Touhou RPG

Avatar do usuário
Galahad
Mensagens: 1917
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:33

Re: Touhou RPG

Mensagem por Galahad » 28 Mai 2014, 23:02

Kenji

Novamente Kenji era ferido por um inimigo, mas desta vez não fora tão grave assim, isso graças à ajuda de sua amada serva, a Aika Sombria, que lhe protegera, evitando que algo pior acontecesse.

"Obrigado, Aika, não sei o que poderia ter acontecido nesse ataque."

Kenji não conseguia acreditar no que via, nenhum dos ataques funcionara contra Valser, nem os de seus companheiros, muito menos a sua poderosa flecha o ferira. Algo estava errado ali, pelo menos um daqueles ataques deveria ter causado algum efeito, mas não fora isso que acontecera, isso só poderia indicar que Valser estava se utilizando de algum truque, mas Kenji não conseguia saber o que era no momento, tinha que observar mais seu inimigo para tentar descobrir.

"Tenho que matar este desgraçado, não posso deixar que ele deixe este mundo e seja uma ameaça a Remilia e sua família."

E este pensamento só se confirmava ao escutar as provocações de Valser, que falava sobre a origem das Joias do Caos que estava encrustadas nele, mais um motivo que fazia o jovem arqueiro querer matar o vampiro de forma dolorosa. Mas Kenji não sabia como poderia fazer isso, ninguém ali havia enfrentado o vampiro antes, mesmo Lucian que fora uma vítima daquele ser cruel. Porém, a voz feminina que chorava, e as palavras de Valser,faziam Kenji lembrar da visão que tivera antes, de ver a mãe das irmãs Scarlets chorando, esperava que a voz não fosse dela, pois o jovem arqueiro iria tentar algo.

"Pelo Dragão, espero que isso funcione, e que ela esteja bem."

O jovem arqueiro então focava-se no que sentia pelas vampiras Scarlets, mais exatamente na mãe delas, lembrando-se do que sentira quando fora abraçado pela vampira, as palavras gentis dela, o calor daquele abraço, e o sentimento que tinha para com ela, o desejo para protege-la pelo bem de sua amada.Tentava alcançar os sentimentos da dama vampírica, esperando que ela correspondesse de alguma forma.

"Adelaide-sama, se puder me escutar, me responda, por favor. Valse está se mostrando um inimigo mais poderoso que pensávamos, ele está usando suas pedras para ficar mais forte, o que podemos fazer para tirar o poder dele?"

Kenji depositava suas esperanças num contato com Adelaide, precisava de uma ajuda dela, talvez as Aikas poderiam lhe ajudar a conectar com ela, mas não tinha certeza disso. Talvez, esse desejo que só aumentava de proteger a família Scarlet fazia Kenji sentir uma certa energia adormecida dentro de si, que esperava o momento certo para despertar.

"Se puderem me ajudar, minhas amadas Aikas, por favor, o façam."

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Gasto mais um Ponto de Destino, comprando Patrono(Adelaide), gastando 1 PM para a invocar. E o ponto restante uso para comprar Energia Extra I

Avatar do usuário
Keitarô
Mensagens: 1328
Registrado em: 09 Dez 2013, 19:58
Localização: Mahoyiga

Re: Touhou RPG

Mensagem por Keitarô » 29 Mai 2014, 13:58

Reno

O ruivo tocou um dos joelhos no chão, colocando a mão direita sobre o cabelo, a cabeça latejando. Aos poucos a dor sumia, mas aquilo era magia poderosa, capaz de afetar o espírito diretamente. Como deveria esperar, não era um oponente comum — e ainda era uma mulher. As mulheres, como sempre, eram sempre as que detinham o poder. Por trás de um homem sempre há uma mulher... que o usa como marionete. Isso não é tão ruim quanto pode parecer.

Às vezes sim.

O que fazer naquela situação? Por mais que a mulher soubesse de uma parte de seus truques, nada garantiria que pudesse se defender novamente contra ilusões. Mas ilusões custavam muito à sua imaginação — fabricar uma ilusão poderosa esgotaria grande parte dos seus pensamentos. Tinha que, a exemplo de quando enfrentara Hideko, pensar em algo que funcionasse sem nenhuma brecha. Pelo menos nenhuma brecha da qual pudesse prever, é claro. A defesa perfeita, ainda mais necessitando do ataque perfeito, não existe. É uma barreira difícil de se inverter... Mas não impossível.

O seu ser não seria eficiente naquela situação. Por sorte, pelo destino, conhecera um ser de poder gigantesco, um ser que no passado foi vencido pelo grupo original de Gensokyô, e que com uma dobra de barreira emprestaria o seu poder. A anja caída e Irina veriam, se não conhecessem até então, o anjo de maior luz existente até cair e se transformar na treva absoluta. Aquele que, tendo sido derrotado pela esperança dos que viviam em Gensokyô, rumou para outra parte do universo para novamente espalhar sua luz. Reno deixaria de ser quem era para sê-lo, mesclando aqueles sentimentos, por um momento.

— Umeko, eu comentei que meu poder não era fazer ilusões — ainda abaixado, o ruivo colocou as duas mãos de palma aberta uma sobre a outra à frente do peito, e então as distanciou um pouco as duas. Uma energia vermelha começou a ser emitida das palmas, saindo de uma e indo à outra, e também saindo e entrando no próprio peito. —, e sim quebrar barreiras. Preste atenção... Vou quebrar uma barreira que não se quebra todos os dias.

A energia vermelha se condensou em um ponto prateado, flutuante, e então se expandiu transformando-se em uma pena negra. Reno sorriu, a cabeça trabalhando a mil. A pena parecia com a da inimiga. O ruivo olhou para Umeko e fechou os olhos, batendo contra a pena em seu peito. Ao abaixar a mão, a pena não estava mais lá — fora absorvida por seu coração. O que aconteceu em seguida foi, no mínimo, estranho e diferente, mesmo para o homem.

De suas costas asas negras emplumadas surgiram, mas então desabrocharam como se, por falta de uso, tivessem atrofiado. A pele começou a ficar rubra, e as íris de Reno e seus olhos eram inteiramente negros. Os cabelos começaram a crescer até ficar parar na cintura, tão sanguinolentos que o vermelho tendia ao negro, sangue venoso. Energia vermelha estourava de lugares diferentes da cabeça, testa, olhos, ouvidos, descontrolada, causando dor e acidez. "Preciso de antenas para captar melhor sua presença e entrar em ressonância...", olhou ao redor agoniado e esticou o braço, cujas veias começavam a saltar e os músculos a inchar, na direção de dois canos de ferro. Estes quebraram em duas partes iguais e voaram, como se puxados, até a mão de Reno. Dobrou-os as duas pontas afinando-as, fazendo-os parecer chifres de carneiro. Por fim, finalmente, deixou os dois cornos metálicos próximos à testa, e a energia vermelha os sugou; os metais penetraram a cabeça sem abrir ferimento, quase como se atravessassem, como se fizessem parte do ser o tempo todo.

Neste ponto Reno já era uma montanha de músculos, os caninos eram maiores que os vampiros, a roupa inteira havia rasgado deixando à mostra as pernas também musculosas, pés com unhas grandes e mais do que precisava ser visto (o que também era assustador). Apesar da visão, porém, uma sensação de inanição de comodismo surgia ao se olhar para aquela forma do ruivo: não era bem uma sensação de paz... Estava mais para falta de esperança, intimidação e pânico contido frente ao que não se pode mudar.

— Prazer — a voz era diferente, um tanto grave mas ao mesmo tempo doce, angelical, como se cantasse. — A partir deste momento, eu também sou Lúcifer. — O sorriso mostrou dentes brancos que deixaram o mais feroz dos tubarões com medo de tão afiados. O centro do peito de Reno estava marcado com uma cicatriz, uma cruz invertida. Mas aquela forma era um híbrido entre o passado, presente e futuro: o poder caído de um anjo máximo que hoje tinha a luz e as trevas.

— Pessoal, eu preciso de um tempo para acumular energia, Lúcifer é um pouco descontrolado — referiu-se a seu grupo, falando mais baixo. — Não se acanhem enquanto isso!

Apenas para testar a nova forma, Reno inclinou-se à frente e dirigiu-se ao Pesadelo que não fora atacado por Keiko. Um movimento de corpo lateral e, nas duas mãos, uma foice totalmente branca se formou, de pura energia. Palavras, numa língua há muito perdida, pareciam flutuar sobre sua superfície, mudando de lugar conforme o movimento. No entanto, Reno não atacou; era difícil de controlar aquela energia, precisava de mais tempo.

OFF: 1 ponto de destino para tal, um movimento para a mudança de forma e o outro para me por à frente dos outros.

Avatar do usuário
Shino
Mensagens: 315
Registrado em: 12 Jan 2014, 13:54
Localização: Atualmente em Elios!!!
Contato:

Re: Touhou RPG

Mensagem por Shino » 29 Mai 2014, 14:08

(Extra)


Para Kenji


— Kenji... Kenji-dono? É você meu menino? Sim, eu lhe escuto!

— Entendo... esta aí o motivo desta tristeza mórbida que senti há pouco... foi algo tão forte que não pude conter as lágrimas, as meninas começaram a chorar também, pensaram que eu estava morrendo de novo. Bem, o que vou dizer agora é algo que gostaria de esquecer, uma lembrança dolorida que eu gostaria de enterrar no fundo da minha alma, mas talvez seja necessário relembrar elas... terei que me desculpar com a pequena Oni por isso.


FlashBack

Durante o momento que a imagem de Adelaide abraçava Kenji, os olhos da mulher se voltam ao lado, vendo Keiko ali sozinha.

Fim do FlashBack


“— Ela devia estar precisando de um abraço também”

— A mais de mil anos atrás, quando eu tinha o tamanho das minhas filhas, minha mãe me contou um segredo antigo. As asas dos Vampiros do Caos não são apenas parte de nossa fisiologia, elas são extensões do nosso poder, quando sacrificamos nossas vidas para nos fortalecer, elas acumulam parte de nossas almas e com o passar dos anos, se tornam verdadeiras jóias mágicas, itens valiosos de grande poder. Poucos sabem disso, este era o mais bem guardado segredo de nossa família, se essa informação vazasse, seriamos vistos como fonte de lucro, quantos magos não desejariam por suas mãos nesse poder.

Ela parou por um segundo, a voz se tornou baixa, parecia estar conversando com outra pessoa, mas logo voltou a você.

— Na verdade eu não morri no ataque, ainda estava viva, mesmo que inconsciente quando meus anjinhos foram obrigadas a fugir. Arrastada eu fui até a mansão Nightmare, onde Valser arrancou minhas pedras uma a uma...

Novas lagrimas escorreram dos olhos delas.

— Eles esticaram minhas asas e pregaram as pontas numa tabua imunda, depois com... um... alicate de ferreiro... ele arrancou as pedras... Dizem que a dor do parto é a maior dor sofrida por uma mulher... o nascimento de minhas filhas chegou a ser prazeroso se comparado a dor de ter uma pedra arrancada... e ele me arrancou todas as 16.

A cena se repetia novamente, Kenji enxergava Adelaide ajoelhada, soluçando, abraçando seus dois pares de asas, asas de vampiros das sombras, asas de vampiros do caos.

— Eu não sei como derrotá-lo, não sei o que posso fazer... mas pare ele, para ele de algum jeito, por mais que a dor seja indescritível eu agüentaria sofrer ela de novo... mas não suportaria ver minha filha passar por aquilo.

(Fim do Extra)
♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ CAMPANHA TOUHOU RPG ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ CAMPANHA CAVALEIROS DO ZODÍACO ALPHA ♦ ♦
Imagem Imagem
♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ PERSONAGEM: TENRU DE LINCE ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦

Avatar do usuário
Inoue91
Mensagens: 620
Registrado em: 08 Jan 2014, 02:38

Re: Touhou RPG

Mensagem por Inoue91 » 29 Mai 2014, 18:14

Inoue recuava após receber os golpes, o inimigo não havia sido ferido, todos os seus companheiros atacaram com poderoso golpes, mas eles não fizeram nem cócegas no inimigo.

"Merda, o que iremos fazer agora"

Inoue olhava ao seu redor para ver o campo de batalha, seus companheiros também foram atingidos mas nada muito grave.

Aquelas pedras incrustadas no corpo, só pode ser aquilo, afinal o que elas representavam, a resposta para esta pergunta Inoue não sabia, Inoue então tomava uma postura defensiva, e perguntava a Kenji.

"Talvez se retirarmos a pedras conseguiremos fazer alguma coisa"

--Kenji-san, mas que diabos são estas pedras ?, vc parece reconhece-las, mas eu não faço a menor ideia do que são

Avatar do usuário
Galahad
Mensagens: 1917
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:33

Re: Touhou RPG

Mensagem por Galahad » 29 Mai 2014, 19:28

Kenji

"Eu farei, Adelaide-sama, não deixarei que ele escape, não deixarei que ele faça mal a mais ninguém. Ele não ficara impune pelas coisas que fez."

Enxergar Adelaide novamente chorando, sentir a tristeza dela, assim como escutar a história de como Valser a torturara, fazia Kenji senti-se mais revoltado com vilão, não conseguia acreditar como era possível alguém ser capaz de uma maldade daquela, e aparentemente, por maldade e, talvez, também por mais poder. Ainda que não tivesse conseguido nenhuma informação sobre o vilão, sentia-se melhor por saber que Adelaide estava "bem", pois temia que ao ferir Valser, estivesse ferindo a vampira também, mas este não era o caso.

"Então posso atacar ele com tudo, e saber que não estarei ferindo Adelaide-sama."

O jovem queria poder abraçar a mãe de sua amada, tentar a confortar, mas não poderia fazer isso agora, talvez possa o fazer quando retornasse para casa, assim como a vampira possa abraçar Keiko. Kenji não tirava Valser do seu campo de visão, pois não queria ser atacado de surpresa pelo inimigo, por isso não olhava para Inoue ao responder a pergunta do colega.

— Aquelas são Joias do Caos, elas foram retiradas, uma por uma, das asas de Adelaide-sama, a vampira que vira mais cedo, antes de termos partido para cá.

"Mas isso é estranho, se ele arrancou dezesseis Joias dela, a quem pertence a décima sétima pedra?"

O jovem tentava localizar de onde vinha aquela voz chorosa que escutara antes, que falava sobre dor, os últimos fatos o fazia pensar se poderia ser uma vampira do caos que fora capturada pelo vilão, se não fosse uma vampira, seria uma vítima do vilão de qualquer forma.

Avatar do usuário
Reimu Hakurei
Mensagens: 61
Registrado em: 27 Jan 2014, 08:27

Re: Touhou RPG

Mensagem por Reimu Hakurei » 30 Mai 2014, 23:31

Megumi

Diante do movimento rápido do vampiro, tentei dar um salto para trás e evitá-lo; um instante depois e meu estômago estava nas costas. É claro que sangue e bile subiram na garganta e eu cuspi para o lado enquanto o vampiro continuava seu ato chacineiro. Não havia esperança contra aquilo, ou havia? Um suspiro, minha
mão sobre a barriga, e tentava voltar ao normal. Não fosse a benção de Herácles… Não sei se estaria de pé. Isso tudo aconteceu após todos derramarem sobre ele todos os ataques possíveis de serem executados e mesmo assim não resultou em nada.

"Mais rápida… Preciso ser mais rápida… Preciso que meus olhos e meu corpo detectem uma brecha… ela sempre existe! Mas apenas uma… deusa da luta… seria capaz de algo assim."

O desespero quase tomou conta de mim, mas eu respirei fundo, e ao expandir os pulmões uma faca pareceu trespassar o abdômen me lembrando do ataque que acabara de receber. Mantendo a calma, fechei os olhos rapidamente e derramei sobre mim mesma, usando grande parte da energia que me sobrava, um comando para que os músculos se tornassem mais ágeis da mesma forma que no palco do show da Zwei Wing.

"Hermes' Message: "Speed Burnout"!

Uma vento esverdeado circundou todos os membros, e então eu estava mais leve. Agora que tudo parecia se passar um pouco mais lentamente, precisava tentar prestar atenção em Valser e em seus ataques, para identificar um ponto fraco ou algo que desse esperança. Duas bençãos simultâneas… Era a primeira vez que eu usava isso.

(Já gasto 1 ponto de destino para adquirir Detectar Fraqueza, mas só poderei usá-la no turno seguinte segundo as regras. Neste turno eu gastei 7 PMs para ir a H10, me sobram 13 PMs.)

Avatar do usuário
Lucian Y.
Mensagens: 129
Registrado em: 30 Jan 2014, 23:50

Re: Touhou RPG

Mensagem por Lucian Y. » 31 Mai 2014, 01:00

Ficara extremamente surpreso... Valser realmente conseguira não ser ferido pelas Darkblade’s de Luz e Trevas. Mas ele não poderia ser realmente imune ao trio ‘Tao’. Quando se deu conta, seus olhos estavam de relance a ver Inoue e Ashiina serem atacados pelo vampiro ‘podre’, Lucian não podia acreditar, seus olhos o procuravam pelo campo de batalha, até tentou antecipar a próxima vitima... Tarde... quando seus olhos começavam a cima olhar. A Clavícula já estava quebrada. Mas nenhum grito de dor pode ser ouvido... Não permitiria tal, não se daria esse luxo. Fez força com a mandíbula para que tal evento não ocorresse. Agora além da dor de ter a clavícula quebrada, sentia dor de cabeça, a garganta seca.

Com o Olho alterado, o esquerdo, ficou a encarar Valser com a expressão inalterada. A mão direita tampava o olho direito, enquanto o garoto estava ajoelhado no chão, se recuperando do impacto. Lucian sorria, pois Valser não compreendia, havia sido vitima de seu poder. Os ‘olhos desalmados’, os olhos dele agora viam a alma de Valser, e uma vez tendo visto-a, Lucian conseguia restabelecer e compreender a situação da maneira original, não mais via Valser como uma real ameaça, apenas como mais uma de suas vitimas como no passado...


Avatar do usuário
Tsunayoshi
Mensagens: 336
Registrado em: 16 Dez 2013, 16:28

Re: Touhou RPG

Mensagem por Tsunayoshi » 31 Mai 2014, 18:28

Michio ficou reparando em Keiko, no início com intenção de cobri-la enquanto combatia, mas as ações diferentes da youkai estarreceram o rapaz. Ela e a anja pareciam querer... um momento só pras duas. Será que devia atirar, ou ia atrapalhar alguma coisa...?

Iria procurar outro inimigo no campo de batalha, mas não pôde deixar de reparar na transformação de Reno. Que diabos era aquilo? Havia se tornado algo (ou alguém) ao mesmo tempo imponente e... grotesco! Ele fez frente a outro inimigo, deixando apenas um alvo livre.

Bom, aquela mulher continuava lá, apenas aguardando... Mas por quanto tempo continuaria assim? Parecia ter recuperado seu combustível mágico através de autoflagelamento!? Provavelmente seu próximo passo seria descarregar esse combustível recém adquirido neles. Os Pesadelos também pareciam ocupados contra seus aliados. Michio duvidava muito que isso fosse impedi-los de protegerem sua mestra, mas mesmo que o fizessem, ainda assim não seria um ataque desperdiçado.

Assume uma posição natural, braços soltos ao lado do corpo, olhos fechados. A maior parte de sua energia espiritual havia se esgotado, então precisava buscar dentro de si cada resquício restante não absorvido pelos outros ataques. Visualizou faíscas de poder vagando sem rumo em si mesmo, para então atrair todas para um único ponto, cada uma contribuindo para formar a chama azulada que representa sua energia. Isso durou menos que dois segundos, e a aura do garoto voltava a queimar com força. Abriu os olhos e mudou a postura, preparando-se para atirar novamente, a esfera de poder azul zunindo na ponta do dedo. Nos próximos disparos teria de colocar tudo de si! E com esse pensamento em mente, a inimiga na mira, puxou o gatilho.

— Leigun!

[Vou fazer algo perigoso, mas... Já que estamos no Boss mesmo, ou vai ou racha! xD Vou queimar meu último PD para comprar uma nova progressão de Ataque Especial e Pontos de Magia Extras para o Michio, que vai atacar a anja, gastando 4 PM’s para Ataque Especial II e Tiro Carregável. FA 30 + 1d6]

Avatar do usuário
Shino
Mensagens: 315
Registrado em: 12 Jan 2014, 13:54
Localização: Atualmente em Elios!!!
Contato:

Re: Touhou RPG

Mensagem por Shino » 31 Mai 2014, 23:52

Para Michio, Reno e Keiko

[19:38] Taulukko: GM entrou na sala...
[19:38] GM: FAs de Keiko
[19:38] GM: Rolou 1D6=3
[19:38] GM: Rolou 1D6=6
[19:38] GM: Rolou 1D6=2
[19:38] GM: FD do Pesadelo 2, rolagem única
[19:38] GM: Rolou 1D6=1

Os pensamentos que percorriam a cabecinha avoada da pequenina fora o combustível para alimentar o maquinário destrutivo que suas garras se tornaram. Seres normais já estariam mortos frente a tanta retaliação, carne, ossos, entranhas, tudo era rasgado pelas lâminas mágicas. Coberta novamente dos fluídos corporais vermelhos dos inimigos a garota estava, era tanto sangue que o vestido da menina já estava completamente tingido, algumas gotas haviam alcançado o rosto da garota, que inconscientemente as lambeu. O doce sabor do sangue inimigo aumentava ainda mais o frenesi que a Oni sentia, uma sensação que só rivalizava com o amor incondicional do sakê.

[20:15] GM: FA de Michio
[20:15] GM: Rolou 1D6=6
[20:15] GM: FD do Pesadelo 1 (nem preciso falar o motivo, preciso?)
[20:15] GM: Rolou 1D6=2

Se antes o chão havia trincado, agora foi a ruína. Michio se sobressaia a cada instante, aumentando cada vez mais o diâmetro da esfera espiritual. Muitos foram os antecessores de Michio, detetives espirituais de tantas eras usavam aquela arma, mas nenhum teve tão acelerada evolução quanto aquele jovem, talvez um outro rapaz, mas ele tinha sangue de demônio nas veias, Michio era completamente humano, e por hora, havia superado até mesmo a sua genitora. Porém, como antes, o tiro não havia atingido o alvo desejado, uma vez mais o demônio que se prostrava a frente do caminho protegia sua mestra, novamente sua aura inflamava, tomando o espaço do local, crescendo a ponto de cobrir a anja e no outro instante retornava ao normal e com isso levava os ferimentos. Foi assim que surgiu um enorme buraco no monstro, obliterada havia sido parte do inimigo, a chama espiritual tinha incinerado boa parte do tórax do monstro, dois de seus braços-bocas nem mais existiam ali.

— Não pode ser!!! Aquilo... é... Lúcifer???

A anja ignorava totalmente o comentário de Keiko, fitando os olhos sobre a besta que o ruivo se tornara.

— Não, não pode ser verdade... ele morreu... o primeiro Lúcifer morreu... hahahaha, já sei... só pode ser uma Ilusão!!!

A mente da garota começou a trabalhar, afinal das contas, o homem era mestre daquela artes místicas, mas algo estava errado, pois seus olhos, olhos que estavam tratados com magia, magia que reconhecia magia, não viam nenhum traço de magia naquele corpo colossal e abissal.

— Não é magia... não sinto poder mágico vindo dele, não é uma ilusão... não pode ser... é ele mesmo... o rei dos infernos... o maior dos caídos, o supremo demônio, o mais poderoso anjo.

E quando o desespero já começara a consumir a garota, um ultimo fio de esperança se fez, pois ela notara, aquele na sua frente não era Lúcifer.

— Hahahahaha... entendi!!! Agora entendi... você não é Lucifer... eu posso ver a diferença.

Ela voltou a si, se acalmando do susto que passara naquele instante e não podia parar, seu novo alvo era diferente, antes ela já havia esquematizado seu plano, mas agora ela tinha que começar do zero, decidiu se proteger.

— Não sei quais suas possibilidades, não sei qual é a nova extensão de seus poderes, mas não vou vacilar com você.

E novamente a mulher se prostrava em um posição humilhante e sensual, fazendo uma aura de energia branca cobrir seu corpo por inteiro.

(OFF: Olha outro crossover... o Alpha trouxe essa desvantagem tão engraçada, que eu tinha que usar, valeu Cassaro, obrigado pelos Poderes Vergonhosos, assim posso emular as Holy, Evil e Unholy Poses de Queen's Blade, hauhauhauhauhau)

Um sorriso se fez na fera ou por toda ela, aqueles dentes monstruosos serrilhavam, exprimindo a ideia de alegria, ele havia encontrado um bom alvo.

— GHAAKI AEKNAM LCOG HALK AOAKAAOL AKJATHA??? QIEY U TU GAD L LV NJSFKA AKGIAKA O AAAALLLLLL!!!

(Quer que eu lhe retalhe??? Pois era isso que pretendia desde o inicio!!!)

[21:54] Taulukko: GM entrou na sala...
[21:54] GM: FAs do Pesadelo 2
[21:54] GM: Rolou 1D6=5
[21:54] GM: Rolou 1D6=6
[21:54] GM: FD de Keiko, rolagem única
[21:54] GM: Rolou 1D6=5

Duas enormes possas de sangue. A fera abrira duas de suas bocarras e cada uma delas foi em um dos braços de Keiko. As mandíbulas se fecharam sem dó, mastigando a carne macia da garota e quando terminaram o lanche, o que restou foi duas enormes possas de sangue e uma garota no meio delas.

[21:59] GM: Teste de Morte de Keiko
[21:59] GM: Rolou 1D6=2

(OFF: Keiko foi reduzida a zero pontos de vida. O braço direito dela esta destroçado, o esquerdo ainda esta funcional, mesmo que extremamente avariado).

A fera que protegia o portão novamente manifestava seus poderes, mas desta vez não crescera. Manipulando a química do próprio corpo ele aprimora seus sentidos e músculos).

(OFF: Ao receber o golpe de Michio, ele recupera metade do dano em PMs e agora usa para aumentar a própria Habilidade).


Para Ashiina, Inoue, Lucian e Kenji


— Oooohhhh, acho que fui muito duro com vocês... minhas palavras arrancaram até o ultimo pingo de esperança que tinham contra mim... que pena, eu achei que vocês seriam mais fortes... mas ter a verdade estampada na cara é tão assustador que suas mentes não aguentaram. Vou ser piedoso, vamos, me ataquem, tentem me ferir, se ainda conseguirem brandir suas armas.

A falta de retaliação da parte de vocês fazia Valser se iludir das ideias. Nem só com armas ou exércitos se vencem uma guerra, mas com sabedoria, com inteligência, com estratégias.

Cada um de vocês (ou não) preferiram remontar seu jeito de lutar, tudo começou com Ashiina.

A garota olhou a sua volta, e depois para seu adversário. Ninguém é perfeito, todos temos fraquezas, pontos vulneráveis, "calcanhares". Assim, fortalecendo ainda mais seu corpo com suas bênçãos ela procurava a falha do vampiro. Mas nada encontrou, não havia falhas em suas técnicas, eram perfeitas, moldadas com séculos de treino. Ainda sim ela continuou, deveria haver algo, qualquer coisa. Foi quando o uso exacerbado de seus poderes cobrou do corpo da garota. Sem saber as consequências de usar dois dons ao mesmo tempo ela sentiu sua mente se esvaindo, sumindo, e aos poucos ela ia desmaiando.

— Ashiina... Ashiina...

Ao abrir os olhos, estava nua... no meio do espaço. Podia se ver tantas estrelas, tantos planetas, ali era o universo, não, era maior que o universo, aquilo era...

— O Cosmo!

A voz novamente, quem era ela, como ela podia alcançar a garota no meio do espaço sideral, ou melhor, para inicio de conversa, como a garota estava no espaço.

— Sinta Ashiina, sinta o que esta dentro de você... sinta o que esta dentro de todos nós, minha querida.

Ashiina sentiu, a explosão de mil estrelas dentro do seu corpo.

Ela abriu os olhos novamente, e desta via algo diferente. Cada um da sala tinha seu universo pessoal, mas Valser tinha dois, um seu e um que ele roubava de dentro do reator. E que estava sendo absorvido por uma pedra como as outras, mas de uma coloração diferente. Pois as demais sempre estavam em numero par, quatro pedras azuis-claros, duas pedras azuis, duas pedras violetas, duas rosas, duas laranjas, duas amarelas, duas verdes-claros e apenas uma estava em numero impar, a branca.

A estratégia do arqueiro foi diferente, não voltado para seu inimigo, ele na verdade preferiu se concentrar no campo, e em tudo a sua volta. Permaneceu parado por alguns instantes, tentando captar qualquer barulho, qualquer som. Igual ao jeito que a muito caçara um cervo, esperou calado, respiração tão baixa que parecia estar parada, e então um barulho, na mata foi um galho pisado pelo animal, aqui era a voz, baixa, chorosa, sofrida. Guiado pelo som ele seguiu, e tão grande foi sua surpresa ao notar de onde vinha... era de dentro do reator.

"— O que? Não pode ser? O maldito prendeu alguém dentro do reator?"
"— O maldito esta torturando alguém, prendendo dentro daquele ambiente venenoso!"
"— Valser, seu maldito, não vou te perdoar de jeito nenhum!"

Tantos pensamentos se fizeram na mente do rapaz, tanto ódio se acumulou, como podia existir alguém como ele, alguém tão tenebroso, tão odioso. Mas ele vai pagar, mas não agora, não nesse instante, pois a hora era a de salvar, se ainda fosse possível, quem estava presa ali.

E novamente o garoto é surpreso!

Pela pequena janela que se podia ver o interior da maquina, ele viu. Seus olhos não estavam enganando, mesmo que ela tivesse algumas características diferentes era ela mesma.

De longos cabelos, de asas tão grandes, aquela a sua frente era...

Reiuji Utsuho!

Mas por que ela parecia como as suas servas, por que o corpo da garota era feito de carne e fogo, porque seus cabelos e asas eram rubros e onde estava a pedra que fica a frente dos seus majestosos seios.

Lucian também remontava sua estratégia, como Ashiina o garoto procurou analisar melhor seu adversário, mas ele não possuía as bênçãos da garota, seu modo de pensar, seu modo de agir era diferente. A arma mais poderosa do garoto não era a magia, não era as sombras, nem mesmo sua espada ou foice, era seu manto. A serva mais leal do rapaz, a tsukumogami que lhe servia de escudo se mostrou novamente eficiente, moldando-se a vontade do garoto ela procurou medir a capacidade inimiga, primeiro derrubou suas defesas, incapacitou suas fortalezas e por fim enxergou...

Valser Nightmare (30 Pontos)

Vampiro das Sombras, Magia Negra, Pujança, Couraça, Fortaleza, Ataque Múltiplo, Equilíbrio Yin-Yang, Vigoroso, Pontos de Magia Extra, Pontos de Vida Extra, Aparência Inofensiva.

Vulnerabilidade Químico, Maldição, Dependência, Segredo (Maardemma), Insano Homicida, Sanguinário, Má Fama.

Sensei Ancião: Ataques em Série e Técnica Ancião.

Cotovelada, Chute Circular, Direto, Joelhada, Aceleração, Velocidade do Cervo, Bloqueio.

F0 > 1
H 7
R 7
PdF0
PVs 105
PMs 90 > 88 > 86 > 84 > 82 > 80... 48
A 0 > 1 > 2 > 3 > 4 > 5 > 6 > 7 ... 20

@Edit: Itens Mágicos > 16 Jóias do Caos (FD +16)

Valser estava parado, ou se imaginou isso, pois na verdade, ele estava aumentando o abismo entre vocês.

(OFF: Antes de postarem, Kenji tem que responder no OFF o que vai fazer em relação a Okuu).



Continuação


Sem sinal de resposta, toda e qualquer pergunta feita por Kenji para a garota encarcerada não era respondida. Não era malcriação da parte da mulher, era por não ouvir o garoto. O ambiente do reator impedia o som de entrar no local, mas permitia os lamentos delas serem ouvidos pelos de fora.

Ele abriu, não havia outra escolha, se queria salva-la este era o único jeito. As travas eletrônicas estavam avariadas, então teve que ser no braço mesmo, coisa que o arqueiro não era acostumado a fazer. Em condições normais nem um centímetro ela se afastaria, mas aquela não era uma condição normal, seus olhos continuavam rubros, e agora, suas pupilas também mudavam, fragmentada em círculos e losangos menores, um tipo de alvo bem esquisito. A porta se abriu, forçada a todo instante a se fechar, mas se abriu, a luz entrou, tocando a face da garota que a anos só enxergava escuridão.

E quando ela abriu os olhos e enxergou a situação, uma explosão.

— IIIIIIIAAAAAAAHHHHHHHHHH!!!!!!!

Valser estava de joelhos, todas as veias saltadas, marcando a pele albina do vampiro. Poder, era muito poder, tanto que arremessou Kenji (sem dano) longe, suficiente para libertar a Okuu ferida, que olha para vocês, todos vocês, com temor.

— Por quê... POR QUÊ... por quê todos a minha volta fazem isso comigo... por quê todos me usam... por quê sou vista como apenas um objeto... *choro* eu também tenho sentimentos... eu também sou mulher...

A garota chorava copiosamente, e tudo ao redor queimava.

(OFF: A radiação emitida pela Okuu esta mais forte ainda, agora afeta também os Youkais, todos perdem um PV por turno de exposição, se aproximar da Okuu é literalmente suicídio, mas tem uma coisa boa. Valser esta congelado, ele não consegue absorver tanto poder e por isso esta completamente vulnerável.)
♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ CAMPANHA TOUHOU RPG ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ CAMPANHA CAVALEIROS DO ZODÍACO ALPHA ♦ ♦
Imagem Imagem
♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ PERSONAGEM: TENRU DE LINCE ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦

Avatar do usuário
Keitarô
Mensagens: 1328
Registrado em: 09 Dez 2013, 19:58
Localização: Mahoyiga

Re: Touhou RPG

Mensagem por Keitarô » 01 Jun 2014, 17:47

Reno

E então Keiko caiu, e o disparo gigantesco de Michio não funcionou. A situação chegava ao seu limite, e qualquer coisa além daquilo era inadmissível. Os Pesadelos não pareciam ter muita mente, e a anja, embora inicialmente mexida pela ideia de talvez Lúcifer estar do lado dos inimigos, acabou se convencendo de que na verdade aquele não era o antigo lorde infernal, o que era realmente verdade. Ainda era Reno, embora numa forma diferente.

Reno olhou a tempo de ver o braço de Keiko ser estraçalhado. Pensou em muitas coisas que não eram aplicáveis a situação, as palavras não serviam de nada naquele momento. Lembrava de quando havia pensado sobre precisar conversar mais com a jovem oni, e isso não seria possível se tudo continuasse daquele jeito. Umeko estava retraída, sua arma ilusória desfeita e conhecida; Michio apostava tudo em seus disparos mas também estava fraco. Por isso Reno precisava fazer alguma coisa, já que sempre ficava na retaguarda enquanto os outros se feriam no seu lugar.

Aquilo terminava agora.

— Você tem razão, eu não sou Lúcifer — ele começou a falar no tom de voz de antes, mais alto, quase um grito ecoando da garganta sem que a boca se movimentasse. — Lúcifer foi derrotado desta existência por um grupo de guerreiros cuja esperança era maior que seu poder demoníaco.

Um salto para o lado, no meio dos dois pesadelos, e uma aura vermelha com traços brancos, negros e violeta começou a circular o corpo do demônio. Ele pulsava energia, e sua aura de intimidação cresceu e cresceu, assumindo patamares gigantescos. Aquele poder não era de Lúcifer, embora o anjo caído contribuísse sim com a ideia de seu próprio ser, e este era o poder de Reno: romper a barreira do conceitual e tornar real. Aquilo era fé, o maior poder existente, que os homens tinham de sobra mas não sabiam usar conscientemente. Apenas no desespero, em momentos de urgência, como aquele, e ainda assim inconscientemente. Ele então continuou, as lâmpadas piscando por causa do poder:

Eu era um deles! E como eles, sou mais forte que o próprio Lúcifer!

Transgrediu os patamares de sua própria existência. Seus olhos choravam sangue, porque havia sacrificado uma parte de sua própria energia vital para o que estava fazendo, mas a recuperaria. Uma onda de ar foi lançada ao redor quando finalmente, a energia controlada, fez menção de atacar. Brandiu a foice com a mão direita fazendo-a chegar quase nas costas, e com um único corte lateral atacou todos os três inimigos que haviam ferido seus amigos. Reno lembrava, é claro, dos próprios ideais, mas aquele era um "pecado" do qual teria de compactuar, ou não só seus amigos, mas todos desta existência, pagariam com isso.

— Alfa e Ômega: Criação da Luz; Retorno ao Nada!

O corte único era uma mentira visual: cada inimigo havia recebido, na realidade, dezenas de cortes de luz, e esta luz começava a se mostrar nas mesmas cores que a energia do demônio. Vermelha, violeta e então branca, mudando em seguida para o negro, a ausência de cor. Os cortes que explodiam em luzes se tornavam o nada, ferimentos que roubavam o que havia.

Como Reno havia visto antes, golpeou em uma sequência que pudesse ser eficiente ao máximo: primeiro os dois Pesadelos e por último a anja. Ela poderia até resistir ao ataque com sua defesa, o que seria surpreendente, mas por quanto tempo?

OFF: então uso a estratégia que comentei, aumentando a F em um movimento e já usando Ataque Múltiplo na ordem citada. Primeiro vários ataques no Pesadelo da direita até que ele caia, depois no da esquerda, e por último na anja.

Responder

Voltar para “Touhou RPG”