Parte 10 - Quando o Corvo para de Voar

Avatar do usuário
Tiagoriebir
Mensagens: 883
Registrado em: 27 Ago 2015, 12:55
Localização: Porto Alegre, Namalkah

Re: Parte 10 - Quando o Corvo para de Voar

Mensagem por Tiagoriebir » 17 Jan 2019, 16:13

Status
Anahera
10/10 PVs | 12/20 PMs
  • • H+1 nas próximas três vezes que tratar um ferimento causado por queimaduras.
    • 1 Poção Antifúria (retarda por 1 dia o efeito da Fúria Negra).
    • 1 Poção de Espírito (recupera 1d+1 PMs).
    • 1 Unguento (cura 1d PVs).
    • 1 Saco com conteúdo malcheiroso para trair fadas de fogo.
    • 1 Saco com alimento para o corvo
    • 1 Saco para recolher a erva Skuggi.
    • 1 recipiente para aquecer a mistura para as fadas.
    • Provisões para 1 dia.
Caelynn
8/10 PVs | 11/24 PMs
  • • 1 Mapa da região.
    • 1 Rolo de Corda (15m).
    • Provisões para 2 dias.
    • Flechas de Caça: nas próximas duas vezes que usar Tiro Múltiplo contra um alvo desprevenido, recebe FA+1 em todos os ataques.
Goretzka
0/10 PVs | 8/10 PMs
  • • 1 Lanterna Mágica.
    • 1 Poção Antifúria (retarda por 1 dia o efeito da Fúria Negra).
    • Provisões para 2 dias.
Vladimir
14/25 PVs | 1/15 PMs
  • • Provisões para 2 dias.
    • 1 Unguento (cura 1d PVs).
    • Capa reforçada: oferece +1 nos próximos dois testes contra intempéries.
Tentando usar a parte colorida da massa cinzenta.
https://twitter.com/tiagoriebir

Avatar do usuário
Padre Judas
Mensagens: 9061
Registrado em: 13 Dez 2013, 16:44
Localização: Belo Horizonte - MG

Vladimir Minsk XI

Mensagem por Padre Judas » 19 Jan 2019, 18:42

Imagem

Vladimir viu o Conde cair inconsciente.
Vladimir Minsk XI
Imagem
– Tsc! Venha me encarar, besta!
Invocou força adicional, vindo do fundo de sua alma, e voltou a bater no escudo. Era preciso derrubar a fera rápido.
Vladimir Minsk XI
Imagem
– AAAAAHHHHH!
Off:

Gasto 1 PE para Poder Surpreendente: PMs Extras x1. Estou com 11 PMs.

Gasto 4 PMs para Toque de Energia, FA=A4+4d(3+2+3+6)=18. FA=22 se contar o crítico.

PMs: 7.
BAÚ DO JUDAS
JUDASVERSO

Alexander: Witch Slayer [Kaito_Sensei]
Dahllila: Relíquias de Brachian [John Lessard, TRPG]
Jonz: Tormenta do Rei da Tempestade [John Lessard, D&D5E]
Syrion: Playtest T20 [Aquila]
Takaharu Kumoeda: Crônicas do IdJ [Aquila]
Yellow: Defensores de Mega City [John Lessard]

Avatar do usuário
John Lessard
Mensagens: 5204
Registrado em: 10 Dez 2013, 11:03
Contato:

Re: Parte 10 - Quando o Corvo para de Voar

Mensagem por John Lessard » 21 Jan 2019, 09:11

Imagem

O mundo de Caelynn sacudia enquanto permanecia na cabeça dura da serpente. O conde tombava. A elfa mordeu os lábios nervosa.

- Serpente maldita, cansei disso!

Caelynn correu pelo topo da cabeça da fera e saltou, dando um mortal no ar, girando seu corpo logo em seguida, arco apontado, com três encaixadas na velocidade de um relâmpago. Disparou. Uma se enterrou no contorno do olho e as outras duas perfuraram certeiras o olho ocular esquerdo da serpente. Caelynn rolou pelo chão, parando sobre um joelho, olhando para o monstro de soslaio no fim.
Off:

Dois teste de H-1 para saltar e atirar no ar:

Rolado (5), gasto 1 PF pra melhorar H, rolado (2), falha. Gasto 1 PE pra obter sucesso no teste.

Rolado (3), gasto 1 PF pra re-rolar o teste, rolado (1), sucesso absoluto.

Gasto 2 PM para 3 tiros: (2) + 7 = 9; (6) + 7 = 16 (crítico); (6) + 7 = 16 (crítico)
Personagens em Pbfs:
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
João Paulo
Moderador
Mensagens: 295
Registrado em: 06 Dez 2013, 14:45
Localização: Uiraúna - Paraíba
Contato:

Re: Parte 10 - Quando o Corvo para de Voar

Mensagem por João Paulo » 22 Jan 2019, 15:51

Imagem
E tudo ficava claro mais uma vez.

Era a segunda vez que o conde desmaiava no combate. Já esteve em situações perigosas em sua vida como combatente, mas essa era certamente uma das mais perigosas. Entretanto seu plano aparentava estar funcionando. Minsk estava de pé novamente pronto para atacar a criatura, Caelynn também havia evitado os ataques da serpente, mas ainda estava bastante ferida. Sabendo que não tinha as melhores habilidades de combate daquele grupo e que a melhor chance de vitória era manter seus amigos de pé, o conde resolveu arriscar.

- Anahera, afaste-se um pouco. Vou chamar atenção da criatura - ainda ofegante, estava acordado, mas claramente alguns ossos estavam quebrados ou tortos por dentro do conde. - é melhor que a criatura foque apenas em UM de nós. Assim você também terá menos trabalho.

E assim o fez. Pondo-se de pé novamente, o conde começou a gritar para a criatura, na intenção de distraí-la o suficiente para que seus companheiros conseguissem derrotá-la o quanto antes. Não sabia quantos ataques mais poderia aguentar, mas certamente não eram muitos.
Gasto 2PM para utilizar Manda quem Pode e uso Orgulho de Minsk gastando 1PM

Avatar do usuário
Armageddon
Moderador
Mensagens: 501
Registrado em: 07 Dez 2013, 17:22
Localização: Timbó, SC
Contato:

Re: Parte 10 - Quando o Corvo para de Voar

Mensagem por Armageddon » 22 Jan 2019, 21:05

- Nenhum de nós irá cair, Conde - falou Anahera tocando-o na altura dos ombros e orando ao Pai Vulcão. No mesmo instante, o calor de suas mãos foi transferido para o corpo do velho guerreiro, recuperando o dano mais grave.
Droga, li no telegram que o prazo era hoje a noite. =\
2 PMs, 6 PVs no Goretzka
Imagem

Avatar do usuário
Tiagoriebir
Mensagens: 883
Registrado em: 27 Ago 2015, 12:55
Localização: Porto Alegre, Namalkah

Re: Parte 10 - Quando o Corvo para de Voar

Mensagem por Tiagoriebir » 22 Jan 2019, 22:48

Valkaria é a deusa da ambição. Da inquietude. Da insatisfação. Ela criou os humanos e ofereceu à sua raça eleita e ao mundo o dom de buscar o que há além, de ir atrás do traçado do horizonte e continuar, mesmo que ele teime em continuar se afastando. Ela abençoa aqueles que vão atrás do desconhecido. Não pelo conhecimento, como uma de suas irmãs faria, mas pela própria jornada em si. Pela emoção de não saber o que se esconde no caminho, de tentar antever que surpresas e desventuras vão se apresentar.

Por isso, Valkaria é também a padroeira dos aventureiros. Quando um grupo de heróis errantes une esforços para desbravar o inexplorado, muitas vezes não tendo mais informação do que alguns boatos, a deusa se regozija. Isso é a realização de seu ideal. A única coisa que realmente faz com que as espécies evoluam e se tornem melhores. A vontade de ir além, de conquistar o que até então não se sabia possível conquistar.

E quando isso era feito com a união do que de melhor cada um tinha para contribuir, como acontecia naquele exato instante, em uma caverna perdida nos confins da Floresta dos Basiliscos, a deusa sorria.



Imagem

A serpente chiou de raiva mais uma vez, mas teve o grito interrompido pela onda sonora propagada por Vladimir, que a fez perder o equilíbrio de novo. Caellyn, percebendo que o terreno ficava instável, girou em um salto magistral, ao mesmo tempo em que disparava três setas em direção ao olho da besta.

A serpente rebateu a primeira seta sem querer, em um espasmo involuntário gerado pelo ataque de Vladimir.

A segunda seta penetrou o olho minúsculo em cheio, rompendo estruturas, cegando o animal.

A terceira seta aproveitou o rombo da anterior e se enterrou fundo no cérebro da criatura.

Em uma revolução que pareceu levar uma eternidade, a serpente ergueu a cabeça para o alto e tentou guinchar uma última vez, sem sucesso. Por fim tombou, fazendo o chão estremecer com o impacto de seu peso.

O conde, aquecido pelas chamas do deus vermelho de Anahera, ergueu-se num rompante, gritando ordens para que a maldita fera lhe atacasse. Levou ainda alguns instantes para que ele compreendesse que já não havia mais perigo.

Depois de algum tempo recuperando o fôlego pelo combate, os heróis perceberam, analisando seus ferimentos, que mesmo tendo deixado alguns deles inconscientes, os ataques da serpente não eram primariamente fatais. Ela não estava lutando para matar.

O que nenhum daqueles heróis sabia, era que haviam derrotado uma Guardiã Magistral — criaturas remanescentes de tempos imemoráveis, em que os deuses eram jovens e seus flertes geravam frutos que populavam o mundo. As guardiãs magistrais, especificamente, eram fruto de uma improvável união entre Wynna e Sszzaas. Existem em Arton apenas três criaturas que conhecem em profundidade esta raríssima espécie. Duas delas já viviam na época em que as guardiãs foram paridas. A outra é uma fae primordial. As três garantem que estas criaturas já existiam antes mesmo das fadas serem criadas.


FIM DA PARTE 10


OFF
• Como Anahera e Goretzka atrasaram suas postagens, cada um perde 1 PF, adicionando +2 PFs para o mestre. Dice, no outro tópico também atrasou, e garantiu +1 PF ao mestre, que agora tem 9 PFs.
• Caelynn gastou 2 PFs e 1 PE para fazer sua manobra de salto com ataque.

• Terminamos a parte 10, derrotando um chefe poderoso (em breve a ficha dele estará disponível no tópico de personagens).
• Por conta disso, Anahera, Caelynn, Goretzka e Vladimir recebem 1 ponto de personagem.

• Além disso, a Guardiã Magistral deixou alguns tesouros:
Escamas da Serpente (5 PEs): escamas raras, há muito tempo não vistas pelos comerciantes de insumos monstruosos e arcanos. Esse tesouro é multiplicado por dez para definir o preço de venda. As escamas também servem como um item de proteção contra magia, oferecendo +1 em testes de R contra magias e FD+2 contra dano mágico.

✩ Chifre Condutor (8 PEs): um chifre que, após o ritual arcano correto, permite conjurar magias por –2 PMs, cumulativos com quaisquer outros descontos em custos de magia (no mínimo 1 PM por magia).
Como não estamos usando a mecânica de premiar vitórias contra inimigos com PEs, personagens que queiram adquirir Escamas da Serpente podem quebrar seu ponto recém ganho em PEs para comprar o tesouro (ou usar PEs que já possuam). Chifre Condutor só pode ser comprado com PEs que vocês já possuam.

Em todos os casos o custo em PEs pode ser dividido entre mais de um personagem.

Usem o Telegram para definir em que vão empregar seus pontos e se vão adquirir tesouros.

• A próxima parte da aventura chega em breve!
Tentando usar a parte colorida da massa cinzenta.
https://twitter.com/tiagoriebir

Responder

Voltar para “Outono”