Escolinha de Tanna-Toh - Uso dos porques

Escolinha de Tanna-Toh

Escolinha de Tanna-Toh – Uso dos porques

Por Em Escolinha de Tanna-Toh Comentários Escolinha de Tanna-Toh – Uso dos porques 6

Feliz Dia do Reencontro, artonianos! É com muita alegria e satisfação que venho trazer o primeiro texto da Escolinha de Tanna-Toh de 2022 e desejar a todos vocês que este seja um ano cheio de novos conhecimentos!

No texto de hoje vamos falar sobre um dos assuntos que mais gera dúvidas e insegurança em nós: as quatro formas dos porquês e seus usos.

 

Quando usar Por que

“Por que”, separado e sem acento, é usado em dois tipos de frases. O primeiro, e mais visto, ocorre no início de frases interrogativas, como nos exemplos:

 

Por que Vectorius e Talude são rivais?

Por que os devotos de Lin-Wu não podem mentir?

 

Nesses casos, o “por que” é o mesmo que “por qual motivo ou razão”:

Por qual motivo Vectorius e Talude são rivais?

Por qual razão os devotos de Lin-Wu não podem mentir?

 

O segundo tipo ocorre ao estabelecer relação com um termo anterior na frase, sendo chamado de “por que relativo”:

Os motivos por que lutei são apenas meus.

A estrada por que passei é muito boa.

 

Nesses casos, o “por que” é o mesmo que “pelos quais”, “pela qual”, mas em outros exemplos ainda poderia ser “pelo qual”, “pelas quais”, “por qual” ou “por quais”, conforme a concordância de gênero e número dos termos, veja:

Os motivos pelos quais lutei são apenas meus.

A estrada pela qual passei é muito boa.

Imagem em Preto e Branco. Embaixo está Vectorius, olhando à frente. Acima, olhando para direita, está Talude

Quando usar Porque

“Porque”, junto e sem acento é usado em frases explicativas e em respostas. É uma conjunção causal ou explicativa, que, como diz o nome, serve para apresentar uma causa ou explicação.

 

Vectorius e Talude são rivais porque eles disputam o título de “Maior Arcanista de Arton”.

Devotos de Lin-Wu não podem mentir porque mentir é um comportamento desonrado.

 

“Porque” pode ser substituído por outros termos explicativos, como: pois, visto que, uma vez que etc.

Vectorius e Talude são rivais pois eles disputam o título de “Maior Arcanista de Arton”

Devotos de Lin-Wu não podem mentir uma vez que mentir é um comportamento desonrado.

 

Quando usar Por quê

“Por quê”, separado e com acento, é usado no final de frases, seguido por ponto de interrogação ou ponto final. Seu uso é diferenciado do “por que” (separado e sem acento) de acordo com a posição na frase.

 

VOCÊ NÃO VENCEU POR QUÊ?

O clérigo gargalhava, mas não conseguia dizer por quê.

 

“Por quê” pode ser substituído por “por qual motivo” ou “por qual razão”:

VOCÊ NÃO VENCEU POR QUAL MOTIVO?

O clérigo gargalhava, mas não conseguia dizer por qual razão.

 

Quando usar Porquê

“Porquê”, junto e com acento, é usado como um substantivo, geralmente acompanhado de um artigo definido ou indefinido (o/os ou um/uns).

 

Nem Klunc sabe o porquê de gostar tanto de presunto.

Glórienn deixou o Panteão sem que os artonianos soubessem os porquês.

 

“Porquê” pode ser substituído por “motivo”ou “razão”:

Nem Klunc sabe o motivo de gostar tanto de presunto.

Glórienn deixou o Panteão sem que os artonianos soubessem as razões.

 

Lembrem-se de que os porquês têm funções que são usadas em situações diversas e que a melhor dica para saber qual das quatro formas você deve usar é pensar no sentido que a sua frase carrega. Seja para fazer uma pergunta, ou para dar uma explicação, a forma a ser utilizada deve ajudar a construir esse sentido.

Comentários (6)

  1. O “por quê” pode aparecer se houver uma pontuação, não apenas ponto final ou de interrogação, mas também vírgulas. A chave é o “quê”, que exige o circunflexo. Por exemplo: “Se vai embora, ao menos me explique o por quê!” (com exclamação) ou “Mesmo sem entender por quê, fiz o que me pediram.” (com vírgula). Tem a ver com a tonicidade da palavra dentro da frase. Veja que, neste caso, continuam podendo ser substituídos por “por qual razão”.

    Quanto ao “porquê”, fica mais claro se disser que pode ser substituído por “motivo” ou “razão” e não por “o motivo”. Ou, se coloca “o porquê” por “o motivo”, “a razão” (mas acho uma solução ruim, já que pode ser “o”, “um”, “meu” porquê, melhor enfatizar só a troca de substantivo, que pode ir pro plural até).

    1. Olá, Marcus! Tudo bem? Muito obrigado pelo seu comentário, é bom ver outros devotos de Tanna-Toh ajudando a difundir o conhecimento.
      Realmente, a acentuação do vocábulo “que” depende da entonação, então o “por quê” realmente ocorre antes de vírgulas também. No entanto, no seu exemplo “Se vai embora, ao menos me diga o por quê!”, eu tiraria o artigo “o” ou usaria “porquê” no lugar de “por quê”.
      Quanto à sua sugestão sobre o uso do artigo “o” junto ao “porquê”, já atualizei o texto melhorando o entendimento.
      Mais uma vez, obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *