Aventuras Anti-ácidas — Tenebra, Arsenal, Thwor e Thyatis

Sal e Tormenta

Aventuras Anti-ácidas — Tenebra, Arsenal, Thwor e Thyatis

Por Em Sal e Tormenta Comentários Aventuras Anti-ácidas — Tenebra, Arsenal, Thwor e Thyatis 0

Acompanhar a coluna Sal & Tormenta está sendo recompensador! Sim, é fácil afirmar isso quando tenho a alegria de provar cada doce que os talentosos Elisa Guimarães e Vinicius Mendes preparam. Tiro as fotos e como os doces, perfeito, não?

Mas o ponto é outro: ler a descrição de cada novo doce (e das regras para Tormenta20 que o Rafael Dei Svaldi cria para oferecer benefícios adquiridos por um personagem que consumir um dos pratos faz minha mente fervilhar de ideias para aventuras envolvendo as receitas. É um processo relativamente fácil, já que a relação dos pratos com os deuses está bem construída e cria uma ambientação cativante e, mais ainda, instigante para aventureiros. Famintos ou não.

Então a cada artigo trarei ideias de aventuras com as Sobremesas dos Deuses. Começando por 4 ideias de aventuras envolvendo os doces de Tenebra, Arsenal e Thwor, apresentados aqui, e Thyatis, visto na primeira parte da coluna Sal & Tormenta.

***

Problemas Áridos

Uma expedição diplomática anã tentará consolidar um acordo comercial com o povo Sar-Allan do Deserto da Perdição. Embaixadores de Doherimm vêm articulando o acordo há anos, intercalando viagens ao deserto para presentear os líderes locais com retorno ao reino anão para acertar pormenores burocráticos.

Agora quase consolidado, o acordo estabelece o fornecimento de suprimentos aos Sar-Allan (incluindo algumas espécies de cogumelos que botânicos de Doherimm afirmam serem capazes de brotar mesmo no clima árido) em troca de carregamentos regulares da Línguas do Deserto, a magnífica cimitarra capaz de ficar em chamas e fabricada pelos Sar-Allan (mais detalhes desta arma em Tormenta20, página 324). A última etapa diplomática é o encontro de autoridades de ambos os povos, de modo que o Embaixador Gyuraham Barba de Vento organizou uma expedição para levá-lo até o Deserto da Perdição e encontrar pessoalmente os líderes dos Sar-Allan.

Chamado à aventura

Ainda que já tenha partido de Doherimm, a expedição fará paradas em diversas grandes cidades do Reinado. Espera-se aproveitar esses momentos para complementar o efetivo oficial com a contratação de aventureiros e mercenários. São procurados especialistas em sobrevivência, bardos e, por fim, guerreiros. Os anões levam consigo uma tropa respeitável, claro, mas carecem de guerreiros versáteis. Afinal, o Deserto da Perdição tem monstros desconhecidos e perigosinusuais. Contudo, admitir que guerreiros contratados são “reforços” é uma possibilidade tão remota quanto dispensar usar armaduras devido ao clima árduo do deserto.

Além disso, o Embaixador Gyuraham Barba de Vento pretende oferecer taças do doce Abraço da Noite aos líderes Sar-Allan. O ato é considerado crucial ao objetivo da expedição devido ao simbolismo do gesto: aqueles que vivem no subterrâneo e cultuam a Deusa da Noite presenteiam o povo que cultua o Deus do Sol e vive no local de dia mais intenso. O ato reforça a importância da união histórica de povos tão díspares e, espera Gyuraham, impressionará os agraciados por oferecer-lhes a experiência única de provarem algo gélido. É aí que mora a preocupação do Embaixador com um problema prático: manter o doce gelado em meio ao clima quente do deserto.

Quaisquer aventureiros ou aventureiras com ideias criativas ou magias úteis serão bem-vindos.

Complementos e complicações
A aventura pode ser incrementada com as possibilidades abaixo:

  • Os anões estão dispostos a aceitar os serviços de arcanistas e inventores capazes de manter gélido o doce Abraço da Noite. Mas só vão contratar aqueles que comprovem suas capacidades, de modo que, para ser contratado, é preciso impressionar o próprio Embaixador (realizando uma magia gélida que o impressione, demonstrando um invento refrigerador, etc.).
  • Tamanha preocupação dos anões em firmar o acordo, podem descobrir os aventureiros, se dá por um interesse bélico. Doherimm está preparando uma ofensiva contra os fintroll e, por ideia de Gyuraham, pretende equipar uma grande tropa com a cimitarra de fogo produzida pelos Sar-Allan.

Até mais, e obrigado pelos doces

A paladina Hill Gaires é fiel devota ao Deus da Ressurreição e utilizava as aventuras e jornadas que realizava como meio de propagar a fé em Thyatis. Em uma de suas aventuras, contudo, encontrou a morte junto de toda caravana hynne que acompanhava. Nenhuma estrada é segura o bastante quando há monstros espreitando.

Ao retornar à vida graças ao Dom da Ressurreição de sua divindade, sentiu-se desolada. A morte de dezenas de pessoas inocentes de um povo tão pacato e receptivo parecia ter algo de insólito e injusto. Hill chegou a duvidar de sua fé, mas decidiu encontrar significado em tudo que ocorreu. Lembrou-se que, tão logo souberam de sua fé, os hynne a haviam recebido com uma porção do Renascer Gentil, doce associado ao deus Thyatis. Repetir tamanha gentileza era uma maneira adequada de manter viva a memória dos pequenos amigos que partiram.

Hill Gaires prometeu a si mesma que cada vez que retornasse à vida, retribuiria a segunda chance dada a ela por Thyatis cozinhando uma porção do doce Renascer Gentil e oferecendo-o à primeira pessoa que encontrasse.

Chamado à aventura

Grupos de aventureiros podem ser surpreendidos quando, em uma rua qualquer, recebem um presente inesperado. Hill Gaires aborda alguém e oferece o prato de doce, explicando em seguida suas motivações e que a benevolência do Deus da Ressurreição em dar uma segunda chance a ela foi alinhada pela gentileza dos hynne em cozinhar a estranhos. Ela não espera nada em troca pelo presente. Inclusive, sendo uma paladina e lutadora hábil, Hill pode aceitar acompanhar os aventureiros em alguma missão, reforçando temporariamente o grupo.

Complementos e complicações
A aventura pode ser incrementada com as possibilidades detalhadas abaixo.

  • Um dos personagens do grupo já tinha ouvido falar sobre a história de Hill Gaires. Contudo, na versão que conhecia a moça é uma guerreira, não paladina. Tendo morrido definitivamente no ataque à caravana, Hill, segundo essa versão, permanece como um espírito sem descanso que oferece os doces e desconhece sua condição.
  • Um TPK pode ter um novo desfecho quando todos do grupo que acompanhavam Hill Gaires também ressuscitam. Aparentemente o doce dela concede temporariamente o Dom da Ressurreição de Thyatis a todos que o comam. Mas a que custo?

Sobremesa de alta estirpe

O renomado chef deheoni Lune Wilgress ganhou recentemente o Concurso Anual de Culinária de Valkaria com o doce Fervor em Calda. A receita foi elogiada pela comissão julgadora, que incluei entre os jurados alguns nobres de alta estirpe. Após o evento, Lune recebeu convite para se tornar Cozinheiro Real em Zakharov, e tem arquitetado sua mudança para o reino.

Contudo, passadas algumas semanas do evento, começam a surgir boatos de que o doce vencedor é apenas Pão de Thwor, um prato goblinóide.

Além da reputação do chef, o bom gosto da nobreza está em jogo se o boato for confirmado, de modo que uma expedição está sendo organizada por alguns nobres para ir até Lamnor buscar um exemplar “verdadeiro e intacto” do tal prato goblinoide.

Chamado à aventura

Grupos de aventureiros podem ser contratados para a expedição até Lamnor. O pagamento é alto, sobretudo para aqueles que apresentem ideias inventivas sobre como pretendem garantir a integridade do Pão de Twhor durante todo o trajeto de volta até Valkaria.

Aventureiros sagazes podem perceber que o grupo contratante é formado por dois nobres, que discordam sobre a melhor maneira de proceder com a expedição e a comprovação sobre o doce. A Duquesa Milla Deustrat pretende gastar todo o necessário para garantir total discrição da expedição, enquanto o Marquês Hugh Gilegant pensa o inverso: melhor transformar tudo em um grande espetáculo e tornar os nomes dos envolvidos falados nos círculos sociais. O Marquês concordará com quaisquer frivolidades sugeridas pelos aventureiros para o retorno, como uma chegada pomposa e triunfal da expedição à Valkaria, o emprego de carruagem espalhafatosa, ou mesmo bardos para compor uma música-tema para o doce exótico que virá diretamente das terras duyshidakk.

Complementos e complicações
A aventura pode ser incrementada com as possibilidades detalhadas abaixo.

  • O Chef Lune Wilgress tenta contratar para a missão aventureiros que pareçam suscetíveis a aceitar um “pagamento extra” a fim de adulterar a receita trazida para distinguí-la do Fervor em Calda.
  • Uma expedição secundária está sendo formada pelo Chef Lune Wilgress. O objetivo dos aventureiros seria o mesmo, buscar o doce Pão de Thwor, porém em  um destino mais acessível: a Favela Goblin. Lune acredita que apresentando o doce e comprovando ser diferente de sua obra, os nobres vão preferir encerrar logo o assunto e deixar de lado a expedição a Lamnor.
  • Ao retornarem a Valkaria com o doce, um dos aventureiros pode ser convocado a prová-lo antes dos nobres. Afinal, pode haver veneno. Recusar a ordem pode trazer punições: o Marquês Hugh Gilegant diria que não receberiam o pagamento pela missão se não a concluírem, o que inclui provar o doce. Jã a Duquesa Milla Deustrat é mais enfática: ou degustam ou morrem.

 

Sangue Doce

Galog Olhar Afiado era Cozinheiro Real de Zakharov e clérigo de Keenn. Além de preparar banquetes em eventos importantes, como aniversário do Rei e visitas oficiais de embaixadores estrangeiros, serviu suas requintadas refeições em celebrações a vitórias bélicas. Talvez o talento do cozinheiro estivesse alinhado à sua fé, uma vez que tudo começou a desandar com a derrocada de Keenn. Foi injusto, segundo Galog.

No início os comentários do cozinheiro eram ignorados, mas a constante blasfêmia contra Arsenal passou a ser mal vista quando tropas de Zakharov tinham mal desempenho em algum confronto. De resmugão, Galog tornara-se agourento. Proferia que nenhuma guerra seria injusta com Arsenal como Deus da Guerra para, no mesmo dia, uma batalha favorável ao reino das armas ser, estranhamente, perdida. O clérigo passou a ser visto como louco e acabou dispensado de seu serviço.

Ao deixar o castelo real já começou a plenejar sua vingança.

Chamado à aventura
É de conhecimento comum que os soldados adoram comer Coragem de Bolso, um doce tido como homenagem ao deus Arsenal. É praticamente parte do equipamento básico dos soldados uma algibeira cheia com os cubos doces, que além de fáceis de carregar, são nutritivos e deliciosos. Assim, Galog Olhar Afiado decidiu estabelecer sua vingança por meio dos doces que homenageiam o deus-que-não-deveria-ser-deus.

O tradiciona Festival da Linhagem Infinda celebra a união da famílias bélicas de Zakharov. A cada edição anual desse evento milhares de pessoas reunem-se para ver as diversas atividades: torneios de justa e arqueirismo revezam lugar na arena com a disputa de bardos que apresentam composições sobre herois e heroínas da famílias que sedia esta edição.  A família anfitriã, inclusive, também é responsável por distribuir  dezenas de Coragem de Bolso aos aldeões presentes, acontecimento esse que ocorre no último dia e é muito aguardado.

Sem que  a família anfitriã saiba, o responsável contratado para fornecer o carregamento de doces avermelhados é Galog. O cozinheiro, contudo, não prepará o Coragem de Bolso com vinho. Ao invés disso, o ingrediente será sangue de carniçal.

Complementos e complicações
A aventura pode ser incrementada com as possibilidades detalhadas abaixo.

  • Galog Olhar Afiado está contratando aventureiros para capturarem um carniçal. O pagamento é bom, mas o monstro tem de ser trazido razoavelmente intacto por motivos de…. Vão querer o pagamento ou não?
  • Após trazer o carniçal e receber o pagamento, os aventureiros contratados podem ficar pela cidade e aproveitar o Festival da Linhagem Infinda. Há competições a participar, prêmios a receber, e todo tipo de acontecimento típico de grandes festivais.
  • Caso descubram as reais intenções de Galog Olhar Afiado, os aventureiros contratados tentarão impedi-lo?

 

***

O que vem por aí

No próximo Aventuras Anti-ácidas vou trazer ideias de aventuras com os doces de Aharadak, Kallyadranoch, Lena e Khalmyr.

Gostaria de jogar ou mestrar alguma das aventuras? Conta pra gente nos comentários.

Comentários (0)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *