Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Avatar do usuário
Keitarô
Mensagens: 1328
Registrado em: 09 Dez 2013, 19:58
Localização: Mahoyiga

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Keitarô » 27 Dez 2019, 00:52

Amaretsu

Lukas coçou o capacete, confuso ou preocupado. Logo desistiu da ideia ao perceber que coçar o capacete não era o mesmo que coçar a cabeça. Confirmou com um movimento de pescoço que havia entendido o plano.

Amaretsu posicionou-se como pensara, os olhos de Órion seguindo sua trajetória, a guarda meio desleixada. Ela estava percebendo que era fácil acertar o inimigo, pois este não se esforçava tanto para manter uma postura adequada. A única contra medida é que sua defesa era superior, pelo escudo e manto de Cosmo que apareciam quando um ataque tentava alvejá-lo. A expressão de Órion mantinha-se impassível, um caçador de olho em sua presa.

Seria ele um caçador que matava sua caça? Ou a levava como prêmio…?

Com muita perícia, Amaretsu sacou as três granadas e as lançou em sucessão, explodindo no ar próximo ao impacto. Órion recuou um passo, levando o braço esquerdo à frente do rosto. Momentaneamente a fumaça tomou conta do inimigo, embora fosse possível vê-lo.
Amaretsu, do ataque anterior, perdeu 16 PVs, indo a 4 PVs totais. Em seguida, usou Tiro Múltiplo, atacando três vezes.

ImagemImagemImagem

FAs 6, 12 (crítico) e 8

Desconsiderei o efeito de Reino Animal porque Amaretsu teve de se mover, usando o movimento que teria de gastar para manter a postura. O ponto positivo é que no próximo turno ela pode reiniciar a postura gastando um movimento com bônus diferentes, se desejar.

Órion? rolou sua defesa.
Imagem

Lukas rolou seu ataque.
Imagem
Por entre a fumaça, Amaretsu percebeu que alguma das granadas havia ferido Órion. Este estava de cabeça baixa, um fio de sangue escorrendo por cima do olho direito. A guerreira sabia (ou ao menos imaginava) que isso não deveria acontecer, pela diferença de poder com o guerreiro. Percebeu, porém, sua armadura sobreaquecendo. Embora fosse uma simples armadura de aço bem equipada, parecia estar se esforçando mais que o normal, sem o comando direto da Amazona.

Por um momento, Amaretsu se lembrou do Cosmo da armadura que a ajudara contra Atena, mas ele não estava. Seria impressão?

Este era o momento de Lukas. O jovem preparou a arma de raio de calor, concentrou-a até onde dava e disparou contra as costas de Órion.

O disparo ricocheteou na armadura como se fosse nada, batendo no teto e destruindo uma das lâmpadas.

No exato momento em que a luz se tornou mais baixa, outra piscando, surgiu literalmente do nada Tenzi de Compasso, na ponta do corredor.

Órion, não tendo percebido ou talvez ignorando a presença do novo guerreiro, elevou a mão coberta de Cosmo para cima, fazendo com que a energia se expandisse para os lados. De cima e de baixo da mão surgiram semiarcos de luz branca. Lembravam uma lua minguante ou crescente. A aura do arco de energia escorreu por sobre Órion, cujo corpo agora parecia emitir uma chama esbranquiçada.

Lukas recarregava a carga de calor, tenso.
O inimigo não atacou este turno. Tenzi se une a Amaretsu no combate.


Tenzi

Hera se virou para Tenzi, quando este disse que iria na frente. A verdade é que ela também iria, mas precisava acompanhar Kaguya. Esta, vendo o deslocamento acelerado do Compasso, simplesmente parou.

— Que cabeça a minha. Vou chamar reforços — e tendo dito, acionou o capacete, que cobriu sua cabeça, embora o rosto ficasse à mostra. Levou a mão direita ao ouvido, acionando um comando de voz. — Atenção unidades de reforço, esquadrão D7 e D9, na escuta?

Hera parou, e ficou observando.

— Tsc, não respondem. Atenção, Amaretsu, na escuta?

O rádio chiou, sofrendo interferências.

— Talvez esteja no laboratório subterrâneo. A comunicação por lá tem de ser feita de outra forma. Atenção, esquadrão D12 e D13, na escuta?

A expressão de Kaguya mudou, porque houve resposta.

— Tenente, envie reforços para o laboratório de pesquisa subterrâneo. Está havendo combate. Como está o estado das outras áreas? Como assim como está o estado? Estamos sendo invadidos!

Hera inclinou o rosto, sem entender.

— Está me desafiando, tenente? Sou eu, capitã Kaguya, quem está dizendo. O diretor corre perigo! Envie uma unidade imediatamente para onde eu disse, e conversaremos depois!!

Ela desligou, balançando a cabeça negativamente.

— O que está acontecendo…?

Enquanto isso, Tenzi seguiu no seu deslocamento. Foi muito breve, precisando de apenas cinco ou seis saltos no espaço, percorrendo os corredores e escadas. O último o levou ao fim de uma escada, com um corredor dobrando à direita. Assim que chegou, uma lâmpada do teto foi estourada, as luzes ficando instáveis. Lá estavam Amaretsu, um cavaleiro de armadura negra e um outro cavaleiro de aço.

Compasso chegou a tempo; Amaretsu estava ferida, em forma humana. O outro cavaleiro de aço era uma incógnita, mas o cavaleiro negro, embora ferido na cabeça, conjurava uma arma de Cosmo na forma de arco e flecha. Seu Cosmo era poderoso, perigoso, e enjoativo, claramente uma ameaça.

Cecilia e Carlos

Gracus estreitou os olhos em desagrado com a conclusão de Cecilia.

— Eu não posso abandonar meu quartel. Se ele for destruído, serei destruído com ele.

— Você é teimoso, Gracus. Pode lutar contra os invasores, então? Acabou de sofrer um ataque mental — reiterou Kátia, um pouco impaciente.

— Mas por que nenhum esquadrão atendeu aos meus pedidos de reforço…? — Gracus verificou o relógio, que a um toque, projetou um holograma com diversas informações. — O alarme tocou por bastante tempo, e ainda está ligado, embora o som tenha cessado. O efeito ficou limitado a este prédio, naturalmente vazio por uma série de motivos, e de alguma forma os outros prédios não receberam a informação. Malditos!

— Vamos, Gracus, você tem um outro bunker ou lugar seguro para podermos nos reagrupar e pensar nos próximos passos? Vocês irão ajudar Amaretsu? — Kátia se virou para Cecilia e Carlos.

Gracus abriu o perfil de Terra e tentou contactá-la, sem sucesso.

— O laboratório subterrâneo é sem dúvidas um dos lugares mais seguro daqui. Podemos ir até lá, por hora.
Dados:
Amaretsu: 4/20 PVs, 4/20 PMs; 11/20 cargas; Sugoi (1/7).
Tenzi: 8/15 PVs, 33/35 PMs; 13/15 cargas; Sugoi.
Cecilia: 13/25 PVs, 15/55 PMs; 13/15 cargas; Sugoi.
Carlos: 6/25 PVs, 55/69 PMs; 22/25 cargas; Sugoi (PMs>50).

Próxima atualização: dia 29.12.2019, domingo.
Editado pela última vez por Keitarô em 28 Dez 2019, 11:40, em um total de 1 vez.

Avatar do usuário
Pontus Maximus
Mensagens: 787
Registrado em: 09 Dez 2013, 21:15

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Pontus Maximus » 27 Dez 2019, 21:46

Amaretsu:

Estou no meu limite, não posso mais contar muito com uma armadura tão castigada como está a Donzela de Ferro, algumas funções creio eu que não funcionem mais, mas com ajuda da super surra que levei da senhora Kaguiya serviu pra tirar alguma experiência boa.

Fixando com mais força, as garras dos meus pés cravando o chão e me preparando para mais uma grande investida dentro dos meus limites, adquirindo a postura mais uma vez de uma fera, uma loba de aço, preparei mais 4 granadas para um próximo ataque a distância.

Com Lukas:
-Está sangrando......... Veja Lukas ele sangra....... Agora faça jus à seu título de Cavaleiro de Aço e combata que nem gente, não seja um brinquedo de testes da sua Tenente, mostre seu valor.......

Com Órion:

-Órion, você achou mesmo que sendo um caçador sairia daqui de mãos cheias? Daqui você não leva nada, aqui não há "ovelhas", e o "rasgo" que vou fazer em ti não irá sarar, você NÃO VAI CONSEGUIR NADA.

Numa sequência de arremessos eu lanço mais 4 granadas de fumaça contra Órion.

OFF: Reino Animal (H3+1, PdF1+2, Tiro a Queima Roupas)+Tiro Múltiplo=

OFF: Não me movi nesse turno, PVs 4/20, PMs 0/20.

Avatar do usuário
Galahad
Mensagens: 1919
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:33

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Galahad » 28 Dez 2019, 20:16

Tenzi

Antes de se deslocar com seu teleporte, Tenzi não comentara sobre a conversa entre Hera e Kaguya, tanto por não entender totalmente a situação da base, quanto poder não entender a relação daqueles que normalmente estariam ali e o restante do mundo.

"Tenho que me apressar!"

E no momento seguinte já se encontrava em outro lugar, vendo uma luta entre Amaretsu lutando ao lado de um guerreiro com uma arma contra um cavaleiro de cosmo poderoso. Via que a amazona de aço partia para atacar o inimigo, isso após encorajar o tal Tenente com ela.

— O cosmo da Amaretsu está em algum que passa a sensação de ser enclausurado, além de estar mais embaixo de nós.

Respondia à duvida de Kaguya, quanto à localização de Amaretsu. Mas o santo de Compasso lembrava de mais um detalhe que sentira antes, um detalhe que percebera pouco depois que chegara na Academia de Aço.

— Cavaleiro negro, o ataque de seu grupo ao Santuário falhou, desista!

Após proferir essas palavras, tentava se deslocar para ficar próximo do combate, o mais perto possível do Tenente, para em seguida invocar o mesmo poder que usará contra Kain, elevando seu Cosmo para fortalecer suas defesas a fim de não só se proteger, como também tentar proteger o amigo( ?) de Amaretsu.
F1, H3, R3, A0+5*+5**, PdF0; 8/15 PVs, 31/35 PMs; PDs 2 , PEs 4
*Compasso
** Ponto de Destino
Se possível, gastar 2 PMs pra utilizar Parede de Escudos em Lukas

Avatar do usuário
Nulo
Mensagens: 475
Registrado em: 09 Dez 2013, 20:17

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Nulo » 29 Dez 2019, 16:26

Cecilia

— Provavelmente os nossos inimigos já estavam planejando esse ataque faz um tempo e isolaram o prédio.

O que talvez denotaria algum vazamento de informações de dentro ou conluio do QG de aço com os cavaleiros negros. Teriam de sobreviver isso para depois o QG de aço melhorar sua segurança, todavia.

— Provável que sim, mas primeiro a sua segurança.

Respondia para Kátia, decidia. Como escolta, a segurança da diretora estava em primeiro lugar. Com ela em segurança, poderia partir para ajudar Amaretsu.

— Mais seguro que o bunker? Muito bem, vamos nos apressar.

Será que a direção do laboratório estava na confluência de cosmos? Esperava que não.

Avatar do usuário
Inoue91
Mensagens: 620
Registrado em: 08 Jan 2014, 02:38

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Inoue91 » 30 Dez 2019, 23:35

Carlos


— Olha, não querendo dizer que a segurança daquele bunker não fosse boa, mas aquele trapizomba do Haggar, arrebentou com a porta dele como se ela não fosse nada, e se ele sendo apenas um aprendiz já fez aquele estrago imagine alguém com mais treinamento.

O cosmo de Amaratsu estava muito alto, o que não era comum, talvez ela estivesse em combate com alguém muito poderoso e isso de certa forma deixava Carlos um pouco preocupado.

— Concordo com o que Celilia disse, primeiro a sua segurança Katia, posso estar preocupado com Amaretsu, mas ela consegue se defender, temos que te escoltar para um local mais seguro, podemos partir para este laboratório que Gracus mencionou.

Antes de partir, Carlos fazia mais uma checagem de cosmos, tentando sentir o que estava acontecendo, talvez a luta tivesse acabado, como queria levar Katia e Gracus em segurança para o local, traçar uma rota que evitasse passar por perto seria a melhor opção.

Avatar do usuário
Keitarô
Mensagens: 1328
Registrado em: 09 Dez 2013, 19:58
Localização: Mahoyiga

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Keitarô » 31 Dez 2019, 11:10

Amaretsu e Tenzi

Amaretsu percebeu que sua armadura parecia entender a situação. Cada junta, mecanismo, robô integrado, se esforçava ao máximo, casando-se perfeitamente com o corpo e Cosmo da guerreira. A armadura de aço, por um momento, parecia senciente como uma armadura sagrada (ela havia estudado que era assim que as armaduras de Atena e de outros guerreiros divinos funcionavam). Em virtude disto, seu Cosmo estava elevado, pela facilidade conferida pelo equipamento intermediário.

Repetindo a ação anterior, quatro granadas de deslocamento e fumaça foram lançadas na direção do guerreiro com o arco de luz. Esperando o momento ideal, Lukas preparou sua pistola.
Amaretsu, do ataque anterior, perdeu 16 PVs, indo a 4 PVs totais. Em seguida, usou Tiro Múltiplo, atacando três vezes.

ImagemImagemImagemImagem

FAs 10, 9, 11 e 9

Órion? rolou sua defesa.
Imagem

Lukas rolou seu ataque.
Imagem

As granadas encheram o corredor de fumaça parcial, dificultando a avaliação do estrago residual causado a Órion. Aproveitando a ação, Tenzi se transportou ao outro lado do corredor, próximo a Lukas, protegendo-o com seu Cosmo. Bem nesta hora o soldado de aço disparou contra Órion, o raio de calor sendo desviado para o teto ao chocar-se no guerreiro. Lukas ficou assustado com a energia ao seu redor, e olhou para Tenzi, em dúvida.

— Um cavaleiro? Você é aliado!?

A luz do arco de Órion se virou relampejar por dentro da fumaça. Uma flecha de raio se formou, puxando as hastes do arco de luz para traz com grande força. Não se dirigiam a Lukas… e sim, a Amaretsu. Órion ignorava a presença do soldado e mesmo do cavaleiro de Compasso.

Amaretsu viu o clarão se aproximando, uma dor leve irradiando do peito para as extremidades, um choque elétrico intenso, mas que repentinamente, cessou. Como se estivesse em câmera lenta, viu pedaços da armadura estilhaçando para os lados, seu corpo subindo no ar, sem poder mover-se pela vontade. Era só sua consciência, e um corpo inerte. Já tinha sentido aquela sensação antes, muitas vezes.
Órion rolou seu ataque:
Imagem

Amaretsu perdeu –4 PVs, indo a zero.

Órion se aproximou num salto, desfazendo o arco de energia e a aura de Cosmo. Agarrou a guerreira pela cintura, no ar, com o braço esquerdo, e com o direito abriu a palma da mão para a região atrás de Amaretsu. Esta não pôde ver o que aconteceu, mas sentiu-se mergulhar numa piscina gelada, quando perdeu a consciência.

A fumaça se desfez, e Tenzi e Lukas estavam sozinhos no corredor. Nem sinal do cavaleiro negro ou de Amaretsu. Uma sensação estranha tomou conta de Tenzi, como se ele, pela primeira vez na vida, sentisse o Cosmo da técnica de salto espacial fora do Santuário ou de Jamiel.

— … Amaretsu!? — Lukas se desesperou, sem entender.

Cecilia e Carlos

Finalmente Gracus e Kátia concordaram em algo. O homem olhou para baixo, vendo a parede improvisada feita com um monte de pedras, e estreitou os olhos em desagrado. Parecia aos poucos perceber a ficha caindo em si.

Dando as costas aos três, começou a andar na direção oposta, guiando-os à frente, o que claramente ignorava o fato de "estar sendo protegido". Desceram uma escada, passando pelo corredor onde havia grandes janelas por onde se podia ver a área de treinamento, intacta. As janelas, porém, possuíam rachaduras, e eram janelas bem espessas.

Cecilia e Carlos perceberam o Cosmo de Hera, agora que estavam mais calmos. Ela parecia se dirigir à direção de onde Amaretsu estava. Kaguya estava junto dela, seguindo. Tenzi já estava lá, provavelmente tendo se deslocado com seus saltos espaciais, os teleportes. Cecilia sentiu uma vontade estranha de correr e se apressar, sensação logo em seguida sentida por Carlos. Então, veio a fatídica sensação.

O Cosmo de Amaretsu sumiu.

O Cosmo inimigo também sumiu. Kátia olhou para os dois cavaleiros, entendendo o que tinha acontecido. Gracus pareceu alheio ao acontecido, mantendo o mesmo ritmo. Assim, alguns corredores e escadas depois, o grupo encontrou-se com Hera e Kaguya.

— Diretor General! Algo muito estranho está acontecendo. Todos nós sofremos ataques mentais, e somente agora os esquadrões estão respondendo aos chamados--

— Eu sei, capitã. Eu sei — Gracus transparecia decepção.

Hera, mesmo pela máscara, tinha a mesma energia que Kátia ao olhar para Cecilia e Carlos.

Extra

Amaretsu teve um sonho estranho, misto de pesadelo e aventura. Corria por florestas a uma velocidade anormal, com movimentos não humanos. Encontrou um lago, onde bebeu água, e percebeu estar em forma bestial, um lobo gigantesco. Colocou-se em pé, voltando à forma humana, nua. Correu mais um tanto, saltando entre árvores, livre. O sol se punha, e a noite veio, e a mulher tornou-se mais sorrateira e silenciosa.

Percebeu movimentação na floresta, e seguiu, escondida. Parou nos galhos de uma árvore, e sentiu o corpo congelar — não podia controlá-lo, e uma voz dizia "você não pode interferir, isto já aconteceu". Uma matilha de lobos circundava uma família humana, que possuía um filho de cabelos escuros espetados. Sem piedade, ou por fome, os lobos atacaram, estraçalhando a mulher. O homem pegou um pedaço de pau, colocando-se à frente do corpo dela, e do filho, e em seguida os lobos o mataram, quase sem resistência.

O menino recuou, chorando. Pensou em correr, mas o lobo maior saltou sobre ele, derrubando-o contra uma árvore. Com um rápido movimento de pata, rasgou a junta do pescoço do rapaz com o peito, iniciando uma hemorragia gravíssima. A criança caiu inerte no chão.

Os lobos chegaram ao lado do corpo do menino, quase sem vida. Uma energia estranha tomou conta do lugar, conhecida por Amaretsu. Os lobos, um a um, tornaram-se gente.

Os olhos do menino voltaram a demonstrar medo, mas agora, algo mais. Fúria, raiva, vingança. A noite de lua cheia iluminou repentinamente aquela pequena clareira. Cosmo surgiu do menino, fazendo os lobisomens recuarem. Um grito infantil, uma explosão de energia, e os assassinos foram lançados para trás, sendo despedaçados.

O grito roubara todas as energias da criança, que por forçar as cordas vocais, sangrava ainda mais. Os cabelos começaram a branquear, como se a força vital tivesse sido roubada ou usada toda de uma vez. O olhar tornou-se distante, mas por algum motivo, o menino sorriu. Uma luz descia dos céus, da lua.

Amaretsu acordou sentindo-se bem. Estava recuperada, sem armadura, o rosto sem a máscara. Tinha algemas nos pulsos, que não a apertavam, mas incomodavam sua energia, e vestia uma roupa leve e comprida, meio rasgada. Estava numa cela de prisão. Sentado, à sua frente, um homem de cabelos claros e roupas surradas como as de Amaretsu. Não estava preso. Ao coçar os olhos, ela entendeu que se tratava do cavaleiro com quem batalhara, não sabia há quanto tempo. O pescoço do homem tinha cicatrizes fundas de garras gigantes. Ele fez gestos com a mão, indicando Amaretsu e si mesmo. Não sorria, nem parecia surpreso.

Órion.
Fim do ato 2. Haverá, como de costume, o 2.5 para conectar os fatos, em breve (até amanhã).

Peço que não postem até lá. Feliz ano novo!

Dados:
Os PEs distribuídos já podem ser usados. Eles foram distribuídos de acordo com as ações, performance em combate e o equilíbrio. Alguns mais poderão ser dados no começo do 2.5. Atenção! Amaretsu propôs flanquear um inimigo, ainda que tenha Código do Combate (dentro do de Atena) e da Honestidade.

Amaretsu: 20/20 PVs, 20/20 PMs; sem dados da armadura. Recebeu 5 PEs.
Tenzi: 8/15 PVs, 31/35 PMs; 13/15 cargas; Sugoi; Parede de Escudos em Lukas (A10). Recebeu 3 PEs.
Cecilia: 13/25 PVs, 15/55 PMs; 13/15 cargas; Sugoi. Recebeu 3 PEs.
Carlos: 6/25 PVs, 55/69 PMs; 22/25 cargas; Sugoi (PMs>50). Recebeu 2 PEs.

Responder

Voltar para “Cavaleiros do Zodíaco Alpha”