Parte 9 — A Floresta dos Basiliscos

Avatar do usuário
Tiagoriebir
Mensagens: 883
Registrado em: 27 Ago 2015, 12:55
Localização: Porto Alegre, Namalkah

Re: Parte 9 — A Floresta dos Basiliscos

Mensagem por Tiagoriebir » 10 Out 2018, 23:45

Status
Anahera
8/10 PVs | 4/20 PMs
  • • H+1 nas próximas três vezes que tratar um ferimento causado por queimaduras.
    • 2 Poções Antifúria (retarda por 1 dia o efeito da Fúria Negra).
    • 1 Poção de Espírito (recupera 1d+1 PMs).
    • 1 Unguento (cura 1d PVs).
    • 1 Saco com conteúdo malcheiroso par atrair fadas de fogo.
    • 1 Saco com alimento para o corvo
    • 1 Saco para recolher a erva Skuggi.
    • 1 recipiente para aquecer a mistura para as fadas.
    • Provisões para 2 dias.
Caelynn
6/10 PVs | 15/24 PMs
  • • 1 Mapa da região.
    • 1 Rolo de Corda (15m).
    • Provisões para 3 dias.
Goretzka
6/10 PVs | 5/10 PMs
  • • 1 Lanterna Mágica.
    • 1 Unguento (cura 1d PVs).
    • 1 Poção Antifúria (retarda por 1 dia o efeito da Fúria Negra).
    • Provisões para 3 dias.

    • Ordens de Combate: +1 em todas as rolagens dos aliados, até o turno 5.
    • Manda Quem Pode: 2 usos restantes.
Vladimir
25/25 PVs | 8/15 PMs
  • • Provisões para 3 dias.
    • 1 Unguento (cura 1d PVs).
Tentando usar a parte colorida da massa cinzenta.
https://twitter.com/tiagoriebir

Avatar do usuário
João Paulo
Moderador
Mensagens: 295
Registrado em: 06 Dez 2013, 14:45
Localização: Uiraúna - Paraíba
Contato:

Re: Parte 9 — A Floresta dos Basiliscos

Mensagem por João Paulo » 11 Out 2018, 15:53

Imagem

— Deveriam ter observado por mais tempo antes de terem nos atacado. Ainda estariam vivos se tivessem feito isso - suavemente limpou a espada e a guardou — Temos objetivos em comum.

— Se não quiser ter o mesmo destino dos seus companheiros é melhor colaborar e eu tenho mais algumas perguntas pra você. — fez um sinal para que Vladmir diminuísse a força, mas ainda mantivesse o homem preso — O que você pode me dizer da cidade que fica no pântano? A praga já chegou até lá? Ainda há muitas tribos como a sua na região? Se sim, quais as chances de não terem sido contaminados com a praga?
— Não percebem como a pele dela está ficando amarelada? Ela vai virar um monstro, como todos os outros. Vai perder a cabeça e matá-los todos em um piscar de olhos. Como vocês podem andar com uma criatura assim? Vocês deviam matá-la enquanto é tempo. Nós íamos providenciar isso.
— Sabemos da condição dela e mesmo assim ela nos acompanha, porque sabemos como retardar os efeitos da praga. E espero que suas respostas nos ajude, porque assim poderemos ajudar não só os nossos, como todas as tribos da região.

Avatar do usuário
Armageddon
Moderador
Mensagens: 501
Registrado em: 07 Dez 2013, 17:22
Localização: Timbó, SC
Contato:

Re: Parte 9 — A Floresta dos Basiliscos

Mensagem por Armageddon » 11 Out 2018, 20:22

Anahera sabia que era inútil tentar explicar ao bárbaro que eles poderiam ser aliados. Diferente do Conde que viveu a vida inteira me meio a pompa cosmopolita e aos cavalheirismos das cortes, os bárbaros eram apegados demais à sua própria gente e dificilmente aceitariam a opinião de alguém de fora, por mais sensato que fosse.

Ela sabia bem disso, já que havia passado a vida inteira agarrada às tradições de sua tribo.

Além disso, o sujeito colocou em palavras algo que já vinha ocupando seus pensamentos há algum tempo. Ela trazia consigo duas poções capazes de evitar a fúria descontrolada da doença. Porém, ainda não tinha certeza de quando deveria tomar a primeira dose. Era difícil diagnosticar a si própria naquela situação. Havia inclusive uma chance do próprio veneno turvar seu julgamento quanto a isso.

Demorar demais poderia condená-la a um ponto sem volta. Porém, beber cedo demais também era arriscado. Iria condená-la caso a viagem atrás do corvo se alongasse além da conta. A cidade adiante também a preocupava, mas no momento era melhor lidar com uma coisa de cada vez.
Imagem

Avatar do usuário
Padre Judas
Mensagens: 9061
Registrado em: 13 Dez 2013, 16:44
Localização: Belo Horizonte - MG

Vladimir Minsk XI

Mensagem por Padre Judas » 11 Out 2018, 21:57

Imagem

Vladimir tenta mudar a posição para manter o sujeito firme, mas é bem difícil.
Vladimir Minsk XI
Imagem
– Somos melhores que vocês, não matamos os nossos. Agora responda à pergunta do lorde.
BAÚ DO JUDAS
JUDASVERSO

Alexander: Witch Slayer [Kaito_Sensei]
Dahllila: Relíquias de Brachian [John Lessard, TRPG]
Jonz: Tormenta do Rei da Tempestade [John Lessard, D&D5E]
Syrion: Playtest T20 [Aquila]
Takaharu Kumoeda: Crônicas do IdJ [Aquila]
Yellow: Defensores de Mega City [John Lessard]

Avatar do usuário
John Lessard
Mensagens: 5204
Registrado em: 10 Dez 2013, 11:03
Contato:

Re: Parte 9 — A Floresta dos Basiliscos

Mensagem por John Lessard » 14 Out 2018, 11:03

Imagem

Caelynn grunhiu enquanto Anahera costurava seu ferimento, mas sem tirar os olhos do bárbaro e sua conversa com o conde.

- Pff, precisam de vários de vocês para dar uma de mim, além disso precisam de tiros de sorte enquanto fogem para causarem algum estrago, seus patifes imundos.

A elfa cuspiu no chão.
Personagens em Pbfs:
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
Tiagoriebir
Mensagens: 883
Registrado em: 27 Ago 2015, 12:55
Localização: Porto Alegre, Namalkah

Re: Parte 9 — A Floresta dos Basiliscos

Mensagem por Tiagoriebir » 14 Out 2018, 23:11

Anahera ignorou os impropérios do homenzinho bárbaro. Em vez disso, se pegou pensando sobre as poções que retardavam os efeitos da doença. Quando deveria bebê-las? E se fosse muito cedo ou tarde? Por um instante, se viu confusa a respeito disso, apenas para se lembrar de que a velha Sovnya havia lhe dito que o consumo era diário. Como bebeu a primeira poção naquela manhã, deveria beber a próxima no alvorecer do dia seguinte. Isso a fez lembrar que o primeiro dia havia terminado. Só lhe restavam mais dois antes de... Não. Aquilo não aconteceria. O Velho Vulcão olhava por ela.
— Deveriam ter observado por mais tempo antes de terem nos atacado. Ainda estariam vivos se tivessem feito isso - suavemente limpou a espada e a guardou — Temos objetivos em comum.
— Hah! Se estivesse em nosso lugar, faria o mesmo, velho! — devolveu o homem. A água da chuva escorria de seu nariz.

— Se não quiser ter o mesmo destino dos seus companheiros é melhor colaborar e eu tenho mais algumas perguntas pra você. — fez um sinal para que Vladmir diminuísse a força, mas ainda mantivesse o homem preso — O que você pode me dizer da cidade que fica no pântano? A praga já chegou até lá? Ainda há muitas tribos como a sua na região? Se sim, quais as chances de não terem sido contaminados com a praga?
— Me ameaça de morte sem um pingo de peso na voz... e nós é que somos os bárbaros... — O homem escarrou no chão, em um movimento rápido, que quase fez com que Vladimir colocasse a espada à serviço.

— O vilarejo mais adiante, na entrada do pântano, é Tuhinga. Eles fazem uma bebida forte, boa. A praga não chegou até lá ainda, se é o que quer saber, embora duvido que esteja acreditando nas minhas respostas e tenha certeza que vocês vão me matar assim que se sentirem satisfeitos.

— Se a praga tivesse chegado lá, nós já teríamos matado eles. Mas é uma questão de tempo. Eles têm que fugir, antes que peguem a doença, como a maior parte das outras tribos fez. Mas eles são cabeça dura. Acham que aquele pedaço de pântano fedorento é deles, como se fossem donos de algo. Ninguém é dono de nada.

— Sabemos da condição dela e mesmo assim ela nos acompanha, porque sabemos como retardar os efeitos da praga. E espero que suas respostas nos ajude, porque assim poderemos ajudar não só os nossos, como todas as tribos da região.
— Então vocês são piores que ela, e deviam ter morrido todos. Conheci alguns como vocês, que tentaram salvar os doentes. Só serviu pra fazer mais pessoas ficarem doentes. Nenhum xamã achou cura pra isso que ela tem. A única cura é a morte.

- Pff, precisam de vários de vocês para dar uma de mim, além disso precisam de tiros de sorte enquanto fogem para causarem algum estrago, seus patifes imundos.
— Matamos mais doentes do que vocês, ignorantes — ele grunhiu com raiva, enquanto os olhos se estreitavam em direção à elfa. — Isso eu posso te garantir.

Tenebra enfim havia acabado de estender seu manto sobre o mundo. Goretzka sacou a lanterna mágica recebida de Gauderimm. Uma pepita dourada brilhava intensamente no interior das paredes de vidro do objeto. A luz era semelhante a de uma fogueira, mas não esquentava nem apagava com a água da chuva, que novamente ganhava força.

OFF
• Todos postaram em dia, todos recebem +1 PF, já adicionado em suas fichas.
• Goretzka teve sucesso em seu teste de Manipulação, conseguindo obter do homem as respostas que ele sabe.
• Vocês têm até 17/10 para postar suas respostas sem perda de PFs. A próxima atualização será em 18/10.
Tentando usar a parte colorida da massa cinzenta.
https://twitter.com/tiagoriebir

Avatar do usuário
John Lessard
Mensagens: 5204
Registrado em: 10 Dez 2013, 11:03
Contato:

Re: Parte 9 — A Floresta dos Basiliscos

Mensagem por John Lessard » 16 Out 2018, 21:47

Imagem

Caelynn avançou em passos largos até o homem.

- E do isto adianta seu monte de merda?! Quer um troféu?! Pois bem, eu te dou um, e você enfia no meio do seu végbélnyílás!!!

A água escorria pela face da elfa, depois lançou um olhar ao redor.

- O que foi? Existem palavrões em élfico.
Editado pela última vez por John Lessard em 17 Out 2018, 08:58, em um total de 1 vez.
Personagens em Pbfs:
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
João Paulo
Moderador
Mensagens: 295
Registrado em: 06 Dez 2013, 14:45
Localização: Uiraúna - Paraíba
Contato:

Re: Parte 9 — A Floresta dos Basiliscos

Mensagem por João Paulo » 17 Out 2018, 08:23

Imagem

O Conde ficou satisfeito com as respostas do bárbaro. Não havia mais o que fazer com ele, por isso resolveu soltá-lo.

- Minsk, libere-o - olhou para o novo companheiro com um olhar sério e que demonstrava que não queria ser contrariado - Você poderá cuidar dos seus companheiros que ficaram vivos e enterrar os restantes. Poderão ficar com as armas para se proteger. Se precisar, podem pegar um pouco da caça que compramos e que era o alvo inicial de vocês.

Após um breve momento de organização, o Conde reuniu os companheiros para verificar suas condições.

- Primeiramente, bom trabalho pessoal. Conseguimos mostrar nossa força e, mesmo pegos de surpresa, demos conta do inimigo. Isso mostra que se nos mantivermos juntos conseguiremos cumprir nossos objetivos.

- Acho que estamos precisando de um pouco de descanso para recuperarmos dos ferimentos e do cansaço, mas não podemos ficar aqui onde fomos atacados. - então dirigiu-se para a elfa - Caellyn, pode encontrar um local melhor para nos abrigarmos da noite e da chuva?

Avatar do usuário
Padre Judas
Mensagens: 9061
Registrado em: 13 Dez 2013, 16:44
Localização: Belo Horizonte - MG

Vladimir Minsk XI

Mensagem por Padre Judas » 17 Out 2018, 09:54

Imagem

Minsk assentiu ao comando do conde e largou o bárbaro.
Vladimir Minsk XI
Imagem
– Sem gracinhas...
Levantou-se, deixando que o selvagem se erguesse, mas mantendo a espada sacada e à mão.
Vladimir Minsk XI
Imagem
– Agradeça por sermos civilizados e termos misericórdia.
Ouviu o que o comandante disse, mas permaneceu atento ao inimigo. Somente quando ele partiu voltou a relaxar – só um pouco.
Vladimir Minsk XI
Imagem
– Sim, precisamos de um lugar mais seguro. Estamos muito expostos aqui.
BAÚ DO JUDAS
JUDASVERSO

Alexander: Witch Slayer [Kaito_Sensei]
Dahllila: Relíquias de Brachian [John Lessard, TRPG]
Jonz: Tormenta do Rei da Tempestade [John Lessard, D&D5E]
Syrion: Playtest T20 [Aquila]
Takaharu Kumoeda: Crônicas do IdJ [Aquila]
Yellow: Defensores de Mega City [John Lessard]

Avatar do usuário
Armageddon
Moderador
Mensagens: 501
Registrado em: 07 Dez 2013, 17:22
Localização: Timbó, SC
Contato:

Re: Parte 9 — A Floresta dos Basiliscos

Mensagem por Armageddon » 18 Out 2018, 20:48

Anahera não se sentiu confortável em libertar o bárbaro ainda. Iria preferir fazer isso pela manhã, após a certeza de que estariam muito longe dali antes dele resolver encontrar mais gente para tentar a sorte novamente. Porém, iria confiar no julgamento do Conde mais uma vez e permaneceu calada.

Mais do que isso, estava exausta. Havia gasto todas as forças em Campodouro, e desde então Kurur Lianth estava distante dela, impedindo-a de se recuperar plenamente. Foi tola ao desperdiçar energia tão precipitadamente naquela ocasião e jurou a si mesma que seria mais cuidadosa dali em diante.

Precisava dormir e descansar. Iria passar por todos para verificar se precisavam de ajuda e, assim que Caellyn encontrasse um lugar seguro, procuraria dormir como uma pedra vulcânica.
Pretendo tratar rapidamente dos enfermos. Se alguém precisar de mais cura, posso providenciar um atendimento de primeiros socorros na faixa para recuperar o que for possível em PVs.
Imagem

Responder

Voltar para “Outono”