Um Navio para Izzy (PBF)

Avatar do usuário
Aldenor
Mensagens: 17587
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:13
Localização: Curitiba, PR

Mensagem por Aldenor » 30 Dez 2014, 16:05

Ferannia observou a arma com um lábio de desprezo, mas rolou os olhos para tentar desviar sua atenção daquilo. Era óbvio que se continuasse aquela tensão ouviria palavras que não estava disposta a ouvir.
Ferannia/Elmac escreveu: ImagemImagem
CCoonnttee-nnooss, eennttããoo.
Ferannia ficou aborrecida pelo ocorrido e teria bufado. Mas isso apenas alimentaria o um possível problema que ela não queria enfrentar naquele momento. Apenas ficou compenetrada, ignorando o ensaio de sorriso de Elmac.
Ferannia escreveu:Imagem
(Procurando simpatia. Talvez ele se sinta mal pela tensão criada. Ou talvez ele pense como eu: postergar um problema óbvio e iminente.)
Seus pensamentos estavam ainda caóticos naquele momento. Realmente a agressividade dos minotauros a fez sofrer um choque de realidade. Fazia muito tempo que não presenciava uma situação de opressão contra oprimidos. A vida de estrada entre aventuras a afastou do que o povo comum sofre todos os dias, principalmente mulheres. Se na sociedade humana a mulher era um súdito de segunda categoria, na sociedade tapistana o problema era agravante, principalmente quando se alia o sistema escravocrata com a infertilidade daqueles monstros. Tauron, um deus até que engraçado. Forte, mas incapaz de viver sem subjugar mulheres de outras raças. Isso era sua imensa e inestimável fraqueza.

Ferannia esboçou um leve sorriso pela primeira vez de suas ponderações. Mas agora não era momento daquilo.

Ouviu a história de Shatass atentamente com um dedo no queixo com o braço sendo seguro pelo outro. Mostrou um outro sorriso ao perceber que estivera certa ao temer as sereias. Se o que Shatass falava estava 100% correto, eles teriam imensos problemas. E a vida já a ensinou que geralmente essas lendas perigosas são verdadeiras. Se há algo positivo, provavelmente é uma mentira. Mas tudo que for ruim, é verdadeiro. Este era o mundo. Pessoas tentando sobreviver em meio aos monstros, como minotauros...

Enfim, ela saiu de seu transe quando viu a capitã Izzy voltar.
Ferannia escreveu:Imagem
Capitã, tudo ocorreu sem maiores preocupações ou consequências. Se descontarmos a moral da tripulação e a nossa, até que foi um "encontro" proveitoso. Ganhamos uma arma nova e de boa qualidade, segundo o paladino de Tauron do meu grupo.
Ela segurou, mas não conseguiu evitar o tom sarcástico na última frase.
Mahtan escreveu:Imagem
Então, o quais as novidades?
Ferannia escreveu:Imagem
Tapistanos foram tapistanos. Ganhamos uma arma nova. É hora de seguir em frente. Ah, teremos inimigos mortais à frente em uma gruta. Shatass nos informou sobre o maior inimigo, as sereias e seus cantos tenebrosos. Já ouviu falar disso?
Ferannia tentou jogar com a sorte. Não conhece Mahtan, apesar de saber que ele é um druida dos oceanos. Talvez esteja mais familiarizado com o poder das sereias e com suas possíveis fraquezas. Mas como não era um membro há muito tempo do grupo, precisaria da ajuda de Pérola para desvendar o semelhante dela. E falando nela...
Pérola escreveu:Imagem
Brinquedo novo, Paladino de Tauron Elmac!? Um presente de despedida de velho amigos, ou pagamento por algum serviço recém prestado e secreto?
Shatass escreveu:Imagem
Pérola querida! Que bom que está bem, queria eu ter tido a feliz ideia de esperar fora do barco. Mas isso [diz apontando para a nova arma] eu chamaria de sorte, Nimb olhou para nós hoje, e por pouco o que veria seria apenas manchas de sangue na água. Pode ter certeza, Elmac não é um traidor, por mais desgostoso que seja para ti a ideia que Tauron pregue, lembre-se que ele não mentiria.
Ferannia viu Pérola chegar e quase suspirou em alívio. Era óbvio que gostava bastante da meio-elfa. Se aproximou dela instintivamente e a viu posicionar-se ameaçadoramente para Elmac. Tão desconfiada quanto ela. Ainda bem, não precisou fazer a advogada de Tauron, pois Shatass tomou sua atitude. Gostou da disposição da nagah em manter o grupo unido.
Ferannia escreveu:Imagem
Elmac não é um traidor, é verdade. Existem outras questões, mas imagino que não seja bem o momento para isso. Acho que deveríamos ir em frente e nos prepararmos para o que enfrentaremos. Quanto tempo será que teremos até chegar à gruta?
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Imagem Imagem

kausnecro
Mensagens: 179
Registrado em: 20 Jul 2014, 01:17

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por kausnecro » 02 Jan 2015, 16:55

Após responder junto com Ferannia e o sorriso forçado para não entrar em uma discussão com sua líder estressada, Elmac se perde em pensamentos, lembrando-se da maldita pergunta que a muito tempo já vinha ouvindo dentro de si, e ele rugiu, em pensamento, a resposta:
Elmac escreveu: Imagem
Meu valor é de uma raça toda! EU VOU MOSTRAR A FORÇA! A FORÇA DE CADA MINAURO QUE VIVE OU JÁ VIVEU! EU VOU QUEBRAR ESSE PRECEITO!
Mas ainda parecia só mais uma bravata que tinha que ser colocada a prova e assim relembrava as palavras de Abelardus.
Comandante escreveu: Imagem
Oh, temos?

Que bondade a sua... Minauro.
Elmac conhecia bem aquelas palavras e aquele olhar de desprezo, e havia aprendido como tratar tipos assim. Indiferença. Mostrando que isso não diminuía sua força, tornando-se assim um bastião de obstinação, sempre deixava os despreparados coagidos.

Mas nem tudo estava perdido os minotauros sabiam o valor que ostentava e com sua impassividade Elmac mostrava quem era.
Elmac escreveu: Imagem
(Ele me testou inúmeras vezes, me olhando, descortinando quem eram os membros dessa embarcação e oprimindo , buscando um motivo para me rebaixar. Mas falhou e isso causou ódio. E no final algo alienígena, seria inveja?)
Elmac já conheceu esse sentimento.
Elmac escreveu: Imagem
(Foi você quem falhou Abelardus e a providência divina se mostrou presente como prova, mas isso foi só o prelúdio do que há por vir e o objeto enviado por aquele minotauro também era prova disso.)
Elmac falou baixo saindo de um transe com voz carregada com a sensação de vitória incompleta.
Elmac escreveu: Imagem
Nunca envergonharei nosso deus! Mas pretendo envergonhar uma nação inteira.
Ele então finalmente percebeu a presença da capitão, mas sabia ainda não ser hora para tirar satisfações com ela, não sem antes conseguir o apoio de Ferannia. Ele já havia dito a ela sobre isso mas não ouve resposta e Elmac já estava preocupado que sua líder que lutava pelo bem e a favor dos oprimidos talvez não visse todos os lados da questão...

Gente estou sem net =/...A frequência das minhas postagens vão cair muito agora...Eu sou o único que evito voltar no tempo???

Avatar do usuário
Khrjstjano
Mensagens: 5716
Registrado em: 09 Dez 2013, 20:07
Localização: Atrás de você. Não olhe.
Contato:

Bem Vindos ao Mar Negro

Mensagem por Khrjstjano » 03 Jan 2015, 02:04

Imagem
William escreveu: Imagem
E aqui está seu chapéu, como me pediu.

Mestre Smith pediu-lhe para ficar no porão e descansar. Ele pede mil desculpas, mas tem medo de que possa piorar.
Izzy escreveu: Imagem
Mestre Smith é um homem bravo e sensato. Diga-lhe que descanse o quanto achar que deve. Mais tarde lhe farei uma visita e verei como está.

Preparem as velas, vamos partir sem demora.
William escreveu: Imagem
Aye aye, capitã.
Izzy escreveu: Imagem
Que os ventos tragam apenas boas novas daqui para diante. Porque os mares sempre tem más notícias entre suas águas.

Temos dois dias para chegar às grutas, se o pouco que sei é verdade. O navio só pode ser encontrado na lua de Tenebra, não é mesmo senhorita White?
Meg Bruxa-Maldita White escreveu: Imagem
HUMPF, ATÉ QUE ENFIM UM POUCO DE RESPEITO...

MAS É ISSO AÍ, VOCÊS TEM ATÉ O RAIAR DO TERCEIRO DIA PARA ACHAR O NAVIO SE NÃO QUISER ESPE...
Izzy escreveu: Imagem
Então não há o que temer, em três dias estaremos singrando os mares dos deuses em meu novo navio.

E estes aventureiros aqui terão tanto ouro que terão que comê-lo para carregá-lo. HAHAHAHAHA!!!
Izzy davas ares de muito bom humor. Parecia satisfeita com o rumo que as coisas estavam tomando.

Desde que voltara de seu mergulho matutino forçado, apenas ouvira e observara os membros de sua tripulação. Atentou para o relatório de Ferannia, que lhe descreveu o estado espírito daqueles acossados pela frota tapistana. Notou o estado consternado de Elmac de forma que os outros que haviam mergulhado com ela pareciam não notar. Silenciou enquanto acertavam suas diferenças, permitindo que entendessem a si próprios.

Izolda era assim, uma mulher observadora. Ferannia não pode deixar de notar. Lhe pareceu que ela estava sempre avaliando as pessoas. Mas não soube dizer com que objetivo.

Chamava-lhe a atenção a disciplina de seus homens. Estariam a muito tempo com ela? Quando lhes dava ordens, obedeciam sem pestanejar. Nenhum comentário. Nenhum questionamento. Apenas ação. Ficou imaginando o que é era necessário para obter aquilo de seus homens. Se era algo que que fazia ou que lhes havia prometido. Pensou que talvez fossem dóceis, mas então lembrou que eram piratas. E ao observar Ruperth, o maior deles dependurado na amurada, teve certeza que eram tudo, menos domados.

Por alguns longos momentos a observou se perguntando: "Algum dia serei uma líder como ela?"

Não tinha a resposta. Mas tinha a certeza de que iria tentar com toda vontade. E logo, logo teria sua chance.
Izzy escreveu: Imagem
Ferannia, meu amor, instrua seus homens e monte uma estratégia para quando encontrarmos as sereias. Devemos levar dois dias para chegar até elas, mas é melhor preparar-nos desde já.

HOMENS, VOCÊS JÁ SABEM O QUE FAZER!

EU VOU ESTAR NO COMANDO DESTA BANHEIRA, MAS ESTEJAM PRONTOS PARA MATAR QUALQUER COISA QUE QUEIRA FAZER O MESMO CONOSCO MESMO ASSIM!!!
Ooos Pirata escreveu: ImagemImagemImagemImagem
YAAARRRRR!!!!!!!!!
Clique para Ouvir: Tema da Viagem pelo Mar Negro

Finalmente, o Mar Negro se aproximava. O verdadeiro mar aberto. Izzy abriu um sorriso largo e confiante. Onde outros começavam a temer, a capitã do pequeno pesqueiro começava a serntir-se em casa.

Talvez fosse o cheiro do mar...

Ou talvez a ausência dos homens e suas nações cheias de conflitos... O quer que fosse, Izzy sentia a sensação de pertencer aquele lugar. Onde todos viam apenas a vastidão das águas, Izzy via caminhos claros a serem seguidos.

O dia corria veloz e as naus tapistanas os fizeram perder ao menos uma hora de viagem, mas previdente ao zarpar cedo e aproveitando o sol até os últimos momentos, suas decisões permitiram ao pesqueiro vislumbrar a imensidão do mar aberto sem mais avistar as costas de Hershey e Tapista, que os acompanharam de longe através do todo o estreito de Calacala.

E com o Mar Negro, começaram a surgir os perigos.

Vigilante do alto de seu mastro, Mandril avistou uma negra tempestade que se movia rapidamente do susudoeste em direção ao norte. Teriam entrado diretamente em se centro se não fosse por seu alerta. Avisada, Izzy manobrou para o sul, contornando o olho da tormenta e tomando apenas alguns pingos de chuva em seu chapéu. E tão rápido como veio, a tempestade logo passou, em menos de meia hora.

Mas ainda antes de pensarem em parar e preparar-se para o descanso noturno, Mahtan, que permanecia de vigia na água por mais de doze horas, não percebeu que tinha companhia. Dois vultos enormes surgiram repentinamente, como que de lugar nenhum, cercando-o e a Shamyr, que também não os vira.

Vítimas de selakos!

Clique para Ouvir: Tema de Batalha
TUTORIAL IX - Desafio
Você certamente já ouviu falar ou conhece aquelas regras ou determinações que dizem que um combate normal deve consumir certa porcentagem dos recurso do grupo, e que não necessariamente incorrerá em risco de morte. Se não, não se incomode em procurá-las. Se sim, esqueça-as. Qualquer situação de confronto ou desafio pode envolver riscos de morte, por isto trate todos os desafios com cuidado.

Nunca acredite que um inimigo entrou na história apenas para você ganhar experiência e consumir seus recursos, isto nunca vai acontecer. Nunca espere que uma armadilha ou um combate seja só uma questão de rolar dados e dizer sem parar: "Eu ataco. Eu ataco. Eu ataco.". Isto é morte certa, nunca faça isto e sempre use a cabeça. E nunca acredite que o mestre não vai te matar se você decidir fazer algo insensato, para o qual você não se garante ou não está disposto a arriscar a vida em um ato heroico.

O dragão está destruindo toda a vila, disse o mestre. Você é quem decide o que fará a respeito e as consequências serão as que tiverem que ser. Nenhum NPC ganhará níveis ou surgirá do nada para te ajudar. Se o mestre determinou previamente que ele surgiria, ele surgirá. Se não determinou, não surgirá. No entanto, para quem usa a cabeça, sempre haverá possibilidades de no mínimo sair vivo. Histórias de aventuras são histórias de morte e glória. Nimb lhe dará chance de falhar ou triunfar, cabe a você conquistar a vitória por seu próprio valor.
Selakos! Peixes assassinos. Enormes predadores vorazes.

Tão rápido quanto surgiram do nada, as apavorantes criaturas atacaram!

Suas bocarras enormes e negras fecharam-se sobre o corpo de Mahtan, dilacerando escamas e carne de sua forma de serpente marinha.

Sangue!

O vermelho tingiu as águas.

A dor tomou conta de seu corpo e o pavor de seu coração.

Mahtan desesperou-se, pensando que iria morrer ali sem poder fazer nada. Sentiu que tentavam contê-lo entre suas mandíbulas e arrastá-lo para a morte.

Não conseguiram.

Circundaram-no, preparando novo bote.

Quando suas bocas horrendas rodeadas de dentes retorcidos e afiados como navalhas tornaram a se abrir, Sharmyr reagiu agressiva e instintivamente escancarando suas presas em ameaça de morte.

O mesmo instinto agressivo fez Mahtam retrair-se como a cobra do mar que agora era, armando seu próprio bote certeiro.

E tão rápido quanto os reflexos de seus corpos animais lhes permitiram, partiram para o revide.

Sofreu 17 de dano. Rolando iniciativa. Você age primeiro. O que você faz? (P.S: desconfio que Nimb gosta de tubarões...)

Para os outros: Somente Pérola percebeu a agitação na água próximo ao barco. Ela pode agir livremente. O restante não percebeu nada e age na próxima rodada se ela avisá-los.

Dica de Combate 1: seja interpretativo e a sorte pode virar a seu favor. Use a criatividade e procure por vantagens situacionais. Possibilidades únicas as vezes escapam se a única coisa em que você pensa são ações livres, padrão ou de movimento. Nem sempre há uma vantagem a ser explorada numa situação, mas se você não procura, quando houver uma, não vai vê-la.
Dica de Combate 2: não espere o mestre responder cada postagem sua, com ações para um só turno nela. Usando fontes claras, descreva ações sequenciais para 2 ou 3 turnos, com opções para o que fazer se elas forem dando certo. E errado também. Um bom jogador sempre pensa vários turnos pra frente. Pratique isto e garanta que as coisas fluam e todos se divirtam.
Imagem
Editado pela última vez por Khrjstjano em 21 Abr 2015, 20:05, em um total de 11 vezes.

Dthanatus
Mensagens: 877
Registrado em: 02 Fev 2014, 20:37

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por Dthanatus » 04 Jan 2015, 18:32

Pérola aproveitava da visão do mar, algo nostálgico, lembrava de sua vida ante de tudo aquilo, de suas irmãs, sua mãe, pensava no que aconteceu com todas após sua partida, desejava que nada daquilo tivesse ocorrido, sorria ainda que discretamente ao pensar no passado observando o sol se por, foi nesse momento que algo chamou sua atenção.
Vermelho tingia as águas, movimento agitavam sua superfície. O que seria aquilo? Ela pensou rapidamente, sabia que Mahtan vigiava sob as águas para evitar que algo os pegasse desprevenidos, mas e se ele falhasse!? Talvez aquele vermelho fosse o sangue do meio-elfo-do-mar, talvez algo estivesse fazendo-o sangrar, por um segundo a idéia de simplesmente ficar em silêncio e deixar que algo o fizesse sangrar mais lhe ocorreu, mas ainda mais rápido do que idéia veio, dissipou-se em sua mente, precisávamos dele vivo, ao menos era isso o que foi dito, então Pérola agiu.
Pérola escreveu:Imagem
Sangue! Deve ser Mathan, preparem-se!
Pérola gritou a plenos pulmões enquanto saltava em direção as águas. em sua queda seu corpo se retorcia, braços e pernas alongavam-se, o crânio inchava, seu corpo abandonava a pequena forma humanoide dando lugar a um verdadeiro monstro octópode. Sob as águas sentia o medo gelar=lhe os musculos, salakos; Não conhecia muito sobre as criaturas, apenas o suficiente, nunca enfrenta-los exceto em caso de extrema necessidade, nadava rápido, em direção ao confronto, em seu medo instintivo havia camuflado, assumindo a cor do ambiente ao seu redor. sabia o que tinha de ser feito.
Rapidamente esticara ao máximo seus tentáculos em direção ao druida do oceano, o agarraria a força se necessário, e o arrastaria em direção ao barco, havia gritado no minimo Ferannia teria ouvido, ou aquele pirata que vigiava ja teriam feito algo, subiria rapidamente.

Vamos lá, depois de gritar Pérola vai se jogar na água e usar sua forma selvagem e mimetismo, vai nadar na direção do Mahtan agarra-lo e tentar voltar pro barco;

Avatar do usuário
Aldenor
Mensagens: 17587
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:13
Localização: Curitiba, PR

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por Aldenor » 04 Jan 2015, 19:10

"Algum dia serei uma líder como ela?"

Duvidava.
Sua intenção como líder era pontual. Duvidava que conseguisse tamanha devoção como Izzy tem de sua tripulação. Ela alcançou este estágio muito provavelmente por todos terem mais ou menos os mesmos pensamentos, ideias, sintonia de filosofia de vida. Um grupo de aventureiros raramente possui tamanha sintonia. Seu grupo mesmo possui divergências claras e muito óbvias.
Mas enquanto coubesse a ela este papel, faria de tudo para atingir a perfeição. Ela não era alguém que fizesse as coisas pela metade. Quando assumia uma missão, dava o máximo de si para cumpri-la.
Izzy escreveu: Imagem
Ferannia, meu amor, instrua seus homens e monte uma estratégia para quando encontrarmos as sereias. Devemos levar dois dias para chegar até elas, mas é melhor preparar-nos desde já.
Ferannia já ponderava a cerca das suas possibilidades, pensando nas habilidades do grupo. Seria bom se Mahtan conhecesse algum milagre capaz de proteger suas mentes dos encantos mágicos das sereias. Valeria também usar aquela magia de respirar em baixo d'água. Talvez as magias de sono de Shatass fossem úteis também.

Pérola escreveu:Imagem
Sangue! Deve ser Mathan, preparem-se!
O grito de Pérola a trouxe de volta de seus pensamentos. Rapidamente correu até a beirada do navio para observar. Shatass não era uma combatente, Elmac não poderia usar algum ataque à distância e talvez não fosse muito bom lutando debaixo d'água contra o que quer que fosse. Neste caso, cabia a ela realizar alguma ação. Pelo visto eram algum tipo de monstro ou animal.

Mas ela não enxergava nada!
Ferannia escreveu:Imagem
Preciso de luz! Shatass, lance sua magia de luz no mar!
Ferannia rapidamente pegou seu arco e preparou suas flechas. Iria ajudar de qualquer maneira Pérola e Mahtan.

Assim que Shatass lançasse seus globos de luz na direção onde Pérola haveria de ter pulado e fosse capaz de enxergar, iria se preparar para lutar. Rolar teste de Conhecimento da Natureza para pensar em fraquezas do bicho e nos hábitos, se trabalham em conjunto com humanoides ou se atacam sozinhos. Se a distância fosse muito grande até os animais, usaria duas flechas voadoras. Se a distância fosse menor, usaria duas flechas normais, uma atrás da outra.
Seu objetivo é apenas assustar os adversários, afastá-los o máximo que puder para dar tempo a Pérola.
Também, com um teste de Percepção, tentará contar quantos adversários estão no ataque. Caso engajem com Pérola, Mahtan e seu companheiro animal, Ferannia continuará atirando (afinal, ela tem Tiro Preciso!), sempre de duas em duas flechas no MESMO adversário, visando sempre o inimigo que estiver mais ferido (devido a possíveis ataques de seus aliados). Seu objetivo é matar logo um para tentar desencorajar os demais.
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Imagem Imagem

Avatar do usuário
Toyoda
Mensagens: 1784
Registrado em: 18 Mar 2014, 02:26

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por Toyoda » 05 Jan 2015, 01:07

Shatass admirava Izzy pela sua incrível habilidade com as pessoas, como seus marujos a obedeciam fielmente. Mas talvez o que mais impressionasse seria a calma e a certeza de que vai dar tudo certo que ela possuía. Aparentemente sem as horas de pensamentos meticulosos e detalhes intrincados que tinha em seus próprios planos. Izzy fazia com que as coisas parecessem fáceis. Mas força feminina não era o que faltava ali naquele barco, definitivamente não.

A viagem ia calma, parecia que estão em mãos de uma ótima tripulação, a ideia de tesouros até cobrir-lhe as cabeças era um baita incentivo para ela.

Pensou em visitar Smith, e fazer uma boa "massagem" para que seu tornozelo melhorasse, mas acabou que o tempo passou, e a paisagem tomou sua mente. Lembra do grande Oceano e de sua segunda infância, não sabia se agradecia a Nimb ou ao Oceano por ter sido encontrada a salvo, ou se ao invés de agradecer deveria praguejar a continuidade da sua existência.

Foi tirada de seus pensamentos por um estrondoso grito, que mesmo ela meio surda, não pode deixar de ouvir.
Pérola escreveu:Imagem
Sangue! Deve ser Mathan, preparem-se!
Shatass escreveu:Imagem
Pérola!!
Rastejou rapidamente até a borda em que Pérola antes estava, queria aumenta-la magicamente para que ela tivesse mais forças ali, mas antes que começasse a gesticular Ferannia lhe deu uma ordem:
Ferannia escreveu:Imagem
Preciso de luz! Shatass, lance sua magia de luz no mar!
Luz? Para que? Ainda não era total crepúsculo e ela ainda via bem! Mas então lembrou-se de que os Humanos não enxergavam como ela.
Shatass escreveu:Imagem
Sscerto Ferannia! Aqui vai!!
Assim, o som sibilante de sua voz pronuncia palavras inteligíveis, suas mãos gesticulam e então brotam 4 esferas luminosas próximas a superfície do mar. Shatass então tenta direcionar elas de forma que iluminem Mathan, Shamyr e os inimigos.

Lançando Globos de luz neste turno.
Caso tenha alcance usa aumentar pessoa em Pérola no próximo turno, caso não tenha alcance usa Dança exitante (pelo menos Ferannia poderia vê-la, mas é provável que haja outros ali no convés)
E como terceiro turno, caso seja necessário (caso Mathan e Pérola não tenham voltado ao barco) usa Imagem silenciosa na forma de um octópode como Pérola, para tentar confundir os oponentes aumentando o número de alvos.
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
RoenMidnight
Mensagens: 2019
Registrado em: 28 Jan 2014, 12:39

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por RoenMidnight » 06 Jan 2015, 08:28

As horas se passaram, Mahtan resolvera que continuar vigiando a viagem pelas águas seria o melhor e havia retornado para o mar.

Vigiar é um trabalho um tanto quanto enfadonho, e com o passar das horas o Druida logo iria se cansando e já sentia a necessidade de retornar ao barco para uma noite de sono.
O Sucesso da missão começava a lhe preocupar, e mais do que isto, a vida daqueles que estavam no barco. Aquela história sobre as Sereias lhe preocupava, havia visto poucas durante sua vida e sabia menos ainda sobre elas.

Sentia a resignação de talvez não ser capaz...

A dor então percorreu o seu corpo, pela sua visão periférica viu o seu sangue sendo levado pela água, pelo o tempo de uma batida de coração sentiu que ar lhe faltava e o desespero paralisou o seu corpo antes de retornar a consciência. Sentiu que a criatura tentava lhe puxar para as profundezas, mas conseguiu se desvencilhar da mesma e se virar para ver que dois Selakos cercava a ele e Shamir.

Já havia tido problemas com estas criaturas, entretanto não diretamente desta maneira, sentiu a raiva então percorrer pelo seu corpo e nadou acima da criatura e avançou contra as costas da mesma esperando que Shamir fizesse o mesmo por baixo atacando a barriga.

Ao fim do ataque a raiva começava a se dissipar em pedaços dando lugar novamente ao pavor...

Se na próxima rodada não for atingido pelos Selakos, Mahtan vai recuar e voltar a forma de Meio-Elfo. Irá conjurar Dominar Animal atravéz de Voz dos Mares no Selako mais próximo de Shamir, caso a Salamandra esteja ferida ao invés disto irá conjurar Invisibilidade contra Animais. Se na rodada seguinte a Salamandra esteja invisível irá conjurar sobre si mesmo a invisibilidade e irá recuar ao barco.

Caso o Selako tenha sido dominado, irá dar a ordem para atacar ao outro e irá utilizar esta confusão para recuar.

Caso seja atingido, provavelmente continuará atacando...
Me pague um café pelo o PicPay: @RoenMidnight
Grimório TRPG
=====Homebrew=====
Paladino Rework
Sectário do Crepúsculo

========================================================================================
PBF - Sangue e Desonra: Tsuru[TRPG]

Avatar do usuário
Khrjstjano
Mensagens: 5716
Registrado em: 09 Dez 2013, 20:07
Localização: Atrás de você. Não olhe.
Contato:

Mar Vermelho e Negro

Mensagem por Khrjstjano » 08 Jan 2015, 17:32

Imagem
Pérola escreveu:Imagem
Sangue! Deve ser Mathan, preparem-se!
As palavras de Pérola atraíram a atenção de todos, que ainda observavam as tempestade se afastar para o norte. À meia luz do poente, os humanos na embarcação já não viam muito bem através das águas. Mas para Pérola e Shantass, ainda era como alto dia.

Antes que pudessem pensar, a meio-elfa marinha saltou por sobre a amurada, atirando-se ao mar. Ferannia e o marujo William rapidamente a seguiram e ainda puderam vê-la transformado-se. Seu corpo mutacionava e crescia, tornando-se uma esfera rodeada de tentáculos enegrecidos.

Um polvo gigante!
Izzy escreveu: Imagem
HOMENS, MEXAM-SE, BAIXAR VELAS, BAIXAR ÂNCORA!

E PREPAREM-SE PARA O COMBATE!!!
Rapidamente, os homens de Izzy lançaram-se a cumprir suas ordens. William correu ajudar Loveboat a baixar as velas, enquanto Ruperth lançava a âncora sozinho. Era de longe o mais forte deles e não necessitava de ajuda.

Izzy retirou dois mosquetes de uma caixa próximo ao leme. Empunhou um ela mesma e arremossou outro para Mandril, que o apanhou e prendeu-se ao mastro somente com os pés, usando as mãos para fazer mira.

Ferannia avaliou a situação rapidamente. Sacou seu arco. Empunhou suas flechas. E sem vacilar sequer um segundo, coordenou o ataque.
Ferannia escreveu:Imagem
Preciso de luz! Shatass, lance sua magia de luz no mar!
Shantass chegara à amurada no mesmo momento em que ouvira as ordens de sua líder. Pensava em auxiliar Pérola. Para ela, com sua visão prodigiosa à noite, ainda não havia necessidade de luminosidade mágica. Mas lembrou rapidamente que para os humanos, o crepúsculo já trazia grandes dificuldades para enxergar.

Mas mesmo se quisesse insistir em ajudar Pérola, não conseguiria. Tão rápido quanto tornou-se uma enorme fera, a mestiça desapareceu por completo à vista de todos, sumindo completamente.

Não havia o que titubear. Gestos arcanos velozes. Palavras mágicas carregadas de poder. E a feiticeira lançou sua magia.
Shatass escreveu:Imagem
LUZ REVELADORA, PERFURE AS TREVAS E DÊ PODER À NOSSA VISÃO!
Dizendo aquilo, Shantass acenou apontando para diversos pontos no mar.

Quatro pontos de luz, como pequenas estrelas brancas, surgiram em meio ao nada iluminando as aguas a bombordo da embarcação como tochas sagradas. Ferannia pode ver melhor o sangue que tingia a superfície. No entanto, ainda não via nada abaixo dela.

Pérola não precisava daquela luz. Os meio-elfos marinhos, como as nagahs, também eram capazes de ver no escuro da noite. Para ela, o crepúsculo também era como o dia. E do momento em que mergulhara, já vira tudo o que se passava abaixo das águas. Exatamente por isto, já estava tomada de enorme tensão.

Um arrepio mortal percorreu seu corpo dos pés à cabeça, eletrizando sua espinha. Imaginou que Mahtan logo estaria à beira da morte.

Mas naquele momento, nem ela que já vira tudo poderia imaginar o quão certa sobre isto estaria.

Clique para Ouvir: Tema da Batalha

Imagem
Mahtan escreveu: Imagem
CRIATURA DESPREZÍVEL!!!
O sangue que tingia o mar também preenchia os olhos de Mahtan, o meio-elfo marinho em forma de serpente.Tomado de uma raiva indescritível, só pensava em revidar.

Um instinto irracional como o da criatura assassina que buscava devorá-lo o guiava. Mas era mais inteligente que ela e adotando tática que treinara com Shamyr, nadou para o alto. O movimento arriscado deu aos inimigos nova chance de bote. Mas com agilidade, Mahtan evitou suas presas que fecharam-se sobre si mesmas, abocanhando a água do mar.

Ganhara as costas da criatura, que não conseguira se virar a tempo, e agora poderia atacá-la pelas costas. Shamyr fez o que ele esperava e cercou o selako por baixo.

Do alto, Mahtan tentou abocanhar face e olhos, mas debatendo-se o selako o evitou. De baixo, Shamyr fez o mesmo e rasgou a barriga do animal com suas presas afiadas de salamandra gigante, bebendo seu sangue suculento. Girando o corpo, tentou ainda atingir seus olhos com a enorme cauda, mas encontrou seu crânio duro e não lhe causou nenhum dano.

A distração, no entanto, permitiu que Mahtan tivesse tempo de voltar à sua forma humanoide. Nova tática: com a magia druídica que o grande Oceano lhe emprestava, dobraria a vontade da criatura e a teria sob seu poder. Uma excelente estratégia, para combater um animal marinho.

Para sua infelicidade, havia mais um deles...

De sua esquerda e vindo debaixo, um segundo selako surgiu nadando velozmente, abocanhando-o com violência. Sentiu sua carne ser rasgada novamente, e viu seu sangue colorir o mar de novo. Mas para seu desespero, desta vez as possantes mandíbulas não tornaram a se abrir. Seguindo o mesmo trajeto que o trouxera até ele, o animal nadou em frente, arrastando-o consigo.

Carregava-o para a morte e para cada vez mais longe do pesqueiro, onde estavam seus companheiros.

O primeiro selako ainda teve tempo de lhe morder as pernas, que escapuliram ao seu domínio devido ao movimento que era forçado a fazer. Shamyr reagiu como um relâmpago, e cavalgou em torno do selako abaixo de Mahtan, usando suas patas para tomar impulso em seu corpo e lançar-se em socorro de seu senhor. O monstro tentou abocanhá-la, mas confuso por seu movimento ao circundar seu corpo que também girava, não foi capaz de tocá-la.

Mahtan fitou seus olhos por uma momento, enquanto o selako o arrastava tentre suas presas poderosas, e pode ver como olhava para ele desesperada para salvá-lo.

Comovido com sua força de vontate, e decepcionado com sua própria fraqueza, fez uma prece para seu deus.
Mahtan escreveu: Imagem
Grande Oceano, se não a mim, empresta sua força aquela de nós que é uma verdadeira filha do mar.

Empresta sua força a Shamyr...
Talvez Oceano tivesse lhe ouvido. Talvez não...

Mas Pérola ouvira.

E vira tudo o que acontecera, tão rápido quanto mergulhara no mar, transformara-se e camuflara-se como poucos de sua raça podiam fazer. Tudo havia sido muito rápido. E por isto já tinha certeza:

Mahtan iria morrer!

O pensamento causou-lhe um arrepio de horror que percorreu seu corpo dos pés à cabeça através de sua espinha, congelando suas víceras. Lançou-se em direção ao selako.

Agarraria-o com seus tentáculo e estrangularia-o, disto estava certa. No entanto, não tinha qualquer resquício de certeza de que Mahtan ainda estaria vivo até lá.
Pérola escreveu: Imagem
MALDITO MACHO INFELIZ, NÃO MORRA OU EU TE MATO POR ME FAZER PASSAR POR ISTO, DESGRAÇADO!
Enquanto isto, na superfície Ferannia, Izzy e Shantass observavam o mar, tomadas de apreensão. Ferannia vasculhava as águas com os olhos de um falcão.

Analisava o mar procurando por um alvo como um predador fareja a presa com seu olfato apurado. O arco retesado ao extremo, esperava por um só movimento, uma só brecha.

Só precisava de uma chance, e então suas flechas mergulhariam em direção às presas e ceifariam vidas até não mais poder.

Izzy, ajoelhada, fazia mira com o mosquete.

Do alto, Mandril também mirava, mas nada via.

De repente um grito.
Mandril escreveu: Imagem
À FRENTE, QUINZE METROS POR SOBRE AS LUZES!!!
Ferannia foi a única a avistar a sombra que surgia e se afastava por sob as águas. Reconheceu a forma do selako imediatamente. Para seu mais completo pânico, vislumbrou também uma forma humanoide presa à sua boca.

Como se não fosse impossível, retesou ainda mais seu arco, seguindo a sombra com seus olhos como o falcão segue o coelho que corre pela relva, antecipando o momento do mergulho para o abate.

Shantass entendeu imediatamente o que se passava e com um movimento, iniciou uma dança ritualística carregada de magia que daria força aos seus aliados. Ferannia e Izzy sentiram a mágica percorrer-lhe os corpos e concentrar-se em seus braços, dando-lhes a certeza de poderiam atirar tão rápido quanto nunca mais.
Ferannia escreveu:Imagem
UMA CHANCE, SÓ UMA CHANCE MONSTRO DESGRAÇADO, FILHO DA MÃE MISERÁVEL!!!
De volta ao mar, a luta mortal prosseguia.

Mahtan golpeou o selako que o arrastava. Ainda vivia. Ainda lutava. Mas a azagaia não era adequada para aquele tipo de combate, e na posição que ficara preso, só conseguia atingir o crânio duro do animal.

Shamyr esticou-se para morder sua cauda, nadando veloz atrás dele. Mas o movimento serpenteante da cauda a enganou e fez errar. E quando ela ainda tentava um golpe incrível, girando o corpo como uma bola para chicotear com sua própria cauda, foi atingida pela do animal e perdeu-se em meio ao movimento.

Pérola nadava a toda a velocidade, encurtando cada vez mais a distância entre ela e o selako que carregava Mahtan, deixando um rastro de sangue em seu caminho. Haveria tempo, pensou. Já imaginava seus tentáculos tocando a criatura, estrangulando-a com violência, quando viu sua esperança ser roubada pela sangrenta realidade.

O sangue espirrou e tingiu o mar de vermelho por completo.

O selako à frente mastigou Mahtan sem soltá-lo, sem dar qualquer chance de defesa para o o meio-elfo do mar. Sua cabeça caiu para trás, imóvel. Seus braços penderam para baixo, liberando a azagaia que perdeu-se nas profundezas do Mar Negro. Mais abaixo, a salamandra de Mahtan foi abocanhada pelo outro selako, fazendo mais sangue manchar o mar. Abocanhada. Presa. E arrastada como a seu dono.

Pérola soube que só um milagre ainda poderia salvar Mahtan antes que o animal o mastigasse até a morte final, de onde não haveria mais retorno algum, nem por magia de cura, pois ela não teria mais tempo para salvá-lo. Em seu coração, desejou por um milagre. E desejou acreditar em milagres. Mas no fundo já pensava em apenas vingar a morte do companheiro, aniquilando aquela criatura odiosa.

Mas o milagre observava da amurada do pesqueiro.

Com seus braços tremendo, tal era a pressão com que retesava seu arco, Ferannia viu as águas se espalharem em espuma e o monstro emergir do mar com Mahtan em sua boca, fugindo com ele para longe. Antes que Izzy pensasse em disparar uma bala sequer, duas flechas certeiras voaram em direção ao monstro, a segunda ganhando o ar antes mesmo que a primeira atingisse a criatura.

Disparos velozes como o vento e certeiros com um relâmpago que sempre atinge a árvore mais alta.

Quando primeira flecha atingiu o alvo em cheio, ignorando a dureza de seu crânio e fazendo o animal estremecer de dor, a segunda veio logo atrás e atingiu o mesmo local, levando a criatura a nocaute. Ferannia viu Mahtan cair ao mar e o selako parar. Um estouro quase ensurdeceu seu ouvido esquerdo quando Izzy disparou seu mosquete, que mais pareceu um canhão àquela distãncia, atingindo o animal bem no meio da cabeça. Seu crânio explodiu em pedaços onde a bala o atingiu, fazendo partes de seu cérebro espirrarem pelo mar. Não seriam necessários novos disparos. O animal estava morto.

Completamente sem vida!

Pérola agarrou Mahtan com seus longos tentáculos. Ao tocá-lo, o meio-elfo desapareceu por completo, como ela, escapando da visão de Shamyr, que o observava da boca do selako que ainda vivia. Pérola puxou-o para fora da cortina de sangue que pintava o mar de vermelho. Ele sangrava como um bezerro esfaqueado por um açougueiro, deixando o pouco que ainda lhe restava de vida escapar rapidamente. Seu sangue se misturava ao oceano e, apesar dele mesmo não poder ser visto, o sangue que o deixava tornava-se visível assim que abandonava seu corpo.

Pérola praguejou.
Pérola escreveu: Imagem
Desgraçado medíocre! Se morrer agora em minhas mãos, juro que vou até o inferno estrangulá-lo de novo!
Pérola nadava o mais rápido que podia em direção ao barco. Seus companheiros observavam o mar e percebiam a agitação próximo do corpo morto do selako. Mas não divisavam o que acontecia. Só Pérola via, mas não tinha escolha senão arrastar Mahtan para o pesqueiro. Não podia pensar em mais nada senão salvá-lo.

E assim Pérola deixou Shamyr para trás.

A salamandra presa entre as mandíbulas tentava atingir seu agressor com presas e cauda. Mas sua posição era ingrata, não o alcaçava para mordê-lo e não o via entre o sangue que tingia o mar para chicoteá-lo com precisão. O selako, por sua vez, só precisa pressioná-la com suas presas. Mordeu-a com força descomunal, seu melhor ataque até o momento.

E Shamyr urrou com a dor do golpe.
Shamyr escreveu: Imagem
BRAAAAAAAÁ!!!
O sangue de Mahtan jorrava caldalosamente. Sua vida se aproximava do fim a cada metro avançado. Shamyr se debatia com força tentando se soltar, mas era em vão. O selako a arrastava através do sangue, pressionando suas presas contra sua carne macia, perfurando-a violentamente. Mas Shamyr ainda estava muito longe de seu fim.

Muito longe de se entregar à morte sem salvar seu dono!

Num esforço gigantesco, que só o extinto de sobrevivência mais primitivo de um animal acuado pela morte é capaz de viabilizar, contorceu-se violentamente por entre as presas do selako, tomando melhor posição. O animal, que já estava bastante ferido, recebeu uma chicotada tão forte de sua cauda no dorso, que desmaiou imediatamente. As mandíbulas afrouxaram.

Shamyr se viu livre!

E liberta, a salamandra abocanhou a face do selako inconsciente com tanto ódio animal que esmagou seu crânio, rompendo ossos e acabando com sua vida definitivamente. Em um movimento final, ainda arrancou parte de sua cabeça, deixando-o completamente desfigurado.

Mastigou sua carne e engoliu-a, alimentando-se de sua presa.

Urrou vitoriosa.
Shamyr escreveu: Imagem
BUYAAAAAAAAAAAHHH!!!
Pérola finalmente chegara ao barco.

Lançou Mahtan por cima da amurada com seus longos tentáculos, segurando-se ao pesqueiro com os outros. O baque surdo de seu corpo caindo ao chão assustou os tripulantes, que empunharam armas em sua direção. Mas quando Pérola liberou-o de seus tentáculos, ele tornou a aparecer, para o alívio de todos e comemoração de todos.

Shamyr nadava em círculos, procurando por seu amado dono.

Olhava para todos os lados, freneticamente. Viu pérola ressurgir próximo ao barco, já de volta à sua forma normal. Não queria assustar mais seus companheiros. A salamandra nadou em sua direção e subiu aos pesqueiro pouco após à meio-elfa do mar.

Completamente nua!

William, o mais jovem dos marujos, pegou sua capa que estava a seus pés e, mantendo os olhos baixos para não mirar seu corpo nu, veio em sua direção e ofereceu-a para que se cobrisse. Mahtan ainda sangrava muito e o vermelho manchava cada vez mais o convés da embarcação. No entanto, ao sair da água o sangramento já começava a atenuar. Todo marinheiro sabe disto, a água é um péssimo lugar para se sangrar, o sangue se esvai com muito mais facilidade.

E não coagula!
Shantass escreveu: Imagem
Alguém faça alguma coisa, ajudem-no!
Mais problemas.

Nenhum dos membros do grupo possuía conhecimentos de técnicas de primeiros socorros. E nem os aparatos necessários. E nem qualquer habilidade mágica ou de qualquer tipo também. O único capaz de ajudar alguém na situação de Mahtan, era o próprio Mahtan!

Seria este seu fim?

Sim. Se estivessem sozinhos, ninguém poderia ajudá-lo. Mahtan sangraria até a morte e tudo teria sido em vão. Sua vitalidade não era das melhores e a sorte também não lhe sorria nem levemente naquele dia. Não havia escapatória. O sangue corria sem parar. Seu fim era certo.

Mas para sua sorte, havia alguém capaz de ajudá-lo.
Loveboat escreveu: Imagem
TRAGAM-NO PARA O PORÃO, DEPRESSA!!!
Elmac, que despertara de seu descanso com o disparo de Izzy e subia para o convés naquele momento, desceu de volta com rapidez.

Deu lugar à Rupert e William, que desceram com o corpo desfalecido de Mahtan. Depositaram-no sobre a mesa. Mestre Smith, que ferido descansava no porão, esforçou-se para levantar e puxou a toalha da mesa, derrubando tudo o que nela havia, para facilitar o trabalho de seus companheiros.

Loveboat, o cirurgião de bordo, despejou seus instrumentos sobre um caixote e iniciou o tratamento.

Fazendo diversas compressas, ordenou seus companheiros que as segurassem firmemente contra os ferimentos de Mahtan. Mestre Smith, acostumado a ajudá-lo, foi rasgando as roupas do jovem com um punhal, liberando seu corpo para o socorro fácil.

Havia perfurações profundas de dentes de selako por toda parte. Era literalmente um milagre dos céus o pobre diabo ainda não ter morrido. Foi preciso a ajuda de Ferannia e Izzy, além de Ruppert, William e do próprio mestre Smith para comprimir todos os ferimentos por onde o sangue lhe fugia.

Loveboat tirava os sinais vitais do meio-elfo marinho com frequência. Seu coração incrivelmente ainda batia, mas estava fraco como um suspiro. O ar mal entrava por suas vias aéreas. O cirurgião de bordo ordenou que seu corpo fosse arrastado até que sua cabeça pendesse levemente para fora da mesa, inclinando-se para trás. A posição liberou as vias aéreas, facilitando a entrada de ar. Mas após checar-lhe novamente os sinais vitais, Loveboat constatou que seu coração parara de bater.

Um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete... vinte oito, vinte nove, trinta. O marujo cirurgião comprimia as mãos sobre o peito do meio-elfo marinho rapidamente, contando a cada movimento. Ao fim uma pausa. Ordenou que o corpo fosse posto de volta à mesa de forma que a cabeça ficasse apoiada por completo. Então ordenou que a capitã colocasse as mãos sobre sua boca em uma posição que deixasse um espaço em forma de círculo entre elas, e soprasse ar para dentro da boca do druida com toda sua força.

Um, dois, três, quatro, cinco, seis... vinte oito, vinte nove, trinta compressões contra o peito. Pausa para assoprar o ar boca a dentro. Um, dois, três, quatro, cinco, seis... vinte oito, vinte nove, trinta compressões. Pausa para assoprar o ar. O processo se repetiu várias vezes, a esperança já ia desaparecendo do rosto de todos naquele recinto... E de repente, o meio-elfo tossiu sangue para o alto, sujando a todos que estavam ao seu redor.

Pérola e Shantass, que observavam mais de trás, pensaram que ele iria morrer.

Mas a tosse significava que seu coração voltara a bater. Sinais vitais positivos. O coração realmente batia. Mais alguns cuidados e o pior já passara. Logo, o meio-elfo do mar estava estável, seus ferimentos estancados. Talvez um dia viesse a morrer de uma forma brutal como aquela.

Mas aquele certamente não seria este dia.

Do porão, todos puderam ouvir Shamyr berrando repetidamente, como que pressentido que seu dono sobrevivera.
Shamyr escreveu: Imagem
BUYAAAAH, BUYAAAAH, BUYAAAAH!!!
Parecia repetir: "não neste dia, não neste dia, não neste dia".

Ou foi o que todos pensaram, porque com suas ações todos também haviam dito a mesma coisa naquele dia.

Era como se todos houvessem realmente olhado bem fundo nos olhos da morte, desafiando seu olhar com toda sua coragem e então gritado em sua cara, com todas as suas forças...

"HOOOJE NÃÃÃO!!!"

Curiosidade 1: faltou 1 PV para Mahtan atingir os 50% negativos. Ele falhou em 6 testes de Con seguidos e tomou em média 3 pontos de dano por sangramento. E eram apenas 2 tubarões... E ele só emergiu do mar porque decidiu se colocar acima do primeiro selako, o que fez com que o outro o carregasse para o alto em seu movimento... Lembrem do que eu falei sobre desafio, nunca vai ser só pra ganhar XP. Ele não morreu por um milagre. ; )

Curiosidade 2: os selakos eram selakos normais, exceto que eles tinham Agarrar Aprimorado (habilidade especial de monstro, não o talento) e Constrição. De todas as vezes que eles causaram dano, o maior número que eles rolaram no d12 foi 3... É, 3. Exceto a última mordida que a Shamyr levou por Constrição, que foi um 12 para lavar a alma.

Curiosidade 3: nunca na vida peguem Cabeça Quente com um personagem que não sabe combater corpo-a-corpo. Azagaia + agarrado = -6 pra bater. Fora que ele já tem só +4 de ataque no corpo-a-corpo. Pra piorar, ele não podia nem tentar rolar pra sair do agarrão, porque em seu turno tinha que atacar o bicho que deu dano nele. E o bicho SEMPRE dá dano, porque Constrição dá dano automático, sem rolar. Ou seja, também nunca peguem Cabeça Quente e fiquem sozinhos em algum lugar, sob risco de morrer sozinhos. Se não fosse a Shamyr, Mahtan teria virado isca de tubarão fácil, fácil.

Curiosidade 4: Meg estava na gaiola, coberta de pano atrás da escada de novo. Ficou ali quietinha o tempo todo, sem incomodar ninguém. Gente boa ela, não? Hahaha.

O que fazer agora
: interpretem livremente, analisando a situação e suas consequências e preparem-se para a viagem pelo mar negro. São 2 dias até as grutas.
Editado pela última vez por Khrjstjano em 21 Abr 2015, 20:27, em um total de 13 vezes.

Avatar do usuário
Toyoda
Mensagens: 1784
Registrado em: 18 Mar 2014, 02:26

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por Toyoda » 08 Jan 2015, 19:37

A situação como um todo fora muito tensa, já havia visto muito sangue em sua vida, mas preferia as vias onde era certo que o sangue fosse de seus inimigos. Combates nunca são certos, apunhaladas ou venenos tornam as coisas mais práticas, fazem com o jogo se torne mais seguro.
Shatass escreveu:Imagem
(Por Nimb!! Como sobreviveu?)
Pensava com uma leve cara de espanto.
Shatass escreveu:Imagem
Grasçass ao Deusssesss! Vosscês sssalvaram ele!
Pérola, sssua coragem e forssça me insscentivam; Ferannia, obrigada pela claresssza nasss horass criticass; Loveboat, Ossceano deve ter te colocado aqui para sssalvar seu represszentante.
Nimb com sscertesza rolou muitosss dadosss para Mathan hoje...
Dizia com um sorriso carinhoso de alivio, e uma lagrima de crocodilo rolava de seu olho esquerdo de falsa comoção. No fundo não se importava com o clérigo em si, ainda mais por ele ser tão fechado e distante, o que dificultava seu domínio sobre ele. Mas sabia dos poderes que ele tinha, e sabia que isso seria muito útil para que conseguissem completar a missão. E sabia de suas próprias fraquezas, provavelmente a que mais dependia do grupo, pelo menos, parecia ser a mais interessada na coesão dele. E ali viu uma chance de conquistar um pouco de confiança deste servo do Oceano.
Shatass escreveu:Imagem
Hum... Não sssei sssobre medisscina... Masss acho que possso ajuda-lo a sse revigorar. Sssera que me dão um minutinho a ssósss com Mathan?
Assim, deslisa elegantemente até próximo do corpo ainda inconsciente do clérigo, espera que as pessoas saiam, principalmente Perola, que com certeza não gostaria de ver tal cena, aquela técnica, aquele ritual, na qual aprendera dentre cortesãs e escravas.

Então deslisava a ponta de seus dedos suavemente pelo corpo desnudo do Meio elfo marinho, e cochicha em seus ouvidos palavras sibilantes que entram em seu inconsciente. Com mão delicadas, porem firmes, massageava os ombros de Mathan e o chamava de volta a vida. Colocava toda a habilidade que viera a adquirir naquele profano ritual, ou digamos, mundano ritual....

Ficara alguns minutos trabalhando em fazer Mathan voltar a consciência, e assim que isso acontece, recebe-o com um largo sorriso:
Shatass escreveu:Imagem
Amor! Grassçass a Nimb e ao Oceano! Esssta vivo e consssciênte!
Shatass, com o intuito de recuperar PVs usa Carícias Revigorantes no Mathan 3min (3 usos ou até que recobre a consciência)
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
RoenMidnight
Mensagens: 2019
Registrado em: 28 Jan 2014, 12:39

Re: Um Navio para Izzy

Mensagem por RoenMidnight » 09 Jan 2015, 08:11

Sabia que a raiva que sentia enquanto lutava um dia iria lhe atrapalhar. De certa forma odiava lutar, odiava a dor e odiava a violência, apesar de entender a sua função dentro da natureza.

Quando se afastou da criatura após realizar seu próprio ataque, invocou os poderes de seu deus. A dor inesperada que percorreu seu braço percorreu sua espinha e sentiu seu coração parar de medo, não conseguia enxergar a Shamir e quando o outro Selako o atacou retraiu as pernas para não se prender.

Viu então Shamir se aproximar em sua direção para lhe ajudar. Buscando forças em sua fé, invocou uma prece.
Mahtan escreveu:Imagem
Grande Oceano, se não a mim, empresta sua força aquela de nós que é uma verdadeira filha do mar.

Empresta sua força a Shamyr...


Segurou com força sua Azagaia e tentou acertar a cabeça do Selako, apenas para ver seu ataque não surtir efeito quando a mesma não atravessou o cranio do mesmo. A dor que se seguiu tomou conta de seu corpo, atravessando a espinha dorsal e se espalhando através de todos seus membros. Sua visão começava a desvanecer, o ar saiu de sua boca e bolhas subiram, não notou quando perdera as forças, apenas sentiu os braços penderem, em sua visão turva viu o enorme polvo que lhe agarrava... se morresse morreria em casa e seguindo o ciclo no qual estava inserido, estaria feliz ao menos.

Tudo ficou mais frio. Depois disto não lembrava de mais nada.

...

Quando acordou com a visão turva esperava ver o imenso e infinito oceano, demorou um tempo para notar a figura em forma de serpente ao seu lado... sua cabeça ainda estava pesada e sem entender apenas pode balbuciar
Mahtan escreveu:Imagem
Obrigado... o que aconteceu?
Onde esta Shamyr?
Apoiou o rosto em suas mãos, não acreditava, estava ainda neste mundo e vivo, parecia que iria demorar um pouco mais para estar no infinito oceano que era o plano de seu deus.
Me pague um café pelo o PicPay: @RoenMidnight
Grimório TRPG
=====Homebrew=====
Paladino Rework
Sectário do Crepúsculo

========================================================================================
PBF - Sangue e Desonra: Tsuru[TRPG]

Responder

Voltar para “Um Navio para Izzy”