PRÓLOGO-A MALDIÇÃO DA MORTE(FECHADO)

Avatar do usuário
Aldenor
Mensagens: 17588
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:13
Localização: Curitiba, PR

Re: PRÓLOGO-A MALDIÇÃO DA MORTE

Mensagem por Aldenor » 24 Mai 2018, 23:26

Alandyr pensou em dar um empurrão em Mordred com aquela reação arrogante, mas o momento não era propício para isso. Continuou caminhando olhando para os lados com os olhos bem abertos quando uma voz do além rompeu a região ecoando por todos os lados.
Alandyr
Imagem
... O que...
Era a lich, com certeza. Seu sangue gelou por uns instantes, principalmente quando os esqueletos armadurados surgiram com suas bocas abertas num grito mudo desesperado. Porém, ver Mordred usando uma flecha para atacá-los o divertiu um pouco, com um alívio cômico.
Aldred
Imagem
...
Seus lábios formaram um breve sorriso e isso foi o suficiente para sua coragem retornar. Com ambas espadas em mãos, Alandyr avançou para o lado de Yevon e girou o corpo com as duas grandes lâminas paralelas...

... porém suas espadas cortaram o vazio e, pior, quase acertaram Yevon ao seu lado. Alandyr corou o rosto sentindo-se ele próprio o alívio cômico.
Ação de Alandyr
Movimento: se move até b-2
Padrão: tenta atacar o esqueleto em a-3, mas rola 1 (total 6) e 2 (total 7) errando os ataques.
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Imagem Imagem

Avatar do usuário
John Lessard
Mensagens: 5204
Registrado em: 10 Dez 2013, 11:03
Contato:

Re: PRÓLOGO-A MALDIÇÃO DA MORTE

Mensagem por John Lessard » 27 Mai 2018, 00:22

Imagem

Ruffnor se aproximava da porta junto com os demais, já sentindo a antecipação do pior. Diante do grupo crescia um obstáculo de metal, com uma medonha caveira esculpida. O paladino se manteve firme, até mesmo quando a voz horripilante ecoou pelas paredes de rocha úmida e antiga, anunciando a morte de todos. Algo acontecia neste momento, criaturas desmortas se aproximavam pela retaguarda. Yevon e Mordred se apressaram em responder ao mal na forma de esqueletos andantes, o primeiro com magia e o segundo com suas flechas. Alynor também avançava e atacava, mas cortava apenas o ar. O guerreiro sagrado não prestava atenção nisto eme especial, apenas também avançava contra os mortos-vivos.

- Yevon junte-se a Mordred, Callamarys saia daqui, abra aquela porta!

Pisou em uma poça d'água, fazendo respingos saltarem e caírem em igual velocidade. Em uma das mãos a tocha se agitou, criando um borrão luminoso no ar, mas fora com sua lança que ele atacou, estocando para frente, em direção ao esqueleto mais próximo.
Ataque 19, dano 9; Movimento para 3
Personagens em Pbfs:
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
Toyoda
Mensagens: 1784
Registrado em: 18 Mar 2014, 02:26

Re: PRÓLOGO-A MALDIÇÃO DA MORTE

Mensagem por Toyoda » 27 Mai 2018, 00:56

Então algo inesperado! Esqueletos vivos!!

Calamaris soltou um pequeno grito ao ver! O estado de medo fez com que o susto o tomasse em forma de som... Atraindo a atenção dos esqueletos.

O pequeno ficou imóvel por algum tempo

O chamado de Mordred não foi o suficiente para tira-lo do transe, apenas com o comando direto e claro de Ruffnor que Call despertou se seu choque:
Callamarys
Imagem
Éh.... É pra já!!
Callamarys já havia aberto incontáveis portas, mas normalmente era para entrar em locais indevidos, e não para fugir de monstros, estava tenso, mas centrava-se novamente. Ao menos agora não estava disperso como antes.

Saiu de perto do esqueleto com cautela e se dirigiu a porta, pegando suas ferramentas para tal, e olhando o tipo de fechadura que se tratava.
Acão padrão para desengajar e movimento até -1 -a
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
DragonKing
Mensagens: 579
Registrado em: 17 Abr 2018, 11:24

Re: PRÓLOGO-A MALDIÇÃO DA MORTE

Mensagem por DragonKing » 27 Mai 2018, 16:45

Imagem

A MALDIÇÃO DA MORTE
Parte 2- O covil da morte.

Era esperado que em um covil de uma Lich haveriam mortos-vivos como seguranças, porém eram apenas dois contra um grupo de aventureiros experiente o suficiente para não serem derrotados tão facilmente, pelo menso assim eles pensavam. A minima visão daquelas criaturas era assustadora, Ruffnor via aquilo como ultrajante pois a vida foi corrompida de uma forma nefasta e egoísta, sabe-se lá onde as almas dessas criaturas estariam agora, porém era Yevon o mais ofendido afinal a sua Dama era uma Dama da Morte e aquelas criaturas deturpavam a morte d uma forma afrontosa e o único jeito de liberta-los para que sua alma seja guiada pela rainha dos corvos era destruindo-os, o seu cajado brilhou, o corvo soltou um gralho alto e a magia atingiu o rosto esquelético da criatura ,mas não foi suficiente para fazê-la se afastar de si.

Mordred reagiu num reflexo quase sobrenatural, a fama da pontaria elfica era lendária e Mordred mostrava isso com maestria. Haviam poucos locais para atingir a criatura, esqueletos eram alvos complicados para arqueiros com tantos vãos e orifícios onda flecha passaria facilmente, mas Mordred não era um mero arqueiro, sua flecha passou por entre os seus colegas zumbido atingindo o olho direito do esqueleto, a flecha atravessou o osso soando um estalo e pedaços de osso podre caíram no chão de pedra. Mas não foi o suficiente para derrubar a criatura que tremeu seus ossos e moveu sua espada em uma fúria silenciosa.

Alandry viu a flecha de Mordred passar rente a sua orelha fazendo seus cabelos balançarem pela ação do vácuo. O espadachim observou o ambiente e não havia muitas opções o local era apertado demais para mover suas espadas sem o risco de atingir um de seus companheiros, conseguiu ver uma brecha ao lado esquerdo de Yevon, não havia muito espaço ali teria que ficar encontrado na parede de pedra , mas pelo menos conseguiria se aproximar o suficiente do esqueleto para atingi-lo, contudo o péssimo local acabou atrapalhando de qualquer maneira o balanço das suas espadas e a única coisa que conseguiu atingir foi o ar pois o esqueleto moveu seu corpo para trás no momento certo.

Ruffnor sabia que dentre todos era o que poderia conseguir suportar a investida dos esqueletos sem problemas, precisava garantir que os que eram mais frágeis e vulneráveis ficassem longe do perigo enquanto ele e Alandyr pudessem dar conta dos mortos-vivos. O paladino se moveu com cuidado par anão esbarrar nos companheiros e acabar lançando-os em direção a lamina enferrujada do inimigo, estava carregando a lança a tocha , mais duas preocupações, porém conseguiu aproveitar o pequeno tamanho de Callamarys para passar por ele e conseguir uma posição vantajosa para si. para um maior aproveitamento da sua arma deixou a tocha cair próximo a seus pés e empunhou a arma com as duas mãos e mirou nas espinhas da coluna da criatura, a pota da lança resvalou na caixa torácica partindo varias costelas no processo.

Callamarys, entretanto, ficou um tempo abalado sem saber muito o que fazer, nunca teve de fato colocado suas habilidades de combate a prova, não com um risco tão iminente de se ferir e, possivelmente , morte. Ouviu as ordens de Mordred, porém suas pequenas pernas nãos e mexiam, apenas quando o corpo grande de Ruffnor em sua cota d emalha ficou a sua frente a voz firme do paladino o triou do breve transe fazendo-o agir com agilidade tipica da sua raça. Aproximou-se da porta , a olhou com atenção, a fechadura era antiga ,mas aprecia estar em bom estado, a imagem da caveira enorme lhe olhando dava calafrios e junto com o som dos ossos dos esqueletos de moverem e se partirem dava a impressão de um pesadelo sem fim.

Os ataques foram rápidos , mas os esqueletos não se abalaram, eram criaturas animadas por magia sem vontade própria e lutariam até a morte e matariam sem remorso, mortos-vivos não possuíam inteligencia mas eram ótimos soldados, resistentes e incansáveis. O esqueleto atingido por Mordred avançava , ele encarava Alandyr com suas orbes oculares vazias e escuras e avançou com paços anormais, levantou a lamina enferrujara acima da sua cabeça sem se importar com deixar sua guarda aberta e desceu com força sobre Alandyr que, infelizmente, não conseguiu evitar o ataque. A espada da criatura atingiu o seu braço esquerdo no antebraço quando o guerreiro erguei a espada para bloquear o ataque, sentiu o ferimento queimar e o sangue escapar por sua armadura de couro, por sorte o ataque não atingiu camada mais profundas ou teria perdido seu braço. O outro esqueleto, no entanto, tirou sua atenção do Yevon e voltou-se para o paladino pois este acertar um ataque potente com sua lança, a criatura moveu a mandibula como se gritasse alguma maldição e moveu seu braço em um semicírculo atingindo o ombro direito d Ruffnor,porém sua armadura absorveu o impacto e o paladino apenas sentiu a pressão da arma.


Imagem
Alandyr sofreu 4 de dano
Iniciativa escreveu: Esqueleto 1(12 de dano)-20
Yevon(9/9 PVs)-19
Mordred(12/12 PVs)- 17
Alandyr(7/11 PVs)-11
Ruffnor(11/11PVs)-11
Callamarys(10/10 PVS)-8
Esqueleto 2(10 de dano)- 8

Avatar do usuário
Lord Seph
Mensagens: 13714
Registrado em: 09 Dez 2013, 17:50

Re: PRÓLOGO-A MALDIÇÃO DA MORTE

Mensagem por Lord Seph » 27 Mai 2018, 22:09

Yevon não podia deixar aqueles dois lutarem sós contra aquelas aberrações cadavéricas.

- Desculpe, amigo, mas vocês precisam de mim aqui.

Yevon fala, e usa de seu poder novamente, mas a magia falhou, errando completamente o adversário diante de sim.

- Droga!

Fala frustrado.
Rajada Mística, tiro um 11 e devo ter errado.
Melhor queimar do que apagar aos poucos.
-Neil Young.
o lema dos 3D&Tistas
"-seremos o ultimo foco de resistência do sistema"
Warrior 25/ Dark Knight 10/ Demi-God.

Avatar do usuário
Maggot
Mensagens: 2136
Registrado em: 13 Jan 2014, 19:00

Re: PRÓLOGO-A MALDIÇÃO DA MORTE

Mensagem por Maggot » 28 Mai 2018, 14:04

"Morra novamente."

O elfo pensou, enquanto sacava o arco com seus dedos ágeis, mas em um movimento preciso e deliberado, minuciosamente treinado enquanto caçava pessoas nas florestas. Esqueletos possuíam corpos parecidos, então era fácil saber aonde mirar.

"Sempre no coração ou na cabeça. Mortes rápidas. Nem mesmo o pior dos homens merece dor. Tiros simples. Precisos. O mínimo de flechas necessário. Repetir."

Mais um tiro preciso, enviado em direção ao crânio da criatura, se cravando no lugar aonde estaria o outro olho do esqueleto, ossos podres caindo fragmentados quando a ponta de aço os atravessou.

- Callamarys... Quanto tempo?- Rosnou, sua voz mesmo agressiva sendo quase um sussurro, nunca se elevando. Falar nunca lhe fora natural, e falar alto era algo que ele não sabia sequer se era capaz. Só precisavam abrir a porta. Esperava que não houvessem outros esqueletos animados.
7 de dano no Esqueleto 2
Imagem
- Six shots...
#FreeWeizen

Avatar do usuário
Aldenor
Mensagens: 17588
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:13
Localização: Curitiba, PR

Re: PRÓLOGO-A MALDIÇÃO DA MORTE

Mensagem por Aldenor » 28 Mai 2018, 15:21

Alandyr sentia o sangue escorrer quente pelo braço. Gemeu de dor antes de encarar novamente aqueles orbes oculares vazios e escuros. Seu machucado latejava e ele queria parar e olhar seu ferimento, para lavá-lo, limpá-lo e enfaixá-lo.

Mas os esqueletos não lhe dariam esse tempo.
Alandyr
Imagem
Criatura do abismo... grrr...
A raiva foi o motor para lhe manter centrado na batalha. Erguendo os braços para cima com as espadas em riste, procurava um meio de atacar os esqueletos sem ficar atrapalhado pelo pequeno espaço que tinha ao lado dos companheiros.
Ação de Alandyr
Padrão: Ataque no esqueleto em b-3. Ataque 19, dano 10 (corte)
Bônus: Ataque no esqueleto em b-3. Ataque 20, dano 6 (corte).
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Imagem Imagem

Avatar do usuário
John Lessard
Mensagens: 5204
Registrado em: 10 Dez 2013, 11:03
Contato:

Re: PRÓLOGO-A MALDIÇÃO DA MORTE

Mensagem por John Lessard » 28 Mai 2018, 16:16

Imagem

Ruffnor cambaleou meio passo para trás com o golpe que revebera, que felizmente fora aparado por sua armadura e revidou, porém ainda sem equilíbrio sua lançar passou centímetros de um dos ossos do esqueleto, errando seu alvo. Firmou seu pé no chão novamente, vendo que Alynor derrubara o outro morto-vivo. Bufou, controlando o fôlego, sem tirar os olhos do ferimento no braço do guerreiro.

- Callamarys, a luta contra o mal é gloriosa, mas o tempo urge!

Estava em posição de batalha completa mais uma vez.

- Juntos, companheiro - disse a Alynor.
Personagens em Pbfs:
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
Toyoda
Mensagens: 1784
Registrado em: 18 Mar 2014, 02:26

Re: PRÓLOGO-A MALDIÇÃO DA MORTE

Mensagem por Toyoda » 28 Mai 2018, 19:59

Call puxa apressada mente suas ferramentas de ladrão e se põe a abrir desajeitadamente a porta, enfia suas ferramentas de qualquer forma com mãos tremulas.
Callamarys
Imagem
Calma... Calma.... Vamos! Você já abriu centenas de portas facilmente! Não de uma dessas agora...
Então respirou fundo, firmou suas mãos e voltou a mexer na fechadura, dessa vez com firmeza e concentração, como se algo inspirasse sua alma, um poder que não entendia, e ainda era diferente de outras vezes que algo que dava incrivelmente errado se corria naturalmente, desta vez, parece que teve um auxilio divino, ou algo assim.
Pelo menos era a impressão que Call teve naquele momento.

Um pouco de alegria do alivio lhe veio, e disse para os demais com um semi sorriso no rosto:
Callamarys
Imagem
Abri!! Abri a porta!!!
AM: pegar ferramentas de ladrão
AP: arrombar: 7, falha
Gasto ponto de inspiração e rolo novamente: 20, sucesso
Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Avatar do usuário
DragonKing
Mensagens: 579
Registrado em: 17 Abr 2018, 11:24

Re: PRÓLOGO-A MALDIÇÃO DA MORTE

Mensagem por DragonKing » 04 Jun 2018, 16:12

Imagem

A MALDIÇÃO DA MORTE
Parte 2- O covil da morte.

Apesar do ferimento de Alandyr o combate seguia sem maiores preocupações, a chance de vitória aumentando também aumentava a autoconfiança do grupo que parceiam não temer mais tando as criaturas apesar delas aparentarem possuírem uma vigor acima do normal. Mortos vivos sempre foram criaturas resistentes e obediente o que garante a esses monstros um status de ótimos soldados nas mãos de vilões nefastos e necromantes para defender seus laboratórios arcanos. Os golpes dos aventureiros eram potentes e precisos ,porém mesmo com pedaços de ossos sendo retirados de seus copros esquelético e ossos sendo retirados dos lugares as criaturas permaneciam lutando a t´sua morte final. E essa morte final veio logo em seguida quando Alandyr, impulsionado pelo seu instinto de sobrevivência após ser ferido move suas espadas com agilidade e precisão, as laminas atingiam os ossos do esqueleto com tamanha força que no final dos ataque a criatura simplesmente desabou em vários pedaços de ossos escorrendo pelo chão de pedra, porém o outro inimigo ainda estava de pé e os ataques dos seus companheiros não foram suficiente para garantir que a criatura sucumbisse.

Mais atrás Callamarys puxava suas ferramentas de ladrão, olhou a fechadura com cuidado e escolheu as ferramentas necessárias para conseguir sucesso em sua empreitada, não sabia se haviam outros monstros e cada tempo perdido poderia fazer surgir ou atrair mais deles. Mordred disparava suas flechas e se preocupava em apressar seu companheiro halfling a pressão acabou fazendo com que o pirata não conseguisse se concentrar de fato no que estava fazendo e a fechadura simplesmente não se moveu, porém todos ali dependiam dele para ficarem em segurança, focou no que precisava fazer e com maestria ouviu o estalar da tranca e tinha certeza que a posta estava apta a ser aberta, mas o que o halfling não sabia é que sua ação apressada não fez com que notasse a armadilha deixada pela lich contra invasores, Callamarys ouviu um estranho som, olhou para cima e observou os olhos da caveira brilharem em um vermelho sangue e logo em seguida daqueles olhos partiram raios avermelhados, os raios percorreram toda a extremidade da escadaria e abrindo em um cone atingindo todos.

Imagem

Vocês sentem algo passar por vocês, a energia queima porém não os ferem, vocês sentem seus corpos sucumbirem por um tempo se sentem um pouco ofegantes e enjoados, mas logo essa sensação passa, pelo menos para a maioria de vocês. Yevon não foi felizardo, ele sentiu a magia percorrer seu corpo e sua energia vital ser consumida, seu corpo ficou pesado e cansado, ao olhar para trás viu as luzes vermelhas dos olhos da caveira se apagarem lentamente, Callamarys olhava assutado sem entender o que havia acontecido, não havia sequer a presença de algum tipo de armadilha mecânica ali, mas sabia que deveria ter olhado com mais atenção. O combate não havia finalizado, o esqueleto aparentou se estimular quando viu os raios vermelhos atingirem o grupo, a criatura novamente simula um grito e move sua espada em direção a Ruffnor, sua espada veio rápida e com fúria, o paladino não conseguiu evitar o ataque dessa vez e a espada ultrapassou a resistência da sua armadura ferindo-lhe o abdomem


Imagem
Ruffnor sofreu 3 de dano
Yevon recebeu 1 nível de Exaustão recebendo desvantagem em todos os testes de atributo.
Iniciativa escreveu: Esqueleto 1(12 de dano)-20
Yevon(9/9 PVs)-19 1 Nível de Exaustão
Mordred(12/12 PVs)- 17
Alandyr(7/11 PVs)-11
Ruffnor(8/11PVs)-11
Callamarys(10/10 PVS)-8
Esqueleto 2(Morto)- 8

Responder

Voltar para “Dragon King's Den”