O Vale das Sombras

Avatar do usuário
Aquila
Mensagens: 3394
Registrado em: 10 Dez 2013, 13:49
Localização: Lamnor
Contato:

Re: O Vale das Sombras

Mensagem por Aquila » 04 Jan 2019, 14:55

Imagem

O Vale das Sombras
Parte 1 - Conhecendo o Inimigo

Aldeia de Beorna - Norte de Fortuna
Anoitecer de Tirag 19 Sob Altossol - 1410


Kyösti

Você está no telhado da estalagem, observando a escuridão da noite enquanto recupera o fôlego, depois da escalada rápida que precisou realizar pela parede da chaminé.

O vento da noite sufoca os ruídos abafados que vem das ruas logo abaixo, criando uma sensação de solitude parecida com a que se sente quando se está no cume de uma montanha, mas você sabe que não está totalmente seguro, pois de onde está é possível ver as ameias da velha muralha que cerca a aldeia, e as silhuetas dos guardas que a patrulham.

Não fosse pela neblina que sobe do Rio Umber, a oeste, e pela sombra criada pela lua crescente, os guardas o teriam visto assim que você alcançou o telhado instável da estalagem - as grossas telhas de pedra suportariam até mesmo uma corrida, você percebe assim que sobe no telhado, mas o limo e a umidade da noite o deixam traiçoeiramente escorregadio.

Mas você não tem tempo a perder imaginando a resistência do prédio. Logo a sombra criada pela lua vai desaparecer, e as chances de ser descoberto aumentarão muito, então você se põe em movimento, seguindo para o outro lado da estalagem, usando as mãos para aumentar o equilíbrio.

Um bando de pássaros levanta voo quando você se aproxima do outro extremo da estalagem, atraindo a atenção dos guardas na muralha, que agora estão a não mais do que trinta metros de onde você está. Você se encolhe na sombra do telhado, os olhos fixos nos guardas, ficando imóvel por um momento que parece durar uma eternidade, mas felizmente eles logo voltam sua atenção para os campos escuros que cercam a aldeia. Assim que eles desviam o olhar, você avança os passos finais até alcançar a segurança da chaminé do quarto onde a garota está alojada.

A chaminé o protege do vento frio da noite, mas logo fica claro que você não conseguirá ouvir nada se ficar perto do calor agradável que emana da pedra. Assim, com cuidado, você se aproxima da borda do telhado, sentindo os pés escorregando na pedra desgastada, até que apenas seu equilíbrio o protege de uma queda de quase seis metros.

Você fica parado no limite do telhado por alguns minutos, tentando discernir as vozes encobertas pelo uivo do vento, sentindo seus músculos enregelarem, considerando a cada momento que essa pode não ter sido uma boa ideia, até que a voz de Gaunter o sobressalta.

- ... assim que recebi a mensagem - você escuta o mercenário dizer, a voz abafada pela janela fechada.

- Não, isso não está certo... - você escuta a voz de Britannia pouco depois, detectando uma leve perturbação. - Não foi o combinado...

- O que houve, senhora?

- Ele está vindo buscá-la...

- Ele quem, senhora... Espere... quer dizer... ele? E-ele mesmo? M-mas como...? Pessoalmente? P
or quê...?


- Importa? Pode perguntar para ele quando o encontrar, se tiver coragem... Edith, prepare a garota para viajar. Agora! Não interessa se ela está fraca. Prepare-a para viajar. Não, não, roupas de frio... Vou lhe dar uma poção para ajudar a resistir, mas prepare-a para o frio... Reúna seus homens... Ele vai pegá-la na torre arruinada, perto da meia-noite...
Dados dos Personagens
  • Lyra <> PVs: 8/8; PMs: 5/5; PAs: 2/2; CA: 14 <> Condição: <> 0 XP <> Dinheiro: 35 tibares de ouro.
  • Turok <> PVs: 17/17; PAs: 1/1; CA: 16 <> Condição: <> 0 XP <> Dinheiro: 4 tibares de ouro.
  • Kyösti <> PVs: 14/14; PAs: 1/1; CA: 16 <> Condição: <> 0 XP <> Moedas: 12 tibares de ouro.
Editado pela última vez por Aquila em 15 Jan 2019, 11:20, em um total de 1 vez.

Avatar do usuário
Astirax
Mensagens: 1214
Registrado em: 06 Fev 2014, 18:02
Localização: Capivara City

Re: O Vale das Sombras

Mensagem por Astirax » 05 Jan 2019, 07:19

Rhaysa escreveu:- Um pouco de descanso vai te deixar melhor, tenho certeza. Vamos ficar aqui um pouco mais, ver se conseguimos falar com o Kal. Também quero saber um pouco mais sobre essa tal escavação de que estão falando – as pessoas da vila não parecem surpresas com os cavaleiros negros. Avisamos se acontecer alguma coisa.
Tinha a permissão de um do grupo, enquanto Turok provavelmente focaria no objetivo, como sempre.

Lyra subiu as escadas e encontrou uma pessoa da comitiva sendo educado acenando levemente com a cabeça e acenou de volta, depois indo diretamente à seu quarto.

Tudo à seu tempo, mas parece que os quartos são próximos

Lyra usou a chave e entrou, no entanto se trancar novamente os outros não poderiam entrar, pensou brevemente. Deixou sua pesada mochila encostada a porta destrancada, pois o vento jamais moveria tanto peso.

Procurou a cama e deitou, porem estava absurdamente alerta e ansiosa, o contrário necessário para dormir.

- Lyra, apenas relaxe - disse Lucifer
- Não consigo, não parece certo. - disse Lyra mentalmente.
- Confie em mim, como sempre fez. -

Lucifer tinha uma capacidade, a de realmente acessar qualquer magia, mas de forma limitada. Sua forma luminosa tecia um feitiço, moldava algo que Lyra precisava ali, naquele momento, e uma onda de sono a convidou para o descanso.

- Voce vai sentir agora o peso de muito treino, mas terá se passado apenas uma hora no mundo real. - disse Lucifer, começando o treinamento de Lyra.
Off:
Usei o poder diário do Talento Regional Amigo Invisível para Lançar a Magia Sono, o teste tinha CD 10, e rolei um total de 19. Lyra falhou voluntariamente contra a magia Sono, podendo dormir.

No Status deveria estar PV 10/10, PM 8/8 e CA 15.

Avatar do usuário
Padre Judas
Mensagens: 9062
Registrado em: 13 Dez 2013, 16:44
Localização: Belo Horizonte - MG

KYÖSTI IRKH’OSKARI

Mensagem por Padre Judas » 14 Jan 2019, 10:49

Imagem
Kyösti
Imagem
“Isso é interessante. Hora de sair daqui.”
Saiu rapidamente. Precisava chegar aos outros e avisar que precisavam estar na torre arruinada. Talvez estivessem perto da solução...
BAÚ DO JUDAS
JUDASVERSO

Alexander: Witch Slayer [Kaito_Sensei]
Dahllila: Relíquias de Brachian [John Lessard, TRPG]
Jonz: Tormenta do Rei da Tempestade [John Lessard, D&D5E]
Syrion: Playtest T20 [Aquila]
Takaharu Kumoeda: Crônicas do IdJ [Aquila]
Yellow: Defensores de Mega City [John Lessard]

Avatar do usuário
Lord Seph
Mensagens: 13714
Registrado em: 09 Dez 2013, 17:50

Re: O Vale das Sombras

Mensagem por Lord Seph » 15 Jan 2019, 11:53

Turok deu de ombros com a sugestão. Dormir ali seria o básico, e depois da saída de Lyra ele se recolhe também.

Mas sempre mantendo-se em alerta.
Melhor queimar do que apagar aos poucos.
-Neil Young.
o lema dos 3D&Tistas
"-seremos o ultimo foco de resistência do sistema"
Warrior 25/ Dark Knight 10/ Demi-God.

Avatar do usuário
Aquila
Mensagens: 3394
Registrado em: 10 Dez 2013, 13:49
Localização: Lamnor
Contato:

Re: O Vale das Sombras

Mensagem por Aquila » 15 Jan 2019, 12:53

Imagem

O Vale das Sombras
Parte 1 - Conhecendo o Inimigo

Aldeia de Beorna - Norte de Fortuna
Anoitecer de Tirag 19 Sob Altossol - 1410


Kyösti

Você se afasta lentamente da beirada do telhado, cuidado para não escorregar nas telhas úmidas, ouvindo os sussurros no quarto diminuírem de intensidade até serem engolidos pelo vento da noite. Se afastar da beirada é mais fácil do que se aproximar, mas ainda assim você precisa de toda a sua agilidade para evitar deslizar para a escuridão, se movendo silenciosamente como uma pantera...

Crack!

O som da telha quebrando ecoa como um grito no silencio da noite, alertando os guardas na muralha.

- Ouviu isso? - você ouve um dos guardas na muralha falar, a luz opaca da tocha que ele carrega aumentando de intensidade quando ele se aproxima da estalagem. Mas quando a luz da tocha ilumina o telhado, projetando as sombras das chaminés sobre as telhas esverdeadas, você não está mais lá.

- Deve ter sido um gato - diz outro guarda, enquanto você se afasta, esgueirando-se como um.

O lado norte do telhado é mais seco do que o lado sul, graças a grande chaminé erguida na lateral da taverna, ladeada por uma dezena de outras menores, todas cercadas por ninhos de pássaro, abandonados. A torre do templo se ergue muito acima da taverna, poucos metros depois da chaminé principal. "Um impulso e um salto" e você poderia alcançá-la, você imagina, mas a possibilidade é deixada de lado enquanto você salta para o telhado de um dos depósitos da estalagem, pouco abaixo, daí para um amontoado de barris, e finalmente para uma carroça de feno, antes de alcançar a viela estreita do templo, saindo na estrada principal.

Você demora um momento para arrumar suas roupas antes de seguir para a taverna, mas, antes de sair da viela, dá de cara com Rhaysa.

- Ei, olha por onde anda... - a espadachim, diz, evitando o encontrão com agilidade, reconhecendo-o. - Kal? Estava indo te procurar; vi quando você saiu, mas não queria levantar suspeitas, então esperei um pouco antes de sair. Puxa vida, há mais guardas do que eu imaginava... Tem alguma ideia de como vamos levar a garota?
Dados dos Personagens
  • Lyra (Humana Feiticeira 2) <> PVs: 10/10; PMs: 8/8; PAs: 2/2; CA: 15 <> Condição: <> 0 XP <> Dinheiro: 35 Imagem
  • Turok (Meio-Dríade Ranger 2) <> PVs: 17/17; PAs: 1/1; CA: 16 <> Condição: <> 0 XP <> Dinheiro: 4 Imagem
  • Kyösti (Meio-orc Ladino 2) <> PVs: 19/19; PAs: 1/1; CA: 17 <> Condição: <> 0 XP <> Moedas: 12 Imagem
Editado pela última vez por Aquila em 19 Jan 2019, 10:38, em um total de 4 vezes.

Avatar do usuário
Padre Judas
Mensagens: 9062
Registrado em: 13 Dez 2013, 16:44
Localização: Belo Horizonte - MG

KYÖSTI IRKH’OSKARI

Mensagem por Padre Judas » 18 Jan 2019, 07:27

Imagem
Kyösti
Imagem
– Tenho.
Ele conta à garota o que ouviu.
Kyösti
Imagem
– Chame os outros. Precisamos ir até esta torre.
BAÚ DO JUDAS
JUDASVERSO

Alexander: Witch Slayer [Kaito_Sensei]
Dahllila: Relíquias de Brachian [John Lessard, TRPG]
Jonz: Tormenta do Rei da Tempestade [John Lessard, D&D5E]
Syrion: Playtest T20 [Aquila]
Takaharu Kumoeda: Crônicas do IdJ [Aquila]
Yellow: Defensores de Mega City [John Lessard]

Avatar do usuário
Aquila
Mensagens: 3394
Registrado em: 10 Dez 2013, 13:49
Localização: Lamnor
Contato:

Re: O Vale das Sombras

Mensagem por Aquila » 19 Jan 2019, 16:33

Imagem

O Vale das Sombras
Parte 1 - Conhecendo o Inimigo

Aldeia de Beorna - Norte de Fortuna
Anoitecer de Tirag 19 Sob Altossol - 1410


Kyösti

Rhaysa olha para Kyösti com uma expressão curiosa enquanto ele relata o que ouviu.

- Como foi que escutou tudo isso? - ela diz, estudando o rosto do meio-orc com atenção das sombras do capuz, um brilho astuto no olhar. - Bem, o importante é que descobriu antes que ela fosse levada, então podemos ter uma chance de ajudá-la. Para a torre, você disse? A torre do castelo em ruínas? Isso quer dizer que não vamos poder usar os cavalos, pelo menos por enquanto, mas, e depois? Precisamos deixá-los preparados? Pode ser difícil fazer isso sem levantar suspeitas...

A espadachim recua para as sombras da viela quando alguns guardas passam perto de onde vocês estão, mas eles logo se afastam, seguindo para o lado norte da vila.

- Vou chamar os outros. Turok conhece bem essa região, então deve saber algo sobre aquelas ruínas que pode nos ajudar, mas Lyra... Ela não estava bem quando subiu para o quarto. Disse que era só cansaço, mas parecia que estava escondendo alguma coisa. os magos gostam se se fazer de durões. Só espero que não esteja doente; vamos precisar do poder dela...

Ela então se afasta, deixando-o sozinho na penumbra da viela.

Lyra e Turok

Apenas a luz da lareira ilumina o quarto onde vocês estão, encobrindo as paredes de madeira marcadas pelo tempo, com sombras tremeluzentes. O cheiro de madeira queimada se espalha pelo quarto como aroma de incenso, mas a lareira é boa e não deixa escapar a fumaça.

Turok está alimentando a lareira quando Rhaysa entra no quarto; acomodado ao lado da lareira, o rastreador ouve os passos da espadachim antes dela entrar no corredor do segundo piso, enquanto Lyra continua sua jornada pelo reino dos sonhos.

- Temos um problema - Rhaysa diz, depois de fechar a porta atrás de si, os olhos brilhando como olhos de gato na penumbra. - Kal descobriu que vão levar a garota daqui, ainda essa noite. Ele vai explicar melhor, depois, mas parece que alguém vem buscar a garota nas ruínas do castelo. Ele não sabe quem, mas eu apostaria que é algum mago. Ele disse que tem um plano, mas precisamos ir para as ruínas antes de levarem a garota.

Ela olha para Lyra, deitada na cama, atrás de um biombo.

- Veja se ela está bem, Turok, e a acorde. Os magos precisam descansar para recuperar suas forças, eu entendo, mas vamos precisar da ajuda dela...
Dados dos Personagens
  • Lyra (Humana Feiticeira 2) <> PVs: 10/10; PMs: 8/8; PAs: 2/2; CA: 15 <> Condição: <> 0 XP <> Dinheiro: 35 Imagem
  • Turok (Meio-Dríade Ranger 2) <> PVs: 17/17; PAs: 1/1; CA: 16 <> Condição: <> 0 XP <> Dinheiro: 4 Imagem
  • Kyösti (Meio-orc Ladino 2) <> PVs: 19/19; PAs: 1/1; CA: 17 <> Condição: <> 0 XP <> Moedas: 12 Imagem

Avatar do usuário
Lord Seph
Mensagens: 13714
Registrado em: 09 Dez 2013, 17:50

Re: O Vale das Sombras

Mensagem por Lord Seph » 23 Jan 2019, 07:04

Turok acena como positivo, mas não entende o motivo da garota não ir acordar a outra.

Ele apenas vai até Lyra e sacode seu ombro.

- Acorde Lyra, vamos tentar salvar a garota agora.

Turok fala de forma simples, maiores informações viriam depois.
Melhor queimar do que apagar aos poucos.
-Neil Young.
o lema dos 3D&Tistas
"-seremos o ultimo foco de resistência do sistema"
Warrior 25/ Dark Knight 10/ Demi-God.

Avatar do usuário
Astirax
Mensagens: 1214
Registrado em: 06 Fev 2014, 18:02
Localização: Capivara City

Re: O Vale das Sombras

Mensagem por Astirax » 25 Jan 2019, 09:42

Lyra sangrava, sentia a pele queimada por fogo, a ardência era intensa, mesmo sabendo que não era real, parecia.

Dentro do Cenário dos sonhos, uma planície sob sol escaldante castigava a jovem tamuraniana, segundo a breve conversa que tiveram Lyra precisava entender as possibilidades principais das magias conhecidas.

Por isso Lucifer usou cada uma nela: mísseis magicos, toque chocante, mãos flamejantes, ... quando o feitiço era de ataque, pura e simplesmente Lyra era o alvo, parte do entendimento que essas magias matam, e antes de inflingir essa dor no próximo, sabia como ele se sentirá.

- Não, você esta tecendo os feitiços na minha frente, assim a lembrança da dor, ligada ao feitiço vai me fazer lembrar de como fez - disse Lyra depois de pela Vontade de Lucifer, mestre daquele Mundo dos Sonhos, a curar.

-Sim, é o método mais rápido, mas fora desse mundo, não o faria, pois seu sofrimento seria real, aqui estou reduzindo os efeitos.- disse Lucifer

- Reduzindo? Me senti a beira da morte a cada magia que me atingiu.- disse Lyra transtornada.

-Isso porque voce é fragil Lyra, dois golpes de espada ou um bem encaixado,  são capazes de te matar. Por isso deve ser mais cautelosa, mas não menos corajosa.- Lucifer sempre dizia a verdade.

Lyra entendeu e continuou a aprender, Lucifer moldava aquela realidade para criar situações que apenas feitiços específicos, que no entanto Lyra podia TENTAR lançar, a fariam sobreviver.

Causar Exaustão em Lyra e ao seu redor uma horda de zumbis. Lyra "morreu" muitas vezes antes de perceber que precisava fugir usando uma Montaria Arcana.

Uma infestação de incontáveis formigas? Não havia para onde fugir, havia nuvens de chuva no horizonte, mas levaria horas para chegar. Outras incontáveis mortes até que ela finalmente percebesse que o teste era de paciência e a magia era o Disco Flutuante. Conjurou o Disco e subiu nele, as formigas se aglomeravam, mas não alcançavam, horas se passaram e a chuva finalmente chegou, lavando tudo e finalizando aquele teste.

Para cada magia, uma situação de morte. Para cada vez que era mortalmente ferida, uma restauração completa.

-Sua mente não vai suportar todo o conhecimento de uma vez, por isso treinamos, para voce ter uma ideia geral do que fazer.- disse Lucifer, mudando o ambiente para algo mais tranquilo e Pacífico.

- Não lembro realmente de muito, mas sinto que saberei o que fazer quando chegar a hora. - Lyra ainda acariciava seus falsos ferimentos, que pareciam reais.

- Não contei o tempo do seu treinamento porque no mundo real passou apenas o tempo de um Globo de Luz. Você irá dormir agora, e acordara mudada.

Lyra sentia que apenas sua essência de magia havia mudado, mas foi uma mudança tão intensa que ela poderia ser confundida com outra pessoa.

- Agora posso me fingir realmente de Cleriga de Wynna, todas as magias que lançar posso dizer que são magias coringa.- disse Lyra antes de enfim cair no sono vendo uma última imagem de Lucifer antes.

Lucifer concordava e seu corpo assumia uma forma menos luminosa e mais humanóide.

------------------------------------------------------------

Lyra sentira um toque e uma voz.
Despertou, quanto tempo havia passado?
Turok relatou que tentariam salvar a garota agora.

-Certo, vamos lá - disse Lyra já se levantando e seguindo Turok.

Avatar do usuário
Aquila
Mensagens: 3394
Registrado em: 10 Dez 2013, 13:49
Localização: Lamnor
Contato:

Re: O Vale das Sombras

Mensagem por Aquila » 30 Jan 2019, 11:13

Imagem

O Vale das Sombras
Parte 1 - Conhecendo o Inimigo

Aldeia de Beorna - Norte de Fortuna
Noite de Tirag 19 Sob Altossol - 1410


Sandoran

Você está cavalgando por uma trilha na região norte de Fortuna.

Apenas a lua crescente ilumina os campos de mato alto ao seu redor, escondendo a trilha estreita que serpenteia por entre os vales escuros da Marca de Solas, entrecortados por bosques sombrios, riachos congelados e ravinas escuras como o desespero. O cavalo, no entanto, não precisa de nenhuma luz além do brilho das estrelas para encontrar o caminho, seguindo incansável pelo campo cinzento entrecortado por tênues fiapos de neblina.

No entanto, seu cavalo não é o único a saber para onde a trilha leva, pois há muitos anos você se acostumou a percorrer os campos e colinas da marca, seguindo seu próprio destino, acompanhado apenas dos ecos do seu passado, ecos esses que agora murmuram como o chamado das Montanhas Uivantes, a grande muralha de pedra e gelo a menos de uma centena de quilômetros a sua direita, o limite entre as terras dos homens e o reino onde o inverso é eterno.

Depois de pouco mais de uma hora viajando pela trilha, você alcança as colinas que formam o vale do Rio Umber, avistando logo em seguida as luzes da vila de Beorna, brilhando esmaecidas em meio a neblina crescente. Logo, todo o vale ficará imerso na névoa, restando apenas a torre do velho castelo em ruínas sobre o mar cinzento.

Sem demora, você atravessa os pomares de maças que cercam a pequena vila, que, segundo os habitantes, faz a melhor cidra de todo o reino. Assim que você se aproxima, dois guardas surgem por detrás da luz esmaecida de um lampião, saudando-o.

Como membro da Guilda dos Patrulheiros de Solas, você sempre é recebido com cortesia pelos aldeões, que mais de uma vez se valeram de sua habilidade para livrá-los de um lobo faminto, um goblin sorrateiro, ou um morto-vivo errante.

“Nenhum minotauro”, você pensa, sentindo um certo alívio por saber que a aldeia ainda não foi invadida pelos seus novos mestres, uma vez que a própria capital da marca, Caermor, já foi completamente dominada. Porém, assim que você atravessa os muros da aldeia, você fica tenso ao perceber que o lugar foi ocupado por um grupo de soldados incomuns, homens e mulheres muito bem equipados, vestidos de negro, trajados com o símbolo da árvore de prata.

“Soldados de Norham”.

Você não se surpreende ao ver mais uma caravana do baronato que se tornou um símbolo de traição e submissão por todo o reino, a terceira em pouco menos de um mês, seguindo provavelmente para o vale amaldiçoado, mas essa chama a sua atenção pelo grande número de guardas. Você conta uns trinta guardas enquanto abre caminho lentamente pela via principal, seguindo na direção dos estábulos, mas sabe que há outros espalhados pela aldeia.

O estábulo está cheio, mas o cavalariço arranja um lugar para o seu cavalo em um galpão onde algumas das montarias dos cavaleiros negros foram alojados, bem como três montarias distintas, umas das quais trazendo a marca da guilda dos patrulheiros no quarto traseiro.

“Há mais um patrulheiro na vila”, você pensa, imaginando quem poderia ser.

Lyra, Kyösti e Turok

Vocês estão em um dos depósitos de cidra da aldeia.

O aroma agridoce da bebida permeia o ambiente, um edifício estreito de madeira, erguido ao lado do muro oeste, com dezenas de barris empilhados em uma estante ao lado da parede de pedra. Uma única vela de sebo ilumina a entrada do depósito, uma porta exígua, com uma largura menor do que a dos barris, construída no meio de uma porta dupla fecha por travas de ferro, dando ao ambiente um ar conspiratório.

Lyra e Turok são os últimos a chegar ao local marcado, encontrando seus companheiros envoltos pela escuridão.

-Aqui - diz Rhaysa, abrindo a porta assim que os dois surgem de uma viela, os olhos rubros espreitando das sombras.

Enquanto os dois se aproximam, Rhaysa fica vigiando pela fresta entreaberta, observando com atenção a rua principal, iluminada por lampiões envoltos por neblina, mas antes que Turok possa passar pela porta, a espadachim o detém.

-Turok, olhe - ela diz, apontando para um cavaleiro solitário que se aproxima dos estábulos. - É um patrulheiro.


Aventureiros
  • Lyra (Humana Feiticeira 2) <> PVs: 10/10; PMs: 8/8; PAs: 2/2; CA: 15 <> Condição: <> 300 XP <> Dinheiro: 35 TO Imagem
  • Turok (Meio-Dríade Ranger 2) <> PVs: 17/17; PAs: 1/1; CA: 16 <> Condição: <> 300 XP <> Dinheiro: 4 TO Imagem
  • Kyösti (Meio-orc Ladino 2) <> PVs: 19/19; PAs: 1/1; CA: 17 <> Condição: <> 300 XP <> Moedas: 12 TO Imagem
  • Sandoran (Humano Guerreiro 2) <> PVs: 22/22; PAs: 1/1; CA: 20 <> Condição: <> 0 XP <> Moedas: 34 TO 5 TP Imagem
Editado pela última vez por Aquila em 05 Fev 2019, 14:32, em um total de 1 vez.

Responder

Voltar para “Herdeiros da Guerra”