Um Navio para Izzy (PBF)

Avatar do usuário
Toyoda
Mensagens: 1784
Registrado em: 18 Mar 2014, 02:26

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por Toyoda » 28 Dez 2014, 09:31

Shatass ouve Meg com o tipico sorriso amistoso que sustenta até quando tudo por dentro de seu ser quer explodir.
Elmac escreveu: Imagem
Shatass parece que agora temos uma nova aliada...

Poderia fazer a gentileza de perguntar a nossa amiga qual o caminho mais fácil para chegar até o navio?

O que iremos encontrar? E o mais importante com o que precisamos nos preocupar?
Quando iria tomar voz, viu que não era necessário, e assim, apenas escutou.
Ferannia escreveu:Imagem
Shatass, não esqueça de "renovar" sua amizade com Meg todos os dias.
Shatass abre um pouco mais o sorriso olhando para Ferannia como um sinal de que compreendeu, mas sem deixar Meg falando sozinha. O que no fim das contas não parecia algo muito problemático...
Shatass escreveu: Imagem
Uhh, quantasss hissstóriasss interresssantes...
Grutasss de Zzzalah? Velho Jack Bardo-Maldito White? Jolene Atormentada? Lenda? Conte-me maiss Meg, estou curiozzsa...

Sssaberia apontar em um mapa a localizzsação destas grutasss? Exsssiste algum sssegredo no caminho, ou só os empesscilios habituaisss?
Percebendo o quão cooperativa estava Meg, achou que não deveria fazer mais tanta cerimonia e ir direto ao assunto, porem, intercalaria as perguntas conforme ela ia falando, para não ficar demasiadamente maçante ou pesado. Não poderia correr o risco de mais para frente ela não cair em suas graças e se recusar a mostrar o caminho....

Caso Meg diga que pode apontar em um mapa, ela espera a situação com a gale tapista passar antes de conseguir uma carta marítima
Shatass escreveu: Imagem
Umhum, mas, por que te chamam de Bruxa Maldita? Voscê é tão dossce...
Elmac escreveu:Imagem
Shatass pode manter nossa nova amiga em silêncio?
Shatass faz um aceno com a cabeça de forma positiva, e então acalma um pouco os ânimos de Meg:
Shatass escreveu: Imagem
Meg, meu amor, sssera que poderia me dar lisscensça um minuto? Talvez seja bom ficar em sssiênscio ssse possível... Por favor, não converssse com esssses Mitotauross que iram nosss abordar.
Quando estiverem perto de serem abordados, Shatas se junta a Elmac e Ferannia para receber os Minotauros do lado direito de Elmac.
Shatass escreveu: Imagem
Já sssabem, não percam a cabessça...
(Na pior das hipóteses eu levo o comandante para a cabine... Ah... Minotauros...)
Ela ficará apenas sorrindo (fazendo um contraponto de ferannia).

Caso eles resolvam abordar a embarcação e ela perceba que ira dar algum tipo de problema tentara resolver na diplomacia e enganação, em caso de necessidade maior usará novamente do talento de Cortesã Sedutora. Lembrando que ela viveu (e se virou nos 30) com muitos minotauros.
Em ultimo caso "diplomático" usará intimidação, se preciso usará pequenos efeitos mágicos em conjunto.

Tamanho faz diferença em Intimidação?

Tem mais alguma coisa da Izzy no barco? Tem alguém que teria mais ou menos o mesmo tamanho da Izzy entre nos? (Ferannia ou Perola)

PS: É difícil adiantar muita coisa nesse caso XD
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Dthanatus
Mensagens: 877
Registrado em: 02 Fev 2014, 20:37

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por Dthanatus » 28 Dez 2014, 09:36

Ferannia escreveu:Imagem
Pérola, fique próxima, mas fique mais atenta a Mahtan. Ele ainda não apareceu e isso pode ser uma preocupação. Não quero que ele surja do nada no meio da abordagem tapistana.
Enquanto ouvia Ferannia falar Pérola ajustava o manto, minotauros são, ao menos para ela, criaturas nojentas.
Pérola escreveu: Imagem
Sinceramente duvido que ele venha à bordo, pelo que vi Izzy foi atrás dele porque precisa da sua feitiçaria pra respirar embaixo da água pelo tempo em que estivermos pertos dos barcos dos minotauros... mas do jeito que aquele lá é estúpido, é capaz de querer subir, vou ver o que posso fazer, embora acho melhor eu mergulhar junto pra garantir, entre ficar perto dele e de vários minotauros imundos, imundo, dos males o menor.
Num movimento só, Pérola saltou na água, deixando no convés apenas seu desconfortavelmente quente manto negro. Sentia-se em casa, na imensidão do mar, afundará o suficiente para não ser vista pelos barcos, mas tomara cuidado para perde-los de vista, então começou a procurar por Izzy, e Mahtan.

Avatar do usuário
Toyoda
Mensagens: 1784
Registrado em: 18 Mar 2014, 02:26

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por Toyoda » 28 Dez 2014, 09:52

Pérola escreveu: Imagem
Sinceramente duvido que ele venha à bordo, pelo que vi Izzy foi atrás dele porque precisa da sua feitiçaria pra respirar embaixo da água pelo tempo em que estivermos pertos dos barcos dos minotauros... mas do jeito que aquele lá é estúpido, é capaz de querer subir, vou ver o que posso fazer, embora acho melhor eu mergulhar junto pra garantir, entre ficar perto dele e de vários minotauros imundos, imundo, dos males o menor.
Num movimento só, Pérola saltou na água, deixando no convés apenas seu desconfortavelmente quente manto negro. Sentia-se em casa, na imensidão do mar, afundará o suficiente para não ser vista pelos barcos, mas tomara cuidado para perde-los de vista, então começou a procurar por Izzy, e Mahtan.
Shatass escreveu: Imagem
(Que inconsequente...)
Assim, Shatass deslisa e toma nas mãos o manto para que não fique jogado ao chão. E assim se lembra de um detalhe:
Shatass escreveu: Imagem
Loveboat, sssera que não faria um favor a nos? Não sei se arrumamos nosssssossss sssacos de dormir, poderia embrulhar elesss enquanto conversssamosss com osss guardass?

Ah, Guarde isssso para mim [da a capa de Perola a ele]
(Se eles contarem as "camas" e quiserem bater com a quantidade de gente a bordo poderia ser um problema...)
Não lembro de ninguém falando que recolhia o saco de dormir apos acordar, apesar de achar que Elmac, Ferannia e Mahtan provavelmente o teriam feito. Elmac, quase com certeza rs.
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
Khrjstjano
Mensagens: 5716
Registrado em: 09 Dez 2013, 20:07
Localização: Atrás de você. Não olhe.
Contato:

Barreira em Calacala

Mensagem por Khrjstjano » 29 Dez 2014, 19:23

Mahtan vigiava as profundezas com cuidado. Se alguma criatura estranha surgisse, ela não escaparia de sua visão. Assim, garantia que seus contratantes não tivessem surpresas desagradáveis.
Mahtan escreveu: Imagem
.............?
Mas para sua própria surpresa, notou que alguém inesperado vinha lhe fazer companhia. Logo acima e à frente, Izzy nadava velozmente, tentando acompanhar o pesqueiro.

Curioso, aproximou-se dela tomando o cuidado de voltar à sua forma normal para não assustá-la. A capitã logo o avistou e veio em sua direção nadando com razoável proficiência para alguém que não pertencia ao mundo submerso.
Mahtan escreveu:Imagem
Olá Capitã Izzy, um belo dia para se nadar não?
Você parece um pouco azulada... o que aconteceu?
Mahtan esperou alguns momentos pela resposta. Como não a recebeu, pensou perceber o que acontecia. Mas na verdade, nem imaginava.

Tudo que Izzy conseguir ouvir era o som das bolhas que saiam de sua boca enquanto ele tornava a tentar se comunicar. A salamandra era mais fácil de entender do que ele...
Mahtan escreveu:Imagem
"Blululub blub, blub, blub..
Blub, lulub, lub, lub, blub..."
.
Shamir escreveu: Imagem
Buiaaah!
Izzy já começava a se esforçar para prender a respiração. Era boa nadadora, mas o limite logo chegaria. Fez menção de iniciar uma comunicação por sinais, mas ao ver Mahtan realizar alguns gestos incomuns entendeu que ele já principiava a fazer o que esperava que fizesse.

Magia!

O mestiço do mar a tocou. Um arrepio correu-lhe a espinha. Sentiu uma sensação gostosa. Era como se o próprio Deus dos Mares a tocasse em sua alma. Seus pulmões se aliviaram. Subitamente, sentiu um desejo incontrolável de inspirar a água do mar. E quando o fez, sentiu-se tão bem quanto se respirasse ar.

Ou talvez melhor...

Então respirou com toda sua força e falou com igual vontade, sem perceber que aos ouvidos de Mahtan parecia gritar. A comunicação entre anfíbios e terrestres na água era sempre complicada e de certa forma um tanto cômica...
Izzy escreveu: Imagem
VOCÊ TEM QUE FALAR MAIS ALTO, OS OUVIDOS HUMANOS NÃO SÃO FEITOS PRA CAPTAR SONS EMBAIXO D'ÁGUA.

TENHO QUE FICAR POR AQUI POR UM TEMPO, DEPOIS EXPLICO, SÓ FIQUE ATENTO AOS NAVIOS À FRENTE.
Ao que parece, as coisas estavam resolvidas para Izzy. Por hora.

Mas o que estaria acontecendo com seus amigos? Estariam tão bem quanto?
De volta ao pesqueiro....
Ferannia escreveu: Imagem
Olá, Meg, como vai? Me chamo Ferannia e sou a líder destes aventureiros contratados por Izzy.
Meg Bruxa-Maldita White escreveu: Imagem
OLÁ VOCÊ AÍ, ADOREI SEU CABELO.
Ferannia escreveu: Imagem
Por favor, poderia me falar mais sobre o terreno, o local onde iremos? Sei que é uma gruta, mas existe algo diferente, exótico?
Meg Bruxa-Maldita White escreveu: Imagem
EU JÁ NÃO FALEI QUE NÃO É HORA PRA ISSO? DESCULPA SER GROSSA AMOR, MAS JÁ AVISEI.

E AGORA TEM MAIS OS TAPISTANOS QUE A RUIVOSA FALOU, PRA PIORAR...
Ferannia escreveu: Imagem
Shatass, já ouviu falar desse capitão Jack White? E das Grutas de Zalah?
Meg Bruxa-Maldita White escreveu: Imagem
(TANNA-TOH, ME EXPLICA O QUE TEM DE ERRADO COM MINHAS AMIGAS...)
Shatass escreveu: Imagem
Grutasss de Zzzalah? Velho Jack Bardo-Maldito White? Jolene Atormentada? Lenda? Conte-me maiss Meg, estou curiozzsa...
Meg Bruxa-Maldita White escreveu: Imagem
AH PRONTO, A OUTRA FICOU SURDA TAMBÉM AGORA.

SE SITUA AMIGA, TEM DOIS NAVIOS CHEIOS DE BOIS CHEGANDO ALI Ó.
Shatass escreveu: Imagem
Sssaberia apontar em um mapa a localizzsação destas grutasss? Exsssiste algum sssegredo no caminho, ou só os empesscilios habituaisss?
Meg Bruxa-Maldita White escreveu: Imagem
...

MARAH...

DAI-ME PACIÊNCIA PORQUE...

...

TENEBRA ME VALHA!
Sob o efeito dos poderes de Shantass, a anteriormente arisquíssima Meg havia até agora se mostrado especialmente calma.

Mas após as insistentes perguntas sobre o que ela já havia dito para ser deixado pra depois, alguma coisa nela pareceu mudar novamente.
Meg Bruxa-Maldita White escreveu: Imagem
...DAI-ME PACIÊNCIA MARAH, PORQUE SE KEEN ME DER FORÇA EU MATO!!!

VOCÊS TÃO TIRANDO COM A MINHA CARA? NÃO, SÉRIO, ME FALA! É PEGADINHA DO SEVERUS É?
Shatass escreveu: Imagem
Umhum, mas, por que te chamam de Bruxa Maldita? Voscê é tão dossce...
Meg Bruxa-Maldita White escreveu: Imagem
LENA ME ACUDA, ME SEGURA KHALMYR!!!

SE NÃO PARAR COM ESSA DROGA AGORA EU VIRO GENTE DE NOVO E, THYATIS ME COZINHE SE EU TÔ MENTINDO, MANDO TUA ALMA DIRETO PROS QUINTOS DO ABISMO MEGERA!!

TU VAI FICAR LUTANDO NO EXPURGO PELO RESTO DA ETERNIDADE, TÔ AVISANDO HEIN, PARA COM ESSA PALHAÇADA JÁ! CABÔ, CHEGA, VAI DORMIR, PASSA DAQUI, VAI, VAI!
Sendo o único que parecia ter em vista o que era imediato, Elmac interrompeu a conversa. O paladino era um bastião de concentração.

Lutando para manter-se forte em seus próprios objetivos, apenas pediu à sua companheira que fizesse o que era realmente necessário então.
Elmac escreveu: Imagem
Shatass pode manter nossa nova amiga em silêncio?
Shatass escreveu: Imagem
Meg, meu amor, sssera que poderia me dar lisscensça um minuto? Talvez seja bom ficar em sssiênscio ssse possível...

Por favor, não converssse com esssses Mitotauross que irão nosss abordar.
Meg Bruxa-Maldita White escreveu: Imagem
AAAH MEU PAAAAAI!!! SE WYNNA ME DER PODER DE NOVO EU JURO, EU JURO JURADINHO POR TUDO QUE É MAIS SAGRADO QUE EU LIMPO AS ORELHAS DESSA COBRA VELHA COM DUAS MATA-DRAGÃO, UMA EM CADA UM DOS OUVIDOS SURDOS DELA! MAS AH SE EU NÃO LIMPO! LIIIIIMPO, AH SE LIMPO!!
E dizendo isto, Meg calou-se. Completa e definitivamente, para ao espanto de todos.

Exceto o dela mesma, que agora mantinha os olhos fixos nas embarcações tapistanas. E em nada mais.

Log dos fatos importantes da cena com Meg, para satisfazer (parcialmente) suas curiosidades.
1. Tutorial VII – Ninguém pode voltar no tempo.
2. Cena anterior terminou com Meg não querendo mais falar e indicando testes de conhecimento.
3. Cena anterior terminou também com a iminência da abordagem de navios tapistanos, fato para o qual os jogadores deveriam descrever estratégias.
4. Ferannia continuou falando com Meg, tentando descobrir mais coisas antes de rolar o teste. Iniciou assim o que seria um novo longo diálogo com ela.
5. Shantass fez 8 perguntas para Meg (dividas em 4 parágrafos e 3 balões de fala), fazendo a conversa se alongar grandemente.
6. Meg respondeu conforme sua personalidade e pontos de vista. Irônica e incomodada, mas amistosa.
7. A insistência começou a minar sua paciência. Em dado momento, ela se irritou.
8. A continuidade das perguntas terminou por lhe tirar a paciência por completo, deixando-a profundamente irritada.
9. Houve rolagens, mas não irei comentá-las. Atenham-se às descrições.


Naquele ponto da história, Ferannia já não prestava muita atenção ao diálogo. Sozinha, concentrava-se em recordar o que já ouvira sobre as Grutas de Zalah.

Após reunir mentalmente tudo o que sabia e checar novamente os pontos comuns entre as informações, propiciou a falar.
Ferannia escreveu:Imagem
Pelo que me recordo, as grutas são habitadas por uma grande variedade de criaturas hostis de considerável perigo. Crustáceos gigantes abrigam-se nas fissuras e passagens apertadas. Trolls marinhos habitam as passagens mais largas e grandes aberturas, especialmente as próximas ao mar. Não é incomum que hajam mortos-vivos em alguns trechos, normalmente vítimas de naufrágios nas escapas... A vegetação é natural, e há pouco o que temer.

E se não me falha a memória... Sim, havia mais alguma coisa... O que era mesmo? Estou quase lembrando...

Ah, sim! Sereias. Há sereias habitando as águas daquela região, e não são poucas. Era isso...
Tendo dividido suas informações com os seus companheiros, passou a instrui-los quanto aos próximos passos.

Sabiamente decidiu omitir-se das negociações com os minotauros, confiando a Elmac esta tarefa. Ela apenas observaria e, em último caso, agiria.

No entanto, lá bem no fundo do coração, temia irritar-se se fossem insultados. Não era humana de levar desaforo pra casa e isto já a colocara em diversas encrencas...
Ferannia escreveu:Imagem
Pérola, fique próxima, mas fique mais atenta a Mahtan. Ele ainda não apareceu e isso pode ser uma preocupação. Não quero que ele surja do nada no meio da abordagem tapistana.
Pérola escreveu: Imagem
Sinceramente duvido que ele venha à bordo... Pelo que vi, Izzy foi atrás dele porque precisa da sua feitiçaria pra respirar embaixo da água pelo tempo em que estivermos perto dos barcos dos minotauros... Mas do jeito que aquele lá é estúpido, é capaz de querer subir... Vou ver o que posso fazer, embora ache melhor eu mergulhar junto para garantir. Entre ficar perto dele e de vários minotauros imundos, dos males o menor.
Num movimento, Pérola saltou na água, deixando no convés apenas seu manto negro.

A mestiça tinha modos simples e não era dada a rodeios. Apesar de arredia e um tanto estranha, podia-se sempre contar que faria o que é preciso logo.

Mas nem todos a consideravam por suas qualidades, apenas...
Shatass escreveu: Imagem
(Que inconsequente...)
Shantass ajuntou o manto abandonado por Pérola. Previdente ao seu jeito, tentava evitar detalhes que pudessem chamar atenção dos minotauros que logo os abordariam. Entregou-o a um dos marujos, pedindo-lhe que checasse mais algumas coisas. O homem o fez, mas deu um sorriso que ela não consegui entender o que significava.

Mais abaixo, sob as águas, Pérola procurava por Izzy e Mahtan. Logo os encontrou a certa distância, ocultos entre as algas. Foi abrigar-se por ali também, tomando cuidado para checar se o local era seguro. Não confiava no juízo de outrem tão facilmente.

Chamou-lhe bastante atenção a forma... Íntima como a capitã se abraçava a Mahtan... E como os dois se olhavam... Izzy notou que eram observados, mas não mudou sua postura.
Izzy & Mahtan escreveu: ImagemImagem
................
Pérola guardou aquilo para si, naquele momento. Talvez fosse coisa de sua cabeça mesmo. Mas nem ela ou eles pensaram em mais nada por muito mais tempo, pois seus sentidos todos voltaram-se para as âncoras que cortaram as águas em direção ao fundo.

Os dois objetos desciam violentamente, agitando a fauna marinha que nadava assustada para longe. Era a hora da verdade. As galés tapistanas haviam chegado.

Imagem

No pesqueiro, os aventureiros puderam ver bem os cerca de quarenta ou mais soldados minotauros que os observavam de cada uma das duas embarcações que os cercaram por bombordo e estibordo.

E havia mais, que surgiam de trás destes embalando-se para lançar cordas com ganchos de três pontas em sua direção, prendendo a pequena embarcação a eles mesmos. As amarras fizeram o pesqueiro girar como uma alavanca e chocar-se contra uma das galés, desequilibrando seus tripulantes.

Seus companheiros já se seguravam firmemente à amurada, mas Mestre Smith não encontrou um local vago perto de si e foi ao chão. Mas logo as velas já estavam perpendiculares a barlavento e o pesqueiro estável, seguro pelas cordas, sem mais mover-se.

Mestre Smith levantou com a ajuda de William e Ruperth, mas era tarde e já machucara o tornozelo durante a queda. Problemas! Mandril mantinha-se firme no mastro, mas decidiu descer logo juntando-se a Loveboat que se segurara no mastro principal, antes que algum minotauro exaltado resolvesse derrubá-lo de lá.

Elmac tentou gritar saudações, apresentando-se, e nem mesmo não saber exatamente para onde olhar ou com quem falar o impedia de gritar incessantemente.
Elmac escreveu:Imagem
SAUDAÇÕES HOMENS DO MAR DE TAPISTA, SOU ELMAC TIARICH, PALADINO DE TAURON, FILHOS DE JULIUS TIARICH, SENADOR DE TAPISTA.

A MEU LADO ESTÁ FERANNIA HAGEN, MINHA COMPANHEIRA.

EM QUE POSSO AJUDÁ-LOS?
Mas não importava o quanto tentasse, não obtinha resposta.

Logo entendeu: "O procedimento era sempre o mesmo". Pescadores ou o Primeiro-Cidadão, não importa, não há regalias para os abordados. Só há a lei de Tapista a ser cumprida. A lei da força! E o exército de Tapista é sempre o mais forte no lugar onde se encontra.

Mas da mesma forma sabia, logo o oficial em comando estaria à sua frente. Era o procedimento. O mais forte sempre vinha à frente. Por isto preparou-se para recebê-lo adequadamente, prostrando-se também à frente de seus companheiros.

Ferannia aguardava tudo com a mesma calma. Observava as embarcações. Procurava entendê-las. E aos soldados. Cada qual possuía uma função e um momento. E aquela era a hora de confiar em Elmac.

Shantass tentava sorrir, mas por dentro não se sentia confiante. A presença de Elmac lhe dava coragem o suficiente para não desmoronar. Mas estava abalada e perante o poderio bélico tapistano só um pensamento ocupava sua mente...

"Não somos nada!"

O pesqueiro foi rebocado para junto da galé. Escadas foram baixadas. E então os oficiais vieram a bordo.
Elmac escreveu: Imagem
Como bom cidadão Tapistano e aliados, não pretendemos atrapalhar seu nobre serviço.

Nada temos a dever. Tem total liberdade para revistar a embarcação.
Comandante escreveu: Imagem
Oh, temos?

Que bondade a sua... Minauro.
O comandante olhou Elmac de cima a baixo como se escrutinasse um objeto.

Parou os olhos nos símbolos sagrados. Sorriu. Mas de uma forma... prepotente.
Comandante escreveu: Imagem
Minauro... Paladino...

Então não irá se opor a uma revista, não é mesmo? Quem diria?

HOMENS!!! REVISTEM ESTA EMBARCAÇÃO, AGORA E ACELERADO! QUERO CADA CENTÍMETRO REVIRADO, CADA BURACO... E CADA TRIPULANTE.
Soldados armados de lanças caminhavam entre os membros da tripulação. Dois deles revistavam a embarcação. Outros dois passaram a revistar os tripulantes.

Mas apesar das ordens, ninguém tocou em Elmac.

O comandante o observava incessantemente. Eram da mesma altura, mas esta era a única semelhança. O minotauro era muito mais forte que o minauro. E não tirava seus olhos dos do paladino um segundo. Parecia um leão frente a um cordeiro, encarando-o, demonstrando seu poder.

Mas Elmac não se abalava em nada. As bênçãos de Tauron o protegiam. Não conseguiria sentir-se intimidado mesmo se quisesse. E por isto, dizia exatamente o que planejara dizer. Sempre, e sem falta.
Elmac escreveu:Imagem
Não sabia que aqui haveria embarcações de guerra abordando e revistando, algo com o que devemos nos preocupar em frente? Como piratas ou algo digno da atenção de um guerreiro santo? E a algo que podemos fazer para ajuda-los?
Comandante escreveu: Imagem
Você diz piratas como estes que o acompanham?

É isto? Guerreiro santo...
Ainda o sorriso prepotente. O tom de deboche. E ainda os olhos fixos em Elmac.

Os soldados tapistanos ainda perambulavam pelo navio, fazendo-se impor. Olhavam de cima para baixo os marujos. Entre eles, Rupert, o maior, era alvo da maior parte das tentativas de intimidação. Era muito mais forte que um humano normal, e por isto despertava atenção também incomum.

Quanto ao comandante, ficara a dúvida. Conhecia aqueles homens? Ou blefava sobre saber que eram piratas? Como poderia sabê-lo? Informantes por todas as partes? Elmac buscou em sua intuição e concluiu perceber a verdade. A experiência lhe transparecia ao semblante poderoso. Não precisava mais do que olhar para os piratas para saber o que eram. Ali em sua frente, Elmac via aquele que talvez fosse o minotauro mais capaz que já conhecera.

Enquanto isto, a revista seguia veloz. O pesqueiro era vistoriado em seus mínimos detalhes. A resultado viria logo, após longos minutos de tensão no ar.

Soldados reunindo-se. Trocaram informações. Um deles deu um passo à frente e anunciou:

"Nenhuma suspeita".

Estavam livres. O pior havia passado.

Ou talvez não...

Mesmo com o resultado da busca, a ordem de partida não veio. O comandante virou-se, observando sua embarcação. Ponderava algo. Seus homens também pareciam aguardar a ordem.

Como não recebesse a confirmação, Elmac tornou a falar.
Elmac escreveu:Imagem
Nos temos pouco tempo para executar nossa missão, precisamos passar até o mar negro, pretendem barrar a missão de um paladino de Tauron?
Comandante escreveu: Imagem
E eu conseguiria barrar um representante da própria força encarnada, minauro Paladino? Diga-me!

Filho de Julius, não é? Certamente...

É só o que pode explicar...

Você.
De repente, tudo ficou claro. Não era uma questão de nada deverem. Ou se fora, não era mais.

Era uma questão de força. E uma questão de rejeição.

O comandante havia marcado Elmac com a um alvo, observando-o, testando-o.

Estava decidido a testar sua força e seu valor. Considerava-o inferior por sua natureza; um pária, um abjeto. E para piorar, o pária era um paladino de seus deus.

Afronta!

Como era possível que uma criatura tão miserável quanto um minauro fosse sagrado paladino do mais magnífico dos deuses, Tauron, o Deus da Força? Aquilo... Não podia acontecer. Não podia continuar. Um minauro paladino de Tauron? Não ali em frente à sua frota. Não mesmo! Iria provar pela força que era merecedor, ou então o comandante iria arrancar-lhe todos os símbolos e brasões e indumentárias com as próprias mãos. O envergonharia perante seu deus e seus companheiros. E acabaria para sempre com sua petulância de andar por aí com o símbolo do touro em chamas estampado no peito.

E seus companheiros? Ferannia já havia entendido. Estavam em enorme desvantagem. E Elmac não se comparava ao ameaçador comandante. Era muito mais forte e muito mais experiente.

Shantass também já entendera, à sua maneira e através do temor que sentia, que ali estava um minotauro que ela não dobraria com gracejos. Shantass entendia muito sobre minotauros. Mas aquele não era como os outros. Não confiaria nem mesmo em sua magia para enfrentá-lo, quanto menos a truques de lábia.

O comandante tomou a postura de batalha.

Tudo parecia perdido...

Até que uma voz poderosa trouxe a esperança de onde menos se esperava.
Minotauro escreveu: Imagem
Você não deveria brincar assim com crianças, Abelardus. O jovem está claramente no princípio de sua jornada, e tem as bençãos de nosso glorioso deus, o magnífico e poderoso Tauron.

Se Ele confia que um minauro carregue seu símbolo sagrado em seu peito e lhe empresta seu poder, quem é você para ousar desrespeitar a vontade de seu deus e senhor? Diga-me!

Se deseja enfrentar um representante de Tauron hoje, irá enfrentar a mim, aqui e agora. Diga-me, quer me enfrentar aqui e agora, Abelardus?
Do alto da galé, uma voz que transmitia força e poder puros pareceu se alastrar por todo o ambiente, sobrepondo-se sobre todos os sons. Até mesmo o do vento e do mar.

Ninguém mais ousou se mover. Nem um soldado. Nem um tripulante do pequeno pesqueiro. Pareceu que o próprio mar se acalmara de repente, dobrando-se ao seu poder.

Aquilo não era algo comum. Era algo maior. Algo divino!
Abelardus escreveu: Imagem
Não deveria se intrometer nos desígnios de seu comandante, Kels...
Minotauro escreveu: Imagem
EU DISSE: "QUER ME ENFRENTAR AQUI E AGORA, ABELARDUS?"
Quem estave lá, naquele dia, pode jurar pelo resto da vida que o ar ficou tão pesado e solido naquele momento que você podia cortá-lo com uma faca e guardar seus pedaços. Até respirar era difícil, devido à tensão.

Só um indivíduo ali não se abalou com aquilo.

Elmac, o paladino de Tauron. O minauro.

Abelardus observava-o.

Media-o.

Questionava o que era Tauron nele e o que era o mortal nele.

Queria saber o quão corajoso ele seria sem a proteção do Deus da Força.

Mas principalmente, queria saber o que aquele ser que ele "sabia" ser tão inferior tinha de também tão especial para receber aquelas bençãos.

Observou-o por mais seis longos segundos.

Para Shantass foram como seis dias.
Minotauro escreveu: Imagem
E então, Abelardus? O que será?
Abelardus virou-se para o minotauro no alto da Galé e encarou-o.

Então respondeu.
Abelardus escreveu: Imagem
Está certo, você foi o escolhido.

E se você diz que o Paladino de Tauron está acima de dúvidas, então o Paladino de Tauron está acima de dúvidas.

HOMENS, CESSAR REVISTA, RETORNEM À NAU CAPITÂNIA, ACELERADO. A EMBARCAÇÃO ESTÁ LIBERADA!
E dizendo isto, assim como tomaram conta de tudo, os minotauros recolheram-se às galés de onde haviam saído e recolheram as escadas que haviam baixado.

Abelardus nem sequer olhou para trás.

Os minotauros apressaram-se às suas posições, desaparecendo por detrás da alta amurada de suas naus, até que só um deles restava visível. Aquele que lhes salvara.

Olhando do alto, arremessou um objeto comprido coberto de pano em direção a Elmac , que o apanhou, e tão ameaçador quando falara antes, tornou a falar novamente.
Minotauro escreveu: Imagem
Não sei qual é seu objetivo e nem o que faz com este tipo de homens, paladino de Tauron.

Também não vou perguntar e você não vai me dizer. Mas seja o que for...

Nunca envergonhe o nome do senhor seu deus!!!
E dizendo isto, virou-se e partiu.

Junto com ele, mais de cem minotauros e ainda outro que valia por cem.

E ambos se foram, deixando uma pergunta para o jovem minauro que ele ainda não sabia responder e que ficaria marcada em sua mente para sempre:

"Quanto Elmac valia?"
Editado pela última vez por Khrjstjano em 01 Mar 2017, 02:08, em um total de 17 vezes.

Avatar do usuário
Aldenor
Mensagens: 17586
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:13
Localização: Curitiba, PR

Mensagem por Aldenor » 29 Dez 2014, 21:17

Depois de ponderar acerca dos conhecimentos sobre a flora e fauna local e dividir o que sabe com o resto do grupo, Ferannia se preocupou especialmente com os trolls e as sereias. Mas deixou isso de lado quando viu as galés tapistanas. Eram imensas e isso a fez engolir seco. Observou como Elmac estava pétreo.

Detestou a abordagem rude. Mas mal sabia que tinha muito mais que se irritar.

A abordagem intimidatória, a forma áspera e desrespeitosa. Eles eram os donos daquelas terras, é verdade, mas sua doutrina baseada na força e na subjugação do que considerava fraco era absurda. Tirânicos, opressores. Ferannia logo percebeu que sua expressão facial não era uma das mais agradáveis. Tentou engolir seco e controlar a respiração para se acalmar. Mas sua pele corada pelo sol logo ficou muito mais vermelha. Estava difícil deixar aquela situação continuar.

Elmac falou. Foi cortês com aqueles monstros. E foi humilhado. Ferannia sentiu que o comandante era um boçal esnobe e debochado. Quem ele pensava que era? Quem havia lhe dito que podia tratar alguém com tamanho desprezo? Ainda mais um guerreiro santo da divindade de seu próprio reino. O absurdo era tanto que os minotauros, se pudessem, mediriam forças com seu próprio deus. Ferannia pensou em diversos insultos, terminando com uma ameaça:
Ferannia escreveu:Imagem
(Raça asquerosa, imunda. Vocês um dia vão pagar muito caro por existirem...)
Claro que ela manteve-se calada. Não era uma imbecil. Não ganharia nada se agisse. Ali era a hora de olhar para o lado.

As coisas ficaram tensas. E logo ficaram insuportáveis. O comandante agia como uma aberração alucinada e provocaria um combate contra Elmac. Ela temia que o paladino iria perder facilmente. E logo seria a vez de todos. Seria o fim. Estava quase claro pra ela que sua vida acabaria ali. E isso a fez quase se desesperar. Suas mãos se moveram lentamente para uma flecha em sua aljava. Mataria quantos pudesse antes de ser morta.

Mas outra voz veio do alto da galé. A situação pareceu contornar-se. Esses loucos começaram a falar mais loucuras sobre força, valor e coragem. Termos costumeiramente usados para heróis, mas usados por estes monstros como uma desculpa para suas tiranias. Acabou que a voz da sensatez, na galé, foi tão absurda e ignorante quanto a do comandante, chamado de "Abelardus". Uma outra intimidação, uma outra ameaça e medição de forças. Para ela, apesar de sua vida ter sido salva por conta daquele minotauro na galé, ambos não se diferenciavam.

Então, a ameaça acabou e todos foram embora. Ferannia voltou a respirar normalmente. Ela olhou para Elmac com expressão de extrema desconfiança. Aos olhos dele, talvez ela o visse como um inimigo. Por um momento, tudo que ambos passaram juntos desapareceu. Camaradagem, companheirismo, rivalidade amistosa. Ferannia estava quase com a mão numa flecha e Elmac tombaria ali mesmo. Mas ela respirou fundo novamente, voltando a relaxar os ombros, afastando-se de suas armas. Viu que algo voou, um objeto, em direção ao paladino de Tauron.
Ferannia escreveu:Imagem
O que é isso?
Perguntou a Elmac, ríspida, mas sem belicosidade na voz.
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Imagem Imagem

Avatar do usuário
Toyoda
Mensagens: 1784
Registrado em: 18 Mar 2014, 02:26

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por Toyoda » 30 Dez 2014, 03:38

Shatass estava tão cheia de dúvidas que mal vira a sua volta, ou parará para pensar sobre o que foi dito.
Shatass escreveu: Imagem
(Hum, como imaginei dês de o princípio, Meg já foi humana.)
Quando pensou em vasculhar sua mente foi interrompido pelas respostas ríspidas de Meg, o chamado de Elmac e a realidade em forma de duas enormes embarcações tapistas.

E foi a primeira vez que ela viu uma de baixo, de um insignificante pesqueiro. Nunca tinha passado por sua mente o quanto ameaçadoras elas seriam quando se estava sobre uma, divertindo alguns flácidos e ricos comerciantes.

Ela estava acostumada com os modos brutos e rudes, mas quando viu o capitão percebeu que seus métodos não iriam funcionar ali, e de nada valia tentar alguma coisa com outro que não o capitão. Seu sorriso era pálido, pensava em se mover disfarçadamente para uma borda, mas seu corpo não lhe respondia. Em sua vida, nunca tinha se sentido tão tensa.

Ela, que tinha aprendido que a força bruta não era a melhor forma de resolver as coisas, percebia que ali,dentre aqueles soldados, não havia outra forma se não a medição de força e intimidação . Ali ela não tinha lugar....

Quando viu que a situação com Elmac estava quase indo a vias de fato, viu Ferannia tensa, pronta para o que viesse com é típico de um líder, mas ela já começava a lembrar dos gestos e palavras para ficar invisível e saltar do barco, e foi aí que uma voz mais amedrontadora ainda surgiu, mas salvou suas peles. Um diálogo que não era tão estranho aos seus ouvidos, já vira muitas vezes esses bovinos se matando apenas para provar uma força tola ao seus olhos, mas, nenhuma das vezes que ela presenciara essas competições sua pele estava em jogo, como era o caso.

Quando ela viu o barco livre, e os galeões liberando-os, enfim conseguiu respirar, e não conseguiu conter um relaxamento que a fez se apoiar em um barriu próximo a ela.

Deslizou para perto da proa do pesqueiro e ali ficou por algum tempo, não gostava de se demonstrar frágil, mas aquela situação havia sido demasiadamente tensa, e lhe tinha trazido sensações que recordavam coisas que ela preferia ter esquecido completamente. Mas os minutos ali fizera com que ela recordasse seu verdadeiro objetivo, e o por que se juntará a tal grupo e o por que era importante que ela se esforçasse para mantê-lo unido, exatamente por situações como essa, onde só a força resolveria, força que ela não tinha (e n aquele momento nenhum ali teria...) . Assim voltou a pensar nas coisas, e tentou lembrar algo sobre as grutas Zalah, o capitão Velho Jack Bardo-Maldito White e o navio Jolene Atormentada.

Os 3 testes que havia esquecido

Assim, decidida vira-se para seus colegas ali presente com uma cara novamente de paz, se dirige a Elmac e a Ferannia e diz de forma doce apoiando a mão em seus ombros e mostrando um sorriso amistoso:
Shatass escreveu: Imagem
Obrigada pela força amigosss.
Assim compartilha caso tenha lembrado de algo em relação ao que Meg tinha dito.
Editado pela última vez por Toyoda em 30 Dez 2014, 04:56, em um total de 3 vezes.
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
Khrjstjano
Mensagens: 5716
Registrado em: 09 Dez 2013, 20:07
Localização: Atrás de você. Não olhe.
Contato:

Presentes de Minos, Contos de Nagahs

Mensagem por Khrjstjano » 30 Dez 2014, 07:16

Ferannia escreveu: Imagem
O que é isso?
Disse a arqueira, fitando o objeto nas mão de Elmac. Envolto em panos, nada era possível saber ao observá-lo.

Mas naquele momento, com tudo que se passava em sua mente, por algum motivo sua intuição se mostrou aguçada como uma lâmina élfica.
Ferannia escreveu: Imagem
Ora, que pergunta a minha! Um presente de um minotauro, é claro que só pode ser uma arma.
O tom em sua voz não era agradável, Elmac percebeu com facilidade. Mas estaria ela correta?

Removeu o tecido que cobria o longo objeto.

Era bastante pesado para seu tamanho...
Elmac escreveu: Imagem
Sua intuição está afiada, realmente é uma arma. De grande qualidade, ao que tudo indica, e no mínimo... Curiosa.
Imagem


Shantass não prestara atenção à cena. Sua cabeça estava envolta em pensamentos. Tantas coisas... Mas era preciso seguir em frente!

Animou-se, e pôs-se a pensar sobre o que Meg dissera enquanto deslizava em direção a seus companheiros. Passo por ela sem notar que estava quieta como um túmulo.
Shatass escreveu: Imagem
Olha, meus amigos, eu essou aqui pensando bastante sobre os nomes que Meg citou... E não me recordo de nada. Nunca ouvi falar deste tal Jack Bardo-Maldito, e nem deste navio Jolene... Atormentada... Aliás, que nominho, hein?

Mas sobre as grutas de Zalah sim, sobre as grutas eu me recordo de algumas histórias.
Ferannia & Elmac escreveu: ImagemImagem
CCoonnttee-nnooss, eennttããoo.
Desviando sua atenção para Shantass simultanemente, Elmac e Ferannia responderam ao mesmo tempo. O minauro esboçou uma risada, mas Ferannia continuava compenetrada.

Mas antes que a cena pudesse chegar a algum lugar, Shantass começou a contar sua história.
Shatass escreveu: Imagem
Então, este lugar que chamam de grutas é engraçado. Ou era.

Antigamente, muito tempo atrás mesmo, quase todas as entradas das grutas pareciam ter sido escavadas, mas hoje em dia a erosão já destruiu e abriu muitas passagens. Os povos antigos diziam que as grutas de Zalah levavam a vários pontos muito distantes do reino, inclusive a Doherimm, o reino subterrâneo e secreto dos anões. No entanto, dizem que você precisa de um guia anão mesmo assim, pois o caminho é muito extenso e difícil.

As criaturas que vivem lá, Ferannia já nos disse. Crustáceos gigantes, trolls do mar, mortos-vivos, sereias... Só que numa coisa ela errou. Ou melhor, não teria como saber...

Os tais mortos vivos que surgem lá, sabe? Não é por causa de simples naufrágios não. O lugar é de difícil acesso, é verdade, e por isto dizem que já foi muito usado como esconderijo por piratas. Quem tenta ir até lá tem grandes chances de naufragar nas pedras, o que torna o lugar um ótimo esconderijo e afasta enxeridos. Mas o que realmente causa os naufrágios não são causas naturais.

Quem os causa são as sereias.

Imagem

Mais precisamente, uma delas, bem famosa...

Mas então, há esta lenda sobre uma sereia muito antiga que vive por lá, sabem. Seu nome é Nawidnehr. Me lembro bem deste nome, porque minha mãe me contava histórias sobre ela quando era pequena...

Nas histórias, Nawidnehr, que é uma feiticeira, afunda os barcos que por lá passam com sua magia. Primeiro, as sereias emboscam as embarcações e encantam os homens com seus cantos. Na verdade encantam a todos, mas a mulheres são resistentes ao seu fascínio e os homens fracos. Então elas devoram a tripulação. Comem sua carne e bebem seu sangue. Fazem rituais de magia negra com seus crânios e utilizam seus ossos como ferramentas.

Dizem que às vezes elas mantém as vítimas vivas por longos períodos de tempo, devorando seus membros aos poucos. Primeiro as orelhas e o nariz, e também os dedos dos pés e das mãos. Depois as próprias mãos e pés, e assim por diante. E usam de magia para manter as vítimas vivas por mais tempo. Mas não aliviam sua dor, pois tem prazer em vê-los sofrer. Porque elas não são sereias normais...

São monstros. Bestas mágicas...

Imagem

Por fim, se isto não funcionar, há Nawidnehr. Com seu poder, ela empurra os barcos para as encostas, levados pelas ondas, para que se despedacem contra escarpas pontiagudas e cortantes. Os sobreviventes são então devorados, mas elas não tocam nos mortos. Por algum motivo, aqueles que morrem desta forma são amaldiçoados e se tornam mortos-vivos. Mas isto minha mãe nunca soube me dizer porque acontece.

Curioso das histórias também é que nelas, Nawidnehr sempre vence, mesmo enfrentando grandes heróis. Deve ser verdade, já que ela ainda está lá desde o tempo em que minha mãe era só uma cobrinha. Ou não, minha mãe gostava de exagerar as história pra me assustar, com ela nunca dava pra saber o que era verdade e o que era mentirinha de diversão, hahaha.

Mas bem, é isto.

Ah, só mais uma coisinha. Apesar de tudo isto, ainda há piratas que persistem em usar a grutas como esconderijo. Ou vão lá por outros motivos, não sei.

Só sei que vão, e só sei que foi assim.

Imagem
Izzy escreveu: Imagem
Uma bela história, realmente. Que bom que estão todos bem...
Editado pela última vez por Khrjstjano em 04 Jan 2015, 15:48, em um total de 1 vez.

Avatar do usuário
RoenMidnight
Mensagens: 2019
Registrado em: 28 Jan 2014, 12:39

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por RoenMidnight » 30 Dez 2014, 08:01

Izzy escreveu:Imagem
VOCÊ TEM QUE FALAR MAIS ALTO, OS OUVIDOS HUMANOS NÃO SÃO FEITOS PRA CAPTAR SONS EMBAIXO D'ÁGUA.

TENHO QUE FICAR POR AQUI POR UM TEMPO, DEPOIS EXPLICO, SÓ FIQUE ATENTO AOS NAVIOS À FRENTE.
A voz da capitã lhe doeu nos ouvidos, entretanto não era a primeira vez que algo parecido lhe acontecia.
Mahtan escreveu:Imagem
Não precisa gritar, já podemos nos comunicar normalmente, apenas respire fundo e... navios?
Ao olhar para cima notou que o mar escurecia, sombras tão grandes quanto ou maior que baleias se aproximavam do pesqueiro, sentiu um frio subir por sua espinha e talvez por instinto ou preocupação acabara abraçando a capitã sem perceber. Sabia o que significava aqueles barcos, já os havia visto antes, quando caíram as enormes ancoras viu a vida marinha se afastar e mal percebeu a aproximação de Perola.

Maior que saber da existência das grandes Galés logo acima naquele momento, era a tensão de não saber o que estaria acontecendo lá. Por um momento seu ar, se é que poderia dito assim, pareceu faltar. Lembrava de quando se encontrara com minotauros pela a primeira vez, apesar de saber de sua má fama era indiferentes a eles, mas naquele momento não conseguia se desprender da vez em que vira uma daquelas grandes embarcações com dezenas de escravos sendo usados como força motriz para a embarcação.

Quanto mais conhecia a civilização, mais amava a natureza. Sentiu então sua Salamandra se encolher ao seu lado e encostou sua mão na cabeça da mesma afim de acalma-la.

Quando as embarcações se afastaram, notou que a capitã começava a retornar ao pesqueiro, resolveu acompanha-la. Temia pelo bem estar da tripulação e o que poderia ter acontecido ali, era a a hora de retornar ao navio, deu uma rápida olhada para Shamir e fez um sinal para a mesma o seguir.


Ao retornar a embarcação, notou que todos estavam tensos enquanto Shantass terminava de contar algo.
Mahtan escreveu:Imagem
Então, o quais as novidades?
Disse enquanto afagava a cabeça de sua salamandra.
Me pague um café pelo o PicPay: @RoenMidnight
Grimório TRPG
=====Homebrew=====
Paladino Rework
Sectário do Crepúsculo

========================================================================================
PBF - Sangue e Desonra: Tsuru[TRPG]

Dthanatus
Mensagens: 877
Registrado em: 02 Fev 2014, 20:37

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por Dthanatus » 30 Dez 2014, 12:24

Pérola nadava rapidamente, sentia-se mais confortável sob as águas do que em terra, rapidamente pôs-se a curta distância de Izzy, porém deteve-se ao presenciar uma cena que ela julgou estranha estranha e de certa forma inquietante, qual o significado daquilo era o que pensava. Seus pensamentos foram interrompidos.

Duas imensas sombras ameaçadoras aproximaram-se da pequena sombra do pesqueiro, sabia o que eram e exatamente por isso a tensão percorreu sua espinha, seus músculos estavam rijos de tensão, preparou-se para emergir o mais rápido possível caso percebesse qualquer sinal de hostilidades. Esperou. Os minutos se arrastaram como horas, teria suado frio se não estivesse sob as águas, houve movimento, as embarcações tapistanas imensas começaram a se afastar, Pérola relaxou, Izzy começara a subir, e logo atras dela Mahtan fazia o mesmo. Ela os seguiu.

Ao adentrar a embarcação Pérola sentiu toda a tensão ainda presente no ar, a expressão e vermelhidão estampadas no rosto de Ferannia, Pérola a conhecia bem. Avistará Elmac, e uma arma diferente em suas mãos, aquela arma não estava na embarcação antes, e não precisava ser um gênio para saber que foram os minotauros que lhe deram.
Pérola escreveu: Imagem

Brinquedo novo, Paladino de Tauron Elmac!? Um presente de despedida de velho amigos, ou pagamento por algum serviço recém prestado e secreto?
A entonação de Pérola e sua postura deixavam bem claro a intenção de sua pergunta, ela estava em pé, joelhos levemente flexionados, uma das mãos apoiadas nu coxa, a outra pendia entre as pernas e a coluna levemente curvada, seus cabelos caiam sobre o rosto como uma mascara algas azuis revelando apenas os olhos vermelhos como poças de sangue. Pérola o encarava, olho a olho, não era necessário muito conhecimento, ela estava preparada para atacar, um movimento, uma resposta errada e a mão livre de Pérola subiria num arco em meio a um pequeno salto e a mandíbula de Elmac seria partida ao meio se o pequeno punho da meio-elfa-do-mar acertasse, todos os seus companheiros ja haviam presenciado Pérola esmigalhar a face de um homem com isso, mais de uma vez.

Avatar do usuário
Toyoda
Mensagens: 1784
Registrado em: 18 Mar 2014, 02:26

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por Toyoda » 30 Dez 2014, 13:35

Shatass gostava de histórias, de certa forma era um elo com sua mãe que fora separada a muito tempo, assim sempre ouvia as histórias de quem estivesse disposto a contar, Hohel, Kler, Cassandra, e qualquer outro. Mas sabia que algumas vezes eram só histórias, outras verídicas, mas muitas vezes eram exageradas, ainda quando ela mesma não as exagerava, quem saberia ou julgaria?
Pérola escreveu: Imagem

Brinquedo novo, Paladino de Tauron Elmac!? Um presente de despedida de velho amigos, ou pagamento por algum serviço recém prestado e secreto?
Shatass escreveu: Imagem
Pérola querida! Que bom que está bem, queria eu ter tido a feliz idéia de esperar fora do barco. Mas isso [diz apontando para a nova arma] eu chamaria de sorte, Nimb olhou para nós hoje, e por pouco o que veria seria apenas manchas de sangue na água. Pode ter certeza, Elmac não é um traidor, por mais desgostoso que seja para ti a idéia que Tauron pregue, lembre-se que ele não mentiria.
Caso seja necessário rolo teste de diplomacia.

Ps., parei de colocar sssss em tudo.... Fica mais fácil de escrever (e acho que de ler tmbm)
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Responder

Voltar para “Um Navio para Izzy”