Eä - Aventura

Avatar do usuário
ramongtx
Mensagens: 14
Registrado em: 16 Out 2014, 15:53

Re: Eä - Aventura

Mensagem por ramongtx » 26 Jan 2015, 23:30

As coisas mudaram de rumo muito rapidamente na arena. Quando o clérigo invadiu a área, a batalha tinha sido invalidada e todas as apostas perdidas. Agora aquilo era só um quebra-pau sem sentido e o que parecia ser só mais um combate clássico de arena, estava transformando-se num campo de batalha, e tudo isso só alegrava Uhtred, que mantinha um sorriso perverso enquanto os eventos se sucediam.

Se o invocador no centro da arena estava querendo uma briga séria, o centauro lhe daria uma.

Uhtred permitiu a aproximação das sombras, subestimando tanto sua velocidade quanto suas habilidades de combate e, mesmo evitando dois golpes, recebeu o terceiro de leve. Estando cercado, a enorme lança montada do centauro não seria muito eficaz. Num movimento fluído e único, ele deixou a lança presa no descanso na lateral de seu corpo, empinou seu corpo nas patas traseiras, e sacou dali seu machado de batalha enquanto urrava "Herlighet!" (Glória!), aproveitando ainda o momento proporcionado pelo saque da arma e pelo peso de seu corpo para já fazer um movimento de ataque contra a sombra que havia lhe tirado sangue.

OFF:
A lança montada tem um alcance mínimo de 3 metros, como Uhtred já está sendo atacado corpo-a-corpo, ele não tem condições de usá-la em combate;
Saque rápido permite a rápida troca de arma;
Um ataque tradicional contra a sombra: +8 (6+2d6 de dano, Crit x3);
A habilidade passiva de senhor da guerra Presença Dominante, dá a todos os aliados que conseguem vê-lo +1 de ataque e +1 de dano;

Avatar do usuário
blue
Mensagens: 56
Registrado em: 04 Out 2014, 18:54

Re: Eä - Aventura

Mensagem por blue » 27 Jan 2015, 08:44

Barbalonga sorri quando Arvoui diz que vai atrás de seu antigo amigo, Fëanor, e responde:

--- Que esta, então, te permita chegar mais próximo da sua Jornada, Arvoui. ---
sobre a pergunta a respeito do Pai Criador, o Semelhante diz --- Por vezes ainda surgem um ou outro novo habitante da nossa cidade. O Criador já não nos cria com a mesma frequência como antigamente.

Os dois se dirigem até a fronteira da Cidade e Barbalonga aponta para um caminho no meio da floresta:

--- A Floresta dos Sussurros fica nesta direção. Mantenha a sua mente focada em seu amigo e no Criador e Eä'Singen te guiará até os dois.
Imagem

Avatar do usuário
Galahad
Mensagens: 1918
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:33

Re: Eä - Aventura

Mensagem por Galahad » 27 Jan 2015, 14:38

Arvoui escutava as palavras do ser, e tinha certeza de às gravar em sua mente, a fim de não as esquecer, pois eram importante, mesmo as sobre o Criador não criar tantos daquele povo como antes.

--- Antes de seguir meu caminho, Barbalonga, gostaria de saber a que perigos deve ficar atento.

Ao receber a resposta, agradecia e seguia seu caminho, tendo seu amigo e o tal Pai Criador em mente.

Avatar do usuário
blue
Mensagens: 56
Registrado em: 04 Out 2014, 18:54

Re: Eä - Aventura

Mensagem por blue » 28 Jan 2015, 00:53

--- É da floresta que o Criador retira a Ehmilkae, a madeira mágica que molda o corpo de todos nós --- Barbalonga explica, batendo duas vezes em seu peito com os ossos da mão e emitindo um som oco --- Apesar que todos os habitantes daqui sejam benévolos, apenas o somos devido às mãos do Criador. Ele é o responsável por moldar a energia natural que nos dá vida, evitando que sejamos corrompidos e transformados em seres malignos. A Ehmilkae é uma espécie de pinheiro que absorve todo o tipo de energia... desde as boas até as ruins, portanto tome cuidado.

Com as palavras de Barbalonga em mente, Arvoui parte em direção à Floresta dos Sussurros. Sempre com seus pensamentos focados em Fëanor e no Pai Criador, o elfo caminha por algumas horas na trilha em meio às árvores, até que nota o vento se mover e soar diferente. Leves correntezas de ar pareciam chegar até o mago de formas intervaladas, porém ininterruptas. Levavam alguns aromas exóticos que o elfo nunca havia sentido, mas também alguns que lhe eram familiares, provavelmente de árvores e plantas comuns em Galenbar. Junto com o cheiro, Arvoui podia escutar silvos heterogêneos que eram carregados pelo vento. Algumas vezes altos, outros, entretanto, quase imperceptíveis para a audição élfica. Após algum tempo, notou que se tratavam de sussurros...

"Veja... veja... mais um Orelha Pontuda na nossa casa..."

"Shhhhh! Este vai... ouvir...! Shhhhh"

"O que Este quer? Será que está atrás d'Aquele?"


Sabia, então, que estava no meio da Floresta dos Sussurros. Os sons vinham com mais frequência e Arvoui conseguia perceber diferentes personalidades em meio às vozes. Viu que, ao seu redor, as árvores tomavam um aspecto diferente. Eram pinheiros altos, cujos troncos variavam em cores e padrões da casca. Formavam com suas copas entrelaçadas uma espécie de teto de folhas e galhos que deixavam apenas filetes de luz alcançarem o chão da floresta. Coberto de pinhas dos mais diversos tipos, o chão também apresentava características peculiares. Era avermelhado e úmido, sujando as botas do elfo com facilidade.


"Este procura a morte... Nois dá morte para Este"

"Não! Este pode ser forte!"

"Fuja, Este! Fuja!!!!"

"Shhhhhhh... fique queita! Nois dá o que Este quer... shhhhhhhh"

"Este veio atrás d'Aquele! Nois deve deixar Aquele ir!"

"Sim, sim! Nois deixa Aquele ir embora!"

"Nois deixa, Este, nois deixa!"

"NÃOOO!!! Burros.... Idiotas.... Nois sabe o que o Filho fará com nois! Burros.... Idiotas... Querem que ele queime nois??" --- a voz quase pareceu um grito ao longe.

"Não... o Filho queima. O Filho destrói..." --- o som chegou aos ouvidos de Arvoui como um choro.

"Nois cuida d'Este... nois cuida...."

"Sim... isso... Nois é bom para o Filho... Nois faz o que o Filho quer..."

"Shhhhhh ... Nois leva Este para o Filho... igual nois levou Aquele! Shhhhhh"

"Isso... isso... Filho fica feliz com nois!" --- a voz sussurou de leve.



==========================


--- Soleil, guardião de todos nós, restaure as forças dos debilitados, para que possam fazer o bem mais um dia. Traga de volta as energias dos cansados, através da sua mão. --- Liorav orou, erguendo o seu símbolo sagrado na altura da face e apontando para as criaturas a sua frente.

Uma onda de energia sai do objeto sagrado, rumando em um círculo centrado em Liorav para todas as direções. A medida que se desloca a energia amarelada levanta a areia do chão e acerta as criaturas de sombra. Elas soltam guinchos de dor se afastando alguns metros do clérigo e de Uhtred. Nas suas costas, é possível notar que as runas, que antes mal eram visíveis, se acendem, destacando-se do resto do corpo esguio e negro dos monstros.

Quando a energia proveniente do humano acerta Uhtred, este percebe que o machucado que lhe haviam causado há pouco não mais doer. Impulsionado por uma onda de bravura, o centauro ergue-se nas patas traseiras e, utilizando do peso do seu corpo, descer seu machado de batalha na criatura mais próxima.

--- HERLIGHET!

A lâmina da arma acerta em cheio a runa gravada nas costas da criatura. A runa brilha, emitindo uma luz roxa, e então se desfaz. A criatura emite um som agudo e estridente e explode em névoa negra, lançando uma energia invisível poderosa que empurra as outras sombras ao redor e quase faz Liorav perder o equilíbrio. O machado de Uhtred ainda continua o movimento, como se trespassasse a criatura e acerta o chão. A névoa que compunha o corpo da sombra se dispersa e se desloca rapidamente de volta para o domo, se somando à composição da estrutura nebulosa.

Liorav olha assustado para o centauro, admirando a força do gladiador. Inspirado, ele volta sua atenção novamente para as sombras que ainda se debatiam próximas dele.


Aproveitando que Irys estava no chão, Hellium ergueu sua espada acima de sua cabeça, preparando-se para dar o golpe de misericórdia na elfa. Mais rápido do que ele, entretanto, uma sombra pulou sobre o humano, jogando-o no chão. Os dois rolaram alguns metros para longe de Irys e Gulk, a sombra montada por cima do gladiador desferindo golpes com suas garras afiadas. Hellium se defendia como podia, utilizando um dos braços para bloquear os golpes da criatura, enquanto tateava pela espada curta de Irys que jazia a alguns metros de si. Quando conseguiu alcança-la, ele tentou furar a cabeça da sombra com a ponta da espada, entretanto, como se a criatura fosse incorpórea, a lâmina passou por dentro do corpo feito de sombras. A surpresa tomou a face do gladiador, antes que a sombra desferisse um golpe fatal e cortasse sua jugular com suas garras.

Irys notou que talvez aquelas criaturas não pudessem ser atingidas com facilidade. Ergueu-se do solo e colocara o nariz no lugar, pegando o tridente aos seus pés e pondo-se ao lado de Gulk.

Ao seu redor, havia mais 6 criaturas de sombra.
Já próximos de Uhtred e Liorav, outras 3 sombras os cercavam.



==========================

OFF:

Rodei um 20 para Uhtred :D
Além disso, o Canalizar Energia curou todo o dano que a sombra havia causado em Uhtred, além de deixar as sombras próximas Apavoradas

Galahad, pode considerar que Arvoui escutou os sussurros (rodei um percepção e você passou tranquilamente)

Iniciativa:
Uhtred & Liorav
Irys
GULK <<<<<<<<<<<<< SUA VEZ
Inimigos

DonaKei, você ganhou um ponto narrativo =D
Imagem

Avatar do usuário
jirayajonny
Mensagens: 61
Registrado em: 09 Dez 2013, 22:14

Re: Eä - Aventura

Mensagem por jirayajonny » 28 Jan 2015, 01:33

Ao sentir o gosto do sangue do guerreiro, Gulk começa a se lembrar dos seus momentos de luta no seu Pântano na Latvéria. As Caçadas, as lutas pela sobrevivência, com os caçadores... Seus músculos e veias incham, assim como suas juntas estalam pelo estranho esforço ante o combate. A Selvageria toma conta de seu corpo, sua mente primitiva e seus olhos se enchem de sangue, e do vermelho da Fúria Bárbara.

-- GUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUULLLKKKK!!!! -- O grito bestial reverbera pelos escombros e arquibancadas, anunciando que a máquina de morticínio estava pronta para fazer o que nasceu para fazer.

Com a sede de sangue, Gulk ergue seu tacape, pronto para matar a criatura de sombras mais próxima, emendando uma nova mordida farta e cheia de perdigotos. Mas nunca se afastando demais de sua Dama Vermelha.

--

[OFF]: Mordida + Tacape + Fúria; (+5/+6); Dano 8+2d8/8+1d8; x2; Perfuração/Esmagamento; RD 1 e CA -2 por 10 Turnos.

Blue, vou na Sombra q tiver mais próxima, sem ficar longe demais da Irys.

DUVIDA: Em futuras compras de Talentos, eu poderia pegar o Talento Sede de Sangue, do Piratas e Pistoleiros? É sistema d20 antigo ainda... Nao lembro dele ter tido Reboot.

Avatar do usuário
Galahad
Mensagens: 1918
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:33

Re: Eä - Aventura

Mensagem por Galahad » 28 Jan 2015, 23:10

Ehmilkae, isso parecia uma ameaça séria a Jornada de Arvoui, ficava pensando se eles seriam como os habitantes daquela cidade, ou então os ents que eram parte da cidade, as duas alternativas eram ruins, mas talvez a primeira opção fosse menos perigosa. Arvoui agradecia o aviso de Barbalonga, e partia da cidade, seguindo o caminho da Floresta dos Sussurros, o qual logo descobrira o motivo deste nome, talvez aqueles seres, vegetais de algum tipo, usassem desses sussurros para confundir viajantes, fazendo com que perdessem foco do caminho.

"Não posso deixar que me distraiam do meu caminho, tenho que achar o tal Pai Criador e Fëanor"

Arvoui focava sua mente nessas duas pessoas, especialmente seu amigo Fëanor, com que estava preocupado, pois achava que ele poderia ser quem aqueles seres chamava de Aquele, e talvez o Filho fosse outro viajante, u mesmo um Ehmilkae, embora achasse difícil um pinheiro, ou algum ser como os da Cidade, queimando coisas, já que seria arriscado para ele também. O elfo então falava, num tom que não era nem ameaçador e nem agressivo, mas algo entre neutro e amistoso.

--- Seja quem ou o que vocês forem, eu não quero problemas com vocês. Busco aquele conhecido como Pai Criador, e outro da minha raça, se não me causarem problemas, não ire fazer nada contra vocês.

Avatar do usuário
blue
Mensagens: 56
Registrado em: 04 Out 2014, 18:54

Re: Eä - Aventura

Mensagem por blue » 29 Jan 2015, 23:11

"Huuuuu... Este quer o Pai Criador!"

"Shhhhhh... nois fica quietos... as vezes Este vai embora!"

"Cala a boca... nois engana Este igual enganamos Aquele... nois leva Este para a morte"

"Não! Nós deve levar para o Pai Criador! Nós pode pedir para o Criador fazer nós virar um!"

As vozes ficaram quietas por um momento, como se ponderassem entre si o que a última havia dito. Arvoui notava que algumas delas eram sussurros femininos e outros masculinos. Eles pareciam ter diferentes personalidades, alguns mais agressivos outros medrosos, e o elfo se perguntava onde que estavam e como projetavam suas vozes.

"Responde para nós, Este", um sussurro feminino saiu do topo das árvores, "Este acerta os enigmas de nós e nós leva Este para o Criador"

"Bebe, mas não de um copo. Os mil dedos usa apenas para comer. Os anéis não é de ouro, mas marca a idade. Morre a cada ano e mesmo assim tempo apenas deixa mais forte. Esconde muito abaixo dos pés de Este, mas se Este olhar para cima vai encontrar. Quem é ela? "




================================


Gulk urrou e, por alguns segundos, a plateia se calou em surpresa, voltando sua atenção para o grandalhão. O homem-crocodilo não enxergava nada que não seu alvo. Ele ergueu o tacape e ataca a criatura de sombras mais próxima. A sua arma descreve um arco longo em direção à cabeça da criatura, entretanto quando a madeira do tacape toca no guerreiro de sombras, ele se desfaz em névoa, deixando que o golpe passe pelo seu corpo e então se materializa assim que a arma deixa de tocar a névoa. Gulk então tenta morder a sombra, entretanto ela rola para o lado e escapa das presas da besta verde.

Irys percebe que, quando a criatura se torna corpórea novamente, diversas runas élficas nas costas do monstro se iluminam, emitindo uma tênue luz negra. Poucos segundos depois, elas se apagam, tornando-se identificável sob o manto negro que cobria o monstro.

A sombra que Gulk havia atacado então revida com um golpe de machado. A lâmina negra atinge a parte de trás do joelho esquerdo de Gulk, fazendo-o urrar e se desequilibrar um pouco. Se fosse um humano comum, o golpe provavelmente teria incapacitado a perna, entretanto o gigante verde apenas urrou e afastou a sombra com um movimento em falso de suas garras. Aproveitando a distração, outras duas sombras também investiram. A primeira saltou, tentando fincar sua espada no peito do homem-besta, que reagiu rapidamente e bloqueou o golpe com seu antebraço e jogando o inimigo alguns metros para longe. A segunda, entretanto, com movimentos rápidos alcançou as costas do grandalhão e, com suas presas proeminentes, mordeu-lhe a panturrilha direita.


Irys segurou firme seu tridente. Os monstros além de rápidos e fortes, agiam de forma coordenada e sabiam como enfraquecer seus alvos, atacando as pernas ou desarmando-os.
As outras três sombras que os cercavam rumaram para atacar Irys. As duas primeiras criaturas ergueram suas armas, um machado e uma espada, acima de suas cabeças e desceram na direção da elfa. Irys saltou para trás e ergueu seu tridente na horizontal, protegendo-se das lâminas que se chocaram com o metal. A última criatura investiu pela lateral da ranger, empunhando duas adagas negras. Irys virou-se para se defender, erguendo o tridente a sua frente, porém de forma semelhante ao inimigo que havia desviado do golpe de Gulk, a sombra se desmaterializou em névoa no momento que atingiria a elfa. A névoa passou pela guerreira rapidamente e Irys apenas sentiu a fisgada das adagas em suas costas quando era tarde demais.

A sombra saltou para longe, erguendo os braços para frente. As adagas, presas nas costas da elfa, se tornaram névoa e se materializaram em suas mãos. Irys notou, novamente, que as runas espalhadas pelo corpo da criatura iluminavam-se tenuemente.


As sombras que cercavam Uhtred e Liorav se afastaram em desespero, ainda afetadas pela energia emanada pelo clérigo. As runas de seus mantos ainda brilhavam a medida que elas se distanciavam.

Do centro do domo de névoa, Liorav pode ver que "braços" de energia negra se lançavam pelos ares. O clérigo olhou para o céu e viu que quatro pessoas flutuavam metros acima da arena, sendo uma delas sendo Lady Sophia. Pelo canal que ligava seus corpos com o domo, fluídos esbranquiçados rumavam das testas de cada um deles na direção do domo. Como se ele estivesse sugando tal fluído dos quatro e, a medida que isso acontecia, o domo se reduzia lentamente.






OFF: Gulk tomou 7 de dano e Irys tomou 9. Como todos estão todos um em seguida do outro na iniciativa, não precisam esperar o outro postar para postarem.
Podem continuar o jogo =D

Iniciativa:
Uhtred <<< SUA VEZ
Liorav <<< SUA VEZ
Irys (PVs 6/30)<<< SUA VEZ
GULK (PVs 20/54)<<< SUA VEZ
Inimigos
Imagem

Avatar do usuário
Dornelles
Mensagens: 184
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:06

Re: Eä - Aventura

Mensagem por Dornelles » 30 Jan 2015, 00:42

Desmortos. Isso era bom. Lioravo poderia se livrar deles depois, porque seja lá o que estivesse acontecendo, o tempo era curto. E por mais que tivesse uma obrigação para com Lady Sophia, não podia deixar que a elfa morresse em combate. Não sabia se o crocodilo gigante era animal de estimação dela, protetor dela ou um animal que comeu as sobras de um experimento arcano, mas facilitaria as coisas pra todo mundo.

Correndo na direção das sombras acuando os combatentes, ele ora a Soleil mais uma vez. Não iria curar os feridos, infelizmente, mas evitaria que morressem por causa da magia de Etelenarinho. Dali mais alguns instantes lidaria com ele.

-Gladiador, o responsável por isso está dentro daquela redoma! Tente derrubá-la e isso tudo acaba! Rápido, antes que os inocentes flutuando paguem um preço alto demais!-grita a Uhtred, enquanto certifica-se que as sombras acuando a elfa e o crocodilo muito bem alimentado.



Off: ação de movimento pra me aproximar e mais um Canalizar pra Expulsar as sombras que pegaram os dois de jeito, antes que alguém se fira mais. Depois que elas estiverem afastadas, talvez consiga curar a Irys se o Gulk não me lanchar. :P
ImagemImagemImagemImagem

Dream Team

Avatar do usuário
Galahad
Mensagens: 1918
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:33

Re: Eä - Aventura

Mensagem por Galahad » 30 Jan 2015, 21:39

Por aquilo Arvoui não esperava: um daqueles seres fazendo uma charada para ele. Bem, estava num reino impregnado com a magia das fadas, coisas estranhas estavam fadadas a acontecer, pelo menos aquela situação poderia acabar ajudando o elfo. Arvoui ficava pensando naquela questão, as partes iniciais confundiam um pouco o mago, que não entendia aquilo de comer, mas não de um copo, e que comia com seus mil dedos, mas as partes seguintes deixavam mais claras, a parte dos anéis fazia logo o elfo pensar numa árvore, algo que aprendera na Academia, e a parte de esconder muito abaixo dos pés remetia aos tais dedos, que fazia Arvoui pensar em raízes.

"Será que é tão fácil assim?"

--- A resposta para sua pergunta é árvore. A árvore tem raízes que bebem água, e comem dos nutrientes da terra, assim como possuem anéis que marcam sua idade.

Avatar do usuário
jirayajonny
Mensagens: 61
Registrado em: 09 Dez 2013, 22:14

Re: Eä - Aventura

Mensagem por jirayajonny » 30 Jan 2015, 22:18

Post Diferenciado: Vou postar por mim e a DonaKei

Gulk se irrita mais ainda diante da ineficácia de seus golpes, tinha certeza q acertara! Também não sentiu gosto algum ao aplicar sua poderosa mordida no ser escuro. Fora ferido, não se importara. Pensava apenas em se debater, tentando pegar a coisa q se agarrou nele.

Irys vira pela segunda vez as estranhas runas roxas nos "Espectros", e tentava puxar da memória se algum dia já teria avistados tais marcas (TESTE: Inteligencia 11). A Elfa ficara preocupada, tanto ela quanto Gulk não conseguiram sequer arranhar as Sombras, mas ambos foram feridos. Ela estava sem sua espada... Seria muito melhor lutar utilizando ela também.

(OFF: Vou fazer nossas ações baseado no sucesso do Dornelles)

Certo momento, o estranho homem que ajudou o Homem-Cavalo se aproximou correndo levantando um medalhão aos céus assim como fez antes. Irys preparou-se para se defender... Quando as criaturas saíram correndo em desespero, como se estivessem sendo queimadas por ácido, proveniente daquela luz.

Irys aproveitou e com um movimento acrobático de seu Tridente, saca sua Espada Curta do chão.

Gulk fica confuso com o ocorrido, mas se entrega a fúria novamente e parte para atacar a sombra que lhe mordeu a panturrilha, desferindo um forte golpe com o Tacape.

[Tacape + Fúria; (+10); Dano 8+2d8; x2; Esmagamento; Redução de Dano 1] - Fúria Turno 2/10

OFF: Irys faz seu teste de INTELIGÊNCIA e o Gulk ataca, tudo isso depois do Dornelles agir

Responder

Voltar para “Eä”