Infinita Guerra: Monstros de Metal

Avatar do usuário
Astirax
Mensagens: 1212
Registrado em: 06 Fev 2014, 18:02
Localização: Capivara City

Infinita Guerra: Monstros de Metal

Mensagem por Astirax » 04 Jun 2018, 08:39

Convocação

Lenórienn - Floresta de Myrvallar - ??? - 600

Acampamento dos Patrulheiros da Fronteira.
(Daeron)



A vida era muito satisfatória na Corte da Rainha Eterna, era estranho saber que mesmo com tantos amantes, ela conseguia dar atenção o suficiente a cada um, de modo que não se sentissem excluídos, descartados, como também era verdade da grande necessidade de controle da Rainha, sempre vigilante para qualquer ação não autorizada por ela.

Por magia chegara a mensagem fatídica, Lenoraniala havia falecido, e por respeito aos ritos funerários, iriam preserva-la durante 1 mês com magia - ou seja, precisava partir imediatamente se quisesse dar o adeus final à sua mãe.

A Rainha não impediu que este fosse, mas por motivos que só ela poderia dizer, conjurou um feitiço sobre a alma mortal de Daeron, que partiu de Agadir.

Daeron teve uma viagem tranquila, até encontrar a primeira flecha. Os Patrulheiros de Myrvallar eram antigos conhecidos, amigos de Daeron e o reconheceram de imediato, houve saudosismo e luto, pois sabiam do motivo do retorno dele. Estes explicaram brevemente o que sabiam, Lenoraniala estava em missão e recebeu flechas envenenadas.

Chegando a Lenórienn, outra desagradável surpresa, a Casa Raervanna estava extinta, todos mortos durante uma emboscada, fazendo dele o único Herdeiro. Ganância nunca foi forte em uma cidade tão prospera, porém o esforço de Guerra fizeram que restasse apenas uma propriedade para Daeron herdar, a casa que viveu sua infância.
Nota do Mestre:
1 - Voce pode contar sua história aos patrulheiros, todos eles são seus amigos de infância com quase a mesma idade.
2 - O funeral deve acontecer ao dia seguinte à sua chegada em Lenórienn.
3 - A propriedade herdada pode ser de qualquer tamanho e valor, lembre-se que terá de cuidar dela sozinho.
Lenórienn - Capital - ??? - 600

Templo de Luna.
(Fellana)


Os atos de um ecoam por toda a família, foi isso que Fellana aprendeu, seu irmão mais Velho Bastion havia feito algo impensável, fugiu de Lenórienn levando a Coroa dos Reis, devolvendo a mortalidade Khinlanas. O que era muito estranho, pois se ela teve poder para vence-lo antes, como Bastion conseguiu roubar um artefato do Regente, muito mais poderoso que ela mesma?

Era uma pergunta sem resposta, mas dia a dia Fellana sentia o ódio élfico cair sobre si, pois a história se espalhou e era a única que podiam culpar. Ódio irracional, gratuito, muitas das vezes sendo obrigada a fazer suas orações sozinha, recebendo as piores tarefas, faltava pouco para de fato a agredirem.

A vida era difícil e sem perspectiva, precisava limpar seu nome, ... só então o ódio cessaria. Felizmente contava com a ajuda de financeira e emocional de Oberon, seu outro irmão.
Nota do Mestre:
1 - Demonstre o ódio que os Elfos sentem de Fellana
2 - Mostre seu relacionamento com Oberon
3 - Defina seu plano para limpar o nome da Família Isthar
Sala dos Professores.
(Vecna)


O Tomo Negro era fascinante pelo número de segredos que continha, e a possibilidade de obter ainda mais poder, porém o preço era algo que Vecna ainda deveria considerar. Era um prodígio como aluno, porém como professor ainda lhe falta anos de experiência, contudo agora podia falar com semelhantes em conhecimento e intelecto.

Mesmo com acesso a Biblioteca Arcana, havia a sempre necessidade de explicar-se quando retirava qualquer livro, o que atrasava suas pesquisas particulares, porém seu esforço deu resultados. Glórienn era um excelente Mãe, mas sem o pulso firme de um Pai seus filhos podem não conhecer limites, haviam muitos elfos na história lembrados por seus atos nefastos.

Arcano, História e Religião foram os temas escolhidos para a pesquisa dos últimos meses.
Arcano: Lenórienn é um local de poder, Wynna havia abençoado essa terra antes da chegada dos elfos, de modo a permitir o fluir natural de mais poder mágico.
História: Não houve acordo ou aviso pela parte dos elfos, sangue e desespero foram os alicerces iniciais de Lenórienn, isso não é segredo, contudo pouco falado.
Religião: Mesmo rejeitando contato com outros povos e culturas, o panteão conseguiu ter um espaço no Novo Lar Élfico, Allihanna, Lena, Oceano entre outros tem seu espaço dividido na fé dos elfos.

Fora uma boa pesquisa, contudo era a hora de colocar novamente a mascara, e continuar a ser um professor.
Nota do Mestre:
1 - Prepare uma aula
2 - Mostre seu relacionamento com os outros Professores
3 - Defina seu plano para conseguir um aprendiz

Local Desconhecido.
(Nimb)


Porque fez isso Toyoda? agora o público do fórum ficará confuso. Terei de Explicar
Usuários do Fórum, após lerem o Histórico de Illydia/Nimb tudo fará sentido.
Já leram? podemos prosseguir então.

Illydia/Nimb não sabia onde estava, pois essa era a vontade do Mestre, visto que ela sabia a verdade oculta, não havia necessidade de ser sutil, de criar uma atmosfera e um ambiente, por enquanto.
"Ei Astirax, eu sei que voce é o mestre, por favor não me mate! Eu sei a verdade"
Illydia/Nimb isso depende de voce apenas, conhecimento é poder, e com Grandes Poderes, vem merdas maiores ainda.

Diferente dos outros personagens desse jogo, voce sabe a verdade, então é mais simples eu dizer diretamente o que voce deve fazer. São tres tarefas, assim como pedi ao jogador de cada um dos outros personagens.

Primeira: Voce deve convencer ao público do Fórum que é Nimb.
Segunda: Uma família 9 Elfos, quero um descrição boa de um dia familiar
Terceira: Voce deve ter percebido que ajustei seu histórico para ser aceitável com a temática do jogo, voce sempre deve falar desse jeito, "Moderno" para voce é apenas um tipo de magia, seu jogador não pode quebrar a 16ª Parede.

Especial: Lembra que eu disse de Grandes Merdas? Pois bem, se voce falhar em qualquer das missões, uma carga de Azar estará disponível para meu uso.

Suponho que devo deixa-la em algum local, ... quando voce despertar desse sonho, estará em sua cama, na casa de sua Familia e notará os números 1, 2 e 3 como lembretes em sua mão.
Nota Geral: A Partir da Data e Hora de minha postagem, uma contagem de 120 Horas ( 5 dias ) é iniciada, esse é o tempo para postarem, caso todos tenham postado e eu estaja livre para atualizar, o Farei.
Como devem ter notado, essa é uma introdução dos personagens, e não há datas, porque por enquanto, não haverá a reunião dos personagens.

Próxima Postagem pretendida em 11/07 as 00:40

Avatar do usuário
Aldenor
Mensagens: 17583
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:13
Localização: Curitiba, PR

Re: Infinita Guerra: Monstros de Metal

Mensagem por Aldenor » 07 Jul 2018, 18:58

A melancolia era um sentimento distante para Daeronariel, pois vivera por um século no conforto da corte da Rainha Eterna de Agadir, no Deserto da Perdição. Até mesmo acostumara-se com o nome Daeron Vaecaesin, adquirido por lá. Porém, a Infinita Guerra de seus compatriotas não era algo que pudesse ser ignorado por qualquer elfo artoniano. Daeron soube do falecimento de sua mãe e retornou deixando seu filho bebê Daegon aos braços de sua mãe, a própria monarca de Agadir.

Infelizmente, sua ausência na corte da dragoa não foi tolerada pela mesma. Daeron tinha pesadelos onde era torturado por ela — algo que jamais aconteceria de verdade em virtude da essência bondosa da Rainha Eterna, uma dragoa dourada. Mesmo assim, ela o importunava-o aonde ia, fazendo aparições pontuais como uma assombração a sugar-lhe a energia. Nada muito grave, nada muito prático.

Daeron Vaecaesin tinha muita história para contar, mas desacostumado aos sentimentos de tristeza e melancolia, não teve o ímpeto para responder apropriadamente às perguntas de seus amigos de infância, patrulheiros da floresta de Myrvallar. Estava feliz por revê-los, contou apenas as coisas mais importantes, mas apenas por cordialidade e gentileza.
Daeron
Imagem
Meus caros, eu me casei. Apesar de ser apenas um no harém da grande Rainha Eterna, minha deusa, minha esposa, meu amor, eu sinto que a minha existência encontrou um propósito superior. Bem, mas eu retornei, meus caros. Retornei para Lenórienn para cumprir o meu destino na qual nossa deusa nos criou.
Mas o futuro era incerto. Daeron queria resolver seus problemas em Lenórienn, lutar na Infinita Guerra e pôr seus conhecimentos e poder adquiridos em Agadir à prova, à disposição do Rei Khinlanas. Mas depois voltaria para os braços de sua amada e de seu filho.

Entretanto, no fundo de seu coração, ele sabia que seus desejos dificilmente seriam atendidos...

Daeron chegou no dia seguinte ao funeral. Por isso, em uma manhã chuvosa, ficou atentamente admirando o sepulcro onde sua mãe Lenoraniala repousava eternamente ao lado de seu pai Aeleruil, sob os auspícios do maior mausoléu da Casa Raervanna, dedicado a Arieruil. Daeron chorou abrindo seu coração para aqueles sentimentos terríveis e tristes. Solidão, desorientação, vingança. Mas ele não ficou muito tempo ali sozinho. Depois de receber os papeis da herança da família, a Torre das Estrelas, onde seu avô organizou e reuniu muitas coisas de suas andanças pelo mundo e além, Daeron se reuniu com amigos para fazer uma limpeza geral. O lugar estava abandonado há décadas e seus outros parentes foram perdendo ou doando suas propriedades ao longo do tempo. Somente a Torre das Estrelas remanesceu para a Casa Raervanna com o unicórnio sobre o fundo lilás. Uma torre bonita, no centro de Lenórienn.

Durante a noite, Daeron já estava exausto. Despedira-se de seus amigos com promessas de se arrumar para ir à taverna mais tarde para contar mais e mais histórias. Daeron até queria saber o que aconteceu em Lenórienn nos últimos cem anos, mas seu desgosto em conversar era maior. Preferiu ficar sozinho, sabendo que na verdade, não estaria.
Rainha Eterna
Imagem
Trocou-me por uma torre antiga e vazia? Imagino que agora esteja arrependido.
Sua esposa era uma mulher alta, mas de compleição frágil, um convite ao engano, à falsa noção de vulnerabilidade. Seus longos cabelos dourados tinham um brilho mágico próprio e seus olhos azuis era tão brilhantes como o oceano. Sua voz, doce e melodiosa, entretanto, carecia de paciência numa demonstração de arrogância. Daeron não tinha forças suficientes para um jogo de palavras como a Rainha gostava.
Daeron
Imagem
Eu nunca me arrependo, minha amada. Estou aqui porque sou um Vaecaesin, lembra? Mas meu coração tem espaço para você, Daegon e para minha família, meu povo, minha gente. Já discutimos isso, não vejo o ponto em continuar a tentar convencê-la.
Ele discutia com uma imagem em sua cabeça. Se alguém o visse naquele momento o chamaria de louco. Sua presença servia apenas para criar um desconforto e incômodo. Distraí-lo da realidade e lembrá-lo das coisas que abdicou por sua escolha.
Rainha Eterna
Imagem
Sua teimosia é fascinante, de fato... suas vidas são as mais longevas de Arton e mesmo assim não conseguem viver no presente. Mesmo podendo viver por séculos, ainda são mortais e, por isso, têm medo do passado. Eu vejo um futuro tenebroso para você e seu povo.
Ela nunca media suas palavras, mas dessa vez a Rainha quis atentar o maior receio de Daeron, de que os elfos não suportem a guerra contra um inimigo que parece ser infindável e obstinado, mesmo em sua inferioridade. Daeron balançou a cabeça se jogando em uma poltrona velha, fechando os olhos e massageando a têmpora.
Daeron
Imagem
Apesar de me amaldiçoar com palavras duras...
Daeron
Imagem
Eu aprecio a sua companhia.
Sorriu. A Rainha franziu a testa e bufou antes de desaparecer de maneira translúcida como se nunca estivesse ali. Um vento forte soprou pela janela e o elfo a fechou para, enfim, repousar sobre a cama. No dia seguinte precisaria se apresentar na Corte Élfica para anunciar seu retorno e em algum modo que possa contribuir com Lenórienn na Infinita Guerra.
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Imagem Imagem

Avatar do usuário
Lord Seph
Mensagens: 13708
Registrado em: 09 Dez 2013, 17:50

Re: Infinita Guerra: Monstros de Metal

Mensagem por Lord Seph » 08 Jul 2018, 09:22

Os dias eram longos e as noites eram curtas. Viver sobre uma tirania baseada em ódio a qualquer coisa que fugisse do padrão daquele povo era pedir para ser hostilizado.

Deixam animais entrarem na casa dos deuses agora?

Fellana abre os olhos para voltar a realidade longe de seus pensamentos e vê diante de si Nyx, a mais desagradável elfa que já conheceu.

Enquanto Fellana foi agraciada com poderes luminares, Nyx era seu espectro oposto. É seu sorriso era de puro sadismo.

Estive te procurando, Fellana, soube que sua família estava arruinada e pensei como seria divertido piorar mais sua vida

Aquele sorriso desejava apenas sofrimento, mas Fellana nada disse. Apenas se levantou e começou a andar para fora do templo. Mas Nyx seguiu Fellana, e seu sorriso abriu mais ainda quando os sussurros ecoavam pela cidade.

Nomes era propelidos contra Fellana e sua família além de palavras de maldições.

Como não amar essas pessoas, Fellana? Uma raça dependente de uma deusa egocêntrica e incapaz, culpando uma jovem e sua família pelos crime de outro

Nyx gargalha quando algo parecido com uma fruta podre atinge Fellana.

Sujaram o vestido da princesa, que feio. Mas sabe que tudo isso pode acabar se você se juntar a mim, certo?

Nyx fala com um sorriso sádico, mas sincero. A meses Nyx tentava levar Fellana ao culto ao qual pertencia.

Mas Fellana apenas limpa parte da sujeira e olha para Nyx.

- Não me juntarei a Tenebra, Nyx e muito menos me aliaria a você, minhas crenças não são tão fracas.

Fellana fala de uma vez quando finalmente chega a sua residência.

- Seu Lalkar precisa melhorar.

Diz Fellana antes de entrar.

Em casa Fellana escolhe apenas mudar de roupa e lavar o rosto manchado pelo fruto.

- Fellana, tudo bem com você?

Era Oberon, seu irmão mais velho e possivelmente o único aliado.

- Sim, não se preocupe. É você? Como está os negócios?

Fellana pergunta querendo mudar de assunto.

- Está indo bem, não dependo apenas daqui para ter renda e com a guerra contra os Hobgoblins não podem dispensar ajuda. Mas não sei por quanto tempo isso pode continuar.

Oberon fala preocupação em sua voz.

- Nyx disse que poderia resolver tudo bastando que me aliasse a ela. Eu deveria ter matado Bastion.

Fellana fala com tristeza ao falar o nome de seu outro irmão.

- Mesmo um criminoso deve ser tratado bem, Fellana. As leis proíbem que tomemos a vida de outro elfo, no máximo damos um exílio.

Fala Oberon.

- Sim, e mesmo assim ele retornou de deu exílio após matar nossos pais e de alguma forma roubou nosso rei e agora estamos assim.

Fellana diz nosso por hábito, não considerava mais aquele regente seu rei. Os humanos e anões pareciam mais sinceros com sua forma de tratar criminosos.

- Acho que a única forma de limpar nosso nome é reavende o que Bastion roubou, mas não sei onde conseguir informações para isso.

Diz Fellana desmotivada.

- Irmão, pretendo sair da cidade. Não tenho como limpar nosso nome estando aqui.

Fellana diz finalmente, sem ter certeza do que fazer.

- Entendo. Mas descanse agora, mas pensar melhor sobre isso, e nada de se envolver com Nyx.

Oberon fala enquanto afagava a cabeça de sua irmãzinha com um sorriso de afeto.
Melhor queimar do que apagar aos poucos.
-Neil Young.
o lema dos 3D&Tistas
"-seremos o ultimo foco de resistência do sistema"
Warrior 25/ Dark Knight 10/ Demi-God.

Avatar do usuário
Mælstrøm
Mensagens: 1415
Registrado em: 09 Set 2016, 17:51

Re: Infinita Guerra: Monstros de Metal

Mensagem por Mælstrøm » 09 Jul 2018, 15:07

Vecna segurava o rosto com seus dedos finos. Seus olhos passavam por dois pergaminhos ao mesmo tempo. Antigos, embora de datas diferentes, que complementavam suas informações. Era curioso como os elfos se viam como uma gloriosa criação divina, a perfeição entre os mortais... mas Vecna via além. Via como o "povo perfeito" era capaz de chacina pelo que queria. No fim, ser bom ou mal eram faces da mesma moeda. Os hobgoblins agora queriam sua vingança e os elfos se colocavam como vítimas de seus sujos e bárbaros ataques. Quem definia que estava certo ou errado?

Lenórienn era um local importante, uma chave para o controle de Arton. Vecna sabia que os deuses queriam o maior prêmio, a supremacia de suas influências sobre Arton e aquelas terras eram importantes. Nesta disputa, Glórienn saiu na frente. Esses pensamentos ficaram para depois, num compartimento de sua enorme e intrincada biblioteca mental. Agora estava em uma sala de aula.
Vecna
Imagem
Quando crianças, nós não conhecemos limites. Num curto período de tempo, aprendemos a falar sem nunca antes termos falado coisa alguma. Aprendemos a andar com nossos membros frágeis para explorar o mundo sem nunca antes termos dado um passo sequer. Aprendemos a observar, a reconhecer, a alegrarmo-nos, a sofrer, e continuarmos nossas experiências de explorações e descobertas.
Começou. Os últimos alunos que ainda cochichavam entre si agora se calavam enquanto a voz calma e firme de Vecna inundava a sala.
Vecna
Imagem
Quando crianças, conseguimos tudo isso, sim, porque temos o apoio de todos que nos cercam, mas principalmente porque em nenhum momento nós pensamos que não somos capazes.
Ele circulava agora entre as fileiras de cadeiras de madeira polida olhando cada um dos elfos ali presentes. Via neles alguns com potencial mágico e outros com potencial ambicioso. Era difícil encontrar a combinação de ambos. Um pequeno "Vecna", por assim dizer.
Vecna
Imagem
É como se movesse dentro de nós o espírito da magia, que conhece e domina todos os aspectos do mundo. A magia sabe que tudo lhe é possível, porque tudo provém apenas de sua vontade. Assim, o mago apenas deseja, quer, tenta e, irremediavelmente, consegue. Somos todos Magos quando crianças, mas aos poucos vamos perdendo nossa magia, entregando-a ao acaso toda vez que duvidamos de nós mesmos.
Disse lembrando de quando olhava com desprezo para seus pais, incapazes de aprender magias. Broncos e medíocres. Sorriu ao lembrar que não tinha mais raízes prendendo-o à mediocridade.
Vecna
Imagem
Então, é preciso notar que para realizar maior parte da coisas que desejamos, precisamos romper com algumas barreiras. Barreiras estas físicas, mentais e sociais. E fazer valer a crença de que confiando exclusivamente em nós mesmos, podemos ultrapassar qualquer fronteira. Nosso potencial é infinito.
Disse. Era a introdução para aquela aula em que ensinaria a mecânica da manipulação dos elementos corrosivos, sua especialidade. Com sorte, encontraria algum estudante ambicioso o suficiente para ser um aprendiz.

Após a aula, Vecna gostava de ficar sozinho na biblioteca lendo alguma coisa trivial para relaxar a mente. O cérebro, como um músculo, precisava de descanso. Porém, naquele dia, preferiu visitar a sala dos professores, onde os demais conversavam sobre alunos, sobre suas áreas de conhecimento e trocavam informações. Vecna via como uma boa oportunidade de entender as fraquezas dos demais. Um deles era muito valente e prepotente, mas escondia uma casca vazia desprovida de significados. outra era amorosa e caridosa, mas escondia uma devassidão inapropriada pela sociedade. Outra era muito inteligente, de intelecto brilhante, mas não entendia como funcionavam as coisas mais simples. Vecna não conversava muito com os outros professores, temeroso que pudessem descobrir suas fraquezas. Mesmo que demonstrasse apenas suas qualidades, suas forças, era impossível que não se revelasse um pouco de suas vulnerabilidades sem querer.

Após o final do período letivo, Vecna retornava para casa onde se voltava ao seu Grimório Sombrio.

Avatar do usuário
Toyoda
Mensagens: 1783
Registrado em: 18 Mar 2014, 02:26

Re: Infinita Guerra: Monstros de Metal

Mensagem por Toyoda » 10 Jul 2018, 03:42

Nimb

A elfa abria os olhos lentamente. Qualquer ser são o suficiente diria que ela havia apenas sonhado novamente, mas ela sabia que não era um sonho. Fato que se confirmou por ver um papel em sua mão, e ali lhe dava 3 metas, na real, seriam metas a Toyoda, mas a ela por conseguencia.

Ela se senta lentamente na cama, e para um instante para pensar.
Nimb
[img]][/img]
Hey! Tem algo estranho aqui. Meu nome de criação era Lumilania, como virou Illidya Astirax? Certo que Lumilania é um nome estranho, mas, enfim. Tudo bem, façam como quiserem, o nome original desse corpo não faz mais diferença, dado que agora quem mora aqui é Nimb. Mas não espalhem viu? Os outros Personagens ainda não sabem disso.
Dizia olhando para o nada.
Sua mãe estava atrás da porta com uma bandeja com cha e frutas. Ela escutava apreensiva os delírios da jovem Elfa.
Nimb
[img]][/img]
Outra coisa Toyoda, por que não toma vergonha nessa sua cara e agrega uma magia de manipulação de imagens nesse seu sistema do equipamento mágico no qual materializa-me? Os leitores vão se incomodar por não ter imagem ainda e além disso... Opa, pera ai. –abriu um saquinho contendo diversos dados, pegou um dado contendo 20 faces e o jogou sobre o criado mudo, o dado quicou algumas vezes e parou com uma face escrita 8 para cima, seus olhos se estreitaram- Certo, creio que com isso não percebo nada de diferente no meu quarto.
Sua mãe não entendia o por que Illydia tinha adquirido aqueles dados de diversas faces, e muito menos por que ela rolava os dados em momentos aleatórios. Mas por fim bateu na porta e adentrou.
Mãe
[img]][/img]
Bom dia querida, hora de se levantar, veja, trouxe morangos que tanto gosta, começou a safra.
E então apoiou a bandeja no criado mudo, onde Illydia pegava novamente seu dado.
Nimb
[img]][/img]
Obrigada mãe.
Então pega um morango e morde, deixando apenas a folhagem verde e deitando-a sobre um canto da bandeja.
Nimb
[img]][/img]
Está delicioso!
Sua mãe sorria simpática, mas todos percebiam que ela tinha certa preocupação sobre sua filha. Que era a mais velha que ainda residia com os pais
Mãe
[img]][/img]
Certo querida, se apronte, a festa ira começar em breve.
Disse sorrindo e deixando Illydia só.

Mas por enquanto a postagem para por aqui...
Nimb
[img]][/img]
Hey! Toyoda, se ta loco? Astirax disse que se não cumprisse as 3 missões eu teria muito azar! Ta querendo me matar é?
-Acalme-se, é que estarei ausente nos próximos dias...
Nimb
[img]][/img]
Que desculpinha esfarrapada hein?
-Eh... Tenho que dormir um pouco também né?
Nimb
[img]][/img]
Astirax, ta vendo isso? Não é minha culpa, esse inútil poderia desenvolver de forma mais eficaz a minha história. Mas não, fica inventando coisa para fazer. Que beleza... e além disso ewwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwww
Ei! Acorda ai Toyoda!
–Opa, Me perdoe... Continuamos logo mais!
Nimb
[img]][/img]
Você nem falou para Astirax que ia quebrar minha introdução né? Ah.... Ta certo! Bom caros leitores, me despeço de vocês por aqui, e espero que nada de mal me aconteça até a próxima visita, que acho que sera apenas na próxima Sexta!
Diz finalizando com um beijo em direção aos leitores.
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
Astirax
Mensagens: 1212
Registrado em: 06 Fev 2014, 18:02
Localização: Capivara City

Re: Infinita Guerra: Monstros de Metal

Mensagem por Astirax » 10 Jul 2018, 07:15

Lenórienn - Capital - ??? - 600

(Daeron)

Os patrulheiros ficaram realmente surpreendidos pela noticia, pois um casamento era algo bem sério e duvidavam sobre a possibilidade de uma união não-elfica.
Imagem
- Casou-se! Bom ... felicidades por isso então, meu amigo.
- E nossos pêsames pela perda.
Era complicada a morte, as palavras para mostrar respeito, a empatia pela situação, o desconforto pelo que foi dito, e o que não foi dito, no fim o luto foi deixado para o funeral, há tanto tempo adiado.

Sentimentos foram lavados, o tempo do luto havia sido honrado, era hora de trabalhar, Daeron ficaria com a Torre das Estrelas, foi necessário um dia inteiro para a limpeza, mas no final o local estava como se lembrava.
Imagem
- Voce nos deve pelo menos algumas semanas de histórias, mas por hora descanse ... já ia esquecendo. O Palácio quer falar com voce, diretamente.
Terminada essa conversa, teve sua própria conversa com a Rainha Eterna.
Off: Ver a Parte Geral
Lenórienn - Capital - ??? - 600

(Fellana)

Nyx tinha um plano, e apesar de ter métodos estranhos, queria Fellana como sua irmã de fé. O Desprezo dos outros elfos por Bastion não se mostrava suficiente para ela desistir, pois ela tem um porto seguro em seu irmão, Órion.

Órion se mostra preocupado com tudo o que viu e soube, desde o ato de Bastion, os negócios tem sido dificultados. Era estranho como o ato de um se espalha por muitos, mas mesmo assim, a família não se abalou, e tinha um plano.

-Sobre o plano de recuperar a Coroa dos Reis, eu tenho uma pista ... em breve o Palácio irá reunir elfos promissores porem sem renome, pessoas com potencial mas que ainda não alcançaram a fama, para irem além das fronteiras do nosso território , entende o que significa? Permissão para sair, talvez a missão seja até para caçar Bastion. Meu Contato não explicou muito bem, mas... eu coloquei-a na lista como um Favor dele para mim... não para nós

Apesar de tudo, Fellana sabia que Órion era muito mais comerciante que aventureiro, o que significava que ele conhecia muita gente, gente influente que ainda se sente em divida com a família, por enquanto.

-Durma bem hoje, e tente ser a primeira a chegar, acho que irão incomoda-la menos que se voce chegasse com grupos já esperando, especula-se que serão mais de 14 nomes nessa reunião.
Off: Ver a parte Geral
Lenórienn - Capital - ??? - 600

(Vecna)

Vecna consegue perceber, suas palavras são cativantes para seus alunos, atiçam a curiosidade, não demoram a chegar a conclusão, e causam a ansiedade pela resposta. E isso não era a opinião dele, e sim de outro professor.
Kass - (Kassionlenodirien)
Imagem
-Suas aulas são impressionantes sim, e voce é bem jovem. Então acho que nenhum dos outros vai se opor a isso
Kass desliza um envelope contendo o Selo Real, lacrado por magia, na direção de Vecna enquanto ainda trabalhava.
Kass - (Kassionlenodirien)
Imagem
-O que sei é que o palácio quer alguém com potencial para uma tarefa importante, mas.. tem que ser alguem desconhecido ainda. O Prêmio é interessante.
Vecna desconfia de tais palavras vagas, e portanto tem cautela ao ler o envelope, ao termina-lo, não havia dúvidas, a tarefa tinha grande importância, dada a recompensa. Precisavam de alguém altamente versado em magia, com grandes conhecimentos e potencial, para alguma tarefa sem prazo definido, o prêmio era um Desejo pleno e puro.
Kass - (Kassionlenodirien)
Imagem
- Eu estaria mentindo se dissesse que voce tem escolha nesse quesito, a diretoria concorda, voce é um grande sábio, só não é famoso o suficiente. O melhor para nos representar, sugiro que "acelere" sua classe se necessário.
Kass não insiste mais no assunto, voltando a falar de amenidades e responder se a conversa se estender, caso contrário, voltará ao trabalho.

A data da reunião ainda estava a pelo menos um mês de distância, poderia terminar seu "curso" sem problemas de prazo ou conteúdo.
Off: Ver a parte Geral
Lenórienn - Capital - ??? - 600

(illydia)

TOYODA!!!
Meu tópico tem poucas mensagens e atualizações, voce não viu isso no Bate Papo com 100% de certeza. Pode editar sua postagem e colocar as imagens.

Bela apresentação.... da mãe... faltaram só 7 elfos, seis irmãos e o pai, nessa missão voce falhou.

O pai de Illydia se mostrava apreensivo , nervoso durante o jantar da família.
Pai
Imagem
- O Palácio convocou voce, e eu não faço ideia do porque.
- Voce fez algo que não devia meu bem?
O Atual líder da Guilda de Artesões não sabia o que pensar, Illydia havia sido chamada por nome, uma convocação, um convite irrecusável.

Seja como for Toyoda sabia o que fazer, apesar de ter uma carga de azar em seu futuro.
Off: Ver a parte Geral
Lenórienn - Capital - ??? - 600

Palácio
(Vecna, Daeron, Fellana, illydia)


Cada um movido por suas razões, se dirigem ao palácio, e são escoltados até uma area comunal onde aguardariam serem chamados, dependendo do horário de chegada encontram o local deserto ou cheio, com mais de 15 elfos e elfas presentes. Onde seria estranho deixar que pessoas entrassem armadas aqui não era, mesmo que com os atos de um elfo chamado Bastion, que era exceção, não a regra.

Imagem

O salão era estranho, mas bem espaçado, havia lugares para se ficar em grupos, lugares para se estar sozinho, lugares frios e quentes, iluminados e escuros, pareciam atender cada gosto que os convidados por ventura tivessem. E o cheiro indicava que as jarras continham sucos, vinhos, cerveja ou simplesmente água, novamente, para atender aos mais variados gostos.
Nota do Mestre:
Esse é o ponto de convergência, além dos seus 4 personagens, há 16 elfos nessa mesma sala, vocês podem inventa-los, ter diálogos com eles, tentar forjar amizades , inimizades e rivalidades. Dito isso aqui vão as missões especiais.
1- Descobrir o motivo de recrutarem elfos sem renome antes que Khinlanas diga..
2- Descobrir como Bastion roubou a Coroa das Reis antes que Khinlanas diga.
3- Descobrir contra o que podem ser que lutem.
Dados dos Personagens
Imagem - Vecna <> PV: 21 PA: 1 PM: 20 CA: 14 <> Flechas: 20 <> Magias Preparadas: <> Item de poder: 1 <> Condição: Normal.
Imagem - Fellana Isthar <> PV: 31 PA: 1 PM: 17 CA: 15 <> Condição: Normal.
Imagem - Daeronariel “Daeron Vaecaesin” <> PV: 46 PA: 1 PE: 3 CA: 21 <> Flechas: 100 <> Amaldiçoado: Não Ativo <> Patriota: 2/2 <>Condição: Normal.
Imagem - Illydia "Nimb" <> PV: 42 PA: 1 PM: 17 CA: 18 <> Flechas: 20 <> Patriota: 2/2 <> Graça Élfica: Não Usada <> Centelha Divina: Não Usada <> Azar: 1 Carga <> Condição: Normal
A Partir da Data e Hora de minha postagem, uma contagem de 120 Horas ( 5 dias ) é iniciada, esse é o tempo para postarem, caso todos tenham postado e eu estaja livre para atualizar, o Farei.
Próxima atualização prevista para dia 15/07 ás 07:16

Avatar do usuário
Lord Seph
Mensagens: 13708
Registrado em: 09 Dez 2013, 17:50

Re: Infinita Guerra: Monstros de Metal

Mensagem por Lord Seph » 10 Jul 2018, 09:55

Fellana finalmente vai dormir sem se preocupar com o dia seguinte, seu irmão iria ajudar e ela aceita aquilo.

No dia seguinte Fellana tenta ir até o local despercebida, mas logo está dentro do palácio sem maiores transtornos. Ou assim ela pensava até sentir um toque gélido em seu ombro.

Está tensa, Fellana? Parece que o mundo está contra você

Era Nyx, com um sorriso sádico, mas nesse momento Fellana vê que a maioria dos elfos a evitam, até mesmo mantendo olhares hostis a ela.

- O que deseja, Nyx?

Fellana fala de forma dura e série desejando apenas que Nyx fosse embora.

Desejo o que todos desejam minha grata amiga, desejo poder, fama e reconhecimento. Mas acima de tudo respostas

Nyx fala quase como estivesse em um teatro. Ela olha para todos no salão e depois para Fellana. Seu olhar não mostrava desprezo e seu sorriso parecia inocente.

Estamos aqui graças a você meu doce anjo, graças a seu irmão e eu agradeço por isso.

Nyx faz uma referência a Fellana e então vai até seu ouvido.

- Arrume um bom grupo para te ajudar, eu irei te observar e quando for a hora terás que escolher. Espero que me escolha.

Nyx se despede beijando o rosto de Fellana e indo para o outro lado do salão. As pessoas ainda a observavam com um misto de dúvidas e raiva.
Melhor queimar do que apagar aos poucos.
-Neil Young.
o lema dos 3D&Tistas
"-seremos o ultimo foco de resistência do sistema"
Warrior 25/ Dark Knight 10/ Demi-God.

Avatar do usuário
Aldenor
Mensagens: 17583
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:13
Localização: Curitiba, PR

Re: Infinita Guerra: Monstros de Metal

Mensagem por Aldenor » 10 Jul 2018, 10:52

Daeron acordou suavemente em sua cama. Tivera sonhos pesados, com o funeral, com as penas de ganso e tudo o mais. Seus amigos, pelo menos, não pareciam ligar para a desonra que ele causou ao exército ao pedir afastamento da Infinita Guerra para viver suas aventuras. Afinal, como membro da Casa Raervanna e neto do grande andarilho Arieruil, era seu destino viajar pelo mundo. Essa suposta desonra lhe valeu o encontro com Agadir e com a Rainha Eterna, então valeu a pena.

Depois de despejar água de sua ânfora em um copo de cristal, Daeron fitou o pergaminho da herança. A escritura da Torre das Estrelas era um papel amarelado de tão antigo já. Provavelmente assinado pelo próprio rei Khinlanas e entregue ao seu avô Arieruil há centenas de anos. Daeron foi tomar um banho enquanto pensava na coincidência. O que será que o Palácio Real queria com ele, o último membro de uma Casa vista com poucos requintes aristocráticos? De qualquer maneira, teria que se apresentar e clamar a existência dos Raervanna perante a Corte Élfica, conforme os costumes.

Ao entrar no palácio, Daeron foi tomado pela nostalgia. A última vez que pisara naquele ambiente ele ainda era uma criança e havia acabado de receber seu nome para se apresentar à corte: Daeronariel. Mas agora ele retornava muito diferente, com experiência de outros lugares que não Lenórienn. Ele não era mais Daeronariel da Casa Raervanna, filho de Aeleruil. Agora ele era Daeron Vaecaesin, esposo da Rainha Eterna de Agadir. Um elfo de cabelos loiros, olhos verdes e orelhas menores do modo geral élfico — mas não a ponto de ser considerado uma deformidade. Vestia uma jaqueta de couro delicado cinza com um cachecol verde-musgo, sobre uma camisa de linho branca. Portava luvas abertas nos dedos e uma calça também cinza como a jaqueta. A despeito de alguns elfos, não portava sua armadura de metal e couro e nem sua Kaethavel, a espada presenteada por sua esposa. Afinal, era um convite no Palácio Real onde o próprio Rei se pronunciaria... Daeron achou deveras estranho pessoas armadas.

O ambiente era luxuoso, como de se esperar, mas aquela arquitetura, aquela disposição artística era muito diferente do que estava acostumado na corte de Agadir. Aqui havia muita mescla com a natureza, com plantas exóticas, flores coloridas. Em Agadir havia muito concreto, ouro, bronze e areia.

Agora, circulando, Daeron fitou os presentes. Eram muitos, talvez quinze ou mais. Pegou uma jarra de um suco de uma planta desértica e se surpreendeu.
Daeron
Imagem
Isso aqui... é suco de cacto. Que coisa estranha... como será que ... será que alguém foi até o Deserto da Perdição e...
Killyan
Imagem
Existe o Deserto Sem Retorno, você sabe. Não é preciso viajar tão longe para encontrar o que Arton tem a oferecer de bom e do melhor. Eu ma chamo Killyan.
O homem era galante, tinha um rosto duro, mas a pele macia e a voz melodiosa. Daeron bebeu do suco depois de cumprimentá-lo e percebeu nuances diferentes de um cacto do Deserto Sem Retorno.
Daeron
Imagem
Não estou certo disso... Arton é um mundo muito grande. Existem muitas coisas diferentes no continente norte, por exemplo. Este suco é diferente do cacto do Deserto da Perdição. Além disso, lá existem diversos portais mágicos, sabia? Podem trazer gente de outros mundos além de Arton. A propósito, eu sou Daeronariel da Casa Raervanna. Ou costumava ser...
Killyan
Imagem
A Casa Raervanna... entendo. Meus familiares da Casa Arverilas tinham bastante contato com a sua Casa. Nós somos fazendeiros, cuidamos da terra. Mas vocês gostavam mais de... sair de Lenórienn.
Daeron
Imagem
Exceto meu pai. Ele viveu no exército, com os Cavaleiros Feéricos até o fim precoce de sua vida.
O homem pareceu se surpreender com aquilo e ficou em silêncio, buscando as palavras certas. Tomou sua taça de vinho deixando alguns segundos sem resposta. Percebendo isso, Daeron mudou de assunto.
Daeron
Imagem
Por acaso sabe o que o Palácio Real quer conosco? Imagino que você também tenha recebido o convite.
Killyan
Imagem
Acho que tem a ver com o roubo da coroa. Não entendo o por quê, mas o Rei queria a presença de elfos sem renome na sociedade.
Daeron quase engasgou. O roubo da coroa! Claro, como pudera esquecer? Lembrou de seu amigo contando ontem enquanto limpavam a Torre das Estrelas. Realmente, era um evento muito sério. Mas por que não convocar os Cavaleiros Feéricos? Por que não chamar os já renomados heróis de Lenórienn, experientes na Infinita Guerra. Por que chamar ele mesmo, alguém que foi desonrado? Daeron ficou confuso.
Killyan
Imagem
Eu suponho que Bastion Isthar tenha tido ajuda, pois era um homem desconhecido, desprovido de poder para tamanho feito.
Arriscou ao ver Daeron perdido em pensamentos.
Daeron
Imagem
Sim... e os maiores heróis devem estar ocupados com a Infinita Guerra. Alguma coisa séria pode estar acontecendo sem o nosso conhecimento atual e...
Daeron viu uma mulher andando sozinha no meio de todos. Os olhares a ela pareciam hostis e Daeron conseguiu ouvir alguém dizer que era Fellana, a irmã do Bastion. Sua presença sugeria, claramente, que estava contra o irmão. Doutro modo, sendo cúmplice, estaria presa... ou algo parecido. Será que estava ali para implorar por clemência ao irmão? Despedindo-se de Killyan, Daeron se aproximou dela com duas taças de suco de cacto.
Daeron
Imagem
Boa noite, senhorita Fellana Isthar. Eu me chamo Daeron Vaecaesin, da Casa Raervanna. Como um dos convidados pelo Rei, gostaria de saber... a senhorita se pronunciará contra o seu irmão?
Disse oferecendo uma taça para ela.
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Imagem Imagem

Avatar do usuário
Lord Seph
Mensagens: 13708
Registrado em: 09 Dez 2013, 17:50

Re: Infinita Guerra: Monstros de Metal

Mensagem por Lord Seph » 10 Jul 2018, 12:26

Nyx deixa Fellana a só, mesmo no meio de outras pessoas. Mas antes de reagir um Elfo interage com ela sobre seu irmão. Bastion provavelmente.
Fellana
Imagem
Olá, Senhor Daeron e boa noite.
Fellana fala tentando esquecer Nyx.
Fellana
Imagem

O Único irmão que tenho é Oberon, Bastion não passa de um assassino e ladrão que deveria ter sido executado em vez de exilado
Fellana comenta e vê que não se apresentou adequadamente.
Fellana
Imagem

Desculpe, não me apresentei corretamente.

Sou Fellana Ishtar, única filha de Árion e Lilian e irmã mais nova de Oberon.
Fazia tempo que Fellana não se apresentava para outras pessoas e Fellana sentia Nyx observando ela.

Fellana educadamente regeita a taça de vinho, ela não gostava de beber nada com álcool.
Fellana
Imagem

Senhor Daeron, você parece não se importar com os acontecimentos de minha família, mas deve ter notado que sou persona non grata aqui.

Está tudo bem em vir falar comigo?
A maioria dos elfos culpavam ela pelos culpa de seu irmão e aquela atitude era uma das razões dela ficar inclinada a aceitar a oferta de Nyx.
Melhor queimar do que apagar aos poucos.
-Neil Young.
o lema dos 3D&Tistas
"-seremos o ultimo foco de resistência do sistema"
Warrior 25/ Dark Knight 10/ Demi-God.

Avatar do usuário
Mælstrøm
Mensagens: 1415
Registrado em: 09 Set 2016, 17:51

Re: Infinita Guerra: Monstros de Metal

Mensagem por Mælstrøm » 10 Jul 2018, 20:14

Um desejo.

Vecna saboreou a possibilidade por alguns momentos enquanto via Kassionlenodirien escrevendo algo e elogiando sua "sabedoria". Não sabia se era um tolo ou esperto. Talvez lhe faltasse um pouco dessa sapiência. Vecna deu de ombros.
Vecna
Imagem
Meu objetivo será servir à Coroa.
Disse com um meio sorriso, um tom de escárnio. Girando seus calcanhares, o mago já estava prestes a deixar o recinto quando parou na porta e perguntou sem olhar para trás.
Vecna
Imagem
Acaso você sabe, Kassionlenodirien, por que o rei Khinlanas quer apenas pessoas "desconhecidos" para esta missão?
Após a resposta, saiu sem comentar mais nada.

No dia seguinte, estava num salão. Foi o primeiro a chegar e manteve-se quieto em um canto tentando misturar-se à paisagem. Outros começaram a aparecer pouco a pouco. Todos desconhecidos. Nenhum herói famoso, nenhum membro das famílias mais importantes de Lenórienn. Porém, havia uma mulher: Fellana Ishtar. Esta era "famosa" por ser irmã do ladrão. Havia outros irmãos, claro, mas estes nem um pouco interessantes.

Porém, taciturno como de costume, Vecna manteve-se quieto perto de uma pilastra com os braços cruzados. Mirava todos presentes um a um, buscando entender seus trejeitos e modos de agir. Não tinha intenção de se "enturmar" com ninguém abaixo dele. Esperava a chegada das explicações pelo próprio rei. O passo mais distante que qualquer membro de sua simplória família jamais chegara.
Testes rolados:
Percepção: 11, 15
Intuição: 17
Furtividade: 23
Intimidação: 6
Editado pela última vez por Mælstrøm em 16 Jul 2018, 10:54, em um total de 1 vez.

Responder

Voltar para “Mesa do Astirax”