MÁGIKA: O Desafio de Leonel Alvarez

Avatar do usuário
Padre Judas
Mensagens: 8796
Registrado em: 13 Dez 2013, 16:44
Localização: Belo Horizonte - MG

Capítulo 2: A Toca

Mensagem por Padre Judas » 25 Jun 2018, 20:43

Um Lugar Desagradável
Imagem
No cano que servia de “chuveiro”, Leonel percebeu que havia um nicho onde estava uma barra do que ele identificou como um sabão – provavelmente artesanal, feita diretamente da gordura animal pela cor e textura. Era melhor do que nada e ajudou ele a se limpar um pouco melhor. Ainda não estava inteiramente limpo, claro, mas era melhor do que nada.

Ao retornar conversou com os dois responsáveis por ele.
Leonel Alvarez
Imagem
- Sou Leonel Alvarez. Desculpem invadir sua comunidade. Agradeço pela agua. Se tiver algo que eu possa ajudar por aqui, por favor, só mandar. Não fujo de trampo pesado não.
Taú
Imagem
- Sou Taú. Esta é Kidhi. Se você vai ficar ou ir embora é o chefe que decide. Se for trabalhar, também é o chefe que decide.
Leonel Alvarez
Imagem
- Por que vivem aqui? O que aconteceu?
Taú
Imagem
- A gente vive no Labirinto porque não pode viver lá em cima. Povo de cima acha que nós somos perigosos. Con... con...
Kidhi
Imagem
- Contagiosos. E talvez sejamos mesmo.
Ao ouvir a voz mais aguda, Leonel então percebe que “o outro sujeito” era uma mulher.
Taú
Imagem
- Nem todo mundo aqui é como nós...
Kidhi
Imagem
- Por fora não, mas e por dentro? Você viu o Dajan quando o encontramos aberto, né? Os órgãos.
Taú
Imagem
- Urgh! Não quero lembrar disso.
Kidhi
Imagem
- De qualquer modo, todos estamos contaminados. Se formos lá pra cima, eles vão querer nos prender – não chamam assim, chamam de “internação”. Mas é uma prisão. Ninguém sai da “internação” e eles queimam os corpos. Aqui pelo menos podemos viver como queremos. A guarda não costuma nos incomodar desde que aqueles piores como nós não apareçam na cidade. Os bonitos costumam ir lá pra pegar comida e roupas com aqueles que gostam de ajudar, mas só à noite. Por isso não viu nossa gente lá em cima, rapaz da superfície. O povo do sol não gosta de lembrar que estamos aqui.

- Se ficar tempo suficiente por aqui, talvez fique como a gente... mas se for mesmo um Herói, então está livre. Heróis são imunes ao Caos, pelo que dizem.
Taú
Imagem
- Bom, chega da conversa. Vamos entrar, filho do sol. Deve estar com fome e mesmo que o chefe decida te matar depois é melhor morrer de barriga cheia.
Kidhi
Imagem
- Não assuste o garoto! Esquece ele, rapaz. Nada vai te acontecer se não criar problemas e o máximo que vai acontecer é o chefe te mandar ir embora. Vamos.
Eles o conduzem para dentro da casa onde é servida uma refeição, um tipo de feijoada com partes de um animal que Leonel não reconhecia, mas parecia uma lagosta preta – ou grande barata, era difícil ter certeza.
Kidhi
Imagem
- Mas o que o... “herói”... veio fazer aqui no Labirinto, afinal de contas? Hm... deve ter a ver com o monstro, não é? Alguns dos nossos sumiram também... como a mãe de Olubunmi. Ela deve estar morta, mas como dizer isso pra menina? A morte é algo comum por aqui, nenhum de nós vive muito tempo mesmo, o chefe é um dos mais velhos e tem... acho que quarenta...?
Um homem – um humano “normal”, embora marcado por feridas – diz de boca cheia que “Shaaboni tem trinta e nove”.
Kidhi
Imagem
- É. O povo do sol vive uns cento e vinte, alguns chegam até mais com uso de magia – os ricos, os poderosos. Príncipes, como se chamam. A rainha tem mais de duzentos. Mas a gente aqui vive no máximo uns cinquenta. Morre de doença, de bicho. Tem todo tipo de criatura por aqui, algumas afetadas pelo Caos, outras apenas animais comuns da savana que se adaptaram ao ambiente poluído. Insetos venenosos também, cuidado onde senta e sempre deixe os sapatos em um lugar alto ao tirá-los ou vai ter lacraias e escorpiões fazendo ninho neles. Ah, é claro, muitos morrem pela própria maldição. O Caos. Quer mais feijoada? Só não pergunte o que tem nela! Hahahahaha!
E todos à mesa riram. Neste momento a porta se abriu e o próprio Shaaboni entrou, com outras pessoas. Entre elas dois estranhos, um oriental e um ruivo – obviamente não eram dali. Leonel viu a aura dourada que cobria ambos e soube naquele momento: eram como ele. Heróis.
Off:

O Desafio de Leonel terminou. Leonel ganhou 1 PE pela vitória contra o crocodilo e 1 PH por te salvado Olubunmi. Também ganhou 1 PE por interpretação e 1 PE por ter concluído a missão em si.

A aventura continua no tópico principal. Dice não poste mais aqui, faça-o lá no Mágika:Caos
Leonel Alvarez. PV(20) 15, PM(20) 10. PH 2. PE 3.
BAÚ DO JUDAS
JUDASVERSO

Alexander: Witch Slayer [Kaito_Sensei]
Dahllila: Relíquias de Brachian [John Lessard, TRPG]
Hoggar: Monstromaquia [DiceScarlet]
Jonz: Tormenta do Rei da Tempestade [John Lessard, D&D5E]
Syrion: Playtest T20 [Aquila]
Yellow: Defensores de Mega City [John Lessard]

Responder

Voltar para “Judasverso”