*

-- Ohayou, Ojou-sama, Imotou-sama... Como estão? Parecem animadas! -- *disse fechando os olhos com uma leve inclinação da cabeça para a direita, mas por dentro estava um pouco nervoso, suas mãos escondidas nas costas mostravam um movimento ‘irritado’ dos dedos*

-- Ojou-sama... Imotou-sama... -- *Inclinou a cabeça para frente, respirou fundo, e novamente voltou-se a elas* -- Eu as desafio para um “Duelo de Spell Card’s”!! -- *disse com um belo e confiante sorriso no rosto, e com uma carta entre os dedos.*

Avatar do usuário
Shino
Mensagens: 315
Registrado em: 12 Jan 2014, 13:54
Localização: Atualmente em Elios!!!
Contato:

Re: Touhou RPG

Mensagem por Shino » 13 Jun 2014, 21:24

Para Michio


[18:19] Taulukko: GM entrou na sala...
[18:20] GM: Teste médio de Obter Informação de Michio
[18:20] GM: Rolou 1D6=4

Dois anos é muito tempo, pessoas vêm, pessoas vão, muitos já não mais estão aqui, porque partiram para outras cidades, outros países, ou para o outro lado. Bares, bibliotecas, quitandas, até mesmo a delegacia e o prédio da prefeitura, ninguém sabia de nada, ninguém ouviu, viu, ou percebeu nada de diferente. Foi pagando uma garrafa de um whisky barato a um morador de rua que Michio descobriu sua primeira pista.

— BURRRRRPPPPP!!! Isso filho... eu vi algo muito estranho naquela noite... estava eu aqui no meu cafofo (na verdade um amontoado de papelão, lençóis mal cheirosos e colchão velho que já era amarelo de tanta sujeira), quando vi relâmpagos, era uma noite de chuva, mas até aquele momento não tinha caído nenhum, e então vários brilhos, primeiro ao longe, BURRRRRPPPPP!!! Bem ao longe... devia vir lá da outra cidade... aquela que tinha uma máquina gigante... ai então os raios começaram a se aproximar, mas agora brilhava bem mais devagar, depois disso eles pararam. Quando eu já tava para pegar no sono, vi uma mulher sair da mata. Ela tava toda ensopada, a roupa rasgada colando no corpo, e tava sem sutiã, nossa ela era muito gostosa, a melhor mulher que eu vi nesse anos... só de lembrar dela, da vontade de ir no banheiro... foi então que eu vi uma coisa que ninguém acredita. Aquela gostosona levou um relâmpago na cabeça, e nem se abalou. Primeiro eu achei que ela até tinha se abalado, mais ai notei que não, ela tava mancando não por causa do raio, mas sim porque tava ferida, com um corte na barriga e outro na perna.

O velho se ajeita no colchão, e se cobre com os lençóis.

Ela deu sorte, a primeira casa era do velho Nance, era um bom homem, bom mesmo, ele sempre me arranjava um prato de sopa e uns pães. Sinto falta daquele bom velhinho... o Nance abriu a porta e viu a gostosa, ele pegou o carro dele, e levou a boazuda em algum lugar. Depois disso eu a vi meses depois, ela tava bem vestida, num blazer todo justinho, uma delicia. Ela começou a visitar mais vezes o velho Nance, acho que se tornaram amigos... ou ele tava traçando ela. Bem, BURRRRRPPPPP!!! A ultima vez que eu vi ela foi três dias depois do velho Nance morrer, ela nem sabia que o velho teve crise e caiu duro, ela ficou na porta uns 10 minutos esperando, quando o vizinho avisou a ela. Ela chorou bastante e depois encostou a cabeça na porta e foi embora.

O morador de rua aponta para uma casa velha, as janelas empoeiradas.

— Aquela é a casa do velho Nance, ninguém veio depois daquele dia, ela foi a ultima pessoa a se aproximar da casa.


Para Kenji


Onze pedras, foi o numero de jóias que Kenji havia recolhido com a ajuda de Inoue!

— Vejo que tens onze das minhas!

Os olhos se movem rápido, vistoriando a quantidade de pessoas no local.

— Não acho que possa presentear todos, mas deixo aos seus cuidados Kenji-dono, distribua as jóias entre vocês, a mim elas não serviram muito!

Com o balançar das asas ela demonstra que seu corpo já tinha dezesseis.

— Tenho certeza que na mão de vocês elas terão melhor uso, agora me vou, a todos desejo um bom dia!

E como uma verdadeira condessa ela se despede de vocês.


Para Reno


Não ouve contato, Reno novamente sentia o gosto amargo da frustração, talvez sua ligação com a Yukari do futuro (Mirai Yukari ou M. Yukari) não fosse tão forte quanto acreditava, teimosia da parte dela não devia ser.

(OFF: Só não autorizo o uso do PD, não vai ser tão fácil assim não, ia usar Ligação Natural não ia?)


Para Todos


Depois que Adelaide se despede quatro garotas a substituem, as suas filhas e suas amigas. Remilia, Flandre, Koishi e Satori, logo que elas aparecem, gera um burburinho na sala.

— Ei... o que foi??? Tem algo no meu rosto??? (Remilia)

A discussão sussurrada continua ao fundo, até vocês estranham um pouco. Satori morde a ponta do dedo.

— Não consigo ler a mente deles dessa distância. (Satori)

Então as mesmas se vêm rodeadas pelas figurinistas da banda.

— Ei... qual foi??? (Remilia)

— KKKKKAAAAAWWWWWAAAAAIIIIIIIIIIIIIIIII!!!!!!!! (coro)

E as quatro se vêm abraçadas, esfregadas e acariciadas.

— Ai, nossa, elas são tão lindas, tão fofas, e essa voz angelical!!!

— Não é, elas podem ser um grupo de Idols, imagina, todo esse MOE, elas vão arrasar.

— É sucesso garantido Genjurou, agente lança elas na abertura de um show da Tsubasa, vai ser fã a rodo.

Uma das mulheres que não se aproximou das meninas já estava com um caderno em mãos, o lápis trabalhava sem parar e não muito demorou para ela apresentar suas ideias.

— Que tal, não ficará ótimo!

No desenho a mulher recriara os modelos de roupa das quatros, vestidos para a apresentação de um novo grupo deIdols.

— O que é Idol onee-sama? (Flandre)

— Eu não sei, eu nunca vi uma? (Remilia)

— Idol é um termo que a industria fonográfica usa para um tipo diferente de cantora, além de cantar, temos dança e atuação (Tsubasa).

— Nossa, parece divertido! (Koishi)

— Não sei, em não me sentiria confortável com isso! (Satori)

— Vamos onee-sama, vamos brincar de Idols!!! (Flandre)

— Não sei se devemos, mesmo que os fragmentos do Shino estejam bem guardados, ainda me preocupo de sair de Gensokyo! (Remilia)

— Ahhh, por favor onee-sama, você disse que eu não posso participar de partidas de Danmaku sem o Shino, então deixa agente brincar de Idol... o Lucian disse que também quer uma partida com você, são duas sacerdotisas com uma Spell Card só!

— Aaahhhh... está bom, está bom!!! Patchee, providencia uma viagem para gente! (Remilia)

— Sem problemas, esses dias eu melhorei muito a magia de transporte para o outro mundo! (Patchouli)

E com um brilho grande as quatro garotas estavam na sala!

— Ai nossa, elas ainda são mais lindas!!!

— Genjurou, vamos logo, não podemos perder essa chance, nós TEMOS que fazer elas um grupo de Idols!!!

— Você lembra que nós somos o grupo da Tsubasa, não lembra! (Genjurou)

— Sim... sim... é claro que lembro

"— Não perco essa chance por nada, com um grupo desses, minha carreira como empresaria vai decolar!!!"

Um sorrisinho se faz no rosto calmo de Satori, ela havia lido a mente da mulher mas preferiu não comentar nada!

— Bem... antes de tudo, deixa eu verificar a situação, então o que falta mesmo? (Remilia)

— Titânio, Ojou-sama, falta apenas Titânio! (Layla)

— Titânio? (Charlotte)

— Sim, titânio, por que a pergunta? (Layla)

— Porque titânio não nos falta, é muito usado na fuselagem dos I.S. tenho certeza que Shinonono-san os daria um pouco! (Charlotte)

— Isso nos deixa muito felizes, assim podemos terminar nossa missão o mais rápido possível. (Layla)

— Ok, vou ligar para a Shinonono e pedir para ela separar um pouco para vocês! (Charlotte)

— Grata senhorita! (Remilia)

— Obrigada, Onee-chan!!! (Flandre)

— Obrigada!!! (Koishi e Satori em coro)

— Vejo que ficaram populares senhoritas, mas será que podíamos conversar... a sós. (Koenma)

— E quem seria o senhor mesmo? (Koishi)

— Ele é filho de Enma Daioh e um dos Yamas, senhor Koenma!!! (Komachi)

— Eiki-san, Komachi... vocês também estão aqui! (Flandre)

— É um assunto delicado, por isso pedi uma audiência exclusiva entre nós. (Koenma)

— Entendo... então sim, podemos conversar, mas após a partida! (Remilia)

(OFF o desafio de Lucian vai ser em paralelo, mas vou seguir como se já tivesse acontecido)


Após a partida


— Foi uma bela partida, gostei muito, mas se não se incomoda, podemos conversar agora? (Koenma)

— Sim claro! (Remilia)

— Senhora, poderia arranjar um local privado! (Koenma)

O rapaz pede auxilio para a mulher que se interessou pelas garotas que logo lhe arranja uma sala reservada. Depois de 10 minutos eles voltam.

— Meus caros amigos, em conversa com o senhor Koenma, eu os deixarei sobre os cuidados dele, ele vai os ajudar a completar vossa missão, e requisitar a força de todos para localizar as nossas contrapartes do futuro que ainda estão desaparecidas. (Remilia)

— Ok então, obrigada! (Charlotte)

A francesa voltava até vocês e sem saber de toda a situação, explica o que havia conseguido em contato com sua amiga.

— Gente, a Shinonono-san me prometeu que vai separar um pouco de titânio para vocês, mas só depois da apresentação que vamos participar lá em Mega City.

— Mega City? (Tsubasa)

— Sim, nós vamos nos apresentar na EXPO Baker (Charlotte)

— Nosso colégio entrou no torneio de tecnologias, vamos apresentar nossos I.S. (Charlotte)

— Muito bom, temos mais dois shows aqui na Europa, depois nossa turnê vai para a America do Norte, e nosso primeiro show será no dia de abertura da EXPO Baker... que tal, se não tiver problema, vocês podem ir conosco. (Tsubasa)

— E quando vai ser essa EXPO Baker? (Satori)

— Exatamente, daqui a uma semana! (Charlotte)

— Bom, muito bom... que tal isso, descansem essa semana, temos muito tempo ainda, e já possuímos três dos cinco materiais, só falta o titânio e a jóia das bruxas. Os fragmentos do Shino estão bem guardados, não tem com que se preocupar.

E com o aval da mestra da mansão escarlate, começa as férias do grupo!!!

(OFF: Tópico trancado, vão para o OFF)
♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ CAMPANHA TOUHOU RPG ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ CAMPANHA CAVALEIROS DO ZODÍACO ALPHA ♦ ♦
Imagem Imagem
♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ PERSONAGEM: TENRU DE LINCE ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦

Responder

Voltar para “Touhou RPG”