Dead End

Avatar do usuário
Inoue91
Mensagens: 620
Registrado em: 08 Jan 2014, 02:38

Re: Preludio - ATO 1

Mensagem por Inoue91 » 05 Mar 2014, 00:06

Kenji ainda sentia falta de seu melhor amigo, infelizmente ele não conseguiu escapar da grande tragédia que assolou Tamu-ra, só de lembrar o que aconteceu com sua nação Kenji sentia calafrios, esperava nunca mais ter que ver e presenciar aquilo de novo.

A cidade de Valkarya era muito diferente de sua cidade natal, praticamente tudo mudava, a arquitetura, a comida, a língua, achava indecente que uma estatua de uma mulher nua fosse o ponto de referencia da cidade, por este motivo preferia ficar no distrito de Nitamura.

Kenji caminhava pelas ruas quando ouviu um pronunciamento, onde o Barão de Vooldeium convocava os homens para um trabalho, de inicio Kenji resolveu ignorar pois tinha coisas mais importantes para se fazer, mas ao ouvir que a recompensa seria de 300 tibares de ouro mudou de opinião, a grana estava curta e sabia que aquele dinheiro poderia lhe ajudar a sobreviver por mais alguns dias, assim Kenji caminhava até o local onde se alistaria para o trabalho.

Avatar do usuário
Maggot
Mensagens: 2134
Registrado em: 13 Jan 2014, 19:00

Re: Preludio - ATO 1

Mensagem por Maggot » 05 Mar 2014, 15:37

Adrien estava andando por Valkaria naquele dia. Era um dia normal, e ele estava despreocupado. Seu casamento era iminente, mas ele sabia que por hora, podia manter seu estilo de vida comum. E por isso, ficou extremamente animado ao ouvir o homem falar dos ratos de tamanho não-usual, e que um tal barão oferecia uma recompensa. Não ligava para a recompensa. De fato, sua família era absurdamente rica, uma das maiores da capital. Mas ele não podia dizer não para um pedido de ajuda, e mal o homem falava, Adrien corria até o local de inscrição, para se apresentar para serviço.

- Adrien Lionel Elroc se apresentando para o serviço.- Disse, com um sorriso no rosto.- O problema de Lorde Samoied, quero me alistar.
Imagem
- Six shots...
#FreeWeizen

Dthanatus
Mensagens: 877
Registrado em: 02 Fev 2014, 20:37

Re: Preludio - ATO 1

Mensagem por Dthanatus » 07 Mar 2014, 22:00

Os cinco caminha, como que por instinto, como que por acaso, caminhavam próximos, Kassandra ficara admirada com a aparência de Axl, e por sua pouco idade ou inocência, deixa que o Sulfure perceba isso. Axl é escolado num mundo de frieza e pragmatismo que beira o mórbido, suas expressões são frias, mas por dentro aquilo o incomoda, como uma ponta de irritação crescente.

Após uma curta caminhada os 5 podiam avistar um considerável aglomera., havia pelo menos uns 30, sujos, rudos, barulhentos, a turba cercava o que deveria ser a base miliciana, e mesmo em meio a turba tumultuosa, podia ver o Sargento Richard, ou melhor, podia-se ouvi-lo.

-- Calem-se patifes! Ponham um pouco de ordem nessas carcaças fedorentas, ou juro por Valkarya que todos vocês vão passar a próxima semana com o rabo imundo de vocês exposto no pelourinho com um cabo de vassoura enfiado em cada um!

Enquanto esbravejava o homem erguia um porrete e ameaça aqueles que tumultuavam o local, Richard era um homem sério, sério demais para aquele lugar, sério e velho, beirava os 50 anos, alto com olhos e cabelos negros, coxo, um ferimento sofrido em trabalho, mas ainda sim conseguia intimidar aquela pequena multidão.

-- Vocês vão receber o dinheiro bando de desocupados! Ele esbraveja novamente em reação a algo dito por u qualquer na confusão. -- Mas só depois do trabalho, foi o que garantiu aquele almofadinha retardado de merda. Mas apenas depois! E na próxima gracinha vou bater tanto em vocês que até a prostituta vagabunda da mãe de vocês vai ficar dolorida!

Fora neste momento que Adrien fizera seu pronunciamento, Richard, o sargente que até então mantinha um porrete em prontidão frouxara a empunhadura da arma.

-- Milorde Elroc. Disse Richard, num tom de voz minguante, carregado de espanto. O senhor não deveria. Alguém em seu status é de certo que não deveria envolver-se neste tipo de ação com este tipo de gente.

Ao passar seus olhos naqueles recem chegados que distinguiam-se e muito dos tantos outro que ali estava, o espanto que tomara a voz do sargente fora visível em sua própria face.

-- Milady Samasha, não diga-me que a senhorita também esta aqui por este motivo! Pelo panteão, eu seria enforcado se permitisse que a senhorita descesse ps esgotos Milady!.

Enquanto Richards falava, mais e mais pessoas se juntavam, já haviam mais de 50, então um brutamontes qualquer esbarrou em Kassandra, aquilo fizera o rosto da garota ficar vermelho e ela cerrar seus pequenos punhos, mas o esbarrão a deixara ainda mais p´róxima de Samasha.

-- Realmente Perdoe meu linguajar milady, se soubesse que a senhorita estaria aqui teria moderado minha linguá. Ele observou o que julgou ser Kassandra aproximando-se de Samasha. Ainda mais com esta sua nova aia, tão jovem e pequena que quase não a noto. Por favor diga-me que não pretende tomar esta atitude, com certeza não faria bem a seu pai que ainda convalesce.

Avatar do usuário
John Lessard
Mensagens: 5196
Registrado em: 10 Dez 2013, 11:03
Contato:

Re: Preludio - ATO 1

Mensagem por John Lessard » 07 Mar 2014, 22:26

"Mas que merda é essa?"

Axl pensou quando percebeu que a garota o olhava. Era só o que faltava, como se não bastasse todo mundo o rejeitar, agora a criança o notou. O que poderia ser? Medo? Curiosidade? Pensava que era um lefou? Isso sem dúvida era horrível, detestava ser confundido com os malditos lefous. Então por um momento a irritação que surgia sumiu.

"O que essa criança está fazendo aqui, só pode estar querendo um pedaço de pão"

É claro que ele não iria providenciar.

Neste momento um homem esbarrou na garota, o que fez Axl lançar aterrorizante para ele, não para tentar ser um um protetor para a criança, mas sim por odiar que atrapalhassem seus pensamentos. Resolveu deixar para lá, embora sentisse que a garota tinha algo de diferente, talvez não fosse apenas um mendiga faminta.

Voltou sua atenção em frente, empurrou qualquer um que não reconheceu como alguém apto ao trabalho, que estava ali apenas para causar tumulto e fazer de seu dia mais difícil. Quando finalmente conseguiu se aproximar viu um imbecil da milícia tentando convencer duas pessoas que elas não poderiam fazer o serviço. Patético, era evidente que aqueles dois poderiam se cuidar, ou não, mas dane-se, não fazia diferença para o Sulfure.

-- Olha dá para agilizar? Quero o serviço e quero acabar logo, para por a mão na recompensa.
Personagens em Pbfs:
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
Necross
Mensagens: 1566
Registrado em: 13 Dez 2013, 17:40

Re: Preludio - ATO 1

Mensagem por Necross » 07 Mar 2014, 22:43

Samasha escutou aquilo tudo, e quanto mais escutava, mais irritada ficava. Odiava ser tratada como filhinha de papai, ainda a tal ponto de acharem que ela tinha uma lacaia!

-Por Nimb, seu desgraçado! Eu sou o que sou! (aos berros) UMA DEVOTA DE NIMB! VOCÊ PEDIU AJUDA DE AVENTUREIROS, AQUI ESTOU!
Baixando o tom de voz, para o normal:
-Ou você acha que o seu julgamento dos meus atos é melhor que o meu? Se não acha, deveria... (Completou já rindo em alto)

Olhou para o dado que tinha nas mãos, presente de Nimb, e jogou para o alto, pegou e viu o resultado:
-Menina(olhando para Kassandra), gostei de você, muito nova para ser aventureira, quais as chances disso acontecer?
Nimb rolou bons dados para você, menininha...
Conheçam Dynx, o Paladino da Esperança!
E Perninhas, sua fiel amiga e escudeira!
Paladino(de Nimb) 5/Ladino 2/Ginete de Namalkah 5
Imagem

Avatar do usuário
Inoue91
Mensagens: 620
Registrado em: 08 Jan 2014, 02:38

Re: Preludio - ATO 1

Mensagem por Inoue91 » 08 Mar 2014, 00:20

Kenji caminha entre a multidão, entre a multidão uma pessoa se destacava, Kenji viu um homem com olhos e cabelo de um opressivo vermelho sangue, e uma criança de cabelos da cor de fogo, o encarava parecia estar admirada, alias era uma criança, ela ainda não tinha visto muita coisa deste mundo.

"Nossa, o que uma criança faz aqui, ela esta acompanhando o pai, ou a mãe ? ou seria um outro familiar ?, deixar ela sozinha assim não seria boa coisa."

Kenji voltava sua atenção para o homem que estava discursando, realmente ali havia muitas pessoas, uma oportunidade de ganhar um dinheiro de maneira fácil assim não poderia ser desperdiçada, Kenji continuou a ouvir o homem discursar, mas ao ver um meio-orc disfarçado de mendigo esbarrar na pequena criança e em seguida puxar um punhal e olha fixamente para a criança, Kenji não podia ficar parado, rapidamente Kenji avançava até o meio orc e realizava um ataque contra o punhal afim de fazer ele largar a arma.

*Enquanto avançava gritava alertando a garota.


--Cuidado garota, ele sacou um punhal !!!


(Como tenho separar aprimorado acho que fica +7, nesses casos quando vamos atacar ou fazer algum teste colocamos nosso valor ou você tem eles anotado ai ?)

Avatar do usuário
Lannister
Mensagens: 1163
Registrado em: 14 Dez 2013, 15:35

Re: Preludio - ATO 1

Mensagem por Lannister » 08 Mar 2014, 11:45

Raiva, fúria, sangue quente percorrendo todo o corpo, Kassandra era uma chama alimentada pela raiva, odiava ser tratada daquela maneira, não aceitava ser tratada daquela maneira, era uma criança sim, em corpo, mas o ódio e a missão que possuía, ter que viver sozinha ela não era uma criança comum e fazia questão de que todos percebessem isso e a deixassem em paz.

-Não falem assim comigo...

Ela havia falado baixo demais, as pessoas falavam alto e abafavam sua voz pequena, criança...garota...era tratada como uma indefesa, ela tinha poder, um poder que poucos ali possuíam, o poder da magia inata, das chamas vermelhas de outro mundo,, ela olhou para o sargento, imaginando-o arder em chamas.

-CALEM A BOCA!!!!!!!!!!!-Kassandra se aproximou do sargento encarando-o nos olhos- Eu não sou Aia de ninguém seu velho idiota-Chamas saiam pelos olhos de Kassandra e percorriam seu braço até as pontas do seus dedos que tocavam o o porrete do velho miliciano-Meu nome é Kassandra, nem criança e nem garota, KASSANDRA.-Seus dedos esquentavam o porrete ,brasas o tomavam como se o derretesse aos poucos[Tentarei uma intimidação e lançarei Raio de Ácido com o descritor fogo no porrete, provavelmente ele vai passar, um bônus de +9 ainda é baixo xD mas pelo menos mostra para os outros que ela não é só uma criancinha indefesa].Kassandra estava com tanta raiva que não havia notado que havia sido salva por um estranho, talvez depois ela o agradecesse ou seria orgulhosa demais para isso, mas naquele momento seu foco era colocar uma velho ranzinza no lugar dele.

-Eu só quero esse maldito dinheiro e sair desse lugar, estou louca para fazer alguns ratos torrarem.
Imagem

Avatar do usuário
Necross
Mensagens: 1566
Registrado em: 13 Dez 2013, 17:40

Re: Preludio - ATO 1

Mensagem por Necross » 08 Mar 2014, 14:05

NIMB realmente rolou bons dados!
Está na hora de CAOS!!!!!!!!!
Conheçam Dynx, o Paladino da Esperança!
E Perninhas, sua fiel amiga e escudeira!
Paladino(de Nimb) 5/Ladino 2/Ginete de Namalkah 5
Imagem

Avatar do usuário
Maggot
Mensagens: 2134
Registrado em: 13 Jan 2014, 19:00

Re: Preludio - ATO 1

Mensagem por Maggot » 09 Mar 2014, 12:27

Adrien ficou irritado ao ver que era tratado de maneira diferenciada pelo miliciano. Ele era tão humano quanto todos ali, tão digno quanto todos eles. Odiava essas ideias de tratamentos diferentes. Mas, quando viu uma mulher -uma garota- avançar contra o miliciano e colocar a mão no porrete do mesmo, ele soube que caberia a ele solucionar o problema. Se aproximou dela e colocou a mão no ombro da mesma, tentando fazê-la recuar;

- Senhorita, por favor, não precisa ser assim. O miliciano cometeu um erro, só cumpria o trabalho dele.- Dizia, sorrindo. Embora ele gostasse de combater, não achava que era a solução para tudo, e se o derramamento de sangue pudesse ser evitado, ele deveria ser.

off: Diplomacia +8 pra acalmar os ânimos. Sacumé, o Adrien não viu a faca e tals 8D
Imagem
- Six shots...
#FreeWeizen

Dthanatus
Mensagens: 877
Registrado em: 02 Fev 2014, 20:37

Re: Preludio - ATO 1

Mensagem por Dthanatus » 09 Mar 2014, 20:32

A alma em chamas...

Percebendo um quadra triste sendo pintado, Adrien tentara seu melhor para, num gesto de bondade e compaixão, evitar um desentendimento que com toda certeza seria danoso a jovem Kassandra, julgou que sua palavras de bondade seriam boas o suficiente para tocar o coração da jovem feiticeira das chamas.

Não eram.

Kassandra motivada por vaidade ou talvez inocência avançou, lançando seu feitiço pronuncio sua bravata confiante que uma demonstração de poder bruto mostraria a todos que mesmo com sua pouca idade não deveria ser subestimada, fora seu erro.
Seu feitiço destruiu completamente o porrete que o Sargento Richard usava, lascas de madeira fumegante dispersaram-se por todo o lugar assustando e afastando a multidão que ali havia se formado.

A alma em chamas...

Um soco violento. Esta foi a resposta de Richard a atitude de Kassandra, tão pesado o golpe do Sargento que Kassandra andou dois passos para trás e por pouco não tombou ao chão, o olho ardia e o supercílio havia se rasgado, e antes mesmo de recuperar-se do impacto do soco a mão grande e pesada do sargento ja segurava firmemente o braço da jovem e franzina feiticeira e a puxava violentamente enquanto exclamava com uma voz autoritária e furiosa:

-- Sua pequena vagabunda! Como se atreve!? Você está presa por desacato e agressão!

A Alma em chamas...

Ferida e firmemente agarrada, Kassandra ardia em ódio, tamanho ódio e tensão estava no ar que ninguém ouvira o aviso de kenji que rapida e habilmente desfere um belo chute com o falso mendigo, mas este fora ágil, utilizando o próprio antebraço absorveu o impacto do chute preciso do monge tamuriano, e logo em seguida num movimento brusco jogou o manto sujo na cara do monge, e aproveitando-se dessa distração desapareceu em meio a multidão que fugia da briga que se desenrolava as suas costas.

Kassandra era somente ódio, e sua furia crescente tomava forma, suas pequenas mão em chamas, aquela sensasção era macabra e familiar, sentia o sangue em suas veias arder e a fornalha de sua alma estava acessa, como naquela funesta noite na fazenda, sua magia, seu poder, urrava, crescendo, não tardaria não poderia mais segurar.

Suaa alma e olhos em chamas!
[off] Kassandra você sofreu 9 pontos de dano não-letal e esta agarrada. Como desgraça pouca é bobagem, seus poderes estão saindo fora de controle, você pode tentar controla-los usando uma ação padrão e um teste de vontade CD 15. Não menos importante, você também está furiosa sofrendo os efeitos de Cabeça Quente.[/off]

Responder

Voltar para “Heróis de Guerra”