Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Avatar do usuário
Keitarô
Mensagens: 1300
Registrado em: 09 Dez 2013, 19:58
Localização: Mahoyiga

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Keitarô » 08 Out 2019, 23:21

Cecilia, Amaretsu e Carlos

Kaguya ouviu atentamente as reclamações de sua filha. Kátia e o piloto se mantiveram calados, e Terra sentou-se, concluindo que não tinha muito o que opinar na conversa. Talvez num momento oportuno, e deu de ombros levemente, indignada com a estória.

— MEAD, Armada de Aço. Certo.

Hera virou o rosto para Amaretsu, sua expressão indecifrável. Cecilia podia sentir levemente os pensamentos da amazona sendo escolhidos.

— Ela está caindo na armadilha, se existir armadilha. Vou usar a ideia para tentar descobrir se o caminho é este.

— Se você diz, deve ser verdade, Amaretsu — respondeu a amazona de Prata.

Kaguya estranhou o clima. Observou Amaretsu, Cecilia, Carlos, que se pronunciava levemente contrário ao discurso do seu interesse romântico. Prestou atenção especial no rapaz, como se analisasse o que tinha dito. Depois, olhou para Hera, antes de responder.

— Peço disciplina nesta academia. Não estamos num campo de batalha. Deixemos as emoções, principalmente a raiva, para os inimigos. Eu — disse isso olhando para os lados, buscando informações. — estou sim sabendo de um teste com um novo protótipo Mecha, mas--

— Está sendo realizado, sim — disse o diretor ao entrar na sala. — Prazer a todos, sou Gracus, general-diretor da Academia de Aço de Atena.

Era um homem alto, velho, mas bem treinado, pelo porte físico por debaixo da roupa militar de alta patente. Usava uma bengala, mas visivelmente não precisava. Tal qual Kaguya, possuía uma leitura simples de cosmo, superior aos outros presentes naquele quartel, mas ainda assim, não ao nível de Amaretsu, por exemplo.

— É um teste secreto. Um novo Mecha imbuído com a capacidade de mover-se por pequenos buracos de minhoca e entrar em modo indetectável usando nossas pesquisas daquilo que o mundo chama de "energia de ponto zero", ou "campo de vácuo quântico". Basicamente, Cosmo. Porém, na máquina.

Terra pareceu bem surpresa com a informação. Kaguya, não, como se soubesse parte da informação.

— O teste não foi avisado a todos os soldados, e àqueles que foram avisados, foi informado que tratava-se de um teste Mecha de rotina. A ideia era não causar comoção ou alarde. Os mísseis, de média distância, estão configurados para fontes de calor intenso, e como vocês têm domínio do Cosmo, eles desviaram do alvo principal, escolhendo a aeronave de vocês como objetivo. Eu lamento muito o quase acidente gravíssimo.

Gracus, em toda sua imponência, baixou a cabeça em tom derrotista.

— Responsabilizo-me pelos acidentes. Houve baixas…? — disse, em tom preocupado.

— Não, general — o piloto voltou a responder, como um soldado relatando a missão. — Estamos todos bem, pois os cavaleiros neutralizaram os mísseis!

— Então, fico mais tranquilo, mas reitero meu pedido formal de perdão.

Kátia sorriu, fechando os olhos. Suspirou sutilmente. Gracus olhou a cada um dos presentes, demorando-se um pouco mais em Hera, e finalmente foi até sua cadeira, sentando-se ereto.

— O teste já foi encerrado. Posso mostrar o equipamento a vocês, se assim desejarem. Mas primeiro, gostaria que se apresentassem.

Tenzi

— Isso… isso é novo para mim — disse Gehenn, do relato de Tenzi. — Não pensei que algo assim fosse possível, mesmo com Cosmo. Digo, estou estudando como fazer uma pele que interaja com os braços metálicos de Agni e dê a sensação de tato normal, mas daí a copiar um ser inteiro… é inimaginável.

Gehenn levou a mão ao queixo, pensativo. Por alguns instantes, ficou com os olhos perdidos.

— Ah — Agni quebrou o silêncio. — de toda forma, acho que verificar a situação é urgente, agora?

— Sim — rapidamente o cavaleiro de Cinzel retomou a atenção para os dois ali presentes. — Estamos com as forças em baixa no Santuário. Creio que somos em seis cavaleiro de bronze, três de prata, contando com Mika, a capitã da guarda de Rodório, e dois de ouro, o Mestre e Atlas, que está ausente justamente investigando o caso.

Ele se levantou e deu a volta na mesa, antes disso fechando o computador.

— Vou avisar a Mika, que já estava mobilizando soldados para uma investigação. Tenzi, você pode ir na frente?
Próxima atualização, dia 11.10.2019, quinta-feira.

Avatar do usuário
Galahad
Mensagens: 1889
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:33

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Galahad » 09 Out 2019, 13:45

Tenzi

— Como falei, a cópia era uma versão distorcida, quando surgiu tinha a boca costurada, mas durante nossa luta a cópia pareceu evoluir, então me preocupa os incidentes possam estar conectados...

O cavaleiro de Compasso torcia para que não fosse o caso, que sua cópia não tivesse, de alguma forma, conseguindo uma armadura negra e voltado ao Santuário por algum motivo nefasto. No momento aquilo não passava de uma teoria, teria que investigar para descobrir mais.

— Posso ir na frente sim, Gehenn — se vira então para Agni — e você, o que fará, Agni?

Avatar do usuário
Nulo
Mensagens: 449
Registrado em: 09 Dez 2013, 20:17

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Nulo » 09 Out 2019, 23:40

Cecilia

"Já esperava por isso..."

Cecilia suspirava de um jeito sutil, já esperando por aquele discurso por parte da amazona de aço. Será que ela realmente não via nada de errado em atacar de surpresa alguém de patente superior como o fez com o grão-mestre ou acusar os cavaleiros de prata assim? Antes que pudesse vocalizar, Carlos havia vocalizado e tentado amenizar o discurso da sua namorada (?), o que era bom. Só não sabia se concordava muito com o jeito de Hera tentar instigar aqueles desejos negativos.

"Será o jeito certo?"

Felizmente a progenitora de Amaretsu parecia mais dotada de razão e acalmava os ânimos ali um pouco. Cecilia só rezava que o que havia dito sobre os mísseis estavam corretos. Para o alívio dela, a chegada repentina do diretor confirmando tudo aquilo era uma benção. Não iria passar vergonha naquele momento, pelo menos. Tinha de manter a "superioridade" na conversa.

— Tecnologia impressionante...

Dizia em um tom baixinho, impressionada com o quanto a humanidade havia avançado. Máquinas que usam de buracos de minhoca para deslocamento e descarga de armamentos de destruição. Era bem impressionante e trágico ao mesmo tempo.

"No fim das contas, santos também são armas de destruição ambulantes."

Só não sabia se confiava muito nas palavras do diretor. Parecia muito conveniente mísseis assim tentando alvejar o helicóptero. Não entendia muito de armamento balístico, mas será que não havia algo para impedir os mísseis manualmente?

"Eu nem sei se poderemos ver tais mísseis depois da notícia sobre o banimento de Amaretsu. Terá clima para isso?"

— Cecília de Taça, prazer.

Não se sentia com tanta patente para falar com aquele pessoal tão velho, mas se apresentava mesmo assim após o pedido do diretor Gracus. Uma leve apreensão começava a tomar conta do seu âmago.

— Vamos agradecer pelo fato de que não houve nenhuma casualidade, por ora — Cecilia abria os olhos, levantando a cabeça e inclinando-a levemente na direção da diretora. — Contudo...

Amaretsu já havia adiantado que havia agredido o grão-mestre. Provavelmente sua progenitora e Gracus já sabiam o que aquilo significava.

Deixaria as honras para Kátia.

Avatar do usuário
Pontus Maximus
Mensagens: 725
Registrado em: 09 Dez 2013, 21:15

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Pontus Maximus » 10 Out 2019, 09:38

Amaretsu.

A tranquilidade de Hera deixou de ser uma "brisa" suave para mim e passou a ser algo que me irritava, não sei se era seu comportamento natural ou dissimulação descarada, meu olhar para ela se tornou por alguns instantes em um olhar assassino, queria tirar a verdade dela a força se fosse necessário, mas por causa da palavra da minha superior, ou seja, da minha mãe e Capitã junto com a palavra do Pégaso Negro então eu me contive e busquei me acalmar, respeitando a autoridade dela e os sentimentos pelo Carlos. Foi então que o Diretor Gracus abre a porta e tão logo e se anuncia a sua chegada eu permaneço de pé e faço uma saudação militar em respeito.

O incidente foi explicado, respirei surpresa com o nível de tecnologia que chegamos ao ponto de lhe interrogar.

-Senhor Diretor, isso vai além de tudo que aprendi e sei, isso significa que além desse novo protótipo de Unidade de Guerra e Retaliação Avançada é imune a qualquer tipo de artilharia guiada por altas temperaturas? Como também ele é mais ágil do que os Caças Valquírias podendo pegar o inimigo de surpresa mais facilmente?

Minha impaciência com Hera deu lugar a curiosidade, um Mecha mais forte que um U.R.R.B (Unidade de Resgate e Retaliação Blindada), mas ao mesmo tempo me bateu uma tristeza momentânea, de todos os usuários de Cosmo ali presente eu sei que o mais instável é o meu, eu uso muito como arma e nunca pensei em usar de outra forma até aquele momento, preciso rever meus conceitos, temo que esse calor todo tenha sido culpa minha.

-Senhor Diretor, desejo assim que possivel ver de perto esse novo blindado em ação, mas tem outra questão que continua a me dar coceiras em minha mente, eu fui chamada pela central de "Capitã" e eu não sabia que tinha sido promovida, será que não temos um infiltrado ou um "Judas" entre nós?

Avatar do usuário
Inoue91
Mensagens: 595
Registrado em: 08 Jan 2014, 02:38

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Inoue91 » 10 Out 2019, 19:43

Carlos

Carlos mantinha-se sentando, ele estava atento sobre o que estava sendo discutindo e por isso procurava não se distrair com alguma outra coisa, estava um pouco agitado e por isso batia seu pé esquerdo de maneira agitada

— Peço desculpas capitã Kaguya, eu acabei me exaltando, mas estamos passando por momentos conturbados, tentarei manter mais compostura — suspirava

Ao ver um homem entrar, Carlos mantinha-se sentado, e apenas o observava, quando ele se identificava como general-diretor, ele ainda ficava sentado e o cumprimentava com um aceno de mão e então curva-se para frente, entrelaçando os dados das mãos, voltando a prestar atenção, refletindo o que o diretor Gracus havia dito logo em seguida.

— Pelo pouco que estudei, está sem dúvidas é uma ideia interessante porem muito difícil de ser aplicada, apesar de todos esses avanços tecnológicos que possuímos, ainda acho difícil uma máquina reproduzir 100% o que um humano faz, eu não tenho ideia de como é este projeto, mas se fizer algo como uma conexão neural entre o piloto e o mecha ? — Fazia uma pequena pausa e então falava para si mesmo — Não... Isso pode exigir muito do piloto e trazer sequelas profundas... Talvez se a conexão for feita com dois pilotos, mas isso necessitaria total sincronia entre eles — Voltava a olhar ao se redor e então ficava um pouco envergonhado — Me desculpem... Acho que exagerei um pouco... É que eu gosto muito deste tipo de coisa e acabei me empolgando... — Ficava em silencio logo em seguida.

Avatar do usuário
Keitarô
Mensagens: 1300
Registrado em: 09 Dez 2013, 19:58
Localização: Mahoyiga

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Keitarô » 11 Out 2019, 01:58

Tenzi

— Eu vou junto, ora. Eu também posso lutar, lembra?

Ela coçou o rosto. É bem verdade que conseguia arrebentar caras com seus socos, mas talvez não contra um inimigo que soubesse usar o próprio cosmo.

— E de toda forma você está indo. E os outros já vão chegar também. Então, vamos, não haverá problema algum.

Gehenn confirmou com a cabeça e foi correndo na direção do vilarejo avisar Mika. Antes, apontou para a trilha de ruínas que ia para a esquerda da saída do Santuário, na direção oposta ao vilarejo. Naquela direção havia colinas e alguns desfiladeiros, próximos ao caminho que levava à faculdade. Foi por lá que ocorreram os avistamentos.

Cecilia, Amaretsu e Carlos

Gracus parecia mais satisfeito, agora. Kátia trazia um sorriso diplomático. Kaguya ainda estava incomodada com algo, enquanto Terra e Hera apenas observavam.

— Não é mais rápido que os Valquíria, Amaretsu, pois é um tanto grande, e precisa orientar a munição de grande porte. É, bem, um protótipo, bem secreto. A sua ideia não é ruim, Carlos, mas a ideia é seguir o que o lendário Tesla disse há muito. "Há eletricidade disponível em todo lugar, de graça". A máquina também pode acessar, porque tudo tem e é Cosmo. O operador apenas a orienta.

Gracus coçou o queijo barbudo, mais sério.

— Creio que o operador se confundiu, Amaretsu. Nem todos foram avisados do teste, pelo caráter secreto até internamente. Novamente, perdoe-o pela confusão. Eu sei quem é. Depois conversarei diretamente com ele.

— Meu nome é Hera. Viemos escoltar Amaretsu de volta à Academia, uma vez que ela foi expulsa do Santuário por agressão ao Mestre.

Kaguya olhou séria para a amazona de Prata, comportamento repetido por Gracus.

— Ah, sim, fomos informados — o diretor olhou para Kátia, que confirmou com um movimento de cabeça. — É uma pena que o Santuário assim pense, já que Amaretsu poderia servir de ponte entre nós dois. Ela é tão amazona quanto vocês todos, já que controla seu cosmo, e possui também noção militar.

— Embora talvez ainda falte um pouco de disciplina — completou Kaguya. — o que quero testar depois daqui, reiterando meu pedido de antes, General.

— Claro, capitã, admiro os treinos de combate de vocês duas. Adoraria assistir. É uma boa oportunidade de mostrá-la a sua nova armadura de aço.

A capitã Kaguya assentiu. Em seguida, Gracus pronunciou-se mais formalmente.

— Agradecemos a escolta de nossa soldado em segurança. Deixo com vocês meu pedido formal de paz ao Santuário, acatando sua decisão e deixando abertas as portas para uma reconciliação, se desejarem.
Próxima atualização, 13.10.2019, domingo.

Avatar do usuário
Pontus Maximus
Mensagens: 725
Registrado em: 09 Dez 2013, 21:15

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Pontus Maximus » 11 Out 2019, 12:59

Amaretsu:

- Senhor Diretor, eu peço permissão para falar.

Espero ter a permissão para me pronunciar e tão logo eu receba a permissão para dialogar eu prossigo com alguns fatos, com a intenção de esclarecimento:

-Senhor sobre a central então me sinto melhor em saber que não temos impostores entre nós e que foi apenas uma falha inocente de comunicação, mas agora quero relatar sobre o porquê de meu comportamento explosivo e os motivos principais são o descaso com os Cavaleiros de Aço e combatentes comuns que partem em missão sem saber se voltaram vivos ou se a família do Soldado receberá apenas uma medalha de honra e uma indenização que não pode preencher o vazio do coração dos parentes. O segundo motivo é a corrupção que já é fato consumado de que existe no Santuário, os Cavaleiros de Prata são notoriamente a divisão dos guerreiros de Atena com o maior incidência de corruptos nos últimos séculos, a maioria tem ansiedade por vender suas próprias almas para o primeiro falso deus que surge e traem Atena e diga - se de passagem eles sempre levaram uma surra de todos, são muito raros um Cavaleiro dessa divisão que seja honrado.

Prosseguindo com meu relato eu falo ao todos um pouco mais:

-Senhor Diretor, quase todos aqui nessa Sala já viram o poder que aquele lugar possui e ao invés de defenderem os preceitos de Atena sempre, eles só utilizam seu potencial para fazerem bonito quando Atena está por perto, quando ela está longe o Santuário pouco faz pelo próximo, felizmente os santos de Bronze são mais independentes e solidários com o próximo, somente os escalões mais baixos do Santuário sabem o que é amar o próximo, os Cavaleiros de Prata principalmente dizem que "precisam lutar contra deuses menores" para justificar de porque não lutarem ao nosso lado, isso é uma desculpa esfarrapada pois nos Cavaleiros de Aço lutamos sempre tanto contra esses "deuses" como também lutamos todo dia em outras linhas de ação, sempre que o Grão mestre nos chama para ajudar nos respondemos ao chamado, mas quando nós precisamos somos deixados para morrer e o número de baixas aumenta, perdemos alguns ente queridos no ataque suicida tempos atrás e a sua própria vida Senhor Diretor também quase foi perdida, onde estavam os Cavaleiros de Prata para socorrer alguém? Assim como as forças aliadas da Segunda guerra deixaram a Varsóvia sozinha nas mãos dos nazistas o mesmo eles fazem conosco.

-Mas a boa notícia é que os Cavaleiros de Bronze e o Cavaleiro de Ouro Atlas de Aries podemos contar com seu apoio, são heróis que lutam conosco sem preconceitos, mas é uma pena que o Santuário não seja assim, eventos históricos poderiam ser evitados ou pelo menos minimizados se os Grão mestres fossem mais humanos, eles poderiam intervir contra escravidão, inquisição, 1 e 2 guerra, regimes assassinos de países de esquerda socialista e comunistas, impedir que líderes como Hitler, Stalin, Lenin, Mao Tseng Tung e atentados terroristas por exemplo. Mas ao invés disso eles enviaram um Mercenário matar os heróis de Bronze da segunda guerra mundial por "deserção".

-Nike me deu muitas lembranças tanto boas como horríveis do passado, mas aos poucos eu começo a aprender algumas técnicas ancestrais dos cavaleiros, mas eu me sinto mal por ter mordido Atena e ter ingerido um pouco do seu sangue, ela mostrou respeito aos santos das constelações como aos santos de Aço ao vestir uma armadura que lembrava uma das nossas, o sangue dela esta dentro de mim e eu posso sentir isso, as pontas dos fios do meu cabelo ficaram brancas mas isso é só uma leve demonstração do que ainda pode acontecer comigo, não sei mas estou me sentindo culpada, ingerir sangue é um pecado para nós cristãos e se eu pudesse remover o sangue de Atena eu faria isso para me redimir.

Sei que falei demais mas eu ainda preciso dizer uma última palavra, então me dirijo a todos, olhando para os que estavam na aeronave e não com raiva mas sim com uma súplica eu abaixo a cabeça.

Com todos:
-Quero pedir perdão a todos no incidente de agora a pouco, os mísseis devem ter sido guiados contra nós não por causa do calor dos seus cosmos, creio que a culpa é minha, eu sei que meu cosmo ainda está instável e um tanto selvagem.

Avatar do usuário
Galahad
Mensagens: 1889
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:33

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Galahad » 11 Out 2019, 19:08

Tenzi

Tenzi tentou não mostrar preocupação, mesmo sabendo que Agni é uma guerreira competente, ainda se preocupava com a segurança dela, já que não sabiam a força do inimigo. Mas também não poderia impedir ela de agir, talvez uma batalha real ajudaria a "formação" dela.

— Bem, isso é verdade. E nós dois juntos, dependendo do inimigo, podemos pelo menos o segurar até que reforços cheguem.

"Pelo menos assim espero"

Avatar do usuário
Nulo
Mensagens: 449
Registrado em: 09 Dez 2013, 20:17

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Nulo » 12 Out 2019, 21:14

Cecilia

Cecilia cruzava os braços e fechava os olhos, uma expressão séria perfazendo o rosto. Ficava um pouco perplexa com o jeito que o líder da armada de aço reagia ao fato de uma soldada atacar a autoridade máxima de uma outra organização não-inimiga. Ficava ainda mais confusa com o jeito que Amaretsu tratava era, mesmo depois de Kaguya pedir por um pouco mais de discrição.

“Do jeito que ela fala, parece que provoca Hera de propósito para uma briga...”

A alemã suspirava de um jeito sutil. Pensou até em falar com a amazona de prata telepaticamente, mas desistiu; achava melhor não se envolver agora. Amaretsu também parecia bem obstinada em seu preconceito, então não iria levantar a voz. Pelo menos não agora. Fora que achava que ela exagerava um pouco.

“É como se eles tivessem pedindo desculpa pelo santuário ter se ofendido.”

Sem mais o que falar, pelo menos por ora, iria deixar a diretora se pronunciar com Gracus e aguardar. Ao ouvir o comentário de Amaretsu, Cecilia apenas levantava o rosto, sorrindo e respondia:

— Não se preocupe, deu tudo certo no final, não foi?

Era agora só esperar. No mais, ainda sentia que tinha algo errado ali. Mas o quê? Não conseguia engolir isso de míssil guiado pelo calor do cosmo. Se tinham um operador, por que não desativaram remotamente a saraivada balística?

Era bom ficar sempre alerta.

Avatar do usuário
Inoue91
Mensagens: 595
Registrado em: 08 Jan 2014, 02:38

Re: Ato 2 ~ Aço de Prata ou Prata de Aço?

Mensagem por Inoue91 » 12 Out 2019, 23:38

Carlos

Novamente levava a mão ao queixo de maneira pensativa, ele não havia pensando naquilo, e realmente era uma outra abordagem, mas aparentemente um tanto quanto difícil alcançá-la.

— De fato diretor Gracus, eu não havia pensado por esta abordagem....Bem, acho que deveríamos deixar essa conversa para um momento mais propício caso me permita a honra, gostaria de conversar sobre diversas coisas relacionada a esse assunto.

Voltava a atenção a Amaretsu e novamente via a mesma com um certo preconceito aos cavaleiros de prata, ele não entendia muito bem o porquê daquela agressividade toda contra eles, talvez eles pudessem ter errado no passado, mas no fim para Carlos todos merecem uma redenção, afinal não pode julgar um grupo todo devido aos atos de uma pequena parcela daquele grupo.

Como não havia nada a dizer do incidente, Carlos ficava quieto durante o resto da reunião, assim ao ouvir o pedido de Amaretsu de desculpas apenas dizia com uma expressão séria.

— Não acho que você tenha tido culpa neste incidente então não tem por que se desculpar

Carlos então voltava a ficar em seu mundo da lua, perdendo um pouco do que foi dito no final da reunião

"Será que já iremos voltar ao santuário ? Eu queria poder de explorar esse local ? Queria dar uma olhada em sua arquitetura ou até mesmo conversar com os cientistas deste projeto do Mecha, tenho muito o que aprender com eles.....Falando nisso a Safira será que ela está bem ? Tenho quase certeza que ela já falou com meus pais... Eles devem estar preocupados, o que é justo já que eu não falei com eles nesse meio tempo...E a Saja, espero que ela tenha melhorado, se voltarmos cedo hoje irei visita-la caso me seja permitido...eu também tenho que estudar para minha prova e treinar com Mika...."

Responder

Voltar para “Cavaleiros do Zodíaco Alpha”